quinta-feira, 2 de abril de 2009

Só, tão somente

Cena Real 1:

A mãe do Arnaldo, aqui do prédio, uma senhora super-ativa que tem 80 anos e lidera a universidade da terceira idade na UERJ, me encontra na descida e me pergunta, abrindo os braços:

- E então? Cadê os brotos (gatas, na época dela)?
Também de braços abertos, respondo: - Não sei!


Cena Real 2:

Sábado, almoçando no Frango Veloz, um jovem casal de namorados se senta exatamente na mesa ao meu lado. Ele, com a camisa do Fluminense (tinha jogo mais tarde) pede o cardápio.

- Desculpe, mais sou meio burro, chamando o garçom...o que é esse prato aqui?

O garçom explica pacientemente, e o casal faz o pedido.

Aí começa a “conversa” dele com ela...ele tinha razão:

Ele era realmente, muito burro...aos 25 anos, que ele devia ter, um cara que fala “tipo assim”, como adolescente, em toda frase;

Um cara que fala 3 palavrões por frase;

Um cara que fala alto, numa conversa nonsense, em que a garota, super-constrangida, preferiu ficar calada, é muito burro.

Mas devia ter condição, um bom carro (a chave em cima da mesa era da Fiat, dessas modernas), etc.

As garotas de até 20 anos, parecem ter gelatina no lugar de cérebro, que só deve se formar mais tarde...será?

Não estou falando de estudo...uma das melhores conversas que tive na vida, foi com um pescador...que homem sábio!

Conversamos desde política, futebol, ecologia, etc...ele nem devia ter o primário...

Poucas vezes vi alguém tão aculturado, fosse por ler, fosse pela coisas que viu na vida.

O Maior Teólogo, conselheiro, Pastor que leio, não tem curso superior.

Caio Fábio é auto-didata...e dá conferências teológicas de botar PHD em Teologia e Filosofia no chinelo...e prega melhor do que qualquer um que já vi na vida.

Não, não dependemos de canudos, para sermos capazes de nos expressar.

Voltando ao somente só, tão somente onde estava...

Ás vezes, é preferível estar sozinho, esperando sem angústia o tempo certo de encontrar alguém que vai ser uma companhia ideal pra você.

Se precipitar, corre o risco de ficar igual a namorada do tricolor:

Estava nitidamente constrangida por estar ao lado dele...mas aceitou isso, simplesmente para “não ficar só”.

Daqui há pouco, ela vai estar olhando para “as mesas ao lado”.

Ou a leva de homens que ficam por ficar, verdadeiros caçadores...puxam as garotas na night, que se deixam levar mole, fazendo coleção delas...

Sim, as cachorras gostam, e como as cachorras no cio, vivem de cama em cama...

Até o dia que, estando só, percebem o vazio de suas vidas...mas já são viciadas em sexo sem amor, assim como dependentes de drogas...

Geralmente, morrem sozinhas- o tempo é cruel com elas – vivem do corpo, que envelhece, se esquecem disso.

Aí, para sobreviver, engravidam de jogadores de futebol, artistas, ou manés com grana, como o tricolor da mesa ao meu lado.

Os homens, ao verem tamanha facilidade delas, preferem até mesmo só viver assim, de galho em galho, do que ter uma mulher neurótica ao lado, do que se casar.

Mas esse galho-em galho, além de viciar (um colega meu viciou na Lapamania, vai de quinta a sábado), também dá um vazio danado na alma:

Eles, assim como elas, tem tudo, mas ao mesmo tempo, não tem nada.

O Jorginho Guinle, eterno playboy aqui do Rio, comeu meio mundo, até atrizes da época áurea de Hollywood.

Mas teve que vender o Copacabana Palace...depois a frota de táxi...

Morreu duro- e sozinho.

Nas igrejas, vejo só casal, e um monte de mulher encalhada ou divorciada.

A maioria é crise:

A divorciada carrega o karma do repúdio:

Do ex-marido, se foi ele quem pediu o boné;

Da igreja, que vai marginalizá-la, na maioria das vezes.

A encalhada, pira com a pressão da igreja (disse igreja, não de Deus) por o “tempo passar”.
E elas sofrem com isso...aí agarram o primeiro mané que aparecer no caminho...


Preferem ficar, tal como a peça da Zezé Polessa:

“Não sou feliz, mas tenho marido”.

Nunca se apresse para algo que você quer conviver bem no futuro:

Chupar gelo, alivia no calor...

Um sacolé também é gostoso, dá pra levar...

Mas você não prefere um Häagen-Dasz?

Lee, dispensando os dragões chineses, a espera de um Haagen de chocolate, ou outro tão bom quanto...

Na Sessão Revival, os Carpenters falam de Solidão- veja em vídeos.

http://www.youtube.com/watch?v=P-9mQdSzMXE