quarta-feira, 30 de abril de 2008

Nova banda: Ronaldo e os Travecos


Ronaldo , um fenômeno em decadência?

Num faz meu estilo chutar “cachorro morto”.

Até por quê, mesmo sendo Botafoguense, gosto do Flamenguista Ronaldo, e torço para que ele se recupere e termine sua carreira no Flamengo: a gente tem que gostar do que faz, e não fazer somente por obrigação e dinheiro, como ele tem feito nos último anos, na Europa.

O Borg, um dos maiores tenistas do mundo, parou com 26 anos.

Ganhou tudo o que tinha para ganhar, e quando perguntaram o por que, ele respondeu: ” Vou curtir meu dinheiro”.

Já que Ronaldo num faz o mesmo, poderia ao menos ir jogar onde ele quer.

Mas fazer “fisioterapia”, já que ele está em recuperação, com travestis, é complicado...

Foi manchete, claro, até na Europa.

Gosto é gosto, ninguém discute.

Na Argentina, há uns 3 , 4 anos, um dentista conceituado largou a mulher e dois filhos pra casar com um famoso travesti.

Se vc visse a foto, diria que era uma belíssima mulher...ele disse que estava “feliz”.

Ronaldo , um fenômeno em decadência?Num faz meu estilo chutar “cachorro morto”.Até por quê, mesmo sendo Botafoguense, gosto do Flamenguista Ronaldo, e torço para que ele se recupere e termine sua carreira no Flamengo: a gente tem que gostar do que faz, e não fazer somente por obrigação e dinheiro, como ele tem feito nos último anos, na Europa.O Borg, um dos maiores tenistas do mundo, parou com 26 anos. Ganhou tudo o que tinha para ganhar, e quando perguntaram o por que, ele respondeu: ” Vou curtir meu dinheiro”.Já que Ronaldo num faz o mesmo, poderia ao menos ir jogar onde ele quer.Mas fazer “fisioterapia”, já que ele está em recuperação, com travestis, é complicado...Foi manchete, claro, até na Europa.Gosto é gosto, ninguém discute.Na Argentina, há uns 3 , 4 anos, um dentista conceituado largou a mulher e dois filhos pra casar com um famoso travesti.Se vc visse a foto, diria que era uma belíssima mulher...ele disse que estava “feliz”.Pelo menos, Ronaldo poderia escolher melhor...três “barangas” de rua, para o “Fenômeno”, que só saía com modelos?Isso é ou não é decadência?Como disse, gosto é gosto...mas se vc ouvir um travesti falando, sabe logo que é mulher”com tromba”. Quer dizer que ele não reparou que eram logo três destas, e só foi “perceber o equívoco” (e que percepção- tripla!) quando adentrou no motel mexicano de “fronteira” em que ele se instalou?Parece aquele bar do filme “Um Drink no Inferno”!Bem, parece que a fisioterapia não foi bem sucedida.Espero que Ronaldo possa se recuperar...em todos os sentidos.Agora, é aguardar o 'Superpop", onde Luciana Gimenez tem mais um travesti pra entrevistar.E até lá, Ronaldo vai ter que escutar um monte de piadas.Afinal, um traveco não é um homem...É uma “quase” mulher!!

Pelo menos, Ronaldo poderia escolher melhor...três “barangas” de rua, para o “Fenômeno”, que só saía com modelos?

Isso é ou não é decadência?

Como disse, gosto é gosto...mas se vc ouvir um travesti falando, sabe logo que é mulher”com tromba”.

Quer dizer que ele não reparou que eram logo três destas, e só foi “perceber o equívoco” (e que percepção- tripla!) quando adentrou no motel mexicano de “fronteira” em que ele se instalou?

Parece aquele bar do filme “Um Drink no Inferno”!

Bem, parece que a fisioterapia não foi bem sucedida.

Espero que Ronaldo possa se recuperar...em todos os sentidos...ou vai acabar montando uma banda, e vcs já sabem o nome.

Agora, é aguardar o 'Superpop", onde Luciana Gimenez tem mais um travesti pra entrevistar.

E até lá, Ronaldo vai ter que escutar um monte de piadas.

Afinal, agora também é o 'fenômeno dos travestis'...

Pois um traveco não é um homem...

É uma “quase” mulher!!

terça-feira, 29 de abril de 2008

Todos os Dias



Todos os dias na Àfrica, um antílope precisa correr muito para sobreviver ao ataque de um felino.


Todos os dias na Àfrica, um felino precisa correr muito para alcançar um antílope, e assim sobreviver.


Se ele, que já não come há um dia, der o bote na hora errada, poderá não ter energia suficiente para um segundo ataque... e morrer ele, e talvez seus filhos, que deixarão de comer.


