sábado, 31 de janeiro de 2009

Hélio Gracie (1913- 2009)



Mestre Hélio Gracie partiu quinta-feira, 29/1, ás 9.15 da manhã, aos 95 anos de idade.

A pneumonia nessa idade é perigosa...alguns dizem que também os leucócitos dele estavam altos. Junto com seu irmão mais velho, Carlos, Hélio ajudou a difundir o Jiu-Jitsu no Brasil, e depois, no mundo todo.

O Jiu-Jitsu nasceu na Índia, foi para o Japão, mas devido as mudanças que o Imperador estava fazendo, se aproximando do ocidente (veja o filme O Último Samurai, com Tom Cruise) ameaçava ser extinto.

Quando o Conde Koma foi visitar belém do Pará, ensinou o JJ aos Gracies.
Hélio era franzino e vivia doente, e passou metade da adolescência apenas observando a arte, guardando tudo na memória.

Quando finalmente pôde treinar, criou um sistema próprio, adequado ao corpo franzino dele, e conseguia com as 'alavancas' que inventara, aproveitar a força do próprio oponente, todos mais fortes que ele, para derrotá-los.

A luta que ele fez contra kimura, no maracanãzinho lotado, em 1954, entrou para a história documentada como a mais longa das artes marciais.

Hélio, magrinho, 63 kilos, enfrentou o japonês kimura, de 100 kilos, 9 anos mais novo, durante 3 horas e 45 minutos, sem intervalos.

Hélio perdeu a luta, mas todos se impressionaram como um cara conseguira sobreviver a tanto tempo...ele reveleu depois que chegou a ficar inconsciente na luta, mas o japa não percebeu...e só desistiu após o mesmo ter lesionado seu braço.

Hélio botou seus filhos lutadores para ganharem o mundo: Royce nos EUA, e Rickson, o melhor da família, no Japão, em torneios de vale-tudo onde nunca perderam, abrindo as portas para toda a brasileirada que existe hoje lutando fora.

Apesar disso, nunca ganhou uma medalha de reconhecimento do governo do estado, muito menos do governo federal.

Se fosse uma dessa piranhas do big brother, que mostram bunda e peito, provavelmente levaria alguma medalha de mérito.

Poucas vezes ia ao médico, e mesmo assim quando ficava resfriado...
Consta que uma das vezes que foi, deve-se ao fato de ter se machucado, quando consertava o telhado de sua casa em Itaipava, aos 86 anos...

Mais um Samurai se foi...obrigado, Mestre Hélio...O JJ deve muito á vc!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Contos Proibidos de Kunlun 4



Contos Proibidos de Kunlun

(Uma série fictícia, mas com mais verdades que vc possa imaginar)

Todas as quartas e sextas, á noite.

Tomo IV – O Retorno a Aldeia


Após 3 meses, finalmente os novatos receberam o direito de sair aos finais de semana do mosteiro.

Para a maioria dos que moravam a até 50 km do mesmo, era a oportunidade de visitarem suas famílias...para os que moravam mais distantes, e isso incluía os ocidentais, era a oportunidade de darem uma respirada além dos muros.

Isso incluía pequenos passeios as aldeias e cidades mais próximas, entregar cartas nos correios (na era pré-internet), e ir aos correios também incluía sacar dinheiro, pois era um banco-postal...era só apresentar carta de recomendação do mosteiro, que abriam conta na hora...Rwalla, o pequeno príncipe do Congo, voltava cheio da grana.

Enfim, era tudo de bom...a única obrigação era estar de volta na segunda, ás sete da manhã...Zháo, o chefe de disciplina, na maioria das vezes saía e só voltava no domingo á noite, para alívio geral.

Quem se atrasasse na volta, perdia o fim de semana seguinte.
Todos eram liberados depois do almoço de sexta, ao meio-dia...os alunos eram muito conceituados na região, e vários dos que moravam longe, eram abrigados por famílias da localidade.

Só não ia quem ficava “detido”: 3 advertências dos professores resultava em detenção de um dia, e o aluno era obrigado a ficar estudando pela manhã e á tarde na biblioteca, no fim de semana.

Assim que soube da saída, Lee pensou logo em voltar a aldeia e rever Ad-Rahmir, o sábio encantador de serpentes...ia dizer a ele como estava indo no mosteiro, e dizer que estava seguindo o conselho dele de fazer as coisas com o “coração”.

Orientados pelos alunos mais velhos, todos adquiriram bicicletas usadas a preços módicos...havia um pátio só para guardar as bicicletas no mosteiro.

Até hoje, são o principal meio de transporte da China.

Os alunos que se graduavam, vendiam suas bicicletas para os do 3º estágio, que assim geralmente ficavam com duas bicicletas e sempre vendiam uma...muitos já chegavam de bicicleta, no mosteiro.

Lee comprou uma bicicleta verde -esperança , que seria testemunha de inúmeras aventuras nos anos seguintes, muitas ao lado de Sven...ele jamais a trocou por nenhuma outra, durante aqueles anos.


Após cruzarem o portão em suas bikes:


- Cê vai pra onde, Lee? Perguntou Sven.
-Vou pruma aldeia aqui em baixo, ver se encontro uma pessoa que me aconselhou, disse Lee.
-E eu vou pruma cidade há umas 2 horas daqui, que eu vi quando cheguei de ônibus... se eu gostar, depois a gente vai lá.

-Falô, Sven...tchuss!
-Tchuss, devolveu ele, zarpando na bike, mais robusta que a de Lee.

Assim, Lee entrou a direita, para descer para a a aldeia, e Sven seguiu pelo caminho original que ele viera.

Descer é mais fácil, e em 20 minutos entrara na aldeia...foi direto em direção a praça central, para ver se localizava Ad-Rahmir em alguma apresentação.

Estacionou a bicicleta, colocou o cadeado de segredo (nº 667) e foi caminhando, até o local onde o encontrara anteriormente.
Não o localizou...perto dali, havia umas meninas escolhendo sementes do lado de fora do mercado, para comprar...todas eram muito pequenas, mesmo...

Devem ser as anãzinhas da vila”, pensou Lee, apesar delas serem um pouco maiores que anãs...entre elas, estava uma moreninha lindinha de cabelos pretos quase até os ombros...e sua cor, quase da cor do Toddynho....

-Olá, sou Lee, estou procurando uma pessoa...pode me ajudar?
Lee estava com roupas 'civis', e a grande maioria da aldeia estava acostumada aos turistas, e portanto, especialmente as mais novas, arranhavam inglês.

-Olá, sou Thiang-Nee, quem vc procura?
-Procuro por Ad-Rahmir, o encantador de serpentes...onde posso encontrá-lo?
A baixinha olhou Lee, pensando no que ia dizer...

-Bem, talvez seja melhor vc falar com a filha dele, Krishna...ela está chegando agora na praça, fazendo recreação com as crianças, disse Thiang, meio parecendo esconder algo.
- É fácil localizá-la, é a mais alta das meninas,disse.

-Bem, vou até lá, obrigado.
-Por nada, disse Thiang, do tamanho e cor do Toddynho.

Ao sair, ela e as outras baixinhas fuxicaram...duas da cor próximo a ela, e uma mais branquinha.
Antes de ir a praça, do lado mesmo em que estava, Lee avistou uma loja de souvernirs da aldeia, com um senhor e ao que parecia ser sua filha, ajudando a vender as lembranças de Kunlun.

-Num vai levar nada? Perguntou a moça, que auxiliava o pai.
-Acho que não... moro ali, no mosteiro, num sou turista, disse Lee sorrindo.
-Ah, vai fincar raízes em Kunlun é? Eu estudo enfermagem na cidade...serei enfermeira no futuro.

Kalaffiah tinha linhagem árabe...a vila era uma salada só de miscigenação.
- Tenho certeza de que será boa enfermeira...vc é atenciosa, seus pacientes irão gostar de vc.
Lee se despediu dela, e foi em direção a praça.

Chegando lá, rapidamente localizou Krishna... Thiang-Nee tinha razão, ela era alta;
Mas Ad-Rahmir, o pai dela, também tinha razão: geralmente pra todo pai sua filha é bonita, ainda que seja um jaburu...

Não era o caso dela...era mó gata, com muita presença; a altura só realçava a beleza dela.
Ele fazia recreação junto as crianças, e sem querer atrapalhar, mas já atrapalhando, Lee se aproximou dela.


-Olá, vc é a Krishna, filha de Ad-Rahmir?
Surpresa, ela pergunta: - de onde vc conheceu meu pai?
- No meu primeiro dia em Kunlun, antes de subir ao mosteiro, disse Lee, eu o vi na praça, conversei com ele, me deu conselhos...meu nome é Lee.
-Vem aqui, chamou ela para sentarem ao banco, enquanto as crianças continuavam, na frente deles, brincando.
-Meu pai partiu para a eternidade há 3 meses,Lee...e ele me falou de vc, que ia estudar no mosteiro, tal qual um de meus irmãos, disse.
-Eu sinto muito Krishna...não sabia.


-Está tudo bem, disse ela...sinto falta dele, mas sei que ele está num lugar melhor...a radiação dos anos do antigo serviço atingiram os ossos dele...
-Com certeza, ele está num lugar melhor que a gente, Krishna.

Naquela hora, o único irmão dela na aldeia, chegava com o que parecia ser sua namoradinha até a praça.

-Esse é meu irmão H'iq-Ar, e a namorada dele, Lay-Hshnáh.
Lee os cumprimentou, e soube que ela era de uma cidade há quase três horas dali, Makahlésh, e eles só se viam aos fins de semana....saíram a seguir.

