quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Os Livramentos de Deus


O nosso Deus é o Deus da salvação; e a DEUS, o Senhor, pertencem os livramentos da morte”. (Salmo 68.20)


Muitas vezes não entendia, mas me dava uma vontade de mudar de rumo, e pouco depois ficava sabendo que algo acontecera no trajeto que originariamente iria passar.


Se eu fosse contar quantas vezes isso aconteceu, não iria caber aqui...
A mais recente foi terça-feira passada:voltando do serviço, antes de subir para minha rua, eu queria comprar umas coisinhas no mercado, mas tive um ímpeto de ir pra casa, contrariando a lógica de já subir com pequnas compras.


O fator natureza também ajudou, pois nessa semana de chuvas, quis aproveitar a estiagem para descer logo com o cachorro.


No espaço que desci com ele em frente ao prédio, uns 10 ou 15 minutos antes que chovesse, quando desci para comprar as 'coisinhas' houve um assalto no banco, em frente onde passaria, se tivesse ido na direção oposta – e na mesma hora (perguntei a quanto tempo tinha acontecido, olhando para o relógio).


A famosa 'saidinha de banco', modalidade de assalto rápida, teve confronto com pms que passavam na hora: tiro pra tudo quanto é lado.


Um vagabundo morto,e muita,mas muita bala perdida: o frentista de um posto ao lado do banco foi alvejado no pé...desespero na rua, trânsito parado, carro de polícia chegando de tudo que é canto, etc.


E da vez que o meu frescão (busão com ar- condicionado) passou direto pelo ponto, e eu fiquei xingando o motorista (mentalmente, rss)? Estava atrasado, e tive que pegar um quentão mesmo...


Cerca de 500 metros depois, meu quentão passa pelo frescão, parado...com a frente totalmente destruída...havia batido num pequeno caminhão.


E meu busão metralhado em frente a favela, numa noite, anos atrás?
Me deitei ao assoalho do ônibus, clamando pela misericórdia do Senhor...os tiros de fuzil passavam por debaixo de mim, no assoalho do ônibus, e pelas janelas...mas nem eu nem nenhum passageiro fomos atingidos.


E meu coração? Tinha arritimia cardíaca em repouso, podia morrer dormindo sem saber...
Senti que era pra procurar um cardiologista, que com testes, foi descoberto que o pico era ás...3 da manhã, em repouso!

Hoje, curado, jogo bola e luto Jiu-Jitsu.


E as posses?
Certa vez, quando ainda tava com carro e ele dormia na rua, houve um vendaval,trovões, etc.
Quando fui ver o carro, no dia seguinte, era o único da rua intacto- galhos pesados caíram das árvores, amassando ou rachando vidraças de TODOS os carros- menos do meu.


Nunca tive um carro roubado...nem mesmo quando 'esqueci' certa vez na rua:
Antigamente, eu era super-desligado...fui numa sexta-feira a tarde ao dentista, e estacionei o carro em frente aos correios...e voltei pra casa de metrô (kkk)!


Na segunda-feira(!) precisei sair com o carro...”putzz”, botei a mão na cabeça, no estacionamento do meu prédio- “esqueci meu carro a 1 km daqui!”


Quando cheguei lá, era o único carro estacionado...cheio de poeira...sem multa...e intacto.


Por 2 anos e meio, onde morava, minha porta não trancava por dentro, só por fora...esquecia de chamar chaveiro, já que abria por fora...não havia trancas por dentro, e nunca ninguém entrou enquanto dormia.


Dirigindo de BH ao Rio, sentia o motor do carro estranho...mas cheguei em casa.
No dia seguinte, ao levar ao mecânico, esse se assustou: “esse motor, não sei como, só está preso a dois parafusos,e quase se soltando!! Já era pra ter caído!”


Se “caísse”, teria capotado o carro.
Finalizando a sessão carro, meu freio simplesmente não funcionou mais quando descia o alto da boa vista, aqui no Rio...usei o freio motor(reduzindo as marchas) e um pouco do freio de mão...assim que desci,o freio “voltou a funcionar”.


Depois eu conto outros, daqui há alguns dias, quando tiver pra acabar o ano:
Vou fazer um “Top Five” de várias coisas desse ano, uma espécie de o melhor do que aconteceu, e devo postar um “Top Five” disso também.


Lee – cujos anjos do Chefe trabalharam muito ao meu favor, na questão de livramentos.