Todos os dias, há um campeão e um derrotado.


Todos os dias, há banquete, mas também há fome.


Todos os dias, há choro, mas também há alegria.


Assim é a vida.


Mas o melhor de tudo é saber que nos bons ou maus momentos, podemos sempre contar com Deus...é só não se esquecer dele.


Todos os dias, no Brasil, eu tenho que ir comprar meu pãozinho na padaria.


E todos os dias, no Brasil, eu sinto mó preguiça de ir até lá.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

O Padre e os balões, o Pastor e as Luvas de boxe


Fiquei pensando muito nesse caso do Padre com os balões.
Padre Adelir, que na tarde do último domingo decolou a bordo de mil balões de gás hélio
(o mesmo de festas de criança) da cidade de Paranaguá, no Paraná, e caui logo depois no litoral de Santa Catarina, dificilmente será achado vivo.
Afinal, ele não possuía experiência em vôo livre e sequer licença para realizar a atividade.
O Padre teria sido expulso há três anos de uma escola de vôo livre em Curitiba, onde fazia treinamento para voar de parapente.

O professor Kauan Felipe Lichtonow, do curso Vento Norte, disse que Adelir foi desligado depois de um mês de aulas, pois era um aluno inexperiente e indisciplinado.
Qual foi a finalidade dele em fazer algo tão arriscado e sem propósito? Aquilo nem balonismo foi, pois era balão de aniversário, e tinha tudo pra dar errado...
Mas o “sem propósito” pra mim é que é a questão.

Pelo que vi, ele não estava arrecadando fundos para a igreja dele, ou para alguma obra de caridade ou mesmo missionária.
Se fosse “desafio pessoal”, teria sido melhor nadar o canal da mancha, pedalar do Paraná até Santa Catarina de bicicleta, ou dar uma de Forrest Gump e sair correndo o páis afora, do Oiapoque ao Chuí.
Mas morrer desse jeito chega ser ridículo...deixou o rebanho dele sem pastor, e sumiu junto com os balões - alías, só estes foram encontrados.
Foi pensando em seu rebanho que o Pastor George Foreman voltou aos ringues.

A igreja dele, pequena, precisava de reformas, e também comprar bancos novos.

Ele, em vez de ficar pedindo dinheiro ao povo, coisa muito comum atualmente, foi literalmente a luta.
Estava afastado do boxe há mais de dez anos. E estava uma bola, pesando quase 150 kg.

Só perdeu 20, e no início, mal conseguia correr, virando motivo de chacota na rua.
Acabou se tornando o mais velho campeão mundial dos pesos pesados, com 45 anos de idade, lutando com um adversário de 29.
Construiu a igreja, e depois, em consequência de sua volta, ficou rico com o famoso “Grill do George Foreman” que vende até nas lojas de magazines do Brasil.
Isso sim, é um desafio com um grande propósito.
O restante, são desafios pessoais, a maioria até bacanas de se ver...
Menos passear com balão de festa de criança, em cima do mar.
Faça-me o favor...