Ele e Krishna conversaram durante longo tempo...aos poucos, foram rindo juntos, especialmente quando este disse que não sabia 'chegar' em garotas, e há muito tempo, por isso, não namorava.

- A maioria das meninas espera sempre que o homem tome a iniciativa, disse ela , é muito fácil...algumas dirão não, outras, sim.

- Então, no meu caso, é só Não!, disse rindo....ambos gargalharam juntos.
- Eu tinha que ter ido pro Chile, e não para Kunlun, disse, no Chile, na maior parte das regiões, é a mulher quem faz o pedido...eu realmente não tenho sorte, disse Lee, um tanto traumatizado.

- Primeiro vc tem que estabelecer contato, ir conversando, conquistando...igual estamos fazendo...
-Eu tento, mas quem eu quero não me quer, geralmente foi assim... aí sobram as malas, essas sim, super-insistentes, disse ele, sem reparar numa possível sugestão dela.

Foi quando uma amiga de Krishna passou e deu um tchauzinho a ela, do outro lado da praça...e falou com ela algo em chinês que parecia uma saudação diferente, mas que Lee não compreendeu...também era mais moreninha.

- Quem é ela? Perguntou Lee, encantado pelo charme da moça...
- Chama-se Pahat-Ny, é minha amiga...
- Que raio de nome diferente é esse? Sua amiga, é...hum....
- A família dela é toda de líderes politicos que compõem o conselho da aldeia...o pai, o tio...

- Bem, seguindo seus conselhos, eu deveria estabelecer contato com ela, como é que eu faço?
- Aqui temos um costume, disse Krishna...na parte de trás das casas, existe um muro onde as pessoas deixam recados...os recados ficam pregados nas paredes até chegarem os novos...mande um recado pra ela: se ela aceitar ou gostar, o recado permanecerá.

- E se num gostar?
-Ela tira o recado, mesmo que não tenha chegado um novo, ou ainda tiver espaço na parede...esse é o nosso costume.
-Então, eu vou lá na parede dela e colo um recado,isso?
- Isso...se ela deixar, é um bom sinal.
-Mas vc num poderia dar um 'toque nela'?
-Vou pensar no seu caso, disse, lacônica...só aí que Lee, num raro momento de percepção dentro dessa área, perguntou:

- Por acaso, vc gostou de mim, Krish ?

Krishna ficou nervosa...mas ao mesmo tempo feliz pelo reconhecimento, ainda que tardio.
Ela tinha os olhos castanhos, uma voz doce e suave, sorriso e dentes bonitos: deu até vontade de Lee dar um 'peteleco' neles,como gostava de fazer...

- Tenho outras prioridades, Lee...bem preciso ir....
- Ainda é cedo, disse Lee...e vc tá com medo, insistiu o novato do mosteiro...
- Pelo que me consta, quem tem medo aqui é vc, disse ela, encerrando o assunto, e indo atrás das crianças...bye!

Lee se despediu...quando se aproximou uma velha senhora dele.
-Olá, sou Vehnnin-Ha,tia de Krishna...estive observando vcs...
-Ah, prazer, sou Lee, sua sobrinha é um doce de pessoa.
-E está solteira, também, disse ela...

Será que em todo lugar do mundo tem uma tia tentando arrumar casório pra sobrinha??

-Ela não deve ter dito, á vc mas hoje é aniversário dela....
-Sério? Bem...então devo mandar um recado pra ela, certo? Onde é a casa dela?
-Aquela ali, mostrou ela.
-Errr...e da Pahat-Ny, ela se 'esqueceu' de me mostrar...
-Aquela outra ali , mais adiante, apontou.

-Obrigado, agradeceu Lee, caminhando rápido até as casas de cada uma, e achando o tal muro de recados.

Lee sempre andou com bloquinhos e caderno de anotações, para anotar suas impressões...Para Krish, desenhou um bolo, e escreveu parabéns, bem grande.

Para Pahat-Ny, também pregou uma mensagem no muro dela.

A seguir, pegou sua bike e desceu em direção aos correios, lá aos pés da montanha, sempre com a mochila as costas...havia encomenda pra ele: fitas cassete com músicas do Brasil, fotos, abriu uma conta no banco postal, etc....demorou mais de uma hora, entre ir e voltar.

Na subida, quase ao fim do dia, resolveu entrar na aldeia, e ir de bicicleta até o muro de recados da casa de cada uma para as quais havia enviado os recados, curioso.

Nenhum recado dele havia permanecido nos muros...

Triste, subiu o restante do caminho até onde deu, de bike, depois, empurrando-a.

Acho que a Krish não digeriu bem a história da Pahat”, pensou...o karma nessa área insistia em permanecer.

Após a janta recolheu-se ao quarto...Sven e os outros ocidentais também já haviam voltado.

Lee conversou com Sven, contando tudo o que havia acontecido...o amigo não deixou que esse ficasse deprê, e chamou Sam , que dividia o quarto com Samir, que não voltaria até segunda, e Kwalla, também sozinho, pelo mesmo motivo.

Botou o toca fitas com as músicas bem alto para que todos dançassem.

Assim que começou a música, Kwalla se amarrou no balanço, e dançava... Sam, também animado, perguntou:

-Sobre o que ele está cantando?
- Sobre uma menina que ensinou muitas coisas a um cara, disse Lee, irônico.

E assim, os noviços de Kunlun terminaram a noite, dançando e pulando...Lee queria ficar na dele, mas eles não deixaram: nada de deprê...e o arrastaram para a dança.

As estrelas juntas, mais uma vez brilharam, afastando a escuridão.

(Na Sessão Revival, veja a música que todos eles dançaram: vá em vídeos!)

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Alckmin, Katie e Gisele



Sonho: Alckmin, Katie e Gisele

Status: Em andamento

Classificação: Autorizado a contar

Hora do fim do sonho: 5.45h da manhã, dia 29/1 ,quinta.

Finalidade: o do Alckmin, num precisa acontecer;

o da Katie, mostrar como ela está;

E Gisele, mostrar como ela é.


Quase sempre depois dos contos de Kunlun to sonhando...eita!
Eu chegava perto de onde estava o motorista do Alckmin ( ex-governador de Sampa, ex-candidato a presidente) e o via em prantos, fora do carro, chorando...

Ele dizia :“ por que isso foi acontecer com ele, e não com o Newtão (Newton Cardoso, ex-governador de MG, que rouba até as suas calças, se vc bobear)?? Alckmin nunca fez mal a ninguém!”

- O que aconteceu? Perguntei.
- Ele foi fazer um transplante de rim, deu problema, e ele morreu, disse o motorista dele, inconsolável.

Uma eleitora de Alckmin, que passava, começou a chorar...

A seguir subia um grande prédio pelas escadas...em cada andar que eu metia a cara, olhando da porta das escadas, via a Katie Holmes (atual sra. Tom Cruise) gravando uma cena...subia para um andar superior e via sempre o andamento das cenas que ela gravava, ou seja: a cada andar, a conclusão de uma cena.

Lá pro quinto andar, ela terminou a tomada, super-triste...e quando os outros se afastaram, não tinha vontade de ir pra casa: Ficou 'congelada' olhando pela janela...

Assim que subi outro andar, dessa vez vi a Gisele Bundchen, terminando de gravar um comercial...chegava para uma amiga e dizia:
Eu odeio a imprensa, odeio falar com eles, não suporto ver a cara deles!!”
Parece que a seguir, tinha uma entrevista.

Conclusão: o do Alckmin, não precisa acontecer...políticos e artistas escondem muito as intervenções cirúrgicas que vão se submeter, tentam manter em segredo....tem que orar por ele (mais um).

O 'canal' abriu com a Katie, e deu nítidamente pra perceber que era o casório dela que está indo pelo ralo...Tom já quis forçá-la a ir para a seita dele (a cientologia), e desde o ano passado, existem discretos rumores de separação...ela está muito triste, nem sente mais vontade de voltar pra casa- ou ficar, quando ele está.

Gisele na frente da imprensa é só sorrisos e “alegria”, mas aquilo tudo é fake...ela odeia mesmo, no íntimo, dar entrevistas e atender jornalistas...ao contrário do que parece.

Da mesma forma que ela nunca namorou homens brasileiros ou de origem latina: ela só gosta de americanos, mas diz que é só “coincidencia”

Talvez vc se pergunte 'por que 'vem essas coisas...não sei...sou do Rio, mal posso falar do Alckimin;

Acho a Katie boa atriz, mas num está na minha lista de tops, nem mesmo pela beleza (sim, ela é bonita);

E sobre a Gisele, num me diz nada...conheci umas cinco meninas na faculdade tão bonitas quanto ela - sempre achei ela 'comum'.

Num sei por que Ele faz isso...eu só sonho e 'sinto' a interpretação.

Cubinho- relógio marcava 5.45h, e sonado, estiquei a mão procurando o 'caderno das loucuras'.

Lee, com seu caderno das loucuras, que se cair em mãos erradas, pode alterar todo o curso do tempo...kkkk!

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Contos Proibidos de Kunlun 3



Contos Proibidos de Kunlun

(Série fictícia, mas com um “fundo de verdade')


Toda quarta, e agora também as sextas!


Tomo III – A Chegada ao Mosteiro


Finalmente, após 15 minutos, o caminhão chega até a porta do mosteiro...bem em cima do portão de entrada, havia uma frase escrita em Chinês.

- Sabe o que está escrito ali em cima, Lee-san?, perguntou Muriú.
- Humm..xôvê...”pague para entrar, reze para sair “? Debochou Lee.

