quinta-feira, 30 de abril de 2009

Sobre Cancer na mulher, feriado e vizinha infeliz

O Câncer que a Dilma (foto acima) está tratando, me chamou a atenção de um fato que aconteceu.

Um dos Pastores lá de Ita, onde estou, está com a mulher enfrentando a mesma batalha.

Assim, ele raspou o cabelo em solidariedade a ela, assim os dois agora estão de cabeça raspada.

Quando a mulher tem que passar pela quimioterapia, vai perder cabelo, a tendência é essa.

Tenho a impressão que ela sofre muito mais do que o homem, ao se ver sem cabelo...

Ora, os homens raspam a cabeça desde os anos 70, com Telly Savallas, que fez o famoso detetive Kojak, na TV.

Atores como Vin Diesel e o CQC Marcelo Tas são seguidores desse tipo de corte...

Ou seja, estamos acostumados a ver homens carecas naturais, ou de cabeça raspada.

Mas a mulher, não...

Daí o total apoio que se deve dar a elas, especialmente a família, nesse momento em que mexe demais com elas, forçando uma mudança de aparência.

Não gosto da Dilma como política...mas espero que ela tenha o devido apoio nos próximos 4 meses de tratamento.

Feriado

Bem, amanhã é feriado...preciso recarregar as baterias físicas, mentais e especialmente a espiritual.

Por isso, devo entrar em contato com a natureza Dele, que é sempre onde renovo minhas forças.

Vou caminhar amanhã... é minha caminhada de reflexão (aprendi em Kunlun, rs) ás vezes vira caminhada de oração...mas aonde?


Calçadão de Copa, calçadão de Ipanema, ou na Lagoa?

Tô achando que vou pra Ipanema...lá, na altura da Joana Angélica, decido se vou pra direita (Lagoa), ou esquerda (praia)...quer dizer, vejamos como estará o tempo amanhã.

Filho pros outros verem?

Minha vizinha perguntou quando eu ia dar um sobrinho de verdade pra ela (tenho um cachorrinho)...como ela foi bem humorada comigo, num dei a resposta que ia dar...

O filho dela é mais velho do que eu, e também não tem filhos, ia falar justamente isso.

Perguntou se eu tinha namorada... perguntou se eu ia demorar muito pra ter filho.

Acho que ela se esqueceu que quem tem preocupação de relógio biológico é a mulher.

Ela e o maridão, todos os dois bem coroas, dormem em quartos separados....

Mas tiveram filhos...ela então pode dizer: Não sou feliz, mas tenho filhos!

Sendo que ela não se dá com o filho, nem com o genro...Mas fica enchendo o saco dos outros.


Lee, tomando um Redbull pra ver se aguenta ver os seriados da noite.






quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sobre Amizades Masculinas


Sucedeu que, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma. (1 Samuel 18:1)

Do lamento de Davi na morte de Jônatas:

'Tenho o coração apertado por tua causa, meu irmão Jônatas. Tu me eras imensamente querido. Teu amor me era mais precioso que o amor das mulheres.' (II Samuel 1:26)

Em nossos dias, cheio de corações maldosos, nego logo diz que essa era uma amizade gay.

Não era...assim, em nossos dias de corações maldosos, para facilitar a compreensão, eu digo, por não encontrar expressão melhor:

Era uma amizade 'quase' homossexual.

Seria, se houvesse a junção carnal, e texto nenhum fala disso;

Seria, se houvesse a intenção, como nos mostra o texto de Gênesis sobre Sodoma e Gomorra, e quando o texto mostra a clara intenção dos habitantes gays que queriam "pegar" Ló, sobrinho de Abraão.

Davi e Jônatas desenvolveram uma sólida amizade, num nível que dificilmente dois homens heteros desenvolveram depois...sim, a alma de um se ligou na alma de outro;

É um amor de amizade, conseguiu superar, conseguiu ser mais forte, do que um amor de mulheres.

O pai de Jonatas, Saul, queria matar Davi...e ainda assim, mesmo sendo filho do rei, Jônatas não "fechou" com o pai, pois sabia que este estava errado.

E mais tarde, Davi, já rei, cuidou do filho do amigo Jônatas, Mefibosete, que era manco, levando o mesmo para viver no palácio com ele.

Isso é amizade de mais alto grau...num é amizade de levar o outro para mau caminho, de apresentar ás drogas, de fazer disputa pra ver quem pega mais na balada;

De chamar para ser um vaporzinho na favela ou atacadista de drogas de condomínio de luxo.

Homens guardam muito menos segredos do que as mulheres;

São raras as amizades masculinas que passam de uma garrafa de cerveja nos botecos da vida.

A alma de Davi e Jonatas se ligaram por que eles eram diferenciados:

Eles eram guerreiros, eles eram pessoas justas, que detestavam injustiças.

Eu queria ter um Jonatas pra conversar, alguém para confiar segredos e inquietudes de minha alma.

Eu queria ter um David que tivesse um amor de amizade tão forte, que me dissesse quando estivesse errando, que fosse ao hospital me levar conforto, se precisasse.

Mas existe um nível muito raso entre nós homens, atualmente...em parte, por que aquelas amizades de infância e juvenis, se desfazem com o tempo;

Em parte, pelo medo de pensar que todo homem com amizade mais chegada com outro é gay;

Em parte, pelo ciúme doentio de namoradas e mulheres neuróticas.

Lee, ainda sem um amigo mais chegado " do que um irmão", em tempos em que tê-los é quase uma sentença, para corações maldosos, de ser gay.
Mais fotos sobre o casório se abriram...já que abriram a porta da esperança... Vamos lá!
Juliana Farias
Belíssimo vestido púrpura, a cor da realeza, que ficou muito bem nela. Brinco Bonito, anel no polegar da mão, maquiagem ok, cabelo idem...se acertar como acertou na festa, passa no vestibular...tá parecendo uma pequena Barbie morena.
Simone
A pupila da Lalá também apostou na cor púrpura, mas de um tom um pouco mais leve.
Belo vestido, maquiagem ok, cabelo muito bonito.
Paola
O vestido é bonito, mas a cor cinza (da humildade) poderia ser num tom prateado, igual o da Cris... gente nova não precisa ser tão discreta.Belo cordão, maquiagem ok.
Thati
Méldeus, Toddynho...como vc tava linda! Lembra que falei que queria vê-la de vestido?
Eu tinha a certeza de que veria algo especial...e vi.
Thati usa um belo vestido pérola, um dos mais belos da festa. Ao mesmo tempo que consegue ser discreta, parece ter um brilho própio, diferente:
É Como se o que estivesse no coração, ajudasse a brilhar mais ainda o exterior.
Caimento perfeito, o melhor de todas as meninas...brinco discreto, maquiagem idem;
Cabelão lindo, brilhando, mãozinha lindinha, bem feita.
Toddynho é, de fato, como uma pérola:
Pequena, lindinha, e preciosa.
Na Sessão Revival, o Spandau Ballet, tal como Lee, escreve a verdade sobre linhas, legendado:



domingo, 26 de abril de 2009

A Família antes da Grei


Deus criou Adão e Eva primeiro.

A igreja, como a conhecemos hoje, só veio séculos depois.

As famílias estão dentro das igrejas, que são constituídas por elas;

Mas nunca houve igreja dentro de família, algo tão anti-natural, que Deus não criou:

Mas que os homens, em sua mania de exercer o controle, conseguiram criar.

O resultado disso é um peso, um piano dentro da alma, difícil de carregar.

Colocando o sistema religioso á frente da família, a igreja moderna conseguiu produzir culpa em todas as famílias, quando realizam atividades que são, simplesmente,uma atividade em família, algo natural.

Tem casais que não transam no domingo, por que é “o dia do Senhor”, e isso seria algo “impuro”, ou seja o que deveria ser natural, da conjugalidade familiar, ganha status de pecado.

Tem famílias, que por causa de sermões doentios, não saem para almoçar fora no domingo, pois isso seria estar se afastando de Deus.

