segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Como deve ser a relação Ídolo e fã?


Aqui no Rio, é muito comum vc encontrar artistas.
Já vi Edson Celulari e Cláudia Raia no Shopping, com os filhos;
Na praia, Diogo Vilella com o “namorado”,e também a baixinha da Aline Moraes;
No centro da cidade, quase esbarrei no Pedro Cardoso, o “caôzeiro” Agostinho, da Grande Família (série que me amarro);


Da mesma família, vi Andréa Beltrão, a Marilda, numa repartição pública, em minha fila, como os meros mortais;
Na esquina da Grei, em Copa, vi Mário Gomes um dia antes de ser preso por não pagar pensão alimentícia;
Ivete Sangalo numa mesma loja de cds, no aeroporto;
E também em aeroporto, quando ia buscar ou despedir de amigos, Latino, Lobão, jogadores de futebol, apresentadora de RJTV, e por aí vai.


Tem muita gente marrenta, mas também tem muita gente boa.

Mas como deveria ser essa relação ídolo e fã?
Vou começar com nós, os fãs.


Primeiro, fã tem que aprender a separar a obra da pessoa.


Eles são de carne e osso, e são uma das classes de pessoas das mais tristes, infelizes e turbulentas que já vi.
Veja o caso do Fábio Assunção agora.
Nego tentou abafar isso desde o ano passado, quando ele foi parar numa DP em Sampa.
Viciado em cocaína, mal conseguia ficar em pé nas filmagens, muito menos decorar texto.
Investiga-se se ele era mula de traficante, fazendo ponte entre atores da globo, onde alías, uma boa parte também se amarra num pó.
Lembre do Heath Ledger, que nem chegou a ver seu Coringa nas telas- a droga o levou.
Muita gente viciada em álcool, etc, também prejudica sua carreira.


Segundo, fã tem que saber a hora certa de se aproximar.


Seja pra foto ou autógrafo, tem a hora certa: nunca na hora em que estão num restaurante ou fazendo uma refeição,com a família e filhos (eles tem um tempo super-escasso).
Pergunte ao seu ídolo se ele quer tirar foto- se vc pode tirar uma foto dele, ou com ele.
É um saco nego chegar e botar um celular na tua cara e disparar; ás vezes, uma afronta.
Um cara foi tirar uma foto na marra do Romário num vôo da Gol, ele quieto, lendo uma revista...deu discussão.


Pergunte antes...perguntando, até a marrenta da Caroline Dieckman se deixa fotografar, inclusive tirando foto de celular ao lado dos fãs.


E sobre os ídolos?
Uma boa parte deles veio do nada, e depois, se acham os donos do pedaço.

Ídolo tem que ser paciente, acessível e simpático- eles não existiriam se ninguém vissem seus filmes, jogos, programas, lessem seus livros, etc.
Nunca me esqueço quando andava com meu pai em Santos, criança, e passei em frente a mansão do Pelé, quando visitava aquela cidade.


Assim que estava quase dobrando o quarteirão, uma buzina insistia em nos chamar a atenção.
Era Pelé no seu Mercedes, ele mesmo pilotando, e enquanto esperava abrirem o portão, ele buzinava em nossa direção: um sorriso e um tchauzinho para mim...
Criança não esquece uma cena dessas.


Enquanto isso, a Luana Piovani esculacha produtores, puxando braço, dando beliscões e chiliques por que não tinha lanche diet...foi afastada.


Os ídolos deveriam aprender com Jesus- se assim o fizessem, teriam uma longevidade maior em suas carreiras e na graça com o povo.


Jesus vivia cercado de multidões. Muitas vezes, se afastou em silêncio e discretamente;
Noutras, permaneceu junto ao povo, atendendo-os e providenciando alimento, ás vezes, de forma miraculosa....tem nego que tem dinheiro, mas num ajuda ninguém em nada.
Era acessível a ricos, pobres, e crianças. Não tinha vergonha de ninguém, e mesmo filho de Deus, lavou o pé de discípulos;


Não tinha paciência com gente hipócrita...tem artista que faz média com gente assim.
Ele ia a festas de pessoas que não criam nele...festas de gente do povo, e não nessas festas vips, festas fechadas da vida...ele frequentava festas populares em Israel.


Às vezes, a gente critica, mas somos tão marrentos quanto ídolos que a gente malha, não permitindo acessos de pessoas a nossa volta, em nosso círculo de amigos...
Por preconceitos (racial, social, estado civil,etc), diferença de pensamentos, etc.


Lembre-se que mesmo não sendo famoso ou famosa, vc pode ser um ídolo pra muita gente;

Uma fonte de inspiração, admiração e incentivo pra pessoas que vc talvez nem imagine.


Ídolos não existem sem os fãs;
E todo ídolo tem “pé de barro”.


Ídolos, em essência, devem trazer emoção, causar admiração e influenciar pessoas para o bem ;

E estimulá-las a serem vencedoras na vida, e não ao contrário:
Muita gente definiu profissão, vendo determinado personagem na tv ou no cinema, ou faz esporte ou outra atividade por influência de um ídolo.


Lee
(Na Sessão revival, tributo a Rocky Balboa, o meu ídolo-veja em vídeos de meu orkut)