- Engraçadinho vc,disse Muriú, virando-se para a frente.
Da caçamba do caminhão, Lee continuou: - Já sei: “ Vamos abrir a porta da esperança!”... dessa vez foi Sato, o motorista, que virou pra Muriú, rindo...

- Ou quem sabe, “Bem vindo ao castelo mágico da Disney - China!”.
- É, concordou Muriú, e o Pateta acabou de chegar, disse...Sato explodiu numa risada, e Lee logo parou de tagarelar.

Muriú não disse o significado da frase...Lee num deu a menor bola para isso.
Assim que chegaram, todos os novos alunos foram direto para o pátio principal com suas mochilas, alguns com malas, outros, eles própios eram malas...

De uma grande varanda, igual o Papa faz na praça de São Pedro, todos ouviram a mensagem de boas vindas do velho ancião, o Abade do mosteiro.

Perfilados, todos escutaram que aquela era uma oportunidade ímpar de estarem ali, que nunca o mosteiro tinha sido aberto a ocidentais, que os que ali estavam deveriam se lembrar disso...e que “muitos foram chamados, mas poucos seriam escolhidos”.

Terminada as boas vindas, foram conduzidos aos quartos por Zháo, uma espécie de 'chefe de disciplina' do mosteiro...ele tinha a cabeça raspada,e tinha fama de ser rígido- nunca tinham visto ele sorrir...Lee veria, mas em curcunstâncias que vcs só saberão mais adiante.

No quarto, Lee teve a grata surpresa de conhecer Sven, um aluno alemão...assim, podia praticar o idioma, na terra onde foi descoberto por Muriú...ficariam juntos naquele ano, pois a cada ano havia uma troca.

Eram dois por quarto, e haviam cerca de 30 alunos começando aquele primeiro ano de 4 'estágios' como dissera o Abade...a 'prática' seria na vida real.

A maioria dos alunos eram orientais da China mesmo, mas tinha um tailandês...

Dos ocidentais, Lee, Sven, Sam (americano), Rwalla (um jovem príncipe vindo do Congo) e Samir, do Egito.

Duas horas depois, já no almoço, já estávam vestidos de 'monges'...mas as hostilidades começaram: a Chinesada toda chamava os alunos do primeiro estágio de 'bichos'...a maioria não concordava com a presença deles ali, e todos se comunicavam em inglês- era a ordem do mosteiro, para unificar tudo.

Os do 4º estágio eram os mais ferozes...Chang, o chinês mais alto (devia ter 1.90m, a maioria dos chineses não passava de 1.60m) e forte, era um dos mais cruéis...ele pegava a carne das bandejas dos pratos dos alunos, e distribuía entre os amigos deles, rindo, caçoando dos outros novatos, que ficavam sem carne.

Até que chegou na mesa onde estava a maioria dos ocidentais...e ia tomar a carne do prato de Lee...na hora em que ia meter a mão, Lee puxou a bandeja.

- Como ousa negar minha comida?? Isso me pertence por direito!!, disse o valentão Chang.
- Por direito? Num tô vendo teu nome na carne não, disse Lee, sarcástico, e levantando a parte de baixo da carne: “Pode ser que esteja aqui embaixo...”

- Verme do ocidente!, disse Chang, enpurrando Lee da grande bancada de cadeira de cimento.
Enquanto este ia de costas ao chão, Sven gritou: - Quer a nossa comida? Então toma!”, e sentou a bandejada na cabeça de Chang, que ficou mais surpreso do que atordoado.

Chang pegou Sven, que não era baixinho, e o arremessou sobre a mesa.
Quando se virou, Lee o acertou com um soco na cara, e Chang 'bambeou' para o lado...estava armada confusão, que só pararia uns dois minutos depois, com a chegada de Zháo, com seu apito.

Naqueles dois minutos, havia um misto da turma do 'deixa disso', com a turma do 'quero isso', a adrenalina foi a mil...os chineses do quarto estágio se surpreenderam com os ocidentais- não esperavam que sabiam lutar.

Sven encarou dois chineses, ágeis, que o machucaram, mas ele ficou de pé, tentando ir na direção de Chang;

Kwalla, baixinho, parecia um macaco saltando por sobre as mesas, pegando impulso nas paredes e pulando e socando o que se movia pela frente, a la Homem-Aranha... Não foi a toa que em Kunlun, ele escolheria o Kung-Fu estilo do Macaco, para se desenvolver.

Samir dava potentes chutes que varria quem estava na frente dele...nego gritava de dor;

Sam fazia o estilo 'Kickboxer'...enfim, Zháo apitou, e uma das regras era obedecer imediatamente o apito dele, senão era 'rua'.

Terminada a confusão, Zháo chamou Sven na sala dele...e um aluno do quarto ciclo.
Quero nomes! Cabeças vão rolar!, disse Zháo.
O aluno do quarto ciclo ficou em silêncio, de cabeça baixa.
-E vc, o que me diz?, perguntou para Sven.

-Vocês tem suas regras, nós temos a nossa, respondeu Sven, sério.
- Muito bem, seu alemãozinho...eu vou ficar de olho em vc...um deslize, e vou recomendar a sua expulsão, disse Zháo, que passaria a perseguir Sven, a partir desse episódio.

Sven já tinha 14 anos, e Lee iria fazer 14 no dia seguinte, mas não contou a ninguém...naquele dia, todos puderam ligar pras suas famílias, dizendo que haviam chegado bem...as ligações eram limitadas a uma vez na semana.

O episódio no refeitório fez com que aquela turma fosse respeitada por todos no mosteiro...não sabiam que eles tinham um passado nas artes marciais: só descobriram na cara deles, mesmo.
Lee foi aplaudido quanto entrou na aula á tarde, pela turma...Chang o deixou em paz, naqueles primeiros meses...

As aulas começavam seis da manhã, com a alvorada, seguido do café, e depois exercícios físicos, e artes marciais...Zháo puxava a parte física, e começou a pegar no pé do Sven, torcendo para que ele desistisse.

Os alunos foram divididos em dez para cada professor, que contando com Muriú, eram 3, de artes marciais.

Muriú puxou Lee para sua turma, e frequentemente, o treinava separado dos outros, dando sequencia ao que havia sido interrompido anos antes...só que dessa vez, Lee mais forte, era barra pesada mesmo...extenuante.

Depois, das nove ao meio dia, eram aulas mesmo, ciências, matemática, filosofia geral...parada pro almoço, um breve descanso, e mais estudos a tarde.

De início, Lee e os outros apagavam nas aulas, pegando no sono.

Cansado depois da janta das seis, era noite em Kunlun...ao sair do refeitório, Lee se encontra com Muriú...e soube, através deste, que Chang havia tomado três pontos no supercílio, na enfermaria.

-Você machucou um aluno de 18 anos, mais forte que vc, disse Muriú, ele nunca foi expulso, apesar de encrenqueiro, pois é protegido do Zháo, disse.

-Mas não vacile mais, se não poderão te expulsar, disse Muriú.

Meses depois, Chang seria expulso...e Sven ficou com Zháo nas mãos...mas isso é assunto para mais adiante.

A lua não aparecia, mas dessa vez quem iluminava os céus de Kunlun eram as estrelas...estavam brilhantes...

- Aprenda com as estrelas, Lee-san, filosofou Muriú...sozinhas, elas não iluminam quase nada, mas juntas, clareiam toda a escuridão...vocês se juntaram pela manhã, e por isso a escuridão não prevaleceu, disse.

Lee ficou pensando...e dessa vez sem gracinhas, concordou.

- E principalmente, lembre-se quem é a nossa “estrela da manhã”, disse, referindo-se ao “ Mestre de ambos ”...Muriú saiu em seguida.

No quarto, ás luzes eram apagadas ás dez da noite...Lee e Sven estavam exaustos, e o amigo alemão 'apagou' mesmo com a luz acesa.

Lee, no entanto, foi a janela, e reviu as estrelas.

Lembrou-se da borboleta azul-roxa que pousou em seu ombro esquerdo no caminho, e na 'transformação' que agora se iniciara...

Pensou no conselho de Ad-Rahmir, na aldeia...tava morrendo de curiosidade de ver como era a Krishna, filha dele, e assim que fossem liberados pro final de semana, iria lá...

E agora, pensou em Muriú falando sobre as estrelas...assim, apanhou um lápis, e desenhou, bem na parede em frente a cama dele, uma borboleta, um coração, e uma estrela.

Assim que acabou de desenhar, as luzes se apagaram...e ele se deitou em sua cama, pegou sua lanterninha, e ficava iluminado uma de cada vez:

A borboleta...o coração...a estrela...
Borboleta...coração...estrela...

-vai dormir não?, resmungou Sven, virando-se de lado na cama dele.
-Já vou, Sven...já vou dormir...e continuou a iluminar:

Borboleta...coração...estrela...
Borboleta...coração...estrela...
Borboleta...coração...estrela...

Click.

Na próxima sexta-feira:o Retorno a Aldeia
(Na Sessão Revival, veja Muriú treinando o jovem Lee em Kunlun - vá em vídeos do orkut!)

O Efeito da Música nas Pessoas

Todos os dias, vejo gente de todas as idades, que andam nas ruas com seus mp3, ou mp4, enfim...
Peguei a transição do 'Walkmen' (tinha um da Sony) em que vc colocava uma fita-cassete e podia ouvir onde quisesse, depois veio o discman, e agora esses aparelhinhos novos.

Eu nunca gostei de usar na rua, por motivo de segurança...enfim, nego escuta música andando na rua, dentro do carro, dentro dos shoppings, dentro de elevadores, música ao vivo em restaurantes,dentro das igrejas, no Maracanã...