Lembro de um caso, quando era Pr. da juventude , de uma jovem casada que me procurou com esse jugo...

Estava se sentindo culpada por ter ido com o marido á praia no domingo de manhã.

Á noite, o veterano pastor titular, que está afundando uma grei com sua mentalidade e métodos legalistas, disse que entre uma série de pecados, “ir domingo á praia era um deles.”

Ela me procurou após esse culto da noite, com o semblante todo caído, pelo peso da culpabilidade religiosa.

Mais uma vez, eu tinha que consertar uma cagada religiosa, uma “cagada gospel”.

Eles as produzem aos montes, e a gente que tem que limpar!

Acontece que aquele jovem casal trabalhava inclusive aos sábados, até de tarde.

Só sobrava o domingo como atividade livre para eles, pois mesmo no sábado, estavam exaustos.

O veterano pastor legalista, com seus dizeres, estava destruindo uma atividade familiar absolutamente normal...eles podiam ter ido tanto a praia, ao parque, ao cinema, etc.

No ápice do meu “ativismo religioso” (o que é bem diferente de servir a Deus) eu chegava na grei ás oito da manhã, e saía ás 14 horas, para voltar ás 17.30h, e sair dez da noite.

Por uns 4 anos, foi assim...

Fui consumido física, mental, e espiritualmente.

Nunca mais na minha vida, farei isso de novo- não entre nessa furada.

Hoje, vou só pro culto da manhã (que começa ás 11h), raramente vou á noite, só quando é realmente necessário.

Eu queria ver o dia, em que todos fossem a praia, como igreja, juntos.

Isso chocaria os legalistas...mas poria um ponto final nessa mentalidade tacanha, atrasada, ultrapassada.

A igreja é igreja onde se reunir.

Lembro de quando estava em Copacabana, das diversas vezes que acordei mais cedo, pra dar um mergulho na praia, pegar o sol fresco da manhã na cara, uma delícia.

Cansei de ir pro culto salgado, com cabelo molhado do mar...parava antes pra tomar meu café pingado com pão na chapa, na padaria da Garibaldi.

Me sentia de ânimo renovado, pois estar na natureza que Ele criou, e depois na casa Dele, era muito bom.

Sei de greis, nos EUA, e algumas por aqui, que só tem o culto da manhã, onde todos participam:

Após, estão todos liberados para passar em família, quando é , muitas vezes, o único dia que tem pra passarem juntos.

Outra coisa, agora tem os cultos via internet.

Entre os batistas aqui do RJ, a pioneira foi a PIB-RJ, depois muitas outras fizeram o mesmo, como em ITA, onde estou, Copa, etc...hoje até as greis na baixada tem isso.

Mas tem Pastor que não gosta!

Sim, não é pra vc trocar um culto na net por um ao vivo, que é muito melhor, mas em cidades que ficam vazias no domingo á noite, mais perigosas, é um ótimo recurso.

To cansado de ver culto na net...ás vezes, num tô a fim...ás vezes, eu assisto 2 ao mesmo tempo!
E unindo o que há de melhor nessa ou naquela grei:

Ás vezes, ouço um coral de uma grei numa, e a mensagem, de outra, etc.

Dia desses, matei saudade de uma menina ( já é jovem senhora, mas sempre com cara de menina) que tem uma unção especial, e que as palavras dela, edificaram muito a minha vida...

O Chefe a usou várias vezes, para falar, consolar meu coração.

Já disse isso pra ela, pessoalmente...as pessoas precisam saber quando nos fazem bem.

Domingo passado (ou retrasado? enfim), depois de vários meses, a revi, via net:

Paulinha, espécie de líder não oficial do louvor de PIB Copa, continua ministrando com unção e alegria, no louvor...o que faz muito bem a quem vê e participa ...vê-la, me faz bem.

Vi só essa parte, e após o término, assisti a mensagem, da minha atual grei...

Uno o que há de melhor, sem sair de casa...mas geralmente só á noite.

Outra coisa:
Nunca se sinta culpado por estar de plantão profissional num dia de culto.

Provavelmente, o Chefe achou sua presença mais necessária no seu trabalho, do que na casa dele...num fique pra baixo (sei bem o que é isso, já tirei plantão).

Talvez você seja mais necessário, naquele dia, no hospital, na delegacia, na frente de um computador, na cadeia, no comércio, etc- Ele sabe o que faz.

Nunca troque o cuidado familiar, para estar na grei.

Ia a grei hoje de manhã...mas minha mãe passou mal á noite:

Pontada na cabeça, vômitos, botei dentro dum taxi e fomos pro hospital, uma da manhã.

Ela tava com infecção no sangue...cheguei em casa duas da manhã(deixando ela lá), e retornei ás seis da manhã, quando o hospital me ligou dizendo que estava liberada.

Igreja hoje? Nada disso, pra nenhum dos dois...

Hoje, o “dia do Senhor”, foi dia do nosso descanso.

Ele sabe muito bem qual a prioridade- foi Ele quem criou a ordem das coisas:

A família sempre vem antes da grei.

Não deixem nenhum mané dizer o contrário, trazendo confusão ao seu coração.

Lee, que no chamado “dia do Senhor”, já foi a praia, ao Maracanã, ao shopping (nessas vezes, até tinha ido pela manhã)...e também já deixou de ir para grei, á fim de cuidar de doenças repentinas, como a de hoje:

Nunca vá para grei quando estiver se sentindo mal, ele quer que vc se cuide...sem peso na consciência.
Hora de ver o jogo.....intés.
Tijuca, RJ

sábado, 25 de abril de 2009

Generalidades


Olha o visual da Susan (acima), como mudou...!
Pra você ver como é esse negócio de internet...quando isso poderia acontecer antes?

Susan Boyle agora pintou os cabelos de castanho, comprou um óculos pra sua miopia, e tá se vestindo direitinho, sem aquele jeito jeca de antes...veja no post mais abaixo a história dela, e o vídeo ( O julgar pela aparência).

Se não fosse a internet, a vida de Susan seria a mesma, mas depois de sua apresentação no British talent, o vídeo dela cantando teve mais de 100 milhões de acessos!

Toda a vez que eu revia ela cantando meus olhos se enchiam de lágrimas...

Dizem que o que estimulou os acessos, foi uma conversa virtual entre Nicole Kidman e Ashton Kutcher ( se cuida, Demi Moore), falando dela.

Agora, parece que o jurado Simon, que também é produtor, já estaria negociando um filme sobre a vida dela, além de futuramente produzir o primeiro álbum (CD) de Susan.

Susan cuidou da mãe, até a morte desta, em 2007, aos 91 anos de idade: por isso não podia trabalhar...a mãe dela era a maior incentivadora da filha cantora, incentivando ela a participar do British Talent, em vez de só cantar na igreja católica da qual é membra.

Susan não se sentia preparada, e só foi cantar após a morte da mãe.

Dizem que a própia Demi Moore (de Ghost, As Panteras 2) se ofereceu pro papel de Susan.

A próxima apresentação dela no programa está prevista para o próximo mês, dia 23 de maio.

Saio para almoçar fora, e reencontro o Saliba, meu antigo professor de português.

Saliba é um caso raro: me deu aula no primeiro grau, no segundo, e na faculdade!

Curiosamente, sempre será bem lembrado, pois foi meu professor nas melhores turmas da minha vida:

A sétima série, e o primeiro ano do antigo científico, hoje chamado ensino médio.

Na sétima série, éramos o terror dos professores: nego arrotava, tacava bolinha de papel, sacaneava o inspetor Dino, desarrumava as carteiras na hora do recreio (nego que sentava á frente passaria a sentar lá atrás), zoava as garotas,etc.

Éramos um verdadeiro bando, uma formação de quadrilha, com mais do que quatro:

Eu, Cabeção, Barney, Cláudius Mongus, o marciano (a patente é minha), Maurício “mumu”(também patente minha), Miúdinho (um gordão de 120 kilos), e Silvio Gay;

Fabião cara-de mongol (patente minha, ele tinha 1,90, com cara de mongo) e Ricardo coração de mongol (patente minha, fazer o quê? Era tudo mongo!).

