domingo, 28 de setembro de 2008

E a Viagem do Navio Continua...


Me assusto com a bandeja da Amy:
“Caramba, Amy! Tacando esse monte de bacon todo...num acha que tá na hora de começar a tomar um 'breakfast' mais saudável, não? Você num tá mais nos States!”, digo pra ela.
“Ah, mas é tão gostoso...e tô acostumada”, ela responde.
“Emily Money”, digo em tom de repreensão,”não é por que é bom que você vai comer isso todos os dias! Nem uma fruta, nem um queijo minas, nada!”.
E num é por que a “Mineirinha” comeu todo queijo– ela nem veio...e ainda tem bastante, o refeitório do navio, pela manhã, não é muito cheio...nego acorda tarde, mesmo.
“Ah, pega então pra mim? Assim eu como...”diz Amy, sorrindo.
“Pronto, começou a exploração”, resmungo...”ah, vou seguir seu conselho, mas só se você pegar pra mim ...”diz ela 'manhosamente', com aquele sotaque gringo-brasileiro.
Por que toda mulher faz 'chantagem emocional'?
Levanto da mesa, e vou pegar outro prato, só com 'coisas saudáveis'...tá na hora dela mudar os hábitos.
Aproveito para pegar mais um copo de suco de laranja, pois muda o tempo, fico baleado:
Quando essa virose vai embora?
“batido, não mexido,” peço ao rapaz que serve.
Quando volto para a mesa, só tem uma bandeja, justamente a que está ao meu lado...
Amy, pra variar, tinha sumido...mas eu tava acordado, dessa vez!
E era na MINHA bandeja que tinha bacon, ovos, salaminho, queijo prato, sucrilhos,etc.
Já desisti de entender como isso acontece...posso parar no hospício, por isso!
Assim, tomo o meu café, desta vez 'saudável', sozinho...ou quase...Amy cuidou de mim.

Tem uma reunião no terceiro andar do navio que eu frequento. É tipo aquelas do alcóolicos anônimos, sabe?
Assim, quando chega a minha vez de falar, digo: “Olá, sou Lee,e sou um chocólatra”.
Todos me respondem ao mesmo tempo: “Olá, Lee!”...kkk!
Assim, após a reunião, desço para ver o 'show' do domingo no grande salão.
Soube que houve um passeio, o navio ancorou na chamada 'Cidade das Pedras'. Talvez por isso, a turma das pós – teens não estava presente. Dali, só vi “Hoffie”, e mesmo assim na hora do almoço, no refeitório do navio.
Mesmo com a saída de aproximadamente 40 pessoas, houve a programação normal de domingo, e o capitão estava de volta.
A banda estava desfalcada: não havia ninguém no baixo, e o baterista deve ter dormido até tarde: só chegou na metade da reunião...
Bem, a baixista eu soube que também tá com virose- tomou até corticóides...

Quem chegou também tarde foi a “LL”, praticamente a única da 'next generation' presente.
Para ser exato, ela chegou ás 11 horas (a reunião no grande salão é as 10.30h).
Ficar até tarde na internet dá nisso:se perde a hora!
“LL” estava de 'pink'... e 'pink' não é cor-de -rosa.Você sabe a diferença de 'pink' pra cor-de rosa? O 'pink' é um rosa 'cheguei', quase se tornando um roxo...aprendeu agora?
Sentou-se na mesa lateral oposta á minha. Prestou muita atenção as palavras do Capitão,
que deve ter mexido com ela:quando a vi saindo, já no convés (que tem uma parte que parece uma praça), ela estava muito reflexiva, como que a pensar que precisa mudar algo.

Eu almoço no refeitório. O passeio, a chuva e o frio, fez com que muita gente não fosse.
Ainda com virose pela mudança do tempo, decido não ir á noite, nem ver a reunião pela internet, da cabine, pois vi que não seria o Capitão. O filme que eu ia ver á tarde, também não vejo, tô sem forças, preciso descansar.

Mas sinto que falta um 'pedacinho' de algo no dia...
Uma 'pecinha' que falta para completar o quebra-cabeças;
A 'cerejinha' em cima do bolo;
O 'dadinho' do futebol de botão;
A 'tampinha' de coca 600;
A 'colherzinha' de adoçar café pingado;
O bombom alpino;
Alguém poderia me dizer onde raios foi parar a 'Chaveirinho'??
Lee

Não deixe que outros desanimem você!


