quinta-feira, 31 de maio de 2007

A Bandinha da Praça

Qdo acordei,fui tomar meu pingadinho de café com leite na padaria,com pão na chapa.De lá,comecei a escutar o barulho de uma daquelas bandinhas que tocam nas praças,com o som característico dos metais, mais a marchinha feita pela bateria,que sempre chamam á atenção.
Depois do café, fui conferir.A Praça Afonso Pena é um dos meus points, sempre passo por ela.Lá, as pessoas correm, andam,passeiam com o cachorro(preciso levar o Chubby lá),enfim, é muito movimentada, pois tem duas saídas do metrô.E lá que tomo minha água de côco a 1 real, e que,vez por outra,como pipoca.E lá tb, que, na hora da fome,tem o melhor podrão da Tijuca: O podrão da Afonso Pena,que nos fim de semana, deixa a gente esperando até 20 minutos na fila,tamanho é o movimento...mas só funciona á partir das sete da noite.Por 2,50,vc mata sua fome,tanta coisa que vem dentro dele.
Pois bem.Fui ver, e que bandinha que nada: era a banda do Exército! Tocaram clássicos e música comtemporânea,teve solos de sax,maestro regendo,tudo completo...gostei da do Lulu Santos,qdo começou a tocar "Como uma Onda no Mar".Eles tocam muito bem, principalmente o saxofonista e o baterista.O povo,alegre com a música de qualidade,aplaudia ao final de cada música...me senti numa cidade do interior(apesar do Exército),foi muito gostoso.Até que eles começaram a tocar uma música que tava me dando vontade de chorar,aí piquei a mula, afinal não ia ficar bem isso ali...fui criado pelo famoso método homem não chora.
Mas volta e meia burlo o método-sempre escondido,claro.Que frio é esse que tá fazendo,fez 15 graus na madruga! Brrrr!