Eu num zuava as garotas (sempre fui cavalheiro com elas) mas os caras pegavam pesado com uma, que a época, dava início ao que estamos acostumados a ver agora:

Teve filho adolescente, e tentava continuar estudando...hoje é até comum, naquela época, nem tanto.

Ela acabava desabafando em sala, especialmente com a professora de ciências, a Walkíria, que parece, também era mãe solteira, ou divorciada, sei lá...

Mas isso era em plena aula...aí, os caras não perdoavam, e mandavam, lá de trás:

Também...quem mandou (transar)”? Eu nunca fiz isso, e uma vez me senti super mal quando vi ela chorando.

Mas na aula do Saliba ninguém tirava onda..até o apelido dele, entre nós (saliva) ninguém ousava falar perto dele: Saliba era um homenzarrão, por volta de seus 45 anos, e dava cada esporro típico de sargento no soldado:

Nego tinha mó cagaço dele...ele expulsava de sala, e tudo, depois de quase só faltar bater!

Saliba, agora recém aposentado, me mostra a marca da cicatriz no peito: teve um infarto.

Quando disse que também tive um problema no coração, ele pergunta se abri o peito.

No meu caso, não foi preciso, foi catéter, mas via virilha...abri o peito só pra vida:

Botei muita coisa pra fora, me livrei de vários estresses depois daquilo.

Sobre o Saliba, depois falo da passagem do segundo grau, e da faculdade:

A parte 2 e 3 do filme...tudo tem uma sequência...e em cada uma, tem uma história, tanto pra mim, quanto pro meu velho mestre...fica pras próximas “generalidades”.

Lee, generalizando sobre o cotidiano, repleto de histórias.

Surge mais uma foto, dessa vez na atualização dos meus amigos, do casório onde Lee Ésper analisou o vestido das meninas...dessa vez foi o da Cristina.

Cristina Mendes

Cris sabe que toda mulher alta enfrenta um dilema em festas: não pode errar a mão.

Sim, pois numa baixinha, essas podem até se esconder na multidão, que passam despercebidas, se tiverem dado mancada na roupa - mas quem é alta, o único escape é se mandar da festa!

Cris acerta em cheio no cinza prateado que escolhe: a cor da humildade, mas em tom prateado, não ofusca a noiva, além de dar um brilho própio a ela, que tava uma graça.

Maquiagem ok, e até o chapeuzinho ficou legal.

Lee Ésper, sem a boiolice do original, esperando que vocês tenham a coragem de abrir as fotos no próximo álbum de casamento, ou algo similar.

Na Sessão Revival, One day in your life ( um dia em sua vida) traduzida, com Michael Jackson, veja em vídeos.


http://www.youtube.com/watch?v=cY_jRUaOUaU

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Contos Proibidos de Kunlun 10 - A Escolha do Novo Abade


Contos Proibidos de Kunlun:

Tomo X - A Escolha do Novo Abade

Hoje é um dia especial na vida do Mosteiro: Um novo Abade seria escolhido.

É uma cerimônia rara, em que poucos alunos tiveram a oportunidade de presenciar:

Um Abade lidera o mosteiro, em média, por mais de 20 anos, pega umas 5 gerações de monges, mais ou menos.

O Abade em questão,que passaria o cajado, tinha um nome impronunciável, que nunca aprendemos...na verdade, todos só o chamavam de” o Abade cego”.

Ele já estava cego (ficara cego com um acidente com as antigas tochas do templo, antes da eletricidade ser aceita no mosteiro: a querosene queimou as retinas dele, quando tinha por volta de 50 anos), mas aos 85 anos, e ainda forte, sentiu que era a hora de passar o cajado...

O Abade cego, se quisesse, poderia seguir na liderança até a morte...mas hoje, me lembrando um pouco de coisas que vi, descobri que ele enxergava mais que todos nós...

Era muito sábio, todos tinham acesso a ele, se quisessem...sofria muito nos casos difíceis, como na expulsão que houve...aconselhava quem queria desistir, etc.

E era um excelente lutador, até na velhice...

Muriú, meu mestre, disse que certa vez, numa rara saída que este fez fora do mosteiro, já idoso, ele foi atacado por salteadores, isso já com 80 anos...ele saiu sem avisar nenhum monge,que poderia fazer a segurança dele.

Assim, quando dois bandidos lhe cercaram, ele já perguntava:

- “Por que vocês estão nervosos? O que querem?”

-“Passa a grana velho, agora”,anunciou um dos bandidos.

-“ Você quer roubar dinheiro de um velho cego? Então venha pegar”, disse o Abade, esticando com uma das mãos o saco de pano contendo as moedas.

Quando um dos bandidos foi tomar as moedas, o Abade deixou cair o saco de pano no chão, bem á frente dele: - “Ohh, me desculpe!, disse.

Quando o vagabundo se abaixou para pegar, xingando, tomou um chute na cara com tanta força, que voôu o melado (sangue)...quebrou o nariz na hora, e ficou urrando de dor,no chão.

O outro bandido, ao ver a cena, xingou, e puxou uma adaga, pra matar o velho Abade cego...não teve coragem de encarar um velho oitentão, cego, só na mão.

O velho monge, que se abaixara para pegar com exatidão onde o saco de moedas havia caído, arremessou o mesmo bem na testa do bandido, na direção de uma das veias que faz a passagem do oxigênio para o cérebro...

Foi um impacto muito maior que de um soco, já que as moedas da antiga China eram bem maiores que as nossas moedas de um real, por exemplo.

O cara caiu duro na hora, e o Velho Abade pegou a adaga deste que lhe iria atacar, enquanto o bandido com nariz quebrado, assustado, correu para fugir.

O Abade cego, calculando a distância do vento, e ouvindo o barulho das pisadas, arremessou a adaga, exatamente no meio das costas do bandido, que caiu.

Nínguem sabe onde foram parar os corpos...ninguém soube de nada, ninguém viu.

Depois que Muriú me contou essa história, entendi uma das melhores mensagens que ouvi do Velho Abade:

Não podemos eliminar o mal que nos cerceia, mas podemos eliminá-lo de nossas vidas, assim que chegarem em nós- se formos condescendentes com ele, esse mal nos visitára sempre, até acabar conosco”.

Ele realmente levava isso muito a sério!

Antes da cerimônia de escolha do novo Abade, inédita para nós, fui dar um barrigada no banheiro coletivo do meu andar.

O que era legal em Kunlun, era que até no banheiro havia mensagens filosóficas...

Atrás da porta do banheiro, por exemplo, encontrei uma muito inspiradora, muito apropiada para o momento, que me ajudou bastante naquela ocasião:

Neste lugar sagrado, toda vaidade se acaba... o mais covarde se esforça, e o mais valente se caga”.

Após esse grande momento de inspiração filosófica, finalmente fui em direção ao grande pavilhão, onde se iniciaria uma nova era em Kunlun.

Os alunos estavam todos sentados...em Kunlun, ou você ficava ajoelhado, ou sentado com as pernas flexionadas para dentro, igual como o pessoal da Ioga.

Os monges professores, entre eles Muriú, podiam se sentar normalmente,na área reservada para eles, com bancos simples.

Assim, tem início a cerimônia de escolha do novo Abade...

O conselho do mosteiro apontou 3 candidatos, mas quem decidiria quem era escolhido dos três, era o velho Abade cego.

Assim, os 3 candidatos (todos de cinza, a cor da humildade) sentaram-se um ao lado do outro, bem de frente para nós, os alunos, e ao lado, para os professores.

O Velho Monge cego estava vestido de púrpura (a cor da realeza) e todos os demais, professores e alunos, estavam de vermelho (a cor do sacrifício) com laranja ( a cor da unção espiritual), como sempre usávamos.

Nunca ninguém vestia preto no mosteiro: o preto é a cor das trevas, do pecado.

Por isso, até hoje, num me sinto bem vestindo preto na grei...como diz o velho ditado, “o hábito(como também era chamado as roupas clericais) faz o monge”.

