quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Outra Parada Cardíaca. E na mesma Academia...



Mais uma mulher tem parada cardíaca malhando, em academias do RJ.

Todas, na mesma academia.

Ticiana Pereira Azevedo, de 46 anos, teve uma parada cardíaca durante uma aula de transport (aparelho de exercícios cardiovasculares) na Academia ProForma, no Leblon (zona sul do Rio).

Ticiana está internada em coma induzido no Hospital Samaritano.

No dia 11, a advogada Natasha Fabrini, de 35 anos, morreu quando fazia ginástica localizada, pouco depois de freqüentar uma aula de spinning (programa de atividades em bicicletas estacionárias), em outra unidade da Proforma.

Natasha teve uma parada cardíaca fulminante.

Segundo a assessoria da academia, Ticiana fazia exercícios quando passou mal e foi socorrida por um professor treinado para prestar os primeiros socorros e por duas médicas, também alunas do estabelecimento.

A assessoria também informou que ela estava com os exames médicos em dia. Ticiana foi levada para o Hospital Miguel Couto, onde foi necessário usar um desfibrilador para reanimá-la.

Bem, eu se fosse dono da ProForma, mandava benzer a academia...

Por que duas paradas cardíacas em menos de um mês, é dose.

Coração é um órgão traiçoeiro.

Simples eletrocardiogramas, muitas vezes, não detectam nada.

O ideal é pedir um Holter, aquele aparelhinho que faz um monitoramento por 24 horas.

Foi através dele que detectei um problema que não aparecia em eletro nenhum, nem mesmo em testes de esteiras.

Meu coração disparava em repouso, e o pico desse disparo era ás 3 da manhã.

Quem detectou foi o holter.

Fiz uma cauterização no coração, simples:entrei num dia, saí no outro.

Tudo sem abrir o peito- via catéter, um beliscão na virilha.

Eu não gosto de malhar, “malho” no Jiu-Jitsu. Não tenho muita paciência pra isso.

Mas nessa época, muita gente quer perder peso, ás vezes acumulado em mais de um ano.

Malham, correm, e ficam bufando, em vez de fazerem tudo progressivamente.

Todas as academias do Rio agora estão pedindo para os alunos colocarem o exame médico em dia.

A verdade é que elas vivem muito lotadas, e muita gente faz exercício errado, pois não dá pros professores olharem todos ao mesmo tempo...

Ver quem está com uma cara diferente, no Spinning,Transport, ou na esteira mesmo, e pedir pra pessoa ir devagar, ou mesmo dar um tempo...

Bem, mas como eu disse antes, repito: na ProForma, eu não malharia...

É muito cheia.

E azarada...