sábado, 17 de janeiro de 2009

Sexta-feira, dia de sair com a namorada...imaginária


Nada de shoppings ou locais fechados hoje: resolvi caminhar com Lalá no calçadão de Copa.

Ah, se vc ainda não sabia, Lalá (pra vcs é Laila!) é minha namorada imaginária: quem não viu, pode conhecê-la melhor no blog, post do dia 9 de janeiro- e os 'motivos' de sua criação.

Passear no calçadão é muito gostoso, ainda mais depois de um dia abafado como hoje...
Passear no calçadão com Lalá é mais gostoso ainda!

Aqui no Rio só começa a escurecer por volta das oito da noite, nessa época.
Lalá ficou muito preocupada com as chuvas que caíram em sua sua cidade natal, Foryou, onde o pai dela é prefeito...ficou muito apreensiva na semana passada, mas agora está mais calma.

Por isso, conversamos sobre a mudança de clima no mundo...e também, agora por aqui:
-“ Por que essas coisas estão acontecendo agora no Brasil? , perguntou Lalázinha.
-“É a natureza cobrando o preço de nossa destruição, do que fazemos com ela”, disse.
-“Mas essas coisas não aconteciam por aqui”, disse ela, me olhando...

Olhar os olhinhos pretos-jabuticaba de Lalá sempre me deixam todo bobo...
- “Mas irão acontecer cada vez mais, Lalá...isso tudo em Santa Catarina, chuvas paralisando Sampa, mais de 70 cidades em Minas interditadas”...
-”Nós também temos estragado nossa natureza, continuei...é a lei do 'Chefe', o que fazemos, recebemos de volta”.

“-Eu sei que vc vai rir, mas essa semana fiquei pensando numa coisa que todo mundo chama de modo errado”, disse ela.
“-O que”?, perguntei.

-“Por que todo mundo chama o quadro-negro de negro, se ele é verde”?
“kkkkk!...Foi por isso que vc passou boa parte da semana olhando pro quadro- verde?” (kkkkk)
-“Eu sabia que vc ia rir”, disse ela tb rindo...

-“Mas pensei que vc já tivesse resolvido o enigma, afinal agora vc está vendo as coisas em preto e branco (kkk)....
“Como é que é?”, perguntou ela...

-“Xá pra lá”, disfarcei...”olha, antigamente os quadro-negros nas escolas eram só negros mesmo, e só tinha giz branco...agora, tem quadro verde, e até branco...o giz tb ficou colorido, depois virou caneta Pilot...”

-“É, tem quadro-negro branco, mas ali é lousa, num é quadro, certo?”, Perguntou ela.
-“Certo, mas num vamos falar de lousa, me lembra de louça, que eu odeio lavar, me recuso!”

De mãos dadas, avisto um quiosque e pergunto se ela quer beber alguma coisa...
As mãozinhas de Lalá são bem cuidadas...ela gosta de pintar as unhas de vermelho...sua mãozinha esquerda, no entanto, tem alguns calos, frutos dos anos de aprendizado na guitarra...a mão esquerda desliza pelo braço da guitarra, buscando as notas.

Lalá toca guitarra base numa banda feminina, que vc vai rever na Sessão Revival de hoje.
No quiosque, peço uma água de côco...”tem certeza que vc não quer?”, pergunto.
- “Por enquanto não, obrigada”, disse. Toda educadinha, minha Lalázinha...

O vendedor me olhou, olhou pro meu lado, meteu a cara pra fora pra ver se tinha alguém fora do raio de visão dele,e depois me olhou de novo, com uma cara esquisitona...
Alías, percebia as pessoas nos olhando, e comentando, no calçadão...
Será que eu e Lalá incomodamos tanto assim? (kkkkkk)

Passamos na altura da Xavier da Silveira, e ali perto do Forte de Copacabana, avistamos
a Roda Gigante que está por lá esse mês.
-”Vc tem coragem de ir nela”?, me pergunta.
Nos sentamos num banco a beira da praia, no calçadão...e respondo a ela o por que não iria...

Mas isso só a Lalázinha vai ficar sabendo....
Essa é a hora da história que nós ficamos a sós (ele, piscando).

L & L, vendo a Roda-Gigante, que nos ensina muito mais do que a gente pensa...