A seguir, um monge traz uma pequena mesa, e outro, traz consigo um vaso, e o coloca em cima da mesa.

Era um vaso muito bonito, e devia estar no escritório particular do velho Abade.

O velho monge cego se aproxima e diz, diante de todos:

- “Esse é um vaso da dinastia Ming... Mas esse vaso me é um problema:

O novo Abade do mosteiro será quem resolver esse problema para mim”.

Perguntei para Sven, meu amigo alemão, um dos raros ocidentais junto comigo, ali: - Que problema será esse?

- “Vai ver que tá faltando dar uma lustrada nele, disse, debochado que era.

O primeiro candidato (todos tinham por volta de 50 anos), foi chamado a tentar ver qual era o problema...

Ainda moleque, eu num tinha a menor idéia de que aquele vaso valia muito...há 3 anos atrás, pagaram 8 milhões de euros, num leilão, por um vaso Ming.

Após tatear todo o vaso, ver cada desenho, o primeiro candidato respondeu:

-“Não sei qual é o problema Abade”,curvando sua cabeça, e recolocando o vaso em cima da pequena mesa.

-“Obrigado”, agradeceu o velho Abade cego, chamando desta vez o segundo candidato.

Este olhou novamente, fazendo tudo o que o anterior havia feito, mas dessa vez, colocou a mão por dentro do vaso, á fim de ver se havia nele alguma ranhura.

Nada...verificou por baixo, também, nada encontrando...desistiu:

-“Não sei onde está o problema, Abade”, e se sentou.

-“Obrigado”, agradeceu novamente o Abade...só restava o último candidato.

-"Sven, aquele ali num é aquele monge professor que flagrou o Chao com aquele monge corrupto no esquema de provas?, perguntei”.

Meu amigo alemão ajeitou os óculos (ele lembrava muito esse moleque, o Harry Potter), franzindo a testa...

- “É ele mesmo”, me respondeu.

Assim, o último candidato, se levanta, e vai em direção ao valioso vaso.

Assim que ele toma o vaso pelas mãos, ele levanta o máximo que pode, acima da cabeça dele...e arremessa o vaso com toda força ao chão:

Kaploft! Foi pedaço do vaso pra tudo que é canto...

- “”Ohhhhh”, se chocam todos no mosteiro...

- “Putz”, disse eu...Sven, com as mão na cabeça, disse :“que merda””, em alemão...

-"Será que alguém tem superbonder aqui”? , perguntei...

-“O cara quer ser o novo Abade? Ele vai é ser expulso”!, disse Sven.

Todos se voltaram para o velho Abade cego...curiosamente, este estava sorrindo, parecia feliz.

O Abade perguntou ao terceiro candidato:

- “Por que você quebrou o vaso?”

- O Abade nos disse que esse vaso lhe era um problema..bem, agora não há mais problema, disse ele.

- Isso mesmo, pois o problema foi resolvido..você o resolveu, e será o novo Abade...palmas para o novo Abade! , disse o agora veterano monge.

Confesso que não entendi lhufas, mas estava lá, aplaudindo, tudo era festa.

Eu só fui entender mais tarde, na hora da janta, quando encontrei Muriú na saída do refeitório, e perguntei a ele, após o mesmo me falar que se tratava de um vaso valiosíssimo:

- “ Anos atrás, o velho Abade ganhou de presente esse vaso, de uma autoridade chinesa muito rica, como se estivesse pagando uma promessa...

-“Esse vaso sempre foi um peso para o Abade, continuou, pois nada tinha a ver com a simplicidade do mosteiro...ele representava uma vaidade que não combinava conosco, disse Muriú.

-"Mas por que não venderam, pra arrecadar fundos para o mosteiro,” Perguntei.

-"A autoridade que deu o vaso iria saber, e ficaria decepcionado com o Abade...entende por que isso sempre foi um problema na vida dele?”

Na verdade, só fui entender anos depois, quando me desmaterializei das coisas materiais...a semente foi plantada naquele dia.

Assim, com um novo Abade, voltamos para nosso quartos, após a janta.

Sven, que recebia kits de aviões da Revell para montar, examinava um de seus modelos favoritos...um Mustang, avião da segunda guerra, mas estava chateado:

A hélice, que ficava bem á frente do aparelho, não estava girando, como a dos outros aviões que ele tinha...

-“ Num sei por que num tá girando...será que pegou um pouco de cola aqui?”, perguntou.

- “Chovê”, disse a ele, pegando o avião.

A seguir, levantei o Mustang com a mão, e o arremessei direto na parede, espatifando o avião...foi pedaço pra tudo que é lado.

-“Pronto, Sven: Resolvi o problema, disse ao meu colega de quarto, sorrindo.

A cena seguinte?

Eu descendo correndo as escadarias, com Sven tentando me alcançar, dizendo:
- Volta aqui, seu filho da puta!

É...e eu que pensei que ele tinha se espiritualizado com a lição do dia!

Lee, Tijuca, RJ.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

A Crise nas Instituições do País


Eu detesto escrever sobre política, sobre essas coisas que a gente vê na TV.

Tanto que a última vez que escrevi, foi sobre a posse do Obama, e antes, nas eleições para prefeito.

Já há muito tempo eu anulo meu voto para os principais cargos...o último que votei pra ver se dava uma chacoalhada aqui no Rio, foi o Wagner Montes, pra deputado estadual.

E tô achando ele muito tímido...querem ver se o lançam para Governador.

Ah, sim, votei no Gabeira de sacanagem, no segundo turno...muito tempo não fazia isso.

Primeiro, que o caráter dessa turma, tanto aqui, quanto lá fora, é muito esquisito...

Aquele Sílvio Berlusconi, além de ser uma mala, só fala e faz besteira, como chamar o Obama de moreninho e fazer a Angela Merck, da Alemanha, ficar esperando 20 minutos enquanto ele falava ao celular...ela, que recepcionava os chefes de estado, foi embora.

No Paraguai, o presidente, que é um bispo católico licenciado, cada vez mais aparece com um filho pra ser registrado...

Ele, que já reconheceu um, tem ainda mais seis casos de exame de DNA pra fazer:

Padre pegador tem que pagar pensão!

Mas essas notícias que a gente vê todo dia no Brasil doem na alma...

Parlamentares viajando direto, levando parentes, amantes, papagaios, tudo de graça, com o dinheiro do erário público...

Celular de graça...cara, o meu é pré-pago, contadinho...a filha de um político gastou 14 mil reais em ligações, numa viagem “de graça”, ligando do México!

Ela ligou pra uma amiga em Tókio! Deve ter comentado a novela mexicana do dia!
(Será que viu a reprise de Maria do Bairro? E vc, viu a Maria do Bairro?)

Tá certo que mulher fala pacas,mas 14 mil é brincadeira!

Os deputados da assembléia legislativa de Alagoas, aquele estado rico que a gente conhece, onde as escolas são ótimas, e a saúde pública é nota dez, tem uma “ajuda”...

Uma “ajuda de custo” bem modesta, apenas 39 mil reais, cada um, por mês.

E no judiciário?

Adorei ver o ministro Joaquim Barbosa dando um calaboca no Gilmar:

O negão mandou ver!

Joaquim, um das raros ministros jurisprudentes daquela casa, que leva sempre as questões sociais dentro de um contexto jurídico em suas decisões, botou o Gilmar no seu devido lugar.

Sobre o Gilmar não falo: leia no arquivo: Gilmar, o que gosta de soltar ladrões ,tá tudo lá o que eu penso desse cara, que me recuso a chamar de Juiz, pois Juiz exerce justiça, e não puxa um lado da balança, nem persegue ninguém.

Gilmar é coronel, não juiz, aliás, ás vezes, parece mais um Capitão do mato.

Oito Ministros puxa-sacos foram dar apoio em nota oficial ao Gilmar.

Entende por que não gosto de escrever sobre essas coisas?

Lee, sempre indignado quando vê essas coisas, esses caras...vou almoçar, que é melhor.