Não deixe que outros determinem com palavras de desânimo o que você vai ser.
Não deixe que outros determinem com palavras de desânimo como você se sente.
Tenho visto muita gente desanimada, abatida e 'travada' por conta de palavras que falaram a elas.
Muita mulher 'rebaixada' por maridos e namorados que as desanimam, e tem todo o seu potencial criativo minado.
Se você tem namorado que te trata e deixa assim, manda pastar!
Muito homem desanimado e com a vida congelada por mulheres dominadoras que vivem os tratando com palavras que sempre os colocam para baixo.
Aí, se casados, passam a vida inteira juntos e dizem ' temos 35 anos de casados'!
Tenho vizinhos assim, e que um dia, sem querer, ao entrar na casa deles, descobri que vivem em quartos separados. Acabou-se há muito tempo, só ficou um pedaço de papel...
Um só se refere ao outro com deboche e ironias.
Você sempre vai encontrar muito mais gente para te desencorajar. Um mundo de pessoas medíocres não vai tolerar ver você feliz.
Cuidado com quem você conversa sobre os seus sonhos...não é para qualquer um que você pode se abrir.
Procure pessoas positivas, que vão te apontar o caminho bom, que vão te dar força.
Pessoas que também tem seus problemas, mas sempre procuram o caminho da luz.
Pessoas que enxerguem o valor que você tem, que enxergam o seu potencial.
São pessoas que Deus coloca em seu caminho, para te motivar, alegrar, ajudar.
Pessoas que te animam, sempre...pessoas que sabem tirar os outros do desânimo.
Elas valem ouro...
Assim como você.
Lee

sábado, 27 de setembro de 2008

Paul Newman 1925-2008



Alto, forte, bonito e excelente ator: uma combinação rara em Hollywood nos dias de hoje.
Casado há 50 anos com a mesma mulher, outra combinação rara em Hollywood.
Paul Newman foi um dos maiores atores americanos de todos os tempos, e jamais aceitou virar um 'iogurt' (como disse certa vez Johnny Deep) :Variava muito de papéis, apesar do bom porte físico, e batia de frente com produtores nas suas convicções.
Por isso, apesar de ter feitos clássicos como um ladrão em 'Butch Cassidy e Sundance Kid' (1969), e de 8 indicações ao Oscar,só foi receber o prêmio aos 61 anos, pois já tava 'pegando mal' pra academia: A Cor do Dinheiro, num papel de um veterano jogador de sinuca que se torna mestre de Tom Cruise (1986).
Aos poucos, só foi fazendo filmes esporadicamente.
Seu pulmão já não puxava o ar: fruto de anos de vício do maldito cigarro.
Paul tinha uma equipe de fórmula Indy (a 'Newman') e por muitos anos teve um extrato de tomate que vendia bem nos States.
Filmes que vi com ele:
Butch Cassidy e Sundance Kid
Cortina Rasgada (dirigido por Hitchcock)
Golpe de Mestre
Inferno Na Torre
A Cor do Dinheiro
Uma carta de Amor
Estrada para a Perdição
Rest in Peace, Paul.
Lee

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

'Lagartus"


Quando você chega em casa, quer descansar, relaxar.

Você chega do trabalho, dos estudos, ou mesmo de um passeio: Tá chegando em casa, onde vai descansar.

Seu corpo automáticamente se condiciona para isso.

Assim eu cheguei em casa, tomei um banho, e fui ver TV, comendo um sanduíche.

É quando surge na parede uma imensa lagartixa, a maior que já vi na vida.

Eu sabia que esse lance de agrotóxicos, lixo atômico, Lixo hospitalar, ia dar nisso:Parecia a 'Godzilla” das lagartixas, a 'Cloverfield' das mesmas, de tão imensa que era!

“Ah, não...não agora...”, pensei, com a mão na cabeça.

Eu não tenho problemas com baratas (tem homem que tem!), mas com répteis ou tudo que se arrasta no chão, tenho.

Só gosto de ver as cobras nos meus filminhos 'trash'!

Mas não dava para 'passar batido'...a bicha era enorme.

Fui no quarto, coloquei minha camisa camuflada e boné idem.

Deitado ao solo, peguei no alto-falante e mandei: ”Lagartus, aqui é o Capitão Lee, do corpo de fuzileiros navais dos EUA (eu sempre quis dizer isso). Imagino que, sendo um lagarto mutante, você possa me entender. Sugiro que você se retire de nosso teritório imediatamente, ou sofrerá as consequências”!

Lagartus, com largas passadas, fugiu em direção a floresta próxima (uma samambaia).

Eu num disse que ele me entendia??!

“Ok, Lagartus, você fez a sua escolha”, disse.

Primeiro, pensei em lançar uma bomba de ectoplasma nele (um ovo, mas desisti da idéia, pois quem ia ter que limpar depois era eu).

