segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

A Ditadura da Magreza 2 – O Complexo dos “Gordinhos”


Cerca de 51% da população brasileira com mais de 18 anos estão acima do peso, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (aquela que faz a cirurgia de redução no estômago).


A maior faixa, 66%, entre 18 e 25 anos...e 2,5% a mais de mulheres...lembrando que não estão contabilizando as crianças e os adolescentes, um índice que só vem crescendo assustadoramente:
Trocaram os esportes por games e internet, reduzindo a atividade física.


Antes do McDonalds chegar á China, em 91, era raro ver chinês gordo (só o Sammo, da série “Um Policial da Pesada”, rsss).
Agora, vi um chinesinho de 10 anos e 80 kilos, que só come no Mc de lá- tá fazendo tratamento com nutricionistas.


Uma das consequências, além da anorexia e bulimia feminina que citei na parte um, é o complexo de inferioridade que os gordinhos se acometem.
Primeiro, vem os apelidos, que ele/a tem que suportar (e que é cruel, especialmente na infância e adolescência):


Baleia gorda, vaca gorda, jamanta, porcão, porco gordo, rolha de poço, elefante, leão-marinho, foca gorda, Faustão, Jô Soares, boneco da Michelin,etc.
Ou o mais comum e simples de todos: Gordo.


Segundo, a dificuldade em se vestir...eu digo que só fazem camisas pra “criança” quando vou comprar roupa, pois com 1,86, já é difícil arrumar roupa, pois só tem número pequeno, imagine então gente maior...ou mais larga.


Toda a roupa, toda a moda, é feita para pessoas magras, pois quase todas elas são feitas com caimento pra colar no corpo, e expô-lo: faz parte da ditadura da magreza imposta pela moda.
Não tô falando de roupas só de griffe não, vá em qualqer loja de roupa de 9,90 e vc vai ver isso- não existem números grandes, quanto mais para pessoas gordinhas.


Aí, ou tem que mandar fazer, ou vai usar roupa de loja de gordo, que em geral oscila entre o sem graça e o cafona...a mesma coisa para calçados...já viu tênis da Nike 50?
Mas o que geralmente acontece é que a gordinha ou gordinho compram o maior número que tem na loja, e o usam, e o caimento, claro, não fica legal.


Zoar gordinhos hoje chegou a um patamar discriminatório.
Boa parte deles sequer tem vontade de sair por causa disso, e tudo o que fazem, desde o ato de comer, se vestir, se deslocar em conduções ou no elevador, se sentem com complexo de culpa ou inferioridade.


Se vc se identificou com tudo o que disse acima, tenha amor-própio;
Não deixe que imposições sociais, de mídia, de moda, determinem como vc se sente-seja feliz!
Já disse antes, tem cada gordinha lindinha...


Ou se vc conhece gente que se encaixa em tudo o que disse acima, trate-a com amor,carinho e respeito:
Não as exclua de seu grupo, não fique zoando, não os condenem quando comem besteira (eles sabem quando tão fazendo isso).
Tome cuidado até na forma de olhar para eles- já disse antes: seu olhar diz mais que palavras.
Lee