(a Lalá já está se aproximando...bem, pelo menos, hoje no orkut da Ágatha, ela estava bem ao meu lado...kkkk)

Na Sessão Revival, veja O Ministro Joaquim botando o Capitão do mato em seu devido lugar:
Tijuca, RJ

quarta-feira, 22 de abril de 2009

O Julgar pela Aparência


Porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração. (I Samuel 16.7)

Susan Boyle (foto acima) é de um vilarejo na Escócia, tem quase 48 anos, é feia, desajeitada, com um jeito jeca, que se reflete nas roupas, voz, e na maneira de ser.

Não tem corpão, não tem emprego, nunca se casou e nunca beijou ninguém na vida.

Foi assim que se apresentou no British Talent, espécie de American Idol, ou o nosso ídolos, lá na Escócia, no meio de uma garotada...
Suponho que não tenha limite de idade, pra ela ter participado.

Quando ela entrou no palco, nego riu geral:

Nínguém podia levar uma mulher com aquela aparência a sério...os jurados, então, uns ficaram com cara de deboche, outros com cara de “coitadismo”.

Bem, o que aconteceu, você vai ver no vídeo, lá embaixo...

A história de Susan, que agora já deu entrevista até pro Larry King, nos EUA, nos ensina muita coisa:

I- Nunca julgue uma pessoa pela sua aparência.

As pessoas olham para o exterior, e julgam de imediato, colocando logo um rótulo na pessoa.

As igrejas, então, que deveriam ser o local de acolhimento geral de todos, são as mais preconceituosas:

As pessoas de lá olham torto se álguém tem tatuagem, cabelo comprido (homem) cabelo curto( mulher), piercings, cabelos dreadlook, pinturas diferentes, roupas diferentes, etc...

Nós julgamos também as pessoas por aparência física...pessoas gordas, e de cor, são o alvo preferido das piadas, no trabalho, escolas, etc.

Deus vê o coração da pessoa- só ele que pode julgar – e não julga como nós.

Jesus não julgou a mulher adúltera.

Nem as prostitutas, nem os cobradores de impostos, que extorquiam geral.

Alías, mais tarde, entre seus seguidores, estavam uma ex-prostituta (Maria Madalena) e um ex-cobrador de impostos (Mateus).
Ele julgava gente religiosa, metido a santarrão:

Nesses, sim, descia o sarrafo, literalmente ás vezes, como no episódio dos cambistas no templo (desde aquela época tem essa raça de cambista!)

Veja, observe, especialmente o que sai da boca da pessoa...nunca julgue pela aparência.

O que a gente também aprende na história de Susan, agora famosa (vi a história dela num dos jornais da globo) é que:

II – Sonhos não tem data pré-estabelecida para acontecer.

O sonho dela era cantar diante de uma grande platéia: só isso.

Ela sonhava com isso desde os doze anos.

Nem ela imaginava quando isso poderia acontecer, ou se aconteceria, simplesmente se apresentou.

O que vejo atualmente, é como se existisse uma obrigatoriedade para que sonhos acontecessem antes dos 25 anos...

Todo mundo acha que sonhos tem de se realizar, obrigatoriamente, quando se é jovem...

A maldita mídia que estimula isso.

Se você tem um sonho, siga ao encontro dele, mas sem pressa:

Não saia desesperado/a atrás dele...e se não conseguir, talvez não era pra ser.

E um conselho: guarde seus sonhos pra vc, num fique falando deles por aí.

Tem muito assassino de sonho...alguns deles podem ser seu “amigo/a”.

Lee, que sente na pele a dolorosa reação de ser julgado pela aparência:

Uso rabo-de cavalo, brincos e crucifixo...dentro de igreja. Isso por que ainda estão faltando minhas tatoos!

Na Sessão Revival, veja a apresentação de Susan Boyle, e aprenda a não julgar pelas aparências:



























terça-feira, 21 de abril de 2009

Sobre Festas de Casamento


Festa de casamento é pra ser uma...festa.

Se na Bíblia a gente vê mais festas quando decidiam ficar noivos (durava uma semana), a festa moderna é uma conclusão do cerimonial do casamento.

Na verdade, casamento, seja na igreja ou no ar livre, com reunião de convidados, é pra ter festa, senão fica sem graça...nem que seja simples.

Já fui a festas de casório simples, de gente humilde, mas com muita alegria:

Todos juntos comendo coxinha com guaraná Convenção e Baré Cola...um barato.

Já fui a festas chiques, onde tive que fugir do terrível camarão empanado (blerrghh, só o cheiro me dá ânsia) e a gente leva presentinho de recordação pra casa.

Já vi noivas e noivos tristes, como boi indo pro matadouro, como se arrependendo de estarem ali...estar nervoso/a é natural, mas a cara dos noivos dizem muito sobre o casamento em questão.

Hoje, vários pastores não fazem os noivos fazerem votos: deixam tudo fluir entre eles, os noivos, o que acho ideal, cada um falar, exprimir o que está sentindo...

Até por quê o famoso “até que a morte os separe”, é completamente irreal no mundo de hoje...quem vai garantir?

Eu não teria tamanha insolência de mandar repetir isso.

Bem, mas vim falar de festa de casamento, o que é bem menos complexo do que o casamento em si.

Festa de casamento tem que ter a cara dos noivos.

Conheço gente que só se casou no cartório- nenhum dos dois quis festa, ou casar em igreja ou em clube....economizaram pra lua de mel.

Mas se querem fazer a festa ela tem que ser a gosto dos noivos, e isso precisa ser sentado e conversado entre eles.

Festa de casamento num tem que ser a do gosto da mãe da noiva ou noivo!

Às vezes, a família de um ou de outro querem fazer a festa a gosto deles, sem respeitar o desejo dos noivos, e isso é horrível, e conflitante: vai ter muita roupa suja jogada na cara no futuro, tenha certeza, se deixarem isso acontecer.

Isso vai desde a escolha dos convites, o estilo de cada casal...tem convites de 400, de 900, de mais de mil reais...

E por favor, casal: mande o convite pelos correios...

Não há nada mais constrangedor do que dar um convite pra uma pessoa, bem ao lado de outra pessoa que você não vai convidar: tenha simancol.

Escolha o pastor ou a igreja em que quer realizar a cerimônia- ou mesmo se será em igreja.

Essa aqui é pro povo crente, de igreja:

Parem com essa besteira de achar que só se casando dentro de uma grei, que o casório será “abençoado”.

Jesus disse : “onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei”.

Você pode se casar num clube, que ali vira Casa de Deus.

Você pode se casar ao ar livre (acho lindo) pois foi Ele quem criou a natureza.

Se o casal deseja se casar dessa forma, e o pastor “empaca”, por ter mente legalista, procure outro pastor.

Por que a maioria dos casórios é a noite?

Por que não de dia?

Fui num casamento 11 da manhã, a festa era no almoço!

Casamento de manhã, apesar de acordar cedo, é muito melhor para os noivos, que já estão liberados á tarde, seja pra embarcar pra lua de mel logo, se desejarem, ou mesmo estarem mais dispostos pra noite de núpcias:

A tensão do dia todo, desde o acordar, a preocupação se tudo vai sair bem, é muito maior quando se deixa uma cerimônia para a noite.

Quando termina a cerimônia, e depois mais ainda duas horas de festa, dançando, em pé visitando mesas, etc, é extenuante, para os dois.

E tem mais...talvez nunca ninguém vai falar isso pra vocês...viu como é importante ter a mim? Rss!

Uma das consequências desse dia estafante, e dependendo do que aconteça, estressante, sabe qual é?

A falta de desejo sexual na noite de núpcias...sim acontece muito mais que nego imagina.

Sobre elas:

Cansei de saber que estavam exaustas, indo dormir ás duas e meia da matina, pedindo, “pra rolar só de manhã”, pois ficam tensas o dia todo, e com muita dor na perna de ficar em pé de salto;

Sobre eles:

Você não tem idéia da quantidade de gente que brocha na noite de núpcias...independente da idade!

