sábado, 29 de março de 2008

"Nada me acrescentaram"



“E, quanto àqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, nada me importa; Deus não aceita a aparência do homem), esses, digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me acrescentaram.” Gálatas 2.6
Você já esperou uma coisa de alguém que vc achava “demais” e se frustrou no final?
Pode ter sido de um professor, um mestre;
De um palestrante, de um “guru” espiritual, de um Pastor;
De um General, Almirante ou Brigadeiro (adoro, mas o de chocolate);
Do síndico do seu prédio, que prometeu resolver aquele eterno problema, do seu time, do seu chefe, do seu jogador favorito?
Do seu namorado(a), noivo(a), marido, esposa, filhos, irmãos?
Do seu ator, ou da sua atriz favorita?
De sua banda ou cantor(a) favorito?
Já fui ver gente altamamente qualificada, que na hora, foi uma água. Um festival de clichês que, de repente, ilude quem tem menos tempo de estrada,mas que não me acrescentou nada, ao contrário, saí frustrado.
Existe muita gente com fama disso ou daquilo, mas que na verdade, é muito vazia.
E se é uma coisa que uma pessoa vazia fazer, é viver de aparência.
Ela precisa aparentar algo, á fim de cobrir o que não tem.
Como ela não É, ela precisa TER.
Ás vezes, ela se esconde através de títulos, de ternos, de carros, de dinheiro.
O Apóstolo Paulo conviveu com Rabinos de “pedigree”: nego sabia árvores genalógicas de Abraão, ritos cerimoniais, e mais de 400 leis e mandamentos de cor.
Conviveu com as maiores escolas filosóficas de sua época.
Mas foi categórico: “ Esses que pareciam ser alguma coisa, nada me acrescentaram”.
Ele tinha o mais importante: o conhecimento da graça, amor e perdão de Deus.
Ele, com formação rabino-ortodoxa, só veio descobrir isso um tempo depois.
Você pode descobrir isso hoje.
Então, você descobrirá que todo homem é falho;
Mas a misericórdia de Deus é que o sustenta.