quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Contos Proibidos de Kunlun 9


Contos Proibidos de Kunlun

Uma série fictícia, com fatos reais.

Toda Quarta e Sexta.

Tomo IX - Quem Cola, Sai da Escola


Quem fosse pego colando em Kunlun, era expulso na hora, e com a cêrimônia do indesejável:


O sujeito descia as escadarias, já com trajes civis, e passaria no meio de todo alunato (nós, de uniforme) perfilados...só que na hora em que ele fosse passando, viraríamos, cada um, de costas...era humilhante.

Não sabíamos se algum oriental colava...achávamos que não...quanto a mim, posso dizer que colava mais que álbum de figurinha com cola polar ao lado...e ás vezes, superbonder!

Mas também não era em toda matéria: eu só colava em matemática, física, e química...viram? Ainda sobrou um monte de matéria.

Em compensação, dava cola, especialmente de inglês...odeio matemática até hoje.

Assim, em Kunlun, eu tinha um esquema com Sven: ele me dava cola nas matérias que tinha dificuldade, e eu dava cola de inglês pra ele (alemães, assim como os franceses, detestam falar em inglês).

Pra falar a verdade, não me lembro de chegar a ter resolvido alguma questão de matemática nas provas: trocava com Sven mal elas chegavam em minha mesa!

Ele se sentava á minha frente, e assim que recebíamos, trocávamos de prova, ele resolvia o suficiente pra eu garantir um sete, sete e meio ( a média era 5), e me passar:

Nunca tirei um dez pra levantar suspeita (Sven, já)...era um trabalho de profissionais- ele mudava a letra pra não ficar igual a dele, colocava-a mais parecida com meus garranchos, o que facilitava!

O mesmo eu fazia com ele em inglês, mas não botava meu garrancho- dava uma colinha com toda a tradução em letra de forma, se não, ele não iria entender!

Sabíamos dos riscos, mas tudo era muito bem calculado, e em caso de “captura”, adotamos a máxima da Missão Impossível: “em caso de descoberta, o governo negará qualquer envolvimento em questão”.

Por várias vezes passamos “perrengue”: Sven teve que engolir uma cola, certa vez em que um monge-professor caminhou em sua direção, e ele só viu quase em cima, na hora em que este iria virar a cabeça!

Sam, o americano, ás vezes fazia parte do esquema, pois era fraco em “línguas orientais”, e cansei de dar cola pra ele.

Uma vez, roubei a cola de um aluno oriental, que ficou desesperado antes da prova de hebraico:

-Quem roubou minha cola?? Assim que o professor entrou, ele se calou, e boa parte do que ele havia preparado, caiu na prova!

Cola roubada não podia reclamar na coordenação...kkk!

Na verdade, tínhamos fama de sermos “inteligentes que não precisavam de cola”, e isso facilitava...sem falar em nossa frieza, sem demonstrar ansiedade.

Mas depois houve um incidente em Kunlun, em que nunca mais tive vontade de colar...


Chao, o encrenqueiro (e favorito de Zháo, o chefe de disciplina, lembram?) tinha um esquema com um dos monges que trabalhavam no mosteiro:

Ele conseguia as provas dos professores do quarto ano, que repassavam a esse monge, que as guardava até o dia da aplicação...assim, só passava com notão, sem estudar.

Foi descoberto da pior maneira: entrou na sala em que o monge auxiliar ficava, achando que este estava lá, mas não estava...a pilha de provas das matérias estava em cima da mesa.

Chao pensou que o monge corrupto estava na parte de trás da sala, talvez no banheiro, e entrou perguntando pelo nome dele...

- Tá tudo certo, tudo aqui? Perguntou.

Mas quem estava na sala era um dos professores do mosteiro, um dos mais velhos...numa parte em que ele não havia visto.

A seguir, o monge corrupto adentra a sala, dizendo:

- Não, agora não!

O velho monge- professor viu tudo...o monge corrupto foi transferido.

E Chao, expulso, tendo que passar pela “cerimônia do indesejável”...faltando apenas 3 meses para ele se formar em Kunlun.

Mais de 250 alunos se perfilaram, formando um corredor que ia do anexo principal do mosteiro, até o portão de entrada do mesmo.

A cada passo que Chao caminhava, no meio das fileiras de alunos, cada um tinha que se virar, simultâneamente, das duas fileiras...todos os alunos tinham que estar presentes, era uma das tradições...

Mas eu faltei, não fizeram contagem...e assisti tudo da janela do meu quarto.

Sven, Sam e Rwalla estavam lá, fizeram questão de dar as costas pra ele...

Zháo, que tinha caso com Chao, assistia a tudo, de longe...bem, ele, pelo menos, nunca mais daria “as costas” pro Chao , se é que vc me entende...

O episódio fez com que Sven e eu reduzíssemos as colas para apenas casos “excepcionais”, de extrema necessidade.

Não queria envergonhar Muriú, além disso.

Mas o episódio com Chao, foi mais um dos ensinamentos de Kunlun:

Ele era um cara que gostava de humilhar os outros.

Acabou sendo humilhado publicamente, da pior forma possível:

Todos viram e participaram publicamente de sua expulsão.

Na Sessão Revival: Pérolas nas provas- veja em vídeos!

(Sexta-feira, por causa do carnaval, vou me dar folga, apesar de eu ficar por aqui...Contos de Kunlun só volta na semana que vem).