segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Jesus convivia com muitas pessoas, nunca se isolou.



Sim, de fato podemos ver que a maior parte da vida dele sempre foi cercada de gente.
Até os 30, muito ligado a família, participava de todas as festas judaicas.
Já na sua missão espiritual (30 a 33), escolheu 12 pessoas para acompanhá-lo(os apóstolos), onde quer que fosse.
Ele tinha amigos ricos e influentes(José de Arimatéia, Nicodemos), mas tinha amigos pescadores, coletores de impostos, donas de casa.
Ele não tinha vergonha de andar no meio dos marginalizados da sociedade (prostitutas, pedintes, mendigos,etc).
Ele falou a milhares de pessoas num barco na praia, a várias pessoas no sermão da montanha...ele comia com elas, também.
Ele não impedia as crianças de se achegar a ele.
Ele não impedia paralíticos,'mancos', cegos (deficientes físicos), de virem até a ele.
Ele recebeu um oficial romano, curou o servo dele, mesmo sendo Judeu sob domínio romano.
Ele comeu na casa do baixinho Zaqueu.
Ele sabe que precisamos ser integrados, socialmente.
Hoje muita gente se esconde atrás do computador.
Muita gente vive isolada em grandes centros urbanos.
Muita gente não gosta de sair, se encontrar com amigos.
Muita gente não tem amigos.
Muita gente tem medo de gente.
Muita gente não gosta de fazer amigos fora de seu círculo de conhecimento.
Fecham-se, e isolam-se tão somente no rol de amizades que possuem, excluindo qualquer outro que queira se aproximar.
Jesus nunca se isolou de gente- ele sempre gostou de gente.
Jesus nunca 'fechou o leque' para novas amizades -sempre cabia mais um, desde que fosse sincero.
Quem se diz “de Jesus”, e não gosta de gente (diferente de ser tímido), não faz amizades, ou exclui a possibilidade de novas amizades, na verdade não é dele:
“Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos: se vocês se amarem uns aos outros” ( João 13.35)
Lee