Dentro de casa, ao computador, preparando comida, fazendo faxina, lavando louça, tomando banho (eu quase sempre, especialmente o noturno, ou fins de semana)... adormecem ouvindo música...

Colocam música como toque do celular...as pessoas não vivem sem música.
Vc consegue imaginar um filme sem música? Ele fica sem vida...filme sem trilha sonora, é um filme morto...até nos antigos, do Charlie Chaplin, tinha sempre um pianinho ao fundo, no início.
É impossível imaginar filmes como Tubarão, Psicose, Caçadores da Arca perdida, De Volta Para o Futuro,sem as respectivas trilhas.

Quando adolescente, fui tocar bateria, e mais tarde, quando tive uma banda gospel, me sentava pra escrever as letras – por isso escrevi ontem sobre o Marcelo Rossi, que em dez anos, nunca escreveu nada- e vive disso.

Certa vez, escrevi quatro canções de uma só sentada... as anotações, estão guardadas, para se um dia eu reativar a banda...um trechinho da primeira canção que escrevi,( de Todo o Coração) já que a primeira letra a gente nunca se esquece:

“ As Obras do Senhor são grandiosas, em sua obras há glória e majestade;
Ele fez memoráveis suas maravilhas, e manifesta ao seu povo, o Seu poder:
Aleluia! De todo o coração, renderei graças ao Senhor (3x)

Tem uma segunda estrofe, mas vai que nego copia e num me paga royalties!
Qualquer um pode se sentar e escrever uma música, desde que tenha paciência, inspiração e um mínimo de conteúdo, sobre qualquer coisa: tem muita gente que vive disso, especialmente lá fora.

Outra coisa que sinto que preciso falar, é para vc, que assim como eu, aprendeu a tocar um instrumento na adolescência:

Por que vc parou, parou por que? Quem disse que tocar ou cantar é só para a molecada mais jovem?

O que tem acontecido, é o seguinte: quando chegam a faculdade ou começam a trabalhar, ou se casam, parece que morrem musicalmente.

Aí, enterram a guitarra, o teclado, o baixo, a bateria, o sax, suas vozes, enfim...tem uma lápide pra cada um desses intrumentos:

“Aqui jaz minha guitarra, que utilizei por 5 anos”, e por aí vai.
Nas Igrejas é a mesma coisa: só molecada tocando e cantando, a maioria
saídos das aulinhas de violão e teclado...sem maturidade, acham que por saber fazer um solinho básico ou alcançar um agudo são o máximo, e se enchem de marra.

Uma das coisas que o “Chefe” me chamou a atenção foi a banda do Elton John, quando vi na tv, o show que a Globo mostrou em São Paulo.

“Observe os músicos dele”, senti dizer ao meu coração...e fiquei ligado.
O baixista era um sessentão, todo animado, e ainda fazia 'back vocal' da bateria;
O guitarrista cabeludo também era madurão; e por aí vai.
O próprio Elton, 61 anos, arrasava no piano.
O que dizer dos Stones? Mick é o mais novo, com 65!

Não enterre o seu talento, por causa do tempo.
Aprenda um instrumento, se vc sente vontade, independente da idade.
Sabe por que a música mexe com a gente?
Por que foi Deus quem a criou.

E tudo o que ele cria, mexe com a gente, seja uma praia, montanha, o pôr do sol, o sol nascente, a lua, as estrelas, a chuva, a neve...

E a música...pois música também é vida.

Lee – que escuta uma música repetidas vezes...cada uma dessas que eu coloco na Sessão Revival, por exemplo,eu repito no mínimo 3 vezes.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Sobre os 'Padres Artistas'


Tô escrevendo isso aqui, pois vi uma entrevista do Padre Fábio de Melo, em que ele dizia que Jesus era um “sedutor”(dando um tom de cunho sensual), á fim de justificar as própias canções dele, que faz a linha mais 'romântica'.


Ai...por que não falar logo a verdade, e ficar se escondendo atrás de religiosidade, como vários cantores 'gospel' se escondem?


Por que não dizer logo que tudo é fruto de uma estratégia comercial, diferente da do Padre Marcelo, que continua 'vendendo' bem, indo ao Faustão, ao 'vídeo game' da Angélica, fazendo filmes, etc?


Sim, pois o Marcelo faz o gênero mais 'animador de torcida', com aquela cara de” bobão vestido de batina” que cumpriu bem seu papel de dez anos pra cá.


Marcelo nunca escreveu nada do próprio punho, nenhuma música: Foi de igreja em igreja evangélica, pagou os direitos autorais e saiu 'cantando'.


Ultimamente, até o 'Diante do Trono', que fazia questão de manter uma 'mística' de santidade, de grupo separado, etc, vendeu direitos autorais pra ele!


E assim Padre Marcelo caiu nas graças da Globo, dos artistas, etc (é muito raro vê-lo em outra emissora...eu nunca vi, deve ter contrato com o plim-plim).


Tudo se resume a uma coisa: grana, assim como a turma gospel...o André Valadão tava ganhando 200 mil por mês, com as vendas do seu segundo (a época) cd.


Assim como o Marcelo, Fábio é superficial quando abre a boca, aí sai essas besteiras...eles deviam ficar só cantando mesmo, pois as mensagens deles (na católica chamam de homilia) são muito fracas.


Minha irmã disse que Padre Zezinho, da igreja vizinha a casa dela, prega bem a beça...ele está numa cadeira de rodas, mas não deixa de prestar ajuda, e atua grandemente na área social de sua comunidade: a grei dele enche na missa, onde há uma boa palavra, com conteúdo, edificando a vida de pessoas.


Fábio, não havia nada de sedutor em Jesus...ele não era rico, cada vez mais descobre-se que ele não tinha 'pinta de galã' como vc, pelo contrário... e mais: ele nunca procurou agradar ninguém...
Mandou um riquinho vender tudo quanto tinha para o seguir, chamou os de aparência 'religiosa-bonita', como vc, de sepulcros caiados, raça de víboras,etc..


Bateu com chicotes nos camelôs que vendiam artigos religiosos como o seu, em frente a casa dele, dizendo que ali era Casa de oração...


Acredite, ele iria 'LANÇAR' o seu cd, Fábio: Só que pra bem longe!


O 'Chefe' sabe se defender muito bem, Deus é bem grandinho: não estou defendendo ele...estou é desabafando:


Fábio,não seria melhor vc e Marcelo largarem de vez essa batina? Padre-'pegador' costuma dar problema, tanto quanto padre- 'gay'...um dia, nego descobre.


Vc tá fazendo 20 'shows' por mês, nunca vai ter tempo pra Igreja, ela só foi um trampolim pra vcs, desde o início...assim como é um trampolim pra turma gospel: de mim, vcs nunca vão tirar um centavo.


Enquanto Asaph Borba, Atilano Muradas , João Alexandre, Logos e outros adoradores de verdade nunca se venderam, vcs são pior que puta:


Algumas delas, se prostituem para alimentar seus filhos...vcs, para alimentar o ego, a ganância, de seus corações vazios, iludindo o povo, que engole tudo.


Lee, que por essas e outras, só ouve rádio-flashback...sem condições!!

domingo, 25 de janeiro de 2009

Marta ou Maria?



“Ora, quando iam pelo caminho, entrou Jesus num povoado.
Certa mulher, por nome Marta, hospedou-o na sua casa.
Tinha ela uma irmã chamada Maria, a qual, sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.
Marta, porém, andava de um lado para o outro, ocupada em muitos serviços. Então, ela se aproximou de Jesus e disse:

– Senhor, não te importas que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que me ajude.
Respondeu-lhe o Senhor:
– Marta! Marta! Estás ansiosa e perturbada com muitas coisas; entretanto, poucas são necessárias, ou mesmo uma só; Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada.”
(Lucas 10.38-42)


Na boa:na lógica humana, Marta tinha toda razão...sabe por que?
No Oriente, se vc vai a casa de alguém, nego pode ser pobre, mas é capaz de dar a comida dele, se for um visitante em sua casa.

Pra piorar a situação, Jesus tinha acabado de entrar num vilarejo, foi de sopetão...o convite de Marta foi naquela hora, num tinha nada agendado.
Ela sabia quem Ele era...e realmente precisava de ajuda na cozinha, pra preparar os 'comes e bebes'- que certamente incuía a 'comitiva Dele', afinal o texto começa com “quando iam”...
Maria tinha que dar uma 'forcinha' na cozinha.

Zangada, Marta dá 'chilique', e ainda pede que ele dê um 'toque' nela.
Tudo absolutamente normal para ilustres visitas.
Acontece que Jesus detectou algo que acontece muito, até hoje:
A formalidade com que muitas pessoas o tratam.

No preparar o tira-gosto, arrumar a mesa, ver se tinha bebida, preparar a sobremesa, ver os pratos, etc, ela estava se preocupando mais com o aspecto formal do que com a presença Dele!
O que valia mais, um ensino ao vivo e inédito de Jesus, ou um carneiro assado?
Isso acontece muito hoje em dia nos cultos de igrejas evangélicas...

Nego toca e canta uma hora, levanta a mão, chora, só falta entrar em 'transe',segue 'ordem de culto', mas não consegue ouvir o que ele quer dizer na hora da mensagem: claro, tá cansado, começa a dar fome...

E mal tem tempo de ouvir a mensagem, pois se preocupa com a hora e outras coisas- fica toda hora olhando no relógio.

A ansiedade de Marta ainda domina a vida de muita gente, que tem a oportunidade de ouvir a Jesus bem ao lado, mas está preocupada se o frango vai queimar no forno- ou se vai faltar na padaria, na hora que vc for embora.