Assim, lancei um míssel somente de impacto, em sua direção, para afugentá-lo (uma bola de meia

O tiro saiu pela culatra...Lagartus fugiu da floresta, e partiu rumo ao maior edifício da cidade (a TV da sala), tal como o King-Kong! Só faltava ele me pegar de refém como a loira do filme, e me levar pro topo do edifício!

Lagartus não me deixa outra alternativa, a não ser usar uma arma química, pois não queria causar destruição ao redor.

Disparo a arma (um inseticida), e dessa vez lagartus foge em direção ao sistema de esgoto da cidade (embaixo do sofá).

Isso foi na semana passada. O exército manteve esse incidente sobre segredo militar, não permitindo que o mesmo chegasse a imprensa.

Ontem pela manhã, o corpo de Lagartus foi encontrado ainda agonizando, perto da grande fábrica (a cozinha). Seu corpo foi retirado para local ignorado.

Não jogue suas pilhas no lixo comum...isso poderá produzir outros 'Lagartus”...

Colabore com o ecossistema.

Lee

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Ontem No Navio



Um dia atípico ontem no navio.
Primeiro, por que nublado, frio e garoando, ficamos restritos ás atividades internas, quer dizer, você não pode fazer nada ao ar livre...vai ficar tomando chuva?
Segundo, nosso capitão não estava...navio sem capitão, como assim? Só soube disso quando cheguei ao 'grande salão'...antes, participo de uma reunião com um grupo no terceiro andar do navio, é muito boa.
Assim, ao término da reunião,tomo o elevador para descer em direção ao mesmo, e dentro dele, encontro a 'ruivinha da locadora'.
No navio, tem uma pequena locadora, e que também vende alguns livros e 'souvernirs do navio', e ela é quem fica por lá.

Simpática e muito gente boa, pergunto a ela se ainda tem cds do Atilano Muradas, que teve uma temporada fazendo 'shows' no navio.Ela disse que, quando ele se foi, levou o material junto com ele. A Ruivinha se despediu e ficou no segundo andar, na galeria, e fui para o primeiro.
Chego ao Grande salão, e vou para a minha 'mesa' de costume. Sento-me ali pois o ar condicionado é menos frio.
Quando vejo o imediato do navio, auxiliar direto do Capitão, assumir á frente, pensei:
“cadê meu capitão”?

É quando ele nos informa que o mesmo foi a terra firme pois seria aniversário de sua mãe, e uma lancha foi buscá-lo na semana...Oh, Capitain, my Capitain...senti falta dele.
A verdade é que nosso navio sem nosso capitão fica menos alegre...o clima muda...o imediato é gente boa, mas quem disse que não existe pessoas insubstituíves, estava redondamente enganado- existem pessoas especiais, e o capitão é uma delas.

Bem, vejo a banda entrar, e está de volta a cantora principal, que chamo de 'pequena Rouxinol': pequena só no tamanho, mas de grande presença, e com belíssima voz.
Quando o Capitão está presente, eles formam uma harmonia poucas vezes vista entre
'apresentador' e cantora, com um 'feedback' imediato nos passageiros: saímos como se tívessemos no céu, pois todos 'embarcamos' no 'show' e dele não queremos sair.

Vejo que também é a 'baixista' que está hoje na escala da banda. Já conversei com ela, é uma pessoa agradável e 'superdescolada'...e que olhos são aqueles? Na vez que conversamos rapidamente, ela ia para o ensaio, vinda da academia de ginástica do navio.
'Chaveirinho' adentra o salão... Ela estava com uma camisa roxa, e uma blusa de manga comprida cinza por baixo, toda lindinha. Ao lado dela, 'July', que pelos traços, parece ser sua irmã...igualmente bonita.
Mas quantas irmãs a Chaveirinho tem? Seria 'Becky', que tem namorado a bordo, irmã dela também? Preciso espionar essa lista de passageiros...
Será Chaveirinho filha de artistas do navio? Pois vi fotos dela num grupo de dança, toda de preto,num álbum do navio, ela devia ter uns 15 anos...era um 'patinho feio' que virou 'patinho lindinho'... tá com cabelo lindo agora. E tem um dentão bonito, daqueles bons de dar peteleco!
Antes só mais uma na multidão dos 'Pós- teens', parece ter virado o centro das atenções do grupo...mas a culpa foi minha...foi o seguinte:

Pouco tempo atrás, eu tava lendo o cardápio do dia, cuja ênfase seria o MILHO, e isso estava afixado numa parede.
Foi quando saiu uma muvuca delas do elevador, bem na minha frente: 'instintivamente', procurei-a visualmente, no meio de mais de cinco delas.
Desde então, acabou-se o 'anonimato' dela- começaram a zoá-la a partir dali...uma pequena indiscrição minha...não aconteceria se tivesse em missão.
A verdade é que ontem a turma dos 'Pós-teens', da qual Chaveirinho faz parte, estava desfalcada.