Em geral, os dois dormem muito mal na véspera do casório, e somando as tensões do dia seguinte, o resultado “mais tarde” pode ser frustrante.

Pode ser engraçado de ler isso, mas isso pode trazer uma má recordação, dependendo de como o casal vai levar essa experiência...não raro, a recordação não é boa:

Mesmo “ se rolar”, geralmente é sem qualidade, pois os dois, cansados, mal curtirão preliminares...

O homem vai tomar a iniciativa tão somente pelo “senso de honra de ser macho”, mas a tendência é que seja uma “rapidinha” de péssima qualidade, para o primeiro “ato oficial” depois de casados.

Não existe só noite pra se casar...num existe só sábado...num existe só igreja pra fazer cerimônia, abram seus leques.

Encerrando sobre as festas: sendo a cara dos noivos, isso exprimirá o sentimento deles, que deve ser respeitado...eles terão uma bela lembrança, ao rever o dvd no futuro...ou má lembrança, se num for do gosto deles.

As músicas do casório, o estilo da festa, tudo tem que ter a cara deles.

Finalizando:

As boas lembranças ou possíveis traumas do casal irão começar nesse dia...daí a importância de tudo o que falei acima.

Lee, aconselhando corações que esperam o melhor nesse dia.

Falando em festas, nesse dia que choveu pacas impossibilitando qualquer saída, fiz duas coisas: Dormi pacas e fucei um álbum de casamento (thanks, Pri: quem mantém fotos abertas, não tem nada a esconder!).

Assim, vamos ao comentário de Lee Ésper sobre os vestidos das meninas...

Começando pela própia Pri:

Usou um modelo azul celeste bem suave, com a parte de cima “salmão” (por quê nego chama 'quase rosa' de “salmão”?) que lhe caiu muito bem...também, ela tá magrinha, tudo vai cair bem! Caimento ótimo, belo brinco, maquiagem ok.

Lalá

A Betty Boop apostou no estilo mais discreto, á fim de não ofuscar o vestido da noiva, usando um tom mais cinza, e brincos discretos, ousando de leve apenas no colar.

Deve ter sido difícil pra ela, super-fashion, ter feito isso, deixando de lado inclusive os braceletes da Mulher-Maravilha que ela usa. Na discrição, acertou em cheio, apesar de não ter sido a Lalá que todos se acostumaram... maquiagem perfeita, uma das melhores da noite.

Fernanda Z.

Um belo vestido azul, de um tom mais escuro que o da Pri, que caiu bem nela. Se usasse sapatos brancos com bolsa branca, teria sido perfeito.

Cy

O formato do vestido é lindo, digno do Red Carpenter da entrada do Oscar...os detalhes do desenho do vestido também são bonitos...só achei o tom muito escuro:

Era casamento, e não velório!

Bela bolsa, belo cabelo, e usou os brincos mais bonitos da noite: Não usou nada no pescoço, realçando a beleza deles...tava sumida, voltou em grande estilo.

Por que Toddynho num aparece nas fotos??

Paulinha

Vestido lindo, um dos mais bonitos que aparecem...mas com o mesmo problema da Cy:
Escuro demais.

Jaque

Belo modelo, bonito, só escolheria um tom um pouco mais claro...brinco bonito.

Renata

Ousou e acertou: belo vestido vermelho, com um lindo crucifixo em volta do pescoço.

Eu queria ter visto a Toddynho de vestido!!

Mary

Um modelito simples, discreto e muito bonito, que caiu bem. Vestido bi-color, como da Pri, mas a parte de cima que Mary usou poderia ser de outra cor, ou mesmo todo cinza, como a parte debaixo: não competiria com a noiva.

Nádia

Foi na fronteira da ousadia: um pouco mais, teria exagerado...um vestido alegre, bonito, que caiu muito bem nela, que anda correndo, assim tudo cai bem. Um vestido que é a “cara dela”, bela maquiagem, brinco bonito, tá uma graça de cabelo novo.

Sobre as máscaras:

Num entendo esse lance de máscaras em festas, essa nova moda...

Mas ver a Lalá de máscara, linda igual a Mulher-Gato, minha vilã-fetiche favorita, foi demais...

Só agora, 4 anos depois, entendi o que o Roberto Jefferson disse na CPI:

Vossa excelência provoca em mim os instintos mais primitivos”.

Lee Ésper, apenas com o comentário, mas sem a boiolice deste.

(Pri, thanks pelo largo sorriso, afinal,“passei por ali”!)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pastores com Câncer


Os Pastores são os mensageiros de Deus aqui na terra.
Então, por que alguns deles tem sido tomado por essa doença tão devastadora, o câncer?

Por que lobos travestidos de cordeiro, que enganam o povo, geralmente não são acometidos dessa doença, e seguem com seus roubos, mentiras, vida dupla, sem que nada lhes aconteçam?

Tem um muito famoso, que aparece direto na TV, que recentemente estava pedindo dinheiro pro povo, em seu programa, para comprar uma propiedade , um terreno “para Deus”, que custaria por volta de 5 milhões de reais.

Apareceu na TV, depois, agradecendo a “benção” de ter podido comprar uma Mercedes zerinho...á vista.

Está por volta de 130 mil reais.

Com exceção de alguns peixes pequenos da Universal, e do casal de “astros” da Renascer, que foram em cana (nos EUA, aqui é uma festa) a maioria desses ratos estão por aí, roendo tudo o que vê pela frente.

Em contrapartida, por que alguns pastores que servem a Deus, com conteúdo em mensagens, não gananciosos, tem tido esta doença terrível que é o câncer?

O Xavier, que era da Igreja Batista Memorial da Tijuca, aos 50 anos, teve um câncer de estômago devastador.

Eu o levei duas vezes na igreja em que atuava como pastor dos jovens, para ele pregar... voltava de carona aqui pra Tijuca com ele, já que o mesmo morava em frente a igreja de Itacuruçá.

Super gente boa, pregava falando uma linguagem simples, que todos entendiam, um cara contemporâneo...da descoberta do câncer até a partida dele, foram poucos meses.

Na mesma época, o Vítor, de Copacabana, também teve câncer, mas este conseguiu se recuperar, após um período enfrentando a doença.

Ontem na grei, mais que a mensagem da manhã, o que me chamou a atenção, foi quando o presidente da igreja (que lá não é o pastor) leu o laudo médico do Israel, pastor de itacuruçá, que tinha se operado de câncer de próstata na véspera, no sábado.

Me pareceu, foi a impressão que tive, ter sido uma coisa complicada...o pai dele (do pastor), inclusive, morreu em consequência de um pós operatório de...

Câncer de próstata...e com o mesmo médico.

Passei a mensagem toda pensando nisso... que tô escrevendo hoje.

Terminando essa reflexão, pude concluir algumas coisas, que vieram ao meu coração, após esse domingo:

I- Os pastores são Dele, mas enquanto estão na terra, estão sujeito a todos os tipos de mazelas que compoem esse século, o que inclui as doenças, terríveis ou não.

Pastor tem que se exercitar, controlar a alimentação, tomar remédio (alguns não tomam, esperando uma cura direta do céu...se esquecem que ele cura via remédio, também)

Pastor tem que perder o preconceito de fazer exame de próstata...tem muito pastor preconceituoso, também.

Pastor pode orar pela cura e proteção, estando debaixo da soberania divina decidir o que é melhor.

Pastor não tem que ter medo de morrer...nem que seja por doença...o Xavier foi um exemplo disso, partiu dignamente, sem coitadismos.

Eu já orei por pessoas, e elas foram curadas.

Mas já tive que operar o coração, pra não dar problema mais tarde.

II- Nosso senso de justiça é diferente do senso de justiça Dele.

No meu senso de justiça, não consigo entender os picaretas se “dando bem”, vivendo com mordomia, com carros caros e mansões a custa do povo, sempre com uma mulherzinha por fora, além da oficial, com cara de sofrida (quer saber se a mulher do seu pastor é feliz com ele? Olhe pra cara dela).