Maria escolheu a parte que ninguém iria tirar dela...a Coca-Cola ia acabar, o sorvete de creme também, o frango ou carneiro assado...o dinheiro, o emprego, tudo ia passar...
Mas ninguém ia tirar dela a 'boa parte'.

Vc vai continuar me olhando aí da 'cozinha', ou vem aqui pra sala, perto Dele?


Lee, que iria anotar tudo o que Ele falasse, e fazer um monte de perguntas.

sábado, 24 de janeiro de 2009

A Confirmação da saída



Sonho: A Confirmação da Saída

Status: Já Ocorrido

Classificação: Autorizado a contar, mas sem citar nomes

Hora de encerramento do sonho: 7.30h da manhã de sábado, dia 24/1

Finalidade: Confirmar minha saída de Copa, e me lembrar que sempre haverá invejosos em meu caminho.


Esse sonho foi a 'confirmação interna' de minha sáida de PIB Copa, pois já venho frequentando outra Grei.


Nesse, eu estava numa grande roda numa célula (reunião nos lares), que participei só duas vezes, quer dizer, lembrava, mas não era naquela célula, nem nos apartamentos das reuniões: Eu só sentia que era num apê em Copa.


Era a minha despedida (té parece, odeio despedidas, acho triste) e após uma grande roda de oração, na qual não reconhecia nenhuma das pessoas presentes, alguém vinha me abraçar.
Era uma jovem senhora casada, membro da antiga grei que participara,antes de me separar (e de me virarem as costas)...ela vinha, e chorava ao me abraçar.


Curioso é que, ao abraçá-la, captava toda a sensação que ela sentia por mim:


Carinho, admiração, e saudades....eu nunca imaginei que ela me admirava daquela forma, pois ela era mais introspectiva.


-”Ninguém melhor do que vc (só ela me conhecia anteriormente, dos presentes) sabe que ficando aqui, nunca vou pregar, nem ensinar – e vc sabe como eu prego”, disse, falando ao pé do ouvido dela, enquanto ela me abraçava.


Ela balançou a cabeça, afirmativamente, e nos despedimos.


A seguir, saí do apê e no corredor, vinha um homem que pensei que fosse o marido da jovem senhora...mas não era...era um pastor-gay que conheci no passado, o aconselhei, e além de não ouvir meu conselho, me sacaneou depois...


Mesmo assim, estendi a mão para cumprimentá-lo, e ele recusou, sebosamente.
P da vida, eu o xinguei: - “seu viadinho!”, disse a ele.
Ele correu para dentro do apê, e assim que ele entrou as paredes sumiram, como se eu visse tudo sem nada na minha frente, do corredor, para ver aonde ele ia.


Ele correu até a cozinha, pra pegar uma faca (claro, na mão num dava pra ele), alías, um facão...e assim que ele pega na faca, ele se transforma.


Agora, ele tomava a forma de outra pessoa do passado, que, num sabia até hoje, tinha uma grande inveja de mim...num sabia mesmo, mas já disse que em sonhos, o canal (espiritual) fica aberto, e 'capto' as sensações de outras pessoas...algumas vezes, capto na vida real também, qdo o “Chefe” quer.

Assim, essa pessoa que agora descobri ter inveja, vinha correndo pra me esfaquear.
Pra num dar tumulto lá dentro com as pessoas, em vez de tentar desarmá-lo, eu desci as escadas correndo em direção a portaria, e pedia para uma mulher que viu a cena, chamar a polícia....assim se encerrou o sonho.


Eu realmente não ia ter oportunidades por lá, após um ano sentado no banco, e vendo pastores que chegavam num mês, e no outro já estavam pregando, dando estudos em vigílias (quantas vigílias eu produzi e dirigi!) além de ver várias pessoas de qualidade duvidosa subirem no púlpito e falarem um monte de besteira.


Mas eles não era divorciados, nem tinham um visual como o meu..rsss.


Isso pra não falar da história de vida pessoal de alguns deles...espero que se convertam- tem muito pastor que não é convertido.


No ensino e na música foi a mesma coisa, não teria oportunidade.
Mandei um email -calhamaço pro Pastor, dizendo o por que estava saindo, contando tudo o que havia percebido em um ano – com nomes e tudo, e disse que, pra ficar no banco, ficava aqui perto de casa.


Não me iludo com a nova grei,mas fui mto bem recebido tanto pelo Pastor, quanto por algumas pessoas...
Sem falar que culto ás 11 da manhã, é a melhor coisa do mundo- dá pra acordar tarde,pois to perto...kkk!


Lee, sonhando e interpretando essa misteriosa maneira de comunicação do 'Chefe', desde os 4 aninhos...

Mulher é sexo frágil?




No Japão, se cumprimenta primeiro o homem, e depois a mulher...e em algumas regiões, ela tem que andar atrás do maridão- ou maridinho, no caso.



No oriente, em países radicais, a Burka cobre tudo,só deixa os olhos de fora, em outros, a cabeça, mas com turbante...e num pode nem dar um aperto de mão.



Em Israel, não podem ser Rabinas...só em Sinagogas liberais.


Bom, pelo ponto de vista físico, talvez só pela força,pois na resistência, elas fazem até triatlon...
Elas resistem mais a dor também...por isso, dão á luz.



Apesar de termos 2 neurônios a mais, são elas que estão passando direto em concursos pra Juiz, Promotor e Defensor- concursos difíceis.



Bem verdade que tem mais tempo para estudar, enquanto a maioria dos homens tem que trabalhar...mas mesmo assim.



Três mulheres que vi dirigirem melhor que qualquer homem:Raquel Eliane, Ana Kahn (todas no meu orkut) e a gordinha do 409 (Saens pena- jardim botanico).



A Ana, qdo ainda tava aqui, botava o Corsa dela em qualquer vaga que achava, de ré, igual filme de James Bond-sério!



Mas o que será que o 'Chefe' pensa dessa frase que inventamos...ele concordaria?



Vejo muito preconceito de Paulo, algumas vezes, mas mesmo assim, ele reconheceu Priscilla (vou colocar com dois Ls -rs) como a líder de uma reunião de lares, junto com seu marido Áquila...



Em todo o livro de Atos, o nome de Priscilla vem na frente do de Áquila.



Hulda foi profetisa, Débora Juíza, Febe diaconisa...



Só a gente aqui que 'empaca' com elas!



Quando Deus decide virar Homem e vir a terra, em vez de surgir do nada, ou surgir novo para ser 'adotado', escolhe Maria para ser fecundada pelo Espírito.



Enquanto os dicípulos tiveram a cara-de pau de perguntar a Jesus qual deles estaria sentado a direita dele, as mulheres o serviam quase anônimamente.



Quando Jesus foi crucificado e nego ralou desesperançado, elas continuaram por lá até não aguentarem mais.



Quando os discípulos se esqueceram que ele se levantaria em 3 dias, foram elas que iam ao sepulcro para perfumar o ambiente...



Até que não o acharam mais morto, e sim, vivo.



Alías, a mulher tem muito mais interesse nas coisas espirituais que a maioria dos homens – entre numa igreja, e veja a proporção deles pra elas.




Vá numa livraria e veja quem é que leva mais livros esotéricos, se eles ou elas.



Deus tirou do barro do qual Adão foi criado, a mulher – num foi nem do pé, nem da cabeça- foi da costela...para serem iguais.



Lee, com incríveis 2 neurônios a mais...isso não é fantástico?

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Na vida da gente, temos várias fases


Eu ia escrever sobre outra coisa, mas cabei de chegar do cinema, onde fui ver “O curioso caso de Benjamin Button”.


E aproveitei pra mandar uma das mensagens inéditas ainda no arquivo, que se encaixa como uma luva – tudo a ver com o filme.


Nele, um cara já nasce velho e vai se tornando criança...as 3 horas de filme passam, e nos convidam a reflexão...muito bom filme, concorrente ao Oscar.


De preferência, veja longe de adolescentes, que como disse um amigo, parecem 'Gnus' (lembra um búfalo), só andam em grupo, e no cinema, fazem um barulho danado...sofri com eles na fileira de trás.


Vc irá refletir sobre a vida, a morte, o tempo, as fases que vc viveu, as fases que vc irá viver, amor,etc.


Quando comecei, um tempo atrás, a entender as fases da vida, tive mais paciência até com os idosos na rua, pois eles andam devagar...não raro, ajudo as vovós a descerem do ônibus – é difícil pra elas.


Tive paciência hoje com os adolescentes atrás de mim...já vivi essa fase.


Tomo um cuidado danado com as crianças pequenas, para não as atropelar na rua ,shopings, locais fechados, etc...elas num tem muita noção de espaço, sem falar que adoram correr.


Respeite as fases da vida dos outros..vc passou ou vai passar por elas.


Um adolescente de 13, pensa diferente de um de 17, que já tá pensando na carreira que vai ficar desempregado depois (é, falta emprego, e os jovens estão sem esperança);


Eu sofri terrívelmente nessa fase, pois na grei, eu era o mais novo dos adolescentes...
Uma pessoa de 18, quando chega aos 25, geralmente tem um 'click'...e percebe o quanto era idiota.


Aos 40, tem um panorama da vida, um esboço...

lá pros 50, é que começa a entender um pouquinho.


Claro, cada um tem uma percepção das fases, diferente do outro, mas:
O quanto antes vc se dispor a entendê-las, saberá se é o tempo de esperar, ou tempo de agarrar a oportunidade;


E não vai se arrepender mais tarde de coisas que deveria ter feito, pois passou bem na sua frente, bateu bem na sua porta, mas vc num ' se ligou'- e algumas dessas coisas não voltam.