Não vi a 'Bonequinha de Porcelana', uma branquinha que 'fala com as mãos' e que levou o gatinho(bicho mesmo!) á bordo;
Não vi uma me'nina' que sempre está com elas, mais gordinha, e que é fundamental naquele grupo:é um poço de alegria, e que passa a mesma a todas as outras quando está presente. Certa vez a vi triste, numa noite...espero que a turminha dela tenha reparado, e perguntado o que houve.
'Hoffie' também não estava. É uma menina super-articulada, com trânsito não só nas pós- teens, mas também em outras tribos...foi ela quem levou o bilhete de recados ao capitão, certa vez, dizendo que o Leandro Guerreiro, jogador do Fogão, estava á bordo.
'BBL', pelo que vi no informativo no navio, faz niver dia 24, na quarta. Saiu o nome completo dela, parece nome de 'princesinha herdeira de trono'...parabéns a ela, que quase num vejo, e pra variar, num tava lá, só se foi na galeria.
Mas a 'Mineirinha', estava lá... ela embarcou recentemente no navio, quando este atracou no último porto. Já conversei com ela, pois sabia que aquele sotaque era de Minas...mesmo á bordo, na ocasião que falei com ela, estava com apostilas do pré-vestibular, pois ela quer fazer psicologia...super-simpática e uma gracinha.
A 'geração seguinte' também não estava lá...só 'LL', á noite, mas já eu falo dela.
A 'flha do capitão' , uma loirinha, também deve ter ido com o pai...mesmo assim, a vejo pouco.
A verdade é que parece que ontem todos resolveram ficar em suas cabines.
Antes tivesse eu também ficado, pois me aborreci.
Como não passava nenhum garçom pra me servir um tira gosto, tava cheio de fome.
Aí, fui pegar um Bono que tava no bolso de minha jaqueta...mas quem disse que eu consegui? Mexia daqui e dali, o biscoito num saía...mas fazia barulho!
Aí, uma mulher que eu nunca vi antes, me cutucou, e disse algo que num ouvi direito, mas é claro que era sobre o 'barulhinho', e foi de forma grosseira.
Olhei pra cara dela como que a dizer:'te conheço'? E finalmente consegui tirar o biscoito.
Mas fiquei com a maior raiva. Ora, tinham duas senhoras na mesa ao lado da minha que num paravam de falar; celular de nego tocando toda hora,e ela veio logo encher o meu saco!
Só não falei nada, por que ia tumultuar o ambiente, pois ia acabar mandando ela pastar.
Levar 'bronca' de mulher feia e ranzinza? No more... xô, mal-amada!
Mas fiquei com raiva, e, se pra mim já tava sem graça sem o capitão, deu uma vontade de levantar e voltar pra minha cabine- ia pedir o almoço de lá.
Mas pensei...'vô marcar a cara dessa bruxa, e se ela passar na parte externa do navio, e ninguém tiver olhando...jogo ela no mar! Ninguém vai sentir falta! E se sentir, vai parecer acidente!
Assim, dei um encarada nela com cara de raiva, ao qual ela tirou o olhar...pronto, já tava marcada!

Agora entendo o que o Roberto Jefferson, do mensalão, disse sobre o Zé Dirceu , quando disse que o mesmo 'despertava os instintos mais primitivos' nele.
Aconteceu o mesmo comigo!
Ao término do 'show', e num é que ela resolveu cortar caminho por fora, mesmo pegando chuva? “Já é, vai ser agora', pensei.
Mas assim que fui na direção dela intentar meu plano, só aí que vi, no meu campo visual, ela ao lado de uma senhora que devia ter uns 80 anos, devia ser a mãe dela.
Mas uma 'missão abortada'. A regra da agência é: 'sem riscos, sem alardes, sem testemunhas'.
Assim, por causa da raiva, mal prestei atenção na 'atração' da manhã, pois me desconcentrei todo.