No meu senso de justiça, eu pegaria esses cânceres, e enviaria pra eles, os picaretas:

Seria bem “mais justo”, racionalmente falando.

Mas Ele não pensa assim, ainda bem...

Jesus diz nos evangelhos que muitos que “se dizem” Dele, vão dizer, no dia do juízo:

Não curei em teu nome? Não expulsei demônios em teu nome?”

A lista hoje seria aumentada: “não edifiquei uma grande igreja no teu nome”?

E Ele dirá: JAMAIS vos conheci – se afastem de mim”.

Irão direto pro colo do “capiroto”, dono verdadeiro de suas almas vendidas.

Deus sabe o que faz.

Lee, vendo alguns colegas enfrentando doenças terríveis...que a graça divina possa estar sendo derramada neles e em suas famílias, nesse momento.

Tijuca, RJ

sábado, 18 de abril de 2009

Mães que querem ser iguais as Filhas

Mãe, 50, e filha, 22

Mãe agora, e antes
O que você está vendo aí em cima é o cúmulo do ridículo:

Uma mulher inglesa de 50 anos torrou cerca de 32 mil reais em plásticas pra ficar igual a filha de 22 anos.

Bem, antes de falar do caso delas, vamos ao aspecto comportamental que costuma acometer mulheres a partir dos 40 anos, que se divorciam.

Alías, isso vem sendo retratado na comédia Divã, que estreiou nos cinemas ontem, com a bela e talentosa Lilia Cabral...

Uma mulher por volta de 40 , cujo casamento tá babando, e quer saber se ainda é desejável:

Se envolve com Cauã e Gianechinni (o que me motivou a não ver, gosto de ver filmes com atores, não estampa de iogurte...num vejo esses insossos nem em novelas).

Ou seja, quando a mulher costuma se separar por volta dessa fase, ela sabe que num é tão novinha assim, e costuma dar uma repaginada.

Geralmente emagrecem, fazem plástica, malhação, etc...precisam levantar a auto-estima.

Isso é normal.

O que não é normal, é mãe querendo ir a balada, a reuniões, a festas em que vai á filha.

Isso acontece mais que muita gente imagina...

A filha fica super-constrangida com essa atitude...isso é um micaço, um King-Kong.

Na cabeça da mãe, é como se ela tivesse perdido anos, ao lado de um mané, e quando vê a filha saindo com as amigas, quer isso pra ela, agora também solteira.

Bom seria se esta saísse com amigas da sua faixa...mesmo casadas.

Mas ás vezes, essas neo-solteiras são vistas como ameaças pelas mulheres casadas, que se afastam dela:

Isso ajuda mais a machucar o coração da mãe neo-solteira...

Sem falar, de histórias que soube, de maridos que cantaram a neo-solteira assim que a mulher deste deu uma distraída...é complicado.

Especialmente se ela for bonita: assusta a amiga, e atrai o mal casado, ou safado mesmo.
Mulher bonita sempre carrega essa “maldição”.

Já a feia, geralmente não tem esse problema.

Estou sendo cruel demais?

Sorry, but's true: essa é a realidade.

Assim, é melhor a neo-solteira procurar o clube das neo-solteiras para evitar dores de cabeça:

Esse clube aumenta a cada dia- talvez você ainda seja sócia dele, um dia.

Bem, no caso em questão, vocês verão que essa mulher ali em cima é doida.

Quer dizer, investir uma grana na " fonte da juventude atual "(plástica) pra ficar igual a filha é coisa de gente doente, emocionalmente.

Veja o texto da reportagem em que se pode detectar o problema:

“Quando fez 40 anos, Janet se divorciou, mudou para a Espanha, encontrou um novo parceiro, começou a se exercitar e a trabalhar.

Ela emagreceu, mas ainda não estava feliz com o rosto de mulher mais velha.

"Eu tinha inveja dos olhos sem ruga de Jane, seus lábios e seu cabelo."

'Estava desesperada para ficar mais parecida com minha filha, mas sabia que meus cremes para rugas não poderia voltar o relógio de uma forma tão radical."

Foi aí que ela partiu para a cirurgia plástica. Quando a mãe contou à filha que queria se parecer com ela, a jovem desaprovou.

"Ela ficou furiosa e me implorou para não fazer isso. Não que ela não quisesse ser parecida comigo, mas tinha medo da operação".

Perceberam o problema?

Só nesse pedacinho, algumas coisas ficam bem claras:

1- Uma mãe com inveja por não ter mais a beleza natural que sua filha, mais jovem tem;

Na boa, tem muito mais coisa por detrás aí...to cansado de ver mães mais bonitas do que suas filhas...tenho vizinhas de 50 que são muito bonitas, mais que suas filhas.

Creio que essa Janet sempre teve inveja da filha, desde que essa era adolescente.

Creio que ela sempre quis “competir com a filha”, mas tava mal casada, e quando tudo babou, pôde realmente fazer o que sempre quis:

Virar um clone da própia filha.

Ela aturou a filha Jane o quanto pôde, já sentia isso quando essa era adolescente, mas num aguentou foi ver ela na juventude...

E enquanto ainda pode “competir”, pois o tempo passa, cloneou a filha.

2- Jane, a filha, ficou furiosa...num foi nada de preocupação de operação, não.

Jane, no seu coração, sabe o que tá se passando com a mãe, sabe que ela sempre foi doente, num sabe é exprimir direito.

Isso é devastador pra ela, e vai minando-a pouco a pouco, com os comentários, que pra mãe são ótimos (vocês são irmãs?) mas para ela, é uma afronta.

Uma afronta pois é fake...cabelo fake, cara fake...alma fake.

Num há nada demais em se fazer uma plástica, com bom senso.

Uma esticadinha aqui, uma turbinada ali, com bom senso, vai melhorar a auto-estima da pessoa, se for o caso, nessa parte.

O pior de tudo, é que a mãe, Janet, está perdendo essa que é uma das melhores fases da mulher, a casa dos 40...retrocedeu no tempo...

O dia em que a mulher souber que ela é mais bonita aos 40 e 50 anos, quando fica uma gatona, pode até fazer uns retoques...

Mas jamais vai querer voltar a se parecer ou ser como sua filha:

Ela sabe que a fonte original é muito melhor.

Lee, apreciador de fontes naturais...a filha só é gata por causa da mãe, não o contrário, e mesmo assim, tem mãe muito mais gata que a filha.
Tijuca, RJ.


sexta-feira, 17 de abril de 2009

O Fazendeiro, a Ex- Noiva, e a Decisão Judicial


Um fazendeiro de Minas Gerais foi condenado a indenizar sua ex-noiva em R$ 10 mil por danos morais, por suspender o compromisso após saber que ela estava grávida (dele).

A Juíza disse que “nínguém é obrigado a casar, mas ele atropelou o respeito e a dignidade do outro”.

Ontem á noite, enquanto via Força- Tarefa na Globo, e Lalá curtia sua paixonite por Tony Castellamare na Record (sem comentários, depois do Big droguer num comento mais nada),me lembrei do caso de uma colega de faculdade, anos atrás.

Ela rompeu o noivado,mas tava pagando as prestações de um apê que ela havia comprado, pra casar...o noivo, um PM, tinha se comprometido de rachar as prestações, mas rachou foi a cara:

Além de nunca ter contribuído com um centavo, quando acabou o noivado, se recusou a sair do apê (faltando pouco pra casar, eles estavam morando juntos)...só depois que ela ameaçou entrar na justiça.

No caso do fazendeiro, chama a atenção a idade dos dois: ela a época (2002) tinha 18 anos, e ele, 36.

Ele, além de tudo, nunca ajudou em nada, com o filho que nasceu, apesar de ter grana.

É o tipo da coisa que vai marcar a garota por um bom tempo:

Abandonada, antes de casar, e grávida.

Nesses locais de fazenda, e ainda por cima em Minas, um berço de tradicionalismo, o cara não “curte”, como fazem nas grandes metrópoles:

Por lá e em outras bandas do interior, sendo visto juntos, nego pergunta logo quando é o casório.