sábado, 5 de abril de 2008

LUTHER KING, VERNON JOHNES e ROSA PARKS



Sexta-feira passada, dia 4, em razão dos 40 anos da morte de Martin Luther King ,muitas lembranças e manifestações por todo os EUA, marcaram a data.
Não há como desassociar Luther King da luta pela igualdade racial. Falou nesse tema, é lembrar dele.
Durante toda a sua vida, Luther King defendeu uma estratégia de protestos, sem o uso da violência, ao contrário de outro líder negro da época, Malcom X.
Pastor Batista de sólida formação acadêmica, PHD em teologia sistemática, também cursou filosofia em Harvard. Poderia muito bem ter seguido uma carreira dando aula em Universidades, e ser “reconhecido pelos brancos.”
Mas preferiu lutar contra a segregação racial.
Antes de ficar inteiramente engajado no ativismo político, Luther King foi pastor da Igreja Batista da Avenida Dexter, em Montgomery, Alabama.
O que pouca gente sabe é QUEM foi o pastor que o antecedeu.
Chamava-se Vernon Jones, e tinha 55 anos. Ele ficou indignado, assim que chegou a Igreja, de ver como os negros eram tratados na cidade.
Ele começou a pregar sobre a verdadeira justiça social- e também ensinava, com seu próprio exemplo, sua membresia a realizá-la.
Certa vez, entrou numa lachonete só para brancos, e pediu uma limonada, para espanto de todos os presentes.
O Bartender o serviu, mas assim que ele terminou, quebrou o copo, jogando-o no chão, na frente dele.
Vernon pediu outra limonada...e a cena se repetiu.
Após cinco copos, com a mesma cena ao final, Vernon disse: “dependendo da minha sede (estava calor), isso vai sair caro pra vocês.”
O Bartender respondeu, silenciosamente, pegando um revólver calibre 38, e o colocou sobre o balcão, com o cano na direção do pastor.
Vernon também montou barraca de frutas na rua da igreja, para que os negros comprassem de negros, e começou a pregar contra a discriminação nos ônibus, onde negros só podiam sentar-se ao final - e mesmo assim, caso necessário, se o veículo lotasse, tinham que ceder o lugar para brancos.
Ele estimulou os membros de sua igreja a se utilizarem de um sistema de caronas, dos membros que possuiam carros.
Considerado revolucionário pela liderança da igreja, constituída por negros servis, foi destituído do pastorado, por um diácono que lhe era opositor, apenas com votação da diretoria da igreja- os membros não podiam votar, como é feito hoje...alías, os negros não sabiam votar- isso foi institúido em todo país, anos mais tarde, graças a Luther King.
Vernon Johnes pastoreou a Igreja da Avenida Dexter por seis anos...e nunca mais pastoreou outra igreja depois desse episódio. É considerado um dos “pais” dos direitos civis americano, um “antecessor” de Luther King.
Em 1994, um filme americano para a tv , “The Vernon Johnes history”, com James Earl Jones ( a voz do Darth Vader original) como Vernon, contou sua bela história. Tem em dvd, mas só lá fora.
Vernon morreu aos 73 anos, na capital americana, Washington, de ataque cardíaco.
Bem, o tal diácono que ajudou a derrubar Vernon , disse que a igreja precisava de um pastor que “pudesse ser moldado, obedecendo a liderança da igreja”, ou seja, um burro de presépio, como vários frouxos que tem por aí. E contrataram Luther king, então com 27 anos...
Acho que esse diácono deve estar se remoendo no túmulo até agora, de arrependimento.
A semente já tinha sido plantada, e na lei da vida, tudo o que você planta, você colhe.
A Igreja da Avenida Dexter já tinha as sementes , e Luther King só fez regá-las.
Pouco tempo depois que ele chegou a igreja, Rosa Parks, uma costureira, se recusou a ceder seu lugar para um homem branco no ônibus.
Seu ato de resistência resultou em sua prisão, mais uma multa de dez dólares.
Foi o estopim para uma série de boicotes que duraram 381 dias, que incluía os transportes (andavam a pé ou de carona, com negros que tinham carro), clubes e lanchonetes (olha o Vernon aí).
Só depois que a suprema corte decidiu pela ilegalidade da segregação nos ônibus, ela voltou a andar nos mesmos.
Rosa Parks morreu em 2005, aos 92 anos, “farta de dias”...
Martin Luther King sempre esteve a frente das manifestações. Hoje, se o negro americano vota, anda em transportes públicos e em espaços públicos livremente, é graças a ele.
Marchou também contra a guerra do Vietnã.
Recebeu em 1964, por suas ações, o prêmio Nobel da paz. Foi o mais jovem a recebê-lo.
Sua influência foi tão grande que até atores negros vinham consultá-lo.
Uma delas foi Nichelle Nichols, a eterna Tenente Uhura, de Jornada nas Estrelas.
Insatisfeita com seu papel na série, pois se achava em terceiro plano, foi convencida por King a permanecer no mesmo, pois acreditava que era importante ter um representante negro num dos programas mais populares da tv, no mundo todo.
Ele estava certo: pouco tempo depois, a atriz participou do primeiro beijo inter-racial da televisão americana: beijou ninguém menos do que o Capitão Kirk !
Nem mesmo acusações como a de que não produzia seus trabalhos acadêmicos , ou que tinha amantes (fatal no legalismo-puritanismo americano) conseguiram abalar sua reputação até hoje.
King foi assassinado por um tiro de rifle (até hoje mal explicado) aos 39 anos de idade.
Assim como Moisés, ele não entrou, mas guiou seu povo a “terra prometida”.
Fico vendo como eram os pastores de antigamente. Eles lideravam suas igrejas em busca dos reais valores divinos – e que esses valores pudessem ser concretizados aqui na terra.
Hoje, os tempos mudaram, e tanto pastores americanos quanto os nossos, também se importam com valores – mas com o valor que você tem no bolso. O quanto mais desse valor você pode entregar a eles.
Hoje, imperam alguns “Malas”, que distorceram o real significado do evangelho, e que pedem e vendem de tudo, até a mãe, se necessário.
Saudades de homens e mulheres como King, Johnes e Rosa Parks.

(Foto acima: King e Rosa Parks)