sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Preconceito


Um das melhores definições de preconceitos que já li foi essa que vem a seguir: "Preconceito é cegueira na alma; é viseira no todo entendimento; é tapume sobre a percepção; é um denso véu contra a luz; é uma burka sobre o espírito; é o coveiro da verdade; é o verdugo da bondade; é o diabo no ver; é o satanás do sentir; é a sepultura de possíveis reconciliações; é o enxofre humano que faz estatuas como a mulher de Ló." (Caio Fábio)


Preconceito, acima de tudo, é uma coisa idiota, imbecil. Fazendo um apanhado mental, desde pequeno, eu sempre detestei preconceitos, e intuitivamente, agia na contra-mão do preconceituoso. Até porque também senti na pele o preconceito.Quando criança, em minha quarta série, na Alemanha, um coleguinha me chamou de Macaco, tão somente por ter a pele morena em meio a um monte de brancos. Hoje, tem jogador na seleção Alemã, negro. Fui criado em meio à farturas, com motorista particular de embaixada. Mas quando meu pai morreu, a fartura acabou, e voltei a andar de motorista, mas dessa vez dos ônibus de linha...rss!


Foi quando eu fui pra escola pública. Pela primeira vez, estudava com alunos negros, pobres, e vindos de favelas.Eu levava uma marmita com bife. Foi quando descobri que a maioria não comia carne, regularmente. Um colega me pediu um pedaço, e eu dei. Todo dia eu dava um pedaço a alguém, até que um dia eu parei pra comer a mesma merenda que eles comiam...com exceção de peixe, claro, que detesto até hoje.Fiz amizades que perduram até hoje. Um dos meus colegas da 5ª série é hoje entregador de jornal nas madrugadas, aqui no Rio, e sempre que a gente se esbarra, nós conversamos. Ele é negro.Sempre quando vejo um daqueles filmes sobre preconceito racial, eu me irrito e me emociono, tipo "Mississipi em Chamas". Me irrito com o preconceito; me emociono com a luta pela igualdade.


Mas existem várias outras formas de preconceito... O contra a mulher; contra o pobre; contra os gays; contra a religião que não é igual a sua.Essas duas últimas , então, vem produzindo as maiores atrocidades nos últimos tempos.Os gays foram os primeiros a serem executados nas câmeras de gás dos campos de concentração nazista, antes mesmo das mulheres e crianças.E até hoje, como vemos nas mesmas gangues nazistas e punks de São Paulo, são vítimas de espancamento por esporte, algumas vezes até a morte.Deus deu o livre-arbítrio ao homem, para que esse o usasse quando quiser, ainda que muitas vezes a escolha do homem possa entristecê-Lo.


Jesus caminhou entre os "publicanos" ( na nossa gíria "gentinha") e entre prostitutas. Aliás, ELE sempre caminhava entre o povo, que o seguia. Não se preocupava com a liderança, com a alma toda esfarrapada - sabia que eles não tinham jeito- o preconceito dominava seus corações.A igreja de hoje também é assim: preconceituosa, sem compaixão. A Igreja não perdoa- Jesus, este sim, continua derramando sua graça. A Igreja faz "guerra santa", da mesma forma que fazia anos e anos atrás, por puro preconceito.


Um de meus colegas é umbandista, responsável por congregação espírita e tudo mais. É uma das pessoas mais distintas e gente fina que eu conheço. Tenho a consideração e amizade dele, muito mais do que gente da igreja. E olha que sou "da igreja" desde o berçário.


Segundo as convenções eclesiáticas de igreja, eu não poderia me "misturar".O problema é que ELE se misturava, indo inclusive as festas dos "pagãos". Não compactuava , mas gostava de estar entre as pessoas, a maioria,"diferente"; e ELE era o filho de Deus.A Igreja é um dos lugares mais preconceituosos e fechados do mundo atual. Há preconceitos contra pobres...quem dá dízimo "gordo" tem mais atenção;Há preconceito racial, ainda que disfarçado; Há preconceito contra as mulheres, pois na católica, não podem ser diaconisas, e nas evangélicas, em muitas denominações não podem ser pastoras. Cristianismo hj em dia tem pouco de Jesus; Igreja tem muito pouco de evangelho.