quarta-feira, 18 de março de 2009

Sobre aquilo que Leio


Fui fuçar o blog de minha musa.

Como ela escreve vez ou outra (e bem, tem um estilo poético - existencial sem forçar a barra, não querendo se parecer com alguém, mas tendo leves flashes da autora que ela mais gosta), eu não a fuço constantemente.

Nem mesmo no perfil dela eu fuço sempre, só quando me bate um insight, e vou dar uma sacada.


Isso é pra evitar ciúmes, e qualquer tipo de neurose...o máximo que faço, e ver se ela tá on quando eu tô, mas num fico monitorando, etc...

Entrar numa de monitorar minha musa, vou pirar! Ainda não cheguei nesse nível!

Neuroses deixadas de lado, Lalá faz a seguinte pergunta, que me fez pensar (sim, Lalá faz pensar, acredite-kkk!):

"Quem é seu Poeta favorito? Vale os clássicos, amigos,compositores, etc..."

Lalá me fez descobrir que não tenho um poeta favorito, digamos assim...

Viram como Lalá tem sido importante em minhas descobertas existenciais? KKKK!

Na verdade, a pergunta de Lalá me fez descobrir bem mais...

Me fez descobrir que não sou mesmo chegado a poesia.

Minha mãe se amarra...ela escreve coisas, já falei pra botar em livro...ela declama e tudo.

Eu nunca li os poetas brasileiros, nenhum deles;

O "minha terra tem palmeira, onde canta o sabiá", ouvi numa música quando era criança.

Quando fiz português- literatura no Colégio Militar, com um professor afetado, uma coisa me chamou a atenção:

A maioria deles era depressivo....

Alías, boa parte dos escritores do passado eram depressivos...talvez por isso, enchiam a cara...

Hemingway tentou curar a depressão com eletrochoques, bebida, e quando não aguentou mais, deu um tiro na cabeça.
Eles tinham paixões platônicas...oh-oh...vamos pular essa parte?

Nunca li nenhum deles, mas sempre gostei de ler e escrever....leio gibis desde pequeno, e os livros infanto-juvenis vieram a seguir.

No mesmo Colégio Militar, minha redação sobre o livro feliz ano velho, rendeu um elogio da professora de português "comum" (sem ser o literatura):

"Vc deveria escrever"...mas quem disse que eu tinha saco pra isso? Vivia jogando bola!

Assim, respondendo a pergunta da Lalá, eu não tenho poeta favorito, pelo simples fato de não gostar da poesia clássica:

Quando recebo mails ou scraps de poesia, os mails eu apago na hora, e os scraps, eu agradeço sem ler- podem ter me xingado, que eu agradeço....rss...

Eu gosto, sim, de frases e citações, tanto históricas, quanto contemporâneas:

"Não pergunte o que a Lalá pode fazer por vc, mas sim o que vc pode fazer pela Lalá ", é uma delas...grande sacada do Kennedy, não?

E gosto de ler, mas não leio tanto quanto antes:

Eu lia 3 livros ao mesmo tempo, sem problema nenhum, e no máximo em uma semana.

Comprava ao menos 2 livros ao mês, e lia em média uns 25 livros ao ano.

Eu tinha um jogo de 3 estantes, com cerca de 250 a 300 livros.

Mas a minha ex, que não lia nada, de sacanagem levou tudo, deixando apenas uma meia dúzia que hoje cabe numa gaveta.

Aí foi um baque...só comprei um mês passado, depois de anos,muito tempo...pesquiso mais na net.

Mas Lalá falou que vale compositor, e aí já melhora as coisas...se Lalá falou, tá falado.

Cazuza (com Ezequiel Neves) e Renato Russo foram os melhores do Rock nacional...

O Kid Abelha deve seu início de sucesso ao baixista-letrista-cantor Leoni;

Caetano, na chamada MPB, é o meu favorito.

Guilherme Arantes é o segundo.

Lá fora, dos mais antigos, as do Burt Bacharach, compositor-pianista que escreveu pros Carpenters (Close to you) e Dionne Warwick (That´s what friends are for)...ele tem 80 anos;

O ruivo do Simply Red escreve letras marvilhosas.

De crônicas/ notícias de jornal, gosto do Ricardo Boechat, e do Xexéu.

Das mulheres, a Lalá tem razão: a Martha Medeiros é diferenciada...até homem lê (digo isso,pois tem homem que num gosta de ler mulher-vai entender).

No cinema, gosto do Roberto Sadovsky...muita coisa bate com meu gosto- e olha que só vou ler depois de ver o filme! E ele adora o Stallone, como eu...

Sim, escolho filme por opção (quando quero ver qualquer coisa) e por intuição, um faro, um insight que me proporciona grandes filmes...e só depois que vou ler crítico de cinema.

No esporte(futebol), Armando Nogueira, mestre antigo, e atualmente, o Mauro Betting.

David Yallop e seu jornalismo investigativo me fascina..."Em Nome de Deus", sobre o assassinato do papa João Paulo I pelo própio Vaticano, me marcou- desacortina toda máfia religiosa.

Como autor cristão, eu só leio Caio Fábio...não tenho paciência pra ler muita coisa boba que tem nesse meio...e mesmo assim na internet.

Alías, nesse mercado gospel, se tem 5% que preste é muito...até o Macedo escreve livro.

Quanto mais leio os evangelhos, mais eu descubro mais coisa.

Bem, Lalá...está respondido a sua pergunta...

Alías, assim que vi aquele sapatinho "malhado", sabia que era seu:

O bom gosto vai da cabeça aos pés.

Lee, sem poeta favorito, mas com outras "favoricidades", incluindo musa favorita.
Sessão Revival foi prestar Queixa contra a Lálá - minha música favorita do Caetano pra ela, que gosta de MPB (eu, mais de Pop -Rock flashbackiano) .
Será que as universitárias estão cumprindo sua missão?