sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Jiu-Jitsu and Me


Jiu-Jitsu significa Arte suave, em Japonês.


Os monges na Índia eram atacados nas estradas, e precisavam se defender.


Assim, inventaram um sistema baseado em alavancas e torções, adaptados as circunstância deles, pois em suas maioria, eram homens franzinos.


De alguma forma, isso chegou até o Japão.


Há registros de que alguns Samurais, sem espadas, sabiam alguma técnicas de torções e quedas muito semelhantes.


Na verdade, existiam mais de 700 estilos de Jiu-Jitsu, cada um com uma ênfase, assim como existem vários estilos de Kung- Fu.


Mais tarde, um Imperador da época , Mutsu Hito (1867 - 1912),quis modernizar o Japão, ocidentalizando-o (Veja o filme O Último Samurai, com Tom Cruise, que retrata esse período).


Assim, todos os Samurais foram considerados obsoletos, bem como toda luta marcial- pra quê lutar, se agora tinha espingardas e metralhadora com rodas?


Assim, Jigoro Kano, o patrono do Judô, resumiu o JJ em alguns golpes, boa parte deles em pé, na técnica da queda.


Foi uma questão de preservação.


Bem, mais tarde o Conde Koma foi ao Brasil em missão diplomática, quando em Belém, Pará, conheceu Gastão Gracie, iniciando-se uma grande amizade.


Conde Koma na realidade, era sensei da escola Kodokan de Judo no Japão e em razão de afinidade e favores prestados por Gastão, começou a transmitir seus conhecimentos à seu filho, Carlos Gracie, que após aprender a arte ensinou a seus irmãos, em especial a Hélio Gracie, eles aprimoraram as técnicas aprendidas tornando-as mais eficiente e acessíveis ao tipo físico de qualquer pessoa.


Foi aí que nasceu o chamado Brazilian Jiu-jitsu, uma das melhores e mais eficientes forma de auto-defesa do mundo, já provadas, pelos resultados das constantes competições chamadas mixed martial arts, existente no mundo.


O lutador de Jiu-Jitsu, apesar de não ter o conhecimento de projeções que um lutador de Judo tem, e não ser especializado em chutes e socos como o lutador de Karate, tem conhecimentos dos fundamentos dessas técnicas e treinamento único de combate no solo, que faz do Jiu-Jitsu uma luta que se equivale muito a um combate real.


Como disse antes, vi um incidente no reveillon de Copa, na madrugada.


Um taxista, após uma discussão, puxou briga com dois passageiros.


Sopapo pra lá e pra cá, até ele levar um chute, se desequilibrar e cair no chão.


Levou muito pisão na cara, e chutes nas costelas.


Deu pena.


Qualquer menino ou menina de 12 anos de idade, do Jiu-Jitsu, se protegeria o suficiente até se levantar.


Eu resisti mto a treinar no início, pois até hoje, nós vemos na imprensa casos de covardes que agridem os outros.


Mas em todos os setores da vida existem aqueles que desonram sua classe, ou atividade.


Aprendo muito até hoje.


Como o mais fraco, fisicamente, vence o mais forte...


Como sair de situações difíceis, quase impossíveis...


A gente faz uma aplicação pra vida.


Já vi muito Davi vencendo Golias.


E poucas vezes, num ambiente, vi uma harmonia tão boa, qto no lugar onde pratico.


Mais até que lugares onde trabalhei.


E é o tipo da coisa que vc segue a vida toda- aquilo faz parte de vc, vc não consegue viver sem...


Não é a toa que o Hélio Gracie, com 93 anos, só foi a última vez a um hospital 15 anos atrás.


Ele tava consertando o telhado de sua casa, em Itaipava, e caiu do telhado...


É isso aí!