quarta-feira, 17 de setembro de 2008

No Navio


Depois de receber novas roupas, fiz minha primeira refeição decente, e ainda bem, nada de peixe! Na verdade, foi um dia de festa, e serviram churrasco...o chato de vc ainda não conhecer ainda legal as pessoas, é por que tudo é uma espécie de recomeço.
O Capitão me deixou muito á vontade...e me impressionou. Soube depois das lutas e dificuldades durante seu percurso, enfrentando doenças, lutas familiares, além dos problemas comuns a todos os navios....mas ele segue adiante, firme, alegre, convicto.
É quando eu lembro que ele já foi meu professor, na 'agência'...lembro disso, mas parece que ele não (jamais esqueço um rosto).

Que mundo pequeno...será que não foi a toa que 'Copacabana' passou em minha vida?
Nós agentes, destrambelhamos com facilidade, são muitos nomes e idades diferentes que temos que ter. Lembra do 'Jason Bourne'? Ele foi da minha turma.
Depois dos exames médicos, fiz uma rápida consulta com a dentista do navio...ela disse que estava tudo bem, e que eu podia 'fechar a boca'...mas quem disse que eu conseguia?
Mas a melhor maneira de se conhecer um navio é você ir ao 'grande salão'.
Ele tem a parte térrea, mas também tem uma galeria.E tem uma verdadeira 'big-band' que toca toda semana!
O salão fica lotado, pois a música é de alta qualidade, e não dá vontade de parar de cantar...muitas vezes, o próprio capitão é quem pede pra cantar 'aquela música'!
É claro que vou reparar mais nas meninas...sim, tem uns caras legais, conheci alguns deles, especialmente da banda, mas eu num vou ficar vendo macho no navio, né?
As meninas do 'backing vocal', por exemplo...várias chamam a atenção.
Tem uma branquinha que dá gosto de vê-la cantar,põe alma no negócio mesmo...pelo sotaque, deve ser do interior paulista, de uma certa 'tribo'. Voz natural bonita, cantando mais ainda. Uma simpatia, e adora comer bolo.
Tem a 'Volleyball -girl': alta, bonita, sorriso e voz lindos. Tem um 'lado misterioso' que num consigo 'ler', por mais que eu tente...acabo descobrindo que a tia dela é amicíssima de minha mãe, e que há 3 anos atrás conversei com o pai dela, super- gente boa e que já tá no céu...mas ninguém é perfeito- parece que ela é flamenguista, fazer o quê...
Mas as meninas do 'grande salão' também chamam atenção.
A “Bodyboard- Girl” , bela e simpática (herdou a simpatia da mãe, que também está a bordo) difere por não ser 'marrenta', como boa parte das belas. Uma vez, cheio de sede, foi ela quem me mostrou onde ficava o bebedouro 'dos copos que não saem'. Mas ás vezes ela parece 'sumir' do navio, não a vejo sempre...
“LL”, e sua borboletinha pousada no ombro...é a mais 'chique' do navio: da cabeça aos pés, um charme só...na escolha da tiara até a sandalinha, tudo combinando:será que ela lida com moda? Deveria...antes só na galeria do salão, tem ficado mais no andar térreo...
A 'Pianista morena'. A vi tocar algumas vezes, toca pacas... acompanha mais uma espécie de 'coral do navio', que canta vez ou outra. Outra que parece 'sumir' do navio...eu juro que a vi uma vez quando estava numa missão em Milão.
A “bióloga do navio” é tão branquinha quanto a Amy. Uma vez, na sáida do salão, me deu uma cotovelada tão forte que doeu, me pedindo 'desculpas'- não precisava, já havia reparado! É outra que parece sumir do navio.
Além dessas tem uma turma 'pós-teen', que não tem mais do que 20 anos, e estão sempre juntas:
“Chaveirinho”, que parece um bombom alpino: pequena, moreninha e um docinho.Tem voz bonita também, e assisti uma peça uma vez com ela no navio...deu vontade de ir pedir um autógrafo...sempre com chicletes, tenho dificuldades de localizá-la pelo tamanho! Parece ter uma irmã, com namorado também a bordo.
A “Bonequinha de porcelana” também 'fala com as mãos'. Pequena e delicada, também tem um lado misterioso que nunca consegui 'ler'.
“BBL”. Também parece sumir no grande navio...a primeira vez que a vi, eu estava no restaurante do navio, lendo uma revista cuja reportagem falava de cortes em acampamentos.
Existem outras também, mas o navio é grande demais...quando penso que já vi todo mundo, surgem mais pessoas.
Me recolho ao meu camarote...o capitão me disse que aquela agora era minha nova família...estaremos todos juntos até o desembarque.
Ligo numa rádio 'flashback' , e está tocando 'Baby come back'. Volto a lembrar de Amy, mas dessa vez, com a nítida sensação que ela conhece boa parte dessa turma.
Mundo pequeno, esse navio Copacabana...
Parece a ilha de Lost- todos estão interligados!!
Lee