Lee, que nem sentiu as 3 horas do filme passarem...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Contos Proibidos de Kunlun - 2


Contos Proibidos de Kunlun

(série fictícia, com um 'pouquinho de verdade'- toda quarta á noite)


Tomo II- A Subida para a Montanha


Na base das montanhas de Kunlun, havia uma aldeia, já acostumada a turistas, e boa parte de seus habitantes 'arranhavam' um inglês, sendo que os mais novos falavam com certa fluência até...

Isso é comum em países de fala difícil, como os asiáticos:Japão, China, etc...Lee se lembrou que na Grécia, onde passou parte da infância, até o pipoqueiro da esquina falava inglês...menos na França:

Eles odeiam falar inglês.

Era naquela aldeia que o mosteiro se abastecia: um caminhão subia e descia toda semana, levando carne, legumes, frutas e alguns outros utensílios para o mosteiro.

- “Nós vamos subir no caminhão, que vai levar mantimentos até o mosteiro, disse Muriú,” mas eles ainda estão aprontando...daqui a meia-hora, mesmo se ainda não tiver terminado, me espere aqui mesmo, e iremos subir”, disse.

- “Hai, Sensei, estarei aqui”, disse Lee.

Curioso, Lee foi dar uma “zapeada” na aldeia...
Foi quando ele viu um encantador de cobras...que tocando a sua flauta, fazia a serpente sair de dentro do cesto, e ficar longos minutos como que “em pé”, como se estivesse enfeitiçada”.
Ao término da apresentação, quando todos se afastaram, ele falou com Lee, num inglês macarrônico:

- “ Olá meu jovem, está aqui a turismo?”, perguntou.
- “Vim estudar aqui”, disse Lee.
- “Ah,então vc deve estar a caminho do mosteiro”, disse, “meu filho também estudou lá.”
-”Sério mesmo?”, perguntou Lee curioso.
-”Sim, há alguns anos...vamos tomar uma bebida e conversar”,convidou.
-”Ok, vamos”, aceitou Lee.

Bem ao lado havia um local que servia bebidas...mas em todo lugar do mundo, até no deserto, tem Coca-Cola...

-”Meu nome é Ad -Ramihr”, sou paquistanês, casado com uma tibetana”, disse ele, e continuou:
-”Sou aposentado pelo exército paquistanês desde jovem, devido á minha exposição a radiação no projeto da bomba atômica, e quando vim para essas bandas, acabei me apaixonando pela minha mulher”, disse ele sorrindo.

Aquela aldeia, na fronteira da China com o Tibet, era uma 'salada só' de pessoas de partes extremas do mundo, que encontraram, de alguma forma, paz por ali...a maioria ia visitar,e acabava ficando.

-”Muito prazer, Ramhir, me chamo Lee...o sr. disse que seu filho estudou no mosteiro, foi?”
- “Sim, ele estudou lá, e agora segue vida no ocidente, assim como o outro irmão dele”, disse...”tive 4 filhos, só ficaram aqui meus dois filhos mais novos, por quanto tempo mais eu não sei, disse sorrindo”.

Rahmir disse a Lee que tinha dois filhos mais novos, ainda na aldeia:
H'iq-Ahr, que estudava cítara (espécie de violão do oriente) e Krishna , uma bela adolescente que era alta em relação as demais da aldeia, “ e a mais bela de todas”, concluiu sorridente o orgulhoso pai.

“- Hum, fiquei curioso em conhecer a Krishna”, disse Lee sorrindo em português...
- “Desculpe, não entendi”, disse Rahmir sorrindo, querendo entender...
Lee precisava consertar, e mandou: -”Ah, o sr. fala com orgulho da Krishna...”

- “Ah, sim, ela também canta, e toca um pequeno pandeiro, instrumento milenar do antigo Egito”, me disse Rahmir.
-”Menina talentosa”, sorriu lee...”então, como pai de ex- aluno do mosteiro, o sr. teria algum conselho pra me dar?”, perguntou.

-”Sábia pergunta, filho”, disse Rahmir...”por isso te digo o que disse ao meu filho: faça as coisas com o coração: tudo o que vc fizer de coração, será bem feito”, disse Rahmir, olhando dentro dos olhos do adolescente.

-”Fazendo as coisas de coração, vc dará sempre o melhor de si...e isso vale para todas as áreas da vida, não só para mosteiro”,disse.

- “Fazendo as coisas de coração, vc amará todas as pessoas que Deus colocar em seu caminho”, continuou, “ame sempre as pessoas, sejam elas ricas ou humildes: ame-as como se vc as estivesse vendo pela última vez”.

Lee ficou olhando...pensando no segundo grande momento filosófico de sua chegada a um mundo desconhecido...
-”Lee-san, vamos”, chamou Muriú de dentro do caminhão, agora abastecido.
Lee se despediu de Rahmir com um aperto de mão, agradeceu o conselho, e foi para o velho caminhão correndo.

-”Vc vai atrás, com os mantimentos”, disse Muriú.
-”Hai”, disse Lee,achando que era mais um dos testes de Muriú...já estava acostumado...”deve ser algum teste de humildade”, pensou.

Antes, apresentou o motorista, também japonês, mais um dos que se refugiara naquela aldeia...tinha por volta de sessenta anos, e se chamavo Sato.

- “Ohaiô, watachi no namae uá Lee”,cumprimentou o jovem rapaz.
- Dozô Yorôxicu, Lee-san, mas pode falar em inglês comigo...estou mais habituado, por causa dos turistas- falo mais em japonês com Muriú, que vejo pouco, disse.

Ok, Let´s go”,respondeu o folgado Lee, sob um olhar fulminante de Muriú...
Sentado no meio de sacas de arroz, caixas de abóboras do oriente e um monte de mantimentos, Lee coloca a sua mochila ao seu lado.

E antes de saírem da aldeia, a última imagem que Lee vê é de Ad- Rahmir, em pé, dando adeus...ao que Lee retribui...

Ad-Rahmir aponta um dedo das mãos no turbante dele, como a dizer:
”Lembre-se...”
E a seguir coloca a outra no coração, batendo no peito....e balbucia:
Com o coração, com o coração...”

Era a última vez que Lee veria Ad-Rahmir...o câncer nos ossos, que ele lutava, estava em estágio avançado, e meses depois, ele partiu.

Ele jamais se esqueceria daquele conselho...e nem daquela cena.

Lee só soube disso mais tarde, quando após 3 meses, estava liberada a saída do mosteiro nos finais de semana...

E soube disso através da própia krishna, quando finalmente a conheceu...

Mas essa é uma história para mais adiante.

(Na próxima quarta- Chegando no Mosteiro)

Lee, procurando amar as pessoas como se não houvesse amanhã.

(Na Sessão Revival, Legião Urbana – Pais e Filhos: veja em vídeos)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

O Treinamento dos 'Descolados'


Sonho: O treinamento dos 'descolados'

Status: em andamento

Classificação: autorizado a contar

Hora de encerramento do sonho: 6.10h da manhã


Finalidade: demonstrar como Deus vem preparando uma geração de pessoas que “não tem cara de igreja”, á fim de alcançar pessoas que não seriam alcançadas pela mensagem tradicional (elas nunca entrariam numa igreja, pois a visão de igreja delas foi estragada por muita gente, especialmente líderes).


O sonho:

Eu sentia a sensação da presença divina no corredor aqui de casa...a porta estava fechada (do meu quarto), e me dava medo de abrí-la :a sensação da glória de Deus era muito forte...
Quando tive coragem de abrir, uma menina de não mais do que sete anos de idade, estava escrevendo nas paredes do corredor...a seguir, não a vi mais.
Fui ver as frases que ela havia escrito, me pareciam versículos bíblicos, mas, honestamente, não sei: não consigo me lembrar...eu li, mas não me lembro.

A seguir, a cena mudava, e estava num antigo casarão, de estilo colonial.

Caio Fábio, que acompanho há uns 15 anos, estava mentoreando um grupo de pessoas, todas cristãs, mas de estilo diferente, nenhuma delas era do tipo que a maioria das pessoas vê dentro das igrejas:

Havia tatuados, gente com piercing no supercílio, argolas nas orelhas, cabeludos, cabeças raspadas,muito jeans, jaquetas de couro, etc...era um 'mais descolado' do que o outro.

Assim que recebiam o treinamento básico, iam para uma espécie de treinamento de campo...havia uma espécie de 'trenzinho' que saía de dentro daquela sala, semellhante aos teleféricos, de dois em dois, que já saía dali direto pro campo de treinamento.
Nele, Caio estava á frente, junto há um grupo de no máximo umas dez pessoas...eu tava nessa, e de repente estávamos sobre uma estrada.

Foi quando jogaram uma imensa carreta, daquelas de abastecer posto de gasolina, em nossa direção...foi como se um tornado a tivesse mandado pra cima da gente.

Caio disse pra se acalmar...ela ricocheteou no chão, e iria nos atingir em cheio...no momento em que isso ia acontecer, nos abaixamos sincronizadamente, ela tirou fino de nós, e no ricocheteio a seguir, explodiu, virando uma bola de fogo...parecia filme do tipo “Transformers”.

A cena voltou para o casarão...Caio agora treinava um novo grupo, e novamente, eu observava tudo de longe...mas dessa vez, ele apresentou duas pessoas, que disse serem importantes naquela (próxima) missão:

Uma, que nunca vi, parecia uma espécie de secretária, anotando tudo, tinha os cabelos curtos castanho claro, de óculos, mascando chicletes, entre 35 a 40 anos...estava sentada, e não parava de anotar as instruções.