Depois do almoço, me recolhi a minha cabine, tava frio pacas...só acordei aos 30 minutos do segundo tempo do jogo do Botafogo. Antes tivesse continuado dormindo: vi a Portuguesa virar e ainda fazer 3x1...realmente, o dia não estava sendo bom pra mim.
Tomo um banho e vou jantar...e quando entro ao refeitório do navio, vejo...Amy?? Não, num pode ser...that´s not possible! Ela estava sentada sozinha, numa mesa á luz de velas, e fez sinal para eu ir ao encontro dela.
'Amy...é vc mesma'?, pergunto eu...ela tá diferente, com cabelo bonito, á luz das velas iluminado o rostinho...'puxa, se soubesse que vc tava aqui, tinha me arrumado, mais...
Fico sabendo que ela fez niver na semana passada, e ficou sabendo o que eu iria dar de presente a ela se fosse a Boston, e me agradeceu.
É quando ela me faz a seguinte pergunta, inclinando-se e colocando a mão no rosto, cotovelo á mesa:” E se eu voltar, o que é que acontece”?
Meu coração se acelerou, como se tivesse em minhas missões 'impossíveis'.
'Ora, Amy',começo a balbuciar ...'se você voltar, nós...(toc, toc, toc)...bem, se vc voltar Amy, a gente...(TOC-TOC-TOC, o barulho aumenta)...olho para a porta do salão e o garçom está com nossa refeição na bandeja.
Quando me viro para olhar a Amy...ela sumiu!!
É quando acordo...eu tava na cabine! Adormeci depois do jogo...mas antes tinha pedido meu rango! E quando abro a porta, era o garçom do meu sonho!

Foi a segunda vez no dia que me deu vontade de jogar alguém ao mar!

Decido não ir ao 'grande salão' na reunião da noite.Mas vejo do meu laptop a reunião, coisas de navios modernos, como é o Copacabana...
A banda toda reunida, a mesma formação da manhã...
Vejo 'LL' bem na ponta do salão, ela foi á noite...uma das poucas da 'geração seguinte' a estar presente.
O Imediato do navio manda o povo saudar quem está na internet, e ela dá um 'tchauzinho' pra câmera, e dou um 'tchauzinho' de volta pra ela da cabine...
Estava toda de preto, com um forte batom vermelho, daqueles bons pra deixar marcas quando se dá beijinho (kkk)...hum...será que esse navio passa por Parati na volta??

É quando é apresentado o 'entertainer' da noite...num desceu. Com cinco minutos, desliguei a transmissão. Com o passar dos anos, sei quem é 'fake', e quem não é.
Num suporto aquelas coisinhas 'americanizadas', tipo ''olhe pra quem tá do lado e diga isso', 'repita comigo isso', etc. É muito sem graça essas coisas copiadas. Achei fraco.
O capitão faz falta, tomara que volte logo...a vantagem de ver na internet é essa, vc 'pica a mula' quando num gosta, no grande salão vc tem que ser mais educado...por isso num 'rodei a baiana' com aquela bruxa- ela não me conhece.

Penso no 'flash-forward' que tive com Amy...será que aquilo vai acontecer?
O que eu ia dizer pra ela?
Num faz sentido...é quando ligo no meu rádio, que descobri que só toca flashbacks (valeu, navio) e está tocando 'The Logical Song' (a canção lógica), do Supertramp.
Num tem lógica...mas 'Copacabana' é cheio de mistérios...e acho ainda que tem muitas surpresas reservadas para mim nesse navio...continuo a observar...continuo de olho.
Mas ontem num foi o meu dia.
Me aborreci de manhã.
Me aborreci com o Botafogo.
Me aborreci com o garçom que me acordou do sonho...humpf!
O capitão não estava no leme do navio...fez falta.
Lee

domingo, 21 de setembro de 2008

Dependemos uns dos outros.


"Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo."(Filipenses 2:3)
Mutualidade:Caráter ou estado do que é mútuo ou recíproco; permutação; sistema de solidariedade social ou de serviços mútuos; conjunto de associações de socorros mútuos.
Vc não conhece o motorista do ônibus, mas tem que confiar nele para chegar ao seu destino.
Vc não conhece o motorista do táxi, mas tem que confiar nele para tb chegar ao seu destino - pelo caminho mais rápido, de preferência.
O piloto do avião, o condutor do trem e do metrô - vc depende deles.
Vc depende do gari. Se ele não recolher o lixo e nem varrer a rua, acontece um caos urbano.
Os sacos de lixo podem entupir ainda mais as galerias em dias de chuva.
Sem falar que a cidade pode virar uma "Ratolândia"- muito mais do que já é.
Vc depende do médico, que nunca viu na vida, se vc se acidentar.
Vc não sabe nada da vida dele, se ele assumiu um plantão bêbado ou não- e ele vai te operar.
Vc depende daquele segurança de banco, que mandou vc verificar se tem algum " objeto metálico", pois a porta travou justamente na hora em que vc ia passar.
É "um saco", mas evita assaltos- numa hora em que vc estiver lá dentro, por exemplo.
Vc depende daquele professor(a) chato, pra poder passar na matéria, e dar sequência ao seu estudo.
Vc depende do serviço da empregada, pra que sua casa não fique suja.
Ás vezes, vc até depende dela pra comer.
Se o padeiro não madrugasse e ficasse em frente aquele forno, vc não teria o seu "pãozinho" em casa.
Vc depende do mecânico para consertar seu carro, senão ele não sai do lugar.
Esqueci minhas chaves.
Tive que chamar o chaveiro.
Precisei chamar um "estranho" para entrar na minha própia casa.
Vc sempre vai precisar de alguém.
Alguém sempre vai precisar de vc.
Lembre-se disso.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

