terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Me lembrei do Chubby


Ontem fui ver Marley e eu...na verdade, queria ver Sete vidas, com Will Smith, mas esse era o filme que estava passando mais cedo, me disse Sara.


Sara é a atendente da bilheteria do cinema, uma gracinha...eu “dei uma idéia” nela no ano passado, mas foi uma das várias tentativas frustradas que ficaram em 2008 ...No entanto, essa “minha idéia” rendeu fruto: Após uma mini-conversa com ela (a fila tava grande), me despedi, e quando fui para a outra fila, a da pipoca, é que vi que tinha troco a mais...foi quando olhei para o ingresso: Meia- entrada.

Assim, praticamente comprei meu 'combo' com o desconto que ela me deu!

Eu tinha lido um pouco do livro na Saraiva, mas desisti de ler quando soube do final...eu num sou muito chegado a finais tristes...e também tenho um cachorrinho, o Chubby, que vc pode ver no avatar.

Enfim, se vc não gosta de cachorro (diferente de não ter), não vai sentir absolutamente nada.

E se vc gosta, mas principalmente, se vc tem cachorro, vai se emocionar.

Eu tive que me controlar pra num 'abrir o berreiro'...chorei tanto, no fim, que quando fui ao banheiro meus olhos estavam completamente vermelhos.

Ainda bem que fui de óculos e boné...ajuda a camuflar.

Assim como Marley foi para os Grogans, Chubby é meu primeiro cãozinho, e também só o tive já adulto, há nove anos atrás:Eu o ganhei com seis meses de idade...


Me lembro até hoje quando ele pulou no meu colo e me olhou.

Chubby, ao contrário dos outros yorks, é calmo, quase não late, adora idosos e crianças, e recebe pacientemente o carinho destes.

Com Chubby, atravessei vários momentos na vida...os cães sempre participam de nossos bons e 'maus' momentos...Chubby me viu casado, e participou de todo período ruim que é um processo de divórcio...


Ele sabe quando estou triste, e quer me consolar, encostando a cabeça em mim...nunca gostou de me ver triste.

Com personalidade própia, me frustrei com ele quando descobri que não gosta de bolinhas, ou gravetos pra atirar e ele buscar...acho que faz mais o tipo 'intelectual'...kkk!


Quando desço com ele, Chubby é o centro das atenções: a molecada, os idosos e outros, todos querem falar com ele- pacientemente, Chubby atende a todos.

Já escrevi duas músicas para ele:numa delas, é só eu assobiar o 'refrão' que ele sabe que está na hora de a gente descer: fica todo feliz...

Chubby me espera chegar em casa...fica 'impaciente' quando demoro.


O cão sabe quando vc o ama – e retribui esse amor, de maneira fiel, muito mais que os homens – e estende esse amor a todos de sua família.

Por isso é chamado de ' o melhor amigo do homem'...na verdade, ele é mais confiável que alguns 'homens'.

Espero reencontrá-lo no Céu, quando ele se for...sim, creio que as 'criaturas' de Deus vão para lá...afinal, no passado, já disseram que negros e índios não tinham alma...quem pode saber?


Lee, ás vezes zoado por sendo grandão, andar com um yorkshire...mas não fui eu quem escolhi o Chubby, foi ele quem me escolheu...e não troco ele por nenhum pitbull!