E outra, a qual Caio brincou chamando-a de “ainda menina, com marcas de espinhas no rosto”...ela estava ainda entrando na sala...ela trabalha com/para artistas, tem um jeito 'descolado' como todos dali (tatoos inclusive), e por alguma razão, sempre me chamou a atenção, apesar de nunca ter falado com ela...rs.

A maioria das pessoas, vendo-as, talvez 'não dê nada' para elas...Caio as via como guerreiras essenciais na próxima missão, e as destacou dos demais.

Um 'friozinho' na barriga veio quando ela se aproximava da sala, e via ela tomando forma...
Mas o friozinho foi se tornando quente...comecei a ficar com com calor, pois sentia o vento do ventilador perdendo a potência...abri os olhos, e o meu ventilador portátil, ao meu lado, perdia a potência!

Mexi nos botões e nada...conferi, cheio de sono, na tomada, se havia faltado luz, e nada...ele simplesmente parou de funcionar, para que eu acordasse com o calor!!

Fiquei com muita raiva...logo na hora que ela iria entrar?? Eu queria revê-la!!

Fiquei pasmo como o 'Chefe' me fez acordar daquele jeito...cubinho-relógio marcava 6.10h da manhã...de novo!

Percebi que havia deixado meu caderno de anotações de sonhos (o caderno das loucuras) no outro quarto, e isso foi fatal pra mim:

Assim que acordo, quanto mais tempo eu demoro pra anotar, fazer o esboço de todo o sonho, as coisas vão sumindo da minha mente...

Por isso, eu não sei, não me lembro o que a garotinha escreveu: eu li,mas não me lembro, pois tenho que percorrer todo o sonho desde o início e anotar as partes principais...me esqueci.

Ainda assim, desconfio que ela representa o espírito que temos que ter (como uma criança), para seguir as orientações do 'Chefe', ou seja, a palavra dele (cara, como eu queria lembrar o que ela escreveu)...

Quanto a parte do treinamento, o significado tá lá em cima em finalidade....todos eram guerreiros especiais preparados por Deus, mas a maioria das pessoas que estão nas Greis devem achar que eles são é perdidos...existe um monte de guerreiros sentados no banco, de aparência não comum, que se levantarão no tempo devido.

Só duas pessoas enxergavam eles de maneira diferente, sem os discriminar:

Caio...

E o 'Chefe'...os homens veem o exterior, mas Deus vê o coracão. (I Samuel 16:7)


Lee, que mais tarde, deu um 'mata-leão' no ventilador...logo quando ela ia aparecer?

Chegou a Hora


Quando vc ligar sua tv ás 15h, horário de Brasília, vc será testemunha ocular de uma parte importante da história.

Não, Obama, num será “salvador da pátria”, aliás, em certo sentido, está entrando numa furada, deixada pelo sapateado Bush: nego evita falar, mas eles estão a beira da bancarrota.

Um mau líder sempre vai afundar o que pegar, seja um banco, uma empresa, um supermercado, uma igreja ou uma barraca de cachorro-quente.
Um bom líder, salva um reino, um hotel obsoleto (como foi o caso do Copacabana Palace, aqui no RJ), um condomínio, uma pastelaria.
Passada a festa (8 em cada 10 americanos estão com ele), Obama e o povo americano vão cair na real, e só aí veremos que tipo de liderença ele vai exercer.

Mas, independente de tudo isso, hoje é um dia importante na história:
Obama é o resultado de 40 anos de luta contra a segregação racial.

Na mesma Washington onde daqui a pouco ele estará tomando posse (escrevo ás 15.35h) Martin Luther King comandou a marcha contra o racismo na década de 60.

Os negros foram muito humilhados, só podiam se sentar na traseira dos ônibus, não podiam estudar com os brancos nem frequentar os restaurantes e banheiros públicos destes, foram perseguidos e enforcados pela Ka Klux Kan (organização racista), tiveram suas casas queimadas por esses loucos.
Levaram muita cacetada da polícia, muita mordida dos cachorros da polícia, sofreram muitas humilhações nos trabalhos.
A gente não tem muita dimensão disso aqui, pois na mesma época, a nossa luta era contra a ditadura militar.

Nosso racismo é mais disfarçado: a gente finge que gosta de negros, como um colega de serviço que tinha que evitava ficar sequer perto deles:

“Tinha que ser preto”, dizia, quando os colegas cometiam algum equívoco,ou então, rindo, “passava” a mão no braço, mostrando a cor deles.

Ele não deve ter gostado do resultado da eleição americana...eu adorei.

Hoje é um dia histórico, portanto...e nós temos a oportunidade de vê-la, diante de nossos olhos...tem gente de todo lugar do mundo lá, que dormiram na fila igualzinho fazem nos shows de rock.
Welcome, Obama...saiba que vc não é santo milagreiro, mas que o “Chefe” pode fazer um milagre na sua nação, se vc realmente buscá-lo de coração.

Devo chorar na sua posse, ando muito sensível, já to querendo começar...

Lee, orando pela proteção de Obama – eu vi um atentado num sonho, ano passado, contra ele...se depender de mim, tô cobrindo.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

O Desabar de um Império: Entendendo o desabamento da igreja Renascer


"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear,isso também ceifará”. (Gálatas 6:7).

Quando soube desse desabamento ontem,não vi absolutamente reportagem nenhuma...primeiro, por que aprendi que jornalismo completo se dá somente com apuração de todos os fatos:
Na hora, só se divulga a tragédia (seja ela queda de avião, explosão de plataformas, etc) e tudo fica meio vago. Assim, só recebo a notícia, e não vejo a continuação da mesma na hora, pois sei que “não tem”.

Segundo, não gosto do aspecto sentimentalóide que a maioria dos veículos conduzem as notícias, como nesse caso: “Foi a primeira vez que fulana foi á igreja”(na Globo)...ora, a vovó que cantava no coro ia direto: ambas morreram do mesmo jeito.

Só se tem uma noção melhor, em coisas dessa dimensão, depois de 24hs.
O que chamou a minha atenção foi o fato de o altar (a parte da frente da igreja, pra vc 'que não é de igreja' entender- onde o pastor prega, corais e pessoas cantam, etc) foi o primeiro a ruir...

Eu creio que começa a chegar um tempo em que, espiritualmente falando, todas as pessoas que se envolveram de maneira a fazer de Deus um negócio próprio, começam a ser julgadas.

Estevam e Sônia Hernandez é o casal mais “fake” dos cristãos brasileiros...eles são a máxima, a personificação dos casais cristãos que já não tem mais nada a ver um com o outro, mas não se separam por causa da imagem:
Afinal, são líderes de uma igreja- negócio,e tem muita grana envolvida mesmo, e se se separarassem, o fluxo de caixa poderia sofrer um considerável abalo financeiro.

Estevam é tão 'raso' pregando, tem tanta dificuldade, que prefere botar a mulher-falante, ou outros auxiliares , que tem mais desenvoltura “artística”, mas são tão vazios de vida quanto ele.

O negócio mesmo é a grana...soube de poucos pastores, mesmo os defensores da 'teologia da prosperidade' como ele (Macedo, Malafaia, RR Soares, que parece um 'Silvio Santos' pastor) que tem uma coleção de cavalos:
Estevam tem um haras com 400 cavalos 'Manga larga'.

Antes de serem presos, estavam desenvolvendo a idéia de um 'fast-food' da Renascer, que funcionariam dentro das igrejas dele- um negócio lucrativo, pois assim os adolescentes e jovens da grei dele não iriam pro McDonalds ao final do culto.

Alías, além do Renascer Praise, existem outras bandas agenciadas por eles, e os lucros dos cds e dvds vão tudo pro bolso deles...eu num compro essas porcarias.

Cansaram de dar calote, inclusive na empresa que fez o super-casamento da filha deles: o cheque voltou...o dono reclamou naqueles programas de fofoca.

A ganância financeira foi tanta, que chamou a atenção do MP de São Paulo, que ao vasculhar, descobriu tanta irregularidade que bloqueou as contas do casal.
Tudo dinheiro saqueado das ovelhas deles...o que Estevam fez?

Chamou o Kaká, inocente, membro da grei dele, na tentativa de dizer que estava sendo 'perseguido' (eles sempre dizem isso...engraçado que sempre envolve dinheiro, não é por estarem pregando o evangelho).

Tentou repassar uma parte de sua fortuna usando a conta do Kaká, para driblar a justiça...resultado: kaká está sendo investigado, e pode ter problemas no futuro com isso, por causa desse pilantra.

Ah, eu disse que eles eram um casal fake ...Estevam, vaidoso, cansou de pegar as garotas da igreja dele , até se "estabilizar" com sua própia secretária particular , que virou sua amante por um tempo.

Sônia sofria calada...era comprada com cartões de crédito internacionais, jóias e roupas caras...apelidaram ela, maldosamente, de perua de Cristo.

O império começou a ruir quando eles tentaram levar a grana pros EUA...

Com as contas bloqueadas, e sem um “assessor de assuntos proibidos” adequado,tentou levar 56 mil dólares no corpo, e ele e a mulher foram em cana- nos “States” de Obama (acho que amanhã escrevo sobre ele de novo), vc pode ir em cana até por não pagar uma multa de trânsito.

Em nota sobre a tragédia, Estevam se disse “consternado” com o acontecido, e que “para tudo, existe um propósito”.

Pela primeira vez na vida, vou concordar com Estevam...ele está certo.

Ele está consternado, não com as nove mortes e os mais de 100 feridos gravemente...ele ficou consternado ao ver que o império dele está ruindo, que tudo o que ele gananciosamente fez pro seu bolso, está indo pelo ralo.