No Navio


Depois de receber novas roupas, fiz minha primeira refeição decente, e ainda bem, nada de peixe! Na verdade, foi um dia de festa, e serviram churrasco...o chato de vc ainda não conhecer ainda legal as pessoas, é por que tudo é uma espécie de recomeço.
O Capitão me deixou muito á vontade...e me impressionou. Soube depois das lutas e dificuldades durante seu percurso, enfrentando doenças, lutas familiares, além dos problemas comuns a todos os navios....mas ele segue adiante, firme, alegre, convicto.
É quando eu lembro que ele já foi meu professor, na 'agência'...lembro disso, mas parece que ele não (jamais esqueço um rosto).

Que mundo pequeno...será que não foi a toa que 'Copacabana' passou em minha vida?
Nós agentes, destrambelhamos com facilidade, são muitos nomes e idades diferentes que temos que ter. Lembra do 'Jason Bourne'? Ele foi da minha turma.
Depois dos exames médicos, fiz uma rápida consulta com a dentista do navio...ela disse que estava tudo bem, e que eu podia 'fechar a boca'...mas quem disse que eu conseguia?
Mas a melhor maneira de se conhecer um navio é você ir ao 'grande salão'.
Ele tem a parte térrea, mas também tem uma galeria.E tem uma verdadeira 'big-band' que toca toda semana!
O salão fica lotado, pois a música é de alta qualidade, e não dá vontade de parar de cantar...muitas vezes, o próprio capitão é quem pede pra cantar 'aquela música'!
É claro que vou reparar mais nas meninas...sim, tem uns caras legais, conheci alguns deles, especialmente da banda, mas eu num vou ficar vendo macho no navio, né?
As meninas do 'backing vocal', por exemplo...várias chamam a atenção.
Tem uma branquinha que dá gosto de vê-la cantar,põe alma no negócio mesmo...pelo sotaque, deve ser do interior paulista, de uma certa 'tribo'. Voz natural bonita, cantando mais ainda. Uma simpatia, e adora comer bolo.
Tem a 'Volleyball -girl': alta, bonita, sorriso e voz lindos. Tem um 'lado misterioso' que num consigo 'ler', por mais que eu tente...acabo descobrindo que a tia dela é amicíssima de minha mãe, e que há 3 anos atrás conversei com o pai dela, super- gente boa e que já tá no céu...mas ninguém é perfeito- parece que ela é flamenguista, fazer o quê...
Mas as meninas do 'grande salão' também chamam atenção.
A “Bodyboard- Girl” , bela e simpática (herdou a simpatia da mãe, que também está a bordo) difere por não ser 'marrenta', como boa parte das belas. Uma vez, cheio de sede, foi ela quem me mostrou onde ficava o bebedouro 'dos copos que não saem'. Mas ás vezes ela parece 'sumir' do navio, não a vejo sempre...
“LL”, e sua borboletinha pousada no ombro...é a mais 'chique' do navio: da cabeça aos pés, um charme só...na escolha da tiara até a sandalinha, tudo combinando:será que ela lida com moda? Deveria...antes só na galeria do salão, tem ficado mais no andar térreo...
A 'Pianista morena'. A vi tocar algumas vezes, toca pacas... acompanha mais uma espécie de 'coral do navio', que canta vez ou outra. Outra que parece 'sumir' do navio...eu juro que a vi uma vez quando estava numa missão em Milão.
A “bióloga do navio” é tão branquinha quanto a Amy. Uma vez, na sáida do salão, me deu uma cotovelada tão forte que doeu, me pedindo 'desculpas'- não precisava, já havia reparado! É outra que parece sumir do navio.
Além dessas tem uma turma 'pós-teen', que não tem mais do que 20 anos, e estão sempre juntas:
“Chaveirinho”, que parece um bombom alpino: pequena, moreninha e um docinho.Tem voz bonita também, e assisti uma peça uma vez com ela no navio...deu vontade de ir pedir um autógrafo...sempre com chicletes, tenho dificuldades de localizá-la pelo tamanho! Parece ter uma irmã, com namorado também a bordo.
A “Bonequinha de porcelana” também 'fala com as mãos'. Pequena e delicada, também tem um lado misterioso que nunca consegui 'ler'.
“BBL”. Também parece sumir no grande navio...a primeira vez que a vi, eu estava no restaurante do navio, lendo uma revista cuja reportagem falava de cortes em acampamentos.
Existem outras também, mas o navio é grande demais...quando penso que já vi todo mundo, surgem mais pessoas.
Me recolho ao meu camarote...o capitão me disse que aquela agora era minha nova família...estaremos todos juntos até o desembarque.
Ligo numa rádio 'flashback' , e está tocando 'Baby come back'. Volto a lembrar de Amy, mas dessa vez, com a nítida sensação que ela conhece boa parte dessa turma.
Mundo pequeno, esse navio Copacabana...
Parece a ilha de Lost- todos estão interligados!!
Lee

