domingo, 3 de fevereiro de 2008

Justiça Sensata


Carnaval 2008: juíza proíbe menção ao Holocausto no Rio (Yahoo)


A escola de samba Unidos do Viradouro não poderá mais levar à Sapucaí menções sobre o Holocausto.


A juíza Juliana Kalichsztein, do plantão noturno do Fórum do Rio de Janeiro, acatou parcialmente nesta madrugada ação da Federação Israelita do Rio de Janeiro (Fierj) e concedeu uma liminar obrigando a Viradouro a retirar qualquer menção ao Holocausto de um dos carros alegóricos e vetou o desfile de passistas vestidos como Adolf Hitler.


Segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Rio, caso a escola de samba desacate o pedido e leve à avenida o carro alegórico com a menção ao Holocausto, terá de pagar multa de R$ 200 mil e mais R$ 50 por passista caracterizado de Hitler.


Nego tá dizendo que isso é censura.


Censura É PRA ISSO MESMO: COIBIR O QUE É DANOSO.


Ninguém da Viradouro pensou no efeito que isso poderia causar na lembrança da família Judaica Brasileira ( e mundial, já que vem turistas pra cá).


Nos velhinhos ainda vivos, aqui, que passaram por isso.


Nos filhos de pais que passaram por isso.


Nos netos de judeus, que ouviram histórias dos avós.


Tudo tem limite.Anos atrás, essa mesma escola, se não me engano, quis entrar com o Cristo Redentor vestido de mendigo.


O Cardeal do Rio, na época, entrou na justiça, que vetou.


Já não respeitam mais as coisas sagradas.


Já não respeitam mais lembranças que, de dolorosas, devem ser esquecidas.


E não lembradas em forma de festa!


"Hitlers", sambando? Era só o que faltava...


Quer saber?


Vô torcer pra Viradouro ser rebaixada.