E realmente para tudo existe um propósito...que nesse caso, é encerrar um ciclo de mentiras, vaidades, e roubalheiras, ao custo da fé de pessoas inocentes, e usando o nome de Deus.

Lee, que vc não imagina o quanto de raiva tem desses “pilantras da fé'.

(Na Sessão Revival, Caio Fábio fala mais sobre eles: veja em vídeos)

domingo, 18 de janeiro de 2009

Qdo algo tem que ser decidido, vc decide o que é melhor pro Reino ou pra vc?


Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a Sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas”. (Mt 6:33)

Jesus nos deixa uma das maiores dicas que podemos ter para uma vida feliz, e a grande maioria das pessoas, especialmente as que estão nas igrejas,não a observa.

Não dá pra dizer por aqui o que é o Reino de Deus: Jesus o compara a várias coisas, veja nos evangelhos toda vez que ele fala sobre o Reino de Deus, ele diz que é” semelhante a”..alguma coisa.

A Justiça dele é tudo aquilo que é justo, reto,não legalista,baseada no amor...
Ou seja, bem diferente da justiça aqui na terra.

Mas e numa decisão, como vc decide? A seu favor, ou a favor do Reino?

Já deixei de fazer concursos que eu gosto, pois teria que sair daqui...teria que ir para Brasília treinar, e correr o risco de ser mandado pra outro estado...

O motivo? Sei que Ele me quer aqui...sou útil e sirvo ao Reino onde estou, e daqui aponto o caminho, ajudando a conduzir os outros ao Reino Dele.

Já tive vontade de ir pra fora...alías, eu já morei fora, conheci 13 países...mas é aqui que é o meu lugar, daqui eu sirvo a Ele.

Além dos concursos (de que eu tinha certeza de que intelectualmente passaria: uma vez mandei um “dane-se”, e ia fazer a prova, era pra Brasília, e Ele cancelou o concurso, com taxa paga e tudo- fui no banco pegar a devolução), tive que me refrear em outra área: a da aventura.

Era capaz de pegar um avião pra qualquer parte do globo que me desse vontade, e ficar por lá...sério mesmo...do Alaska até o Vietnam, já me deu vontade...abandonaria emprego público e tudo, nunca liguei pra grana...

Ele refreou essa vontade, passou: posso ir como turista, mas volto:a vontade Dele prevaleceu.

O fato é: buscar em primeiro lugar o Reino Dele, implica em deixar de fazer o que nós queremos, para poder agradá-lo, e sermos úteis ao Reino...

Mas o que é curioso, é que “todas as coisas nos serão acrescentadas”...
Não, vc não vai ficar rico (a não ser que Ele queira) como alguns pedintes de dinheiro engravatados na tv dizem...isso não é barganha.

Vc vai ser acrescentado em 'todas as coisas' que lhe serão necessárias.

Cabe a vc agora decidir:

Suas decisões serão baseadas em sua própia vontade, ou levando em consideração o Reino dele?
O que vc tem buscado primeiro, fazer a vontade dele, ou dos seus projetos pessoais?


Lee, a serviço de Sua Majestade, aqui mesmo no Rio de Janeiro...a dezembro.

Pessoas que tem Duas Caras

Topei com várias delas ao longo dos anos, em todas as áreas que vc possa imaginar...
Por isso digo: tome cuidado com elas.


Pessoas que tem duas caras não são autênticas, são hipócritas.
A cara que usam a maior parte das vezes, é a cara 'bonzinha', acima de qualquer suspeita.
Vc geralmente só vai descobrir que ela é um 'duas caras' após alguma coisa que ele ou ela fez para te prejudicar, ou seja: vc vai descobrir da pior maneira possível.


Seja através de um comentário, fofoca, etc, ou mesmo através de uma ação prejudicial, que claro, ele/a não fez na sua frente.
O pior é quando é alguém em quem vc confiava...alguém que fingia ser seu amigo/a...
Ou alguém que fingia que te amava, sentimentalmente falando: a facada é por demais dolorosa

.
Existem pessoas duas caras em todos os setores da vida em que vc possa imaginar:
No âmbito educacional, nos seminários e conventos, grandes e pequenas empresas, funcionalismo público, igrejas, no esporte, nas artes, entre moradores de rua,etc...


Em setores em que existe uma certa 'rixa', há de ser ter cuidado...médicos, que acham que não erram, adoram 'ferrar' enfermeiros (se vc é enfermeiro/a, tome cuidado);

Juízes, que se sentem 'deuses', com um ego enorme, é preciso ter muito cuidado, se vc trabalha com eles...convivi com uns 5 deles, 3 se achavam 'seres superiores', uma mulher, inclusive...todos eram 'duas caras', uma pra 'aparência', outra real - e ruim.

Seja autêntico, se não vc será taxado de hipócrita.
Quando vc é autêntico, a tendência é que vc tenha amizades verdadeiras, amigos verdadeiros.


Sim, sempre vai ter um 'Judas' (alguns deles também beijaram meu rosto) , mas a sua autenticidade vai atrair gente autêntica.

Num seja um 'fake': 'fake' atrai 'fake'.
'Fake' atrai falsos amigos...e eles não só NÃO estarão com vc, na hora que vc precisar, como vão te sacanear, na primeira oportunidade, com certeza:


É natureza deles.

Lee, que já foi 'reco' e de 'cara limpa', hoje cabeludo e de cavanhaque: num dá pra ter duas caras...

sábado, 17 de janeiro de 2009

Sexta-feira, dia de sair com a namorada...imaginária


Nada de shoppings ou locais fechados hoje: resolvi caminhar com Lalá no calçadão de Copa.

Ah, se vc ainda não sabia, Lalá (pra vcs é Laila!) é minha namorada imaginária: quem não viu, pode conhecê-la melhor no blog, post do dia 9 de janeiro- e os 'motivos' de sua criação.

Passear no calçadão é muito gostoso, ainda mais depois de um dia abafado como hoje...
Passear no calçadão com Lalá é mais gostoso ainda!

Aqui no Rio só começa a escurecer por volta das oito da noite, nessa época.
Lalá ficou muito preocupada com as chuvas que caíram em sua sua cidade natal, Foryou, onde o pai dela é prefeito...ficou muito apreensiva na semana passada, mas agora está mais calma.

Por isso, conversamos sobre a mudança de clima no mundo...e também, agora por aqui:
-“ Por que essas coisas estão acontecendo agora no Brasil? , perguntou Lalázinha.
-“É a natureza cobrando o preço de nossa destruição, do que fazemos com ela”, disse.
-“Mas essas coisas não aconteciam por aqui”, disse ela, me olhando...

Olhar os olhinhos pretos-jabuticaba de Lalá sempre me deixam todo bobo...
- “Mas irão acontecer cada vez mais, Lalá...isso tudo em Santa Catarina, chuvas paralisando Sampa, mais de 70 cidades em Minas interditadas”...
-”Nós também temos estragado nossa natureza, continuei...é a lei do 'Chefe', o que fazemos, recebemos de volta”.

“-Eu sei que vc vai rir, mas essa semana fiquei pensando numa coisa que todo mundo chama de modo errado”, disse ela.
“-O que”?, perguntei.

-“Por que todo mundo chama o quadro-negro de negro, se ele é verde”?
“kkkkk!...Foi por isso que vc passou boa parte da semana olhando pro quadro- verde?” (kkkkk)
-“Eu sabia que vc ia rir”, disse ela tb rindo...

-“Mas pensei que vc já tivesse resolvido o enigma, afinal agora vc está vendo as coisas em preto e branco (kkk)....
“Como é que é?”, perguntou ela...

-“Xá pra lá”, disfarcei...”olha, antigamente os quadro-negros nas escolas eram só negros mesmo, e só tinha giz branco...agora, tem quadro verde, e até branco...o giz tb ficou colorido, depois virou caneta Pilot...”

-“É, tem quadro-negro branco, mas ali é lousa, num é quadro, certo?”, Perguntou ela.
-“Certo, mas num vamos falar de lousa, me lembra de louça, que eu odeio lavar, me recuso!”

De mãos dadas, avisto um quiosque e pergunto se ela quer beber alguma coisa...
As mãozinhas de Lalá são bem cuidadas...ela gosta de pintar as unhas de vermelho...sua mãozinha esquerda, no entanto, tem alguns calos, frutos dos anos de aprendizado na guitarra...a mão esquerda desliza pelo braço da guitarra, buscando as notas.

Lalá toca guitarra base numa banda feminina, que vc vai rever na Sessão Revival de hoje.
No quiosque, peço uma água de côco...”tem certeza que vc não quer?”, pergunto.
- “Por enquanto não, obrigada”, disse. Toda educadinha, minha Lalázinha...

O vendedor me olhou, olhou pro meu lado, meteu a cara pra fora pra ver se tinha alguém fora do raio de visão dele,e depois me olhou de novo, com uma cara esquisitona...
Alías, percebia as pessoas nos olhando, e comentando, no calçadão...
Será que eu e Lalá incomodamos tanto assim? (kkkkkk)

Passamos na altura da Xavier da Silveira, e ali perto do Forte de Copacabana, avistamos
a Roda Gigante que está por lá esse mês.
-”Vc tem coragem de ir nela”?, me pergunta.
Nos sentamos num banco a beira da praia, no calçadão...e respondo a ela o por que não iria...

Mas isso só a Lalázinha vai ficar sabendo....
Essa é a hora da história que nós ficamos a sós (ele, piscando).

L & L, vendo a Roda-Gigante, que nos ensina muito mais do que a gente pensa...