Cinco coisas que eu levaria para uma ilha deserta

Cinco coisas que eu levaria para uma ilha desertaO que vc levaria pruma ilha deserta? Não vale pessoas...É muito difícil escolher só 5 coisas...faltaria muita coisa que eu gostaria de levar, como um laptop com banda larga, por exemplo....Mas aí eu poderia querer ficar pra sempre...quer dizer, um mês depois, sem a conta paga, só me serviria para digitar, e isso posso escrever na areia na praia, que 'deletaria' tudo após a subida da maré...Também ia querer levar um dvd portátil com meus 'filminhos do coração', a saber: 'De volta para o Futuro', 'Um sonho de Liberdade”, 'A Força do Destino”, “Rocky 3” e “ Karatê kid 2”. O problema é que, na ilha num tem tomadas...e a bateria descarregaria.Por isso também num levaria celular...alías, eu odeio barulho de celular, só uso em 'vibracall'. E se ás vezes o cel num pega na cidade, imagina no fim do mundo!Pensei em levar uma pistola pra me defender de animais selvagens e também dos 'outros' (hehehe)...mas balas acabam.Pensei em levar um sinalizador, mas esse também só daria pra usar uma vez...e se ignorassem meu 'chamado'?Assim, destitúido dessa 'tecnologia de ponta', pensei muito em o que de fato levaria pra essa ilha.Portanto, as cinco coisas que eu levaria pra essa ilha deserta, isolada do mundo, correndo risco de passar muito tempo ali, seriam as seguintes:1- Minha mini- Bíblia. Ela cabe na palma de minha mão, é bem prática, não ocupa peso...é minha 'pequena adaga', e fortaleceria minha fé pra sair dali.Assim,também aproveitaria pra ler dela alguns livros difíceis que naturalmente num leio.2- Meu crucifixo. Ainda tô no departamento Fé (afinal,eu quero sair dali), e ele sempre me remete ao sacrifício do mestre. Me sinto pelado sem ele, que só tiro pra tomar banho ou no Jiu-Jitsu.Como ele está em volta do meu pescoço, também me ajuda a manter meus pensamentos puros (kkk) e afastar possiveis vampiros...já estarei desfalcado de minha pizza de alho, não posso correr riscos – sempre tem um vampiro atrás de mim!3- Lanterna de longo alcance com pilhas alcalinas.Começando a parte técnica, não iria abusar dela – só serviria para no caso de á noite, avistar um navio e um avião e piscar um SOS.4- Isqueiro.Também usaria pouco, pois logo faria uma imensa fogueira, abastecendo todo os dias com gravetos e madeira das árvores. Dane-se a ecologia nessas horas...5- O Facão do Rambo.Ele é completo: tem bússula, agulha com linha para costura (em caso de cortes, dar pontos, ou mesmo costurar uma roupa) e um pequeno anzol para pescar...Putz, pescar. Eu até gosto da arte da pesca, mas não como nada do mar...Bem, provavelmente eu saíria atrás de um javali ou porco do mato, e a bebida seria água de côco, abrindo o mesmo e raspando aquela parte de dentro, de sobremesa.Mas e quando acabassem os porcos? Putz, fritar peixe...Tô vendo que, assim como o Tom Hanks em Náufrago, ou o pessoal da ilha de Lost, eu iria pela primeira vez na vida 'construir' uma balsa.É melhor se arriscar no mar, do que ficar comendo peixe, camarão e outras bodegas...blerrghhh!Wilsooooonnn!

