domingo, 19 de outubro de 2008

A Reforma do Grande Salão


Anteriormente, no Navio/ Previously on the Ship :


"Assim, tomo o meu café, desta vez 'saudável', sozinho...ou quase".


"Sem o Capitão falando, o nível cai pacas".

...........................................................................................................................................................................

- “Vou subir, Amy...depois a gente se vê”, digo eu, sabendo que essa frase é um tanto quanto irônica, em se tratando dela...fui tomar café da manhã no refeitório e ela apareceu, e pela primeira vez, ela não 'sumiu'...mas também ninguém apareceu(é quando ela some).

Ah, tomei um café 'saudável', dessa vez..."Ok, boa reunião", diz ela, com sotaque característico.
Rever Amy me fez lembrar o quanto, ao longo da vida, sempre me dei bem com americanos.
Meu primeiro grande amigo foi um americano, aos sete anos. Quando fui morar fora, conheci Michael no mesmo hotel onde moramos por alguns meses na Grécia, antes de meus pais arrumarem casa.
Invadíamos a lavanderia do hotel, fazíamos a maior zona...em tempos 'políticamente incorretos', comprei um revólver de plástico igualzinho a um 38, com espoleta, e na saída dos fundos do Hotel dei um tiro – nego saiu correndo...e a gente rindo pacas.
Depois, um monte de missionário que conviveu com a gente, ao longo do tempo, e até hoje: pouco antes de entrar no navio, jogava bola toda semana, e no meu time, sempre estavam o Jason e o Jeremy, de Atlanta, terra da Coca-Cola...eu, no gol, ás vezes orientava eles em inglês, do pouco que eu sei.
Nunca gostei da política dos americanos, e a forma como eles subjugaram os outros...agora, experimentam uma queda que vem desde as torres gêmeas, e que se materializa, num plano físico, com a queda da economia...
Mas sempre gostei deles, e sempre me dei bem com eles- eu gosto de música americana, do cinema deles, da tv, do futebol americano (aqueles com capacetes), do Hóquei, do basquete...só num entendo o beisebol!
Subo até minha reunião do terceiro andar- comigo, só tinham 3 hoje...horário de verão e dia chuvoso, combinação fatal para a turma que tem 'espírito de Garfield', "Cy" é que vc me entende...

O grande salão está em reformas, mas foi aberto assim mesmo...encostaram o navio essa semana, e vários trabalhadores trouxeram tijolos, cimento, uma penca de material próprio para a estrutura do navio, etc.
Estava sem as cortinas azuis características do salão, e o palco onde ficam a banda e o Capitão fala, ainda dava pra ver alguns tijolos expostos...dizem que vão melhorar a acústica.
Quanto as mesas, das 'pós- teens' estavam a “Mineirinha”, que me deu um tchauzinho, “Liane”, tão pequena quanto Chaveirinho, e “Me Nina”, de volta ao salão, estava de verde...quem também estava de verde era “Becky”, que ficou na galeria. Ah, vi a 'Hoffie', também, de azul.
'Next -generation' nas cabines, hoje praticamente nenhuma delas veio pela manhã.
Vejo no informativo do navio que hoje é o niver da LL...
Sempre chique, ela é muito querida pelas amigas. Hoje deve ter tido 'almoção' de família para a 'borboletinha' do navio... parabéns pra Lalá, que ela aproveite seu dia.
Quem faz niver na terça é a 'Filha do Capitão', segundo o informativo...tem festa no navio??
Um passageiro passou mal durante o momento em que o Capitão falava, mas foi rapidamente atendido pelos médicos do navio, e tudo prosseguiu bem.
Alías, ainda bem, nosso Capitão foi quem deu a palavra...ninguém arredou o pé, pois o nível é outro, ufa! Num aguentava mais ver gente 'sem sal' falando...
'Cy' você não sabe, já identifiquei a ruivinha – espiã: ´”Ruivinha Botafoguense”, que parece uma 'inglesinha'...há! Mas só quem tava lá era a “Ruivinha da Locadora”.
Mas onde está meu Chaveirinho?
Como estamos num navio de turismo, podemos dizer que, ir ao grande salão e não ver Chaveirinho, é:
É como ir a França e não ver a Torre Eifel;
É como ir a Nova York e não ver a Estátua da Liberdade;
É como ir ao Egito e não ver as Pirâmides;
É como ir a Grécia e não ver a Acrópoles;
É como ir a China e não ver as Muralhas.

Vou para minha cabine, e abro o frigobar para tirar um Coca para ela ir esquentando, o tempo tá frio...vejo o bombom alpino dentro dela, e pergunto:” onde é que vc tava, hein? Sua sorte é que sou um cara tranquilo”, digo sorrindo...
Ligo meu rádio que só toca flashbacks, enquanto me deito na cama...
Ainda me lembrando da reforma no grande salão, fico imaginando o trabalho que dá fazer qualquer construção ou reforma..inclusive em nossas vidas...nessa última então, sempre é mais difícil, mas tão necessária...
Já percebi que as músicas que tocam no rádio tem a ver com minhas impressões do dia...
E dessa vez não é diferente: The Housemartins, ”Build” (construção).
É a música do dia, e para o navio.
Lee
(já sabe que a música tá na sessão revival do meu orkut)