quarta-feira, 1 de abril de 2009

Cabeção Preferiu a Estrada da Perdição


Fiquei pasmo quando vi Cabeção (foto) na TV:

Foi mais um ex-menor infrator que matou uma pessoa, que conheci, quando fazia evangelismo nas instituições de menores infratores aqui no Rio.

Mexe mais comigo sim, o fato de saber que eles e outros, que "passaram por minhas mãos ", tiveram toda a oportunidade do mundo para mudar de vida...mas decidiram continuar na estrada da perdição.

A história da vítima dele, Karla, uma jovem irmã no Senhor, de 25 anos, que voltava com os pais de um culto na Assembléia de Deus, você já soube ontem:

Desceram na Presidente Vargas, e pra economizar passagem, vieram caminhando um percurso razoável até chegar no Estácio,onde moram...talvez uns 500 ou 800 metros...

Acontece, que no domingo aquele local é muito vazio, e á noite então, é muito perigoso...
Eles economizaram "no bolso", mas não em segurança...


Nunca troque uma economia "do bolso", se vc tiver dinheiro, por segurança:

Jamais passaria ali com uma mãe, amiga ou namorada, a pé, tem muito vagabundo drogado.

Como o Cabeção (Augusto), por exemplo..sob efeito de crack, mesmo a jovem entregando a Bíblia e o crachá, ele disparou na nuca dela, matando-a na hora.

Bem, essa é a história do ocorrido domingo á noite...

A história do Cabeção, você vai saber agora.

A primeira vez que o vi, foi em Bangu, no Santo Expedito, cadeia pra menores aqui no Rio.

Ele vivia só de short e descalço, pois perdia apostas em jogo de cartas, e tinha que entregar a camisa e os chinelos como pagamento...o dia em que nego apareceu pelado lá, proibiram o jogo de cartas.

Falei pra ele frequentar os cultos de lá, mas não se interessou (se vc não sabe, o que evita rebelião em cadeia são os cultos, e não os fracos programas assistênciais que tem ali dentro).

Cabeção mentia a idade desde a época...na verdade, acho que tem mais que os 27 que a polícia disse ter:

Na época (2001) me disse ter 20 anos, e a direção queria fazer exame de ossos, pois tava na cara que ele não era menor...

Dois anos depois, quando eu já estava na Ilha do Governador, o reencontrei no centro de triagem.

Recomendei e o colocaram de abargado (preso que ajuda a preparar refeições, faz faxina, etc, na cadeia- só volta pra cela á noite) e ele me agradeceu:

- Só o senhor mesmo, seu Lee, me tirando da "nhaca" da cela...podexá que vo me comportá, disse ele.

E se comportou mesmo, ajudava até ás dez da noite, quando voltava pra cela.

Até que um dia, quando o foram tirar da cela, ele estava se retalhando...

Ele tinha, nos dois braços, do pulso até o bíceps, retalhos de cacos de vidros de autoflagelação...

Parecia aquele personagem do Batman, o Zasz, que tinha mais de 200 retalhos no corpo, cada um simbolizando uma vítima...


Perguntei o por que daquilo, e ele me disse que os demônios exigiam aquilo para que não o matassem.

Assim, por causa do caco de vidro levado as escondidas na cela, ele deixou de ser abargado.

Cabeção foi levado pra tratamento anti-drogas, num boa clínica do estado, para infratores...

Mas parece que aprontou por lá, e voltou ao centro de triagem.

Pouco tempo depois, ele comeu um moleque de 13 anos dentro da cela, e foi levado a Dp:

É o tal processo de atentado violento ao pudor (engraçado, nos States, eles também chamam de estupro- lá, tudo que não for sexo com consentimento, seja com homem ou mulher, é estupro) que ele tirou cana já como maior, ficando 4 anos preso, e saindo em condicional.

Vagabundo morando na rua, vivia de roubos e furtos, pra sobreviver, e cheirava crack todo dia.

Cabeção é o menor infrator que virou maior bandido, e que cadeia nenhuma recupera:

Cadeia no Brasil não precisa trabalhar (os Nardoni acordam 11 da manhã, e passam o dia vendo TV e coçando o saco- bem, no caso dela a Periquita);

Recebem comida de parentes, tem celular a disposição (basta ter 50 reais para fazer uma ligação, preço do ano passado), etc.

Queria ver tirar cadeia na China, abrindo estradas ou catando arroz...

Ou na Tailândia, onde o contato com parentes é como se o preso tivesse nas cadeiras do Maracanã, um fosso no meio, e os parentes no gramado...mal conseguem se ouvir.

Queria ver se fosse nos States, onde todo o deslocamento é feito na prisão com algemas, não só nas mãos, mas também nos pés- mais aqui a mamãezada dos direitos humanos daria chilique.

Tinha que ser obrigatório preso estudar ou trabalhar- aqui, nem nos menores, nem nos maiores, existe essa obrigação- ele vai se quiser.


Eu disse que mexe comigo, quando os vejo na TV, sendo presos por crimes maiores...

Mas não fico com sensação de quem falhou não, cumpri minha missão:

Fico triste quando vejo as merdas que eles fazem depois, quando tiveram toda a oportunidade do mundo, fosse no campo espiritual, ou no campo da ajuda material, para saírem dessa:

Cabeção ficou numa clínica do estado, de graça, sendo tratado do problema de drogas, por vários meses...uma boa clínica estadual, nessa área...

Mas preferiu voltar a vida do crime, a estrada da perdição...

Não me olhe com essa cara, Cabeção...te ajudei pacas, e vc teve tanta chance...

Não vai poder ver sua filha pequena crescer, da cadeia...

Faça minha a oração de dona Fátima, mãe da karla, que vc tirou a vida...a karla tá com o Pai Celestial...vc vai tirar cana pesada agora, e sabe que nego lá dentro detesta essa covardia que vc fez...se prepare, vai ser brabo.

Dona Fátima orou assim no velório:

"Senhor, minha filha está descansando em teus braços, mas me dá um consolo. Acalma esta cidade e o rapaz que fez isso, para que ele venha à Tua casa".

Lee, sinceramente dizendo: Amém...

Entrai pela porta estreita. Pois larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela(Mateus 7: 13)