Tenho certeza que esse cara de 36 anos só no corpo (a época), tinha no máximo uns 20 de idade mental: deve ser filhinho de papai que herdou a fazenda, negócios, etc.

Tenho certeza que a garota, movida por pressões de família, que nesses locais é massante, e pra se “garantir na vida”, ficou com ele- e deve ter sido a primeira pessoa que ela conheceu, em todos os sentidos.

Não vi foto de nenhum dos dois, vou pelo meu “feeling”- levo ele a sério....se visse, “viria” mais coisa.

Tenho certeza que nenhum dos dois tinha amor um pelo outro...os dois, cada qual a sua maneira, foram pressionados.

Ele agiu errado ao ter engravidado a garota, se não queria nada com ela.

E agiu pior ainda, tendo condições, não dando um níquel pra sustentar o filho.

Agiu errado ficando noivo, sabendo, dentro dele, que não queria se casar.

Ela também é vítima das circunstâncias, de família, da síndrome maldita do “bom partido”(na visão dos outros, em especial da família) que acha que homem com um mínimo de grana é sinal de casório feliz - pelo contrário.

Quando a esperança de felicidade está em dinheiro, e não na vida a dois, é um desastre.

Seria melhor ela se casar com o peão, desde que ela amasse, do que com o fazendeiro.

Mulher que se casa por “segurança financeira”, não é melhor que prostituta.

Assim, ela vai “dar "pro marido, pela “obrigação conjugal”, mas em pouco tempo vai ficar com nojo dele...

E assim que acabar de fingir, vai correr pro chuveiro, se ensaboando toda, pra tirar a “nojeira” daquele ato- é o que mais acontece por aí.

O que acontece nesses rincões do Brasil é o seguinte:

Muita gente do interior, como esses filhos de fazendeiros “condenados” a herdar o negócio de família, ou mesmo as filhas deles, ou mesmo de gente de classe média, vão estudar fora.

Antes de voltarem a forca ao qual estão condenados, estão saindo pra estudar em Ouro Preto, Belo Horizonte, ou outra grande cidade, bem longe dos pais, morando em repúblicas,e por lá, nesse breve momento de licença deles, fazem tudo aquilo que jamais fariam em sua cidades:

Caem de tanto beber, fumam maconha pacas, promiscuidade geral.

Eles sabem que só estão “ de licença”, que voltarão para o cabresto familiar.

Quem tem um pouquinho mais de cabeça, e consegue arrumar um emprego, não volta, e tem que romper com a família.

Ô vida desgraçada...culpa de vontades paternais, e sociedades hipócritas e impostoras, pois nessas cidades, tem muito padre que é “pai de família” escondido.

Agora, imagino como deve ter ficado essa menina largada e com filho numa cidade dessas.

Melhor seria se ela viesse pra “cidade grande”, e sumisse de lá.

Lee, vendo esses filmes sempre se repetindo.

Na Sessão Revival, os Bee Gees também não querem ficar sozinhos, mas esperam -com tradução.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Trem Fantasma


Eu tive o desprazer de andar de trem por dois anos seguidos, aqui no Rio .

Em 2006 e 2007, ainda no serviço público estadual, pois me transferiram pra Caxias, Baixada fluminense.

O meio mais rápido e econômico de ir da Tijuca pra lá era de trem: meia hora, e por valores atuais, apenas 2,45 reais...

Se fosse de ônibus, só o pra Caxias custa 5 reais...povão num aguenta.


Mais era um descaso tremendo, pois a linha pra lá (Saracuruna) vinham os piores trens:

Só tinha teco-teco, os mais caidinhos...ás vezes, olhava pra ver se não tinha nenhuma flecha de índio na carcaça do trem.

Eu ainda me dava bem, pois pegava o contra-fluxo:

Ia de manhã pra lá, quando nego tava indo pra cidade, e voltava em direção ao centro, quando a maioria estava voltando do trabalho...sempre fui sentado.

Dava pena de ver o povo igual lata de sardinha, pois o trem entope:

Tem gente que não consegue entrar.

Via muita gente tomando de café da manhã, paçoca ou cocô de rato (pipoca doce vagabunda);

Eu cansei de tomar picolé Morena, na época, 40 centavos...

-"Vai Morena?, Morena é 40”, dizia o ambulante...

Claro que eu ia: eu adoro as morenas!

Tinha Morena de uva, de chocolate, de leite condensado, de Maracujá...

O único "sabor" que dispensava era o de dragão chinês - dragão, não!

Mas o trem bom, o coreano, só passa na linha um, e mesmo assim são poucos.

Os trens da supervia são verdadeiros trens fantasmas.

E eles convidam você a se tornar um fantasma, também.

Várias vezes, por puro milagre, o trem não descarrilhou...o maquinista sentava o pau naquele teco-teco, achando que tava num trem bala de Tóquio;

Cansei de ver traficante com fuzil nas favelas ao lado da linha, como em Manguinhos, Parada de Lucas e Vigário Geral:

Em Manguinhos, vi o vagabundo apontando fuzil pro trem, e já estava me preparando pra me jogar no chão.

Por isso, quando vi essas imagens que “chocaram o país”, pensei:

Precisava acontecer um lance desses, pras pessoas verem a realidade.

Aquilo ali é todo dia em Madureira, que é uma estação que já não suporta mais o fluxo de gente, e em outras estações cheias, também.

Agora, além do povo ser transportado como gado, leva chibatada igual gado, também.

Cansei de ir e vir com portas abertas: o povo chama de “ar condicionado”.

Mas ninguém abria, não:

Já vinha aberto, com defeito, e nunca vi fecharem porta pra seguir viagem.

E as escadas? São raras as estações com escadas rolantes...dava pena de ver as senhoras e senhores com mais de 60 anos...

Pareciam que estavam pagando promessa, tentando subir escadas super-íngremes, como em São Cristovão( estação de transferência, enorme) ou de Caxias.

O trem coreano só pego raramente, quando vou ao Engenhão sofrer com o Fogão:

É confortável, com ar, e tem banco macio que num dói a bunda.

O presidente da Supervia gravou um pedido de desculpas, nos alto-falantes das estações, hoje:

Ele tinha que ir pedir desculpas ao povo, lá mesmo em Madureira, de manhã cedo.

Aqui no Rio, 85% do transporte está nas mãos das empresas de ônibus, um absurdo.

Falta investir em trem , Barcas ,e sobretudo, Metrô.

Toda hora tem problema nos trens e nas barcas...quero ver o dia em que uma afundar, morrendo gente: só assim talvez façam alguma coisa.

Aqui na Tijuca, até pouco tempo atrás você ainda via os trilhos dos antigos bondes...

Bonde aqui, só aquele teco-teco turístico de Santa Teresa, obsoleto, que mal circula direito.

Na Alemanha, Suíça e outros países europeus, eles ainda tem bondes, super-modernos.

É o transporte característico de San Francisco, na Califónia.

Tudo com pista livre, chegada rápida...mas aqui abandonaram tudo:

Podiam usá-los, em trechos da zona sul, da Tijuca para o Centro, enfim, distâncias de até 10 kilômetros...

É muito ônibus na rua, e por isso, essa buraqueira só que virou a cidade.

E não é por falta de grana:

O César Maia torrou 400 milhões na tal cidade da Música, no fim do ano passado.

Fico imaginando o caos que isso aqui vai ficar em 2014, na Copa do mundo:

Alguém ainda se ilude que vão fazer alguma coisa até lá?

Eu moro há 20 minutos a pé do Maraca, e vou chegar, a pé, antes de muita gente que sairá de casa 5 horas antes dos jogos.

Lee, que conhece bem a realidade dos trens fantasmas do Rio...de que adianta importar trem coreano, se a nossa infra-estrutura é igual a de Zimbábue?

Eu tinha posto a letra no orkut, mas agora na Sessão Revival, o vídeo de Don't let the sun go down on me traduzida, com George Michael:


http://www.youtube.com/watch?v=Tv50Wv4MKWE