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

O Horário Político



Ficar sem “cable tv” dá nisso: a nova série da tv aberta é o horário gratuito, todos os dias.
É engraçado ver nego tentando uma boquinha de vereador, mesmo sabendo que eles não farão nada pro povo, só para o bolso deles...
E engraçado tb é ver nomes como Tião bigode, Abracadabra, Pelé cabeleireiro, todos sabendo que não vão ganhar, mas a glória deles é estar no horário nobre!
E os filhos de políticos horrorosos, que saquearam o estado? São como filhotes do 'Alien', loucos pra derramar suas babas 'ácidas', como o monstro do filme.
E as siglas dos partidos? Algumas siglas de partido que aparecem, tipo PCO (partido da causa operária), são hilárias.
Ora, PCO pra mim é pão com ovo!!
Li num jornal que os jovens de 16, 17 anos, não querem votar- não retiraram ainda seus títulos.
Mas cá entre nós- dá gosto de votar nas mesmas figuras de sempre? Eu também só votaria obrigado...
Aliás, como faço sempre...já há algum tempo eu anulo meu voto.
Pelo menos, na minha sessão, se eu fiquei esperando 5 minutos alguma vez nesses anos todos, foi muito.
Em compensação, na sessão ao lado, dá pena de ver a fila que se forma...e eles ficam olhando pra minha,como a pensar: ”não podia ter caído naquela sessão”?
Várias vezes me deu vontade de dar um 'tchauzinho' pra fila ao lado, quando vou embora, mas seria muita maldade.
Aqui, nego entra na política e enriquece de uma hora pra outra.
Queria ver se fosse como em alguns países, que eles não recebem salário, são apenas liberados de seus serviços para as assembléias.
Mas eles não fazem isso, sabem que a mamata iria acabar.
E também não colocam o voto facultativo (como nos States), pois sabem que iríamos todos ficar em casa.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sobre Ostras, Pérolas e dores


Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados.
Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos.

(2 Corintios 4.8,9)

Se vc parar pra pensar em quantas vezes pensou em desisitir, pode se surpreender.
E muitas vezes, vc realmente se abateu, mas não foi destrúido.
Muitas vezes, tal como na “ilha de Lost”, vc tentou fugir dela: mas a iIha te segurava, sempre dava um jeito...
Ou até mesmo consegui fugir dela, apenas para ver que precisava voltar.
Não, vc não está perdido: um dos métodos favoritos do “Chefe” é fazer passarmos por dores dos mais variados tipos, com um fim: produzir algo de bom.
Ás vezes, temos que passar por situações que vão nos fortalecer, fazendo com que produza em nós algo até mesmo belo.
Num trecho de um livro de Rubem Alves, pude ver esse exemplo, essa semana.
Em seu livro 'Ostra feliz não faz Pérola', ele diz o seguinte:

“Havia uma ostra muito triste pois um grão de areia havia entrado dentro da sua carne e doía, doía, doía. E ela não tinha jeito de se livrar dele, do grão de areia. Mas era possível livrar-se da dor. O seu corpo sabia que, para se livrar da dor que o grão de areia lhe provocava, em virtude de sua aspereza, arestas e pontas, bastava envolvê-lo com uma substância lisa, brilhante e redonda. Assim, enquanto cantava o seu canto triste, o seu corpo fazia o seu trabalho - por causa da dor que o grão de areia lhe causava.
Ostra feliz não faz pérolas. Isso vale para as ostras,e vale para nós, seres humanos.As pessoas que se imaginam felizes simplesmente se dedicam a gozar a vida. E fazem bem. Mas as pessoas que sofrem, elas têm de produzir pérolas para poder viver. Assim é a vida dos artistas, dos educadores, dos profetas. Sofrimento que faz pérola não precisa precisa ser sofrimento físico. Raramente é sofrimento físico. Na maioria das vezes são dores da alma...”
Aí então lembrei que minhas melhores performances sempre foram debaixo de dor.
Minhas melhores linhas foram quando eu estava com dor na alma; pensava: ' como posso
escrever isso, sentindo tamanha dor?'
Uma de minhas melhores aulas, eu estava moído por dentro; mas houve uma grande conquista, naquele dia.
Falando 'de público', num niver de 15 anos, salão lotado, o tio da aniversariante agradeceu minha palavra, efusivamente, e me deu abraço assim que acabei de falar.
O que ele não sabia, é que se pudesse, teria ficado na minha batcaverna: estava em frangalhos, emocionalmente.
Mesmo no plano físico, isso também aconteceu: jogando gripado, ou entristecido,peguei até pensamento,enquanto 'inteiro', engoli vários frangos ridículos;
Fui campeão num torneio de Jiu-Jitsu sem fôlego e sem forças (ah se o canadense soubesse...) no fim, nem consegui abrir a garrafa de Gatorade, tiveram que abrir para mim- a mão tremia mais que o trem que vai pra Central ( não o coreano, claro).
Deus permite que essa dor venha, para provocar algo de bom em vc:
Uma pérola está sendo formada, e logo, todos vão admirá-la.
Dói, mas é como diz a propaganda da Mastercard:
Não tem preço.