domingo, 17 de fevereiro de 2008

Final Precoce de dois Ìdolos Parecidos


Dois ídolos nacionais em momentos parecidos.

Eles têm a mesma idade, 31 anos.

Um é Tri-campeão de Roland Garros.

Outro é Bi- campeão Mundial de seleções.

Eles influenciaram muitos garotos.

Ambos estão muito ricos.

Guga está deixando as quadras .

Não aguenta mais jogar com dor.

Para mim, ele nem precisaria fazer turnê de despedida.

Vai perder sempre, e com dor, e de adversários fracos, que, se ele tivesse legal, jamais perderia.

Melhor seria somente um anúncio:”parei”. E ponto final.

Outro brilhante tênista, o Borg, da década de 70, parou mais cedo, com 26 anos.

Cansou de ganhar. Não tinha mais nada para ganhar.

Parou sem dor, e foi curtir a (muita) grana dele.

Ronaldo Fenômeno não tem mais nada para ganhar, nem para provar.

É o maior artilheiro de todas as copas do mundo.

Nas quatro que disputou (uma, 94, nem pisou em campo) fez 15 gols.

Ele têm dinheiro pra sustentar umas 3 gerações.

Poderia parar por agora.

Ou então, deixar o coração falar mais alto do que a grana, já que essa já é o suficiente.

Todo mundo sabe que o sonho dele é jogar no Flamengo.

Deveria ter voltado há muito tempo, e jogar de vez em quando, quando quisesse, sem forçar, assim como o Romário fez quando estava no Vasco- nem aparecia para treinar.

Ninguém ia reclamar.

Por quê mesmo não sendo mais o mesmo, Ronaldo, seja estando gordo, machucado, lento, é muito melhor do que os Luís Fabianos e Adrianos da vida.

Desde que tenha, pelo menos, um pingo de motivação.

Creio que teria no Flamengo, e não lá longe, na Itália.