sábado, 30 de maio de 2009

Lázaro e Jesus - Morte e Eternidade


Estava porém, enfermo um certo Lázaro, de Betânia, aldeia de Maria e de sua irmã Marta.
Mandaram-lhe, pois, suas irmãs dizer: Senhor, eis que está enfermo aquele que tu amas.
Ora, Jesus amava a Marta, e a sua irmã, e a Lázaro.
Ouvindo, pois, que estava enfermo, ficou ainda dois dias no lugar onde estava.
Depois disto, disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia.
Então Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto;
Chegando, pois, Jesus, achou que já havia quatro dias que estava na sepultura.
E muitos dos judeus tinham ido consolar a Marta e a Maria, acerca de seu irmão.
Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.
Mas também agora sei que tudo quanto pedires a Deus, Deus te concederá.
Disse-lhe Jesus: Teu irmão há de ressuscitar: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;
E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá. Crês tu isto?
Disse-lhe ela: Sim, Senhor, creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que havia de vir ao mundo.
E disse: Onde o pusestes? Disseram-lhe: Senhor, vem, e vê...Jesus chorou.
Disseram, pois, os judeus: Vede como o amava.
Jesus, pois, movendo-se muito em si mesmo, veio ao sepulcro; e era uma caverna, e tinha uma pedra posta sobre ela.
Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias.
Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?
E, tendo dito isto, clamou com grande voz: Lázaro, sai para fora.
E o defunto saiu, tendo as mãos e os pés ligados com faixas, e o seu rosto envolto num lenço. Disse-lhes Jesus: Desligai-o, e deixai-o ir.

Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo a Maria, e que tinham visto o que Jesus fizera, creram nele.

Mas alguns deles foram ter com os fariseus, e disseram-lhes o que Jesus tinha feito.

Depois os principais dos sacerdotes e os fariseus formaram conselho, e diziam: Que faremos?

Se o deixamos assim, todos crerão nele, e virão os romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação. (João 11.32-44 -editado)


Jesus ainda ficou dois dias na cidade onde estava, e somente depois foi para a cidade do amigo Lázaro.

Ali chegando, deixou bem claro para os discípulos que ele havia morrido, pois desde que recebeu a notícia, pelo menos seis dias se passaram, apesar de apenas 3 km separar uma cidade da outra.

Quando chegou, aquele famoso clima de velório, que de tão forte, fez com que até mesmo Ele chorasse- apesar de saber o que estaria por vir.

Essa é uma das razões por que eu num gosto de ir a enterros...o único enterro “bom” de a gente ver, são aqueles de Nova Orleans, onde a banda vai tocando até o cemitério.

Também não gosto de caixão aberto...penso que vc tem que se recordar da pessoa como era, e não branco-alpino cor de morto...

Alías, judeus até hoje, sempre tem o caixão fechado, até a hora de sepultar.

Também não gosto de velório em igreja...o local disso é na capela de cemitério, até por questões de higiene, penso eu.

E quando ia ao cemitério, eu ficava olhando a data de nascimento e morte das pessoas, nos túmulos...

Além de ver que quando morrem, quase todo mundo colocava no epitáfio que fulano era “amado pai”, “amada esposa”, etc, mesmo que não fosse, no real.

Ninguém bota no epitáfio assim:
“Fulano de tal”, viveu como um cão, e morreu como um”.

Fulana de tal, fofoqueira : o caixão da língua está ao lado”

Queria também ver um epitáfio assim:

“FUI - mas to te esperando”! (kkk)

Alías, sempre preferi os epitáfios com fotos, igual perfil de orkut...até o dia em que comecei a ter “sensações” com as fotos (sim, eu as tenho até hoje, bem como de lugares) e aí parei de ver.

Jesus chorou, pois sentiu nítidamente o que sentimos na morte:

A sensação de perda, de vazio d'alma, de tristeza.

Ele sabia que precisava ir até a cruz, para vencer a morte.

O que Ele fez, com toda a turma, foi um difícil exercício de fé, em especial para as irmãs de Lázaro.

Com esse milagre da ressureição, muita gente creu Nele, seguindo o caminho;

Os discípulos tiveram a fé renovada, um ânimo dobrado.

Mas quer saber?

Jesus sabia que Lázaro tava numa boa...como este creu Nele, tava curtindo a eternidade ao lado do Pai.

Mas como foi dada a ordem, o espírito de Lázaro teve que retornar ao corpo.

Muita gente tem medo da morte, talvez por ainda não estar Nele;

Muito crente tem medo da eternidade, pois uma boa parte,mesmo estando anos dentro de uma grei, é ignorante a respeito dela.

Muita gente se acaba na vida, por pensar como as irmãs de Lázaro, que por ter morrido alguém querido, morreu toda esperança de vida.
Alías, muita gente tem como “referência de vida”, só isso que vemos aqui embaixo, na terra.

Foi o caso dos fariseus, que mesmo com um milagre na cara deles, pensaram só na vida “daqui de baixo" e nos seus interesses própios.

Sacerdotes fariseus, como esses do texto, não gostam de vida.

Não gostam de liberdade.

Gostam de defuntos com uma enorme pedra mantendo-os dentro da caverna.

Milagres, vida, alegria, são coisas que eles não tem o controle, não podem dominar.

Por isso, preferem “o pesar”...tem muito sacerdote por aí assim, ainda hoje.

Jesus é vida- vida essa que vc pode ter pra sempre,na eternidade, crendo Nele.

Os hindus, budistas, orientais em geral, ameríndios, africanos, todos lidam melhor com a morte, do que a turma do catolicismo-protestantismo, já repararam?
A turma da grei, na verdade, a maior parte, tem mó cagaço de morrer.

Medo de morrer é insegurança, incerteza, de para onde se vai.

Lee, que estando “morto", um dia creu, e “reviveu”.

Caio Fábio, que verei ao vivo amanhã, está na Sessão Revival de hoje, em poucos minutos, dizendo sobre morte e eternidade:

http://www.youtube.com/watch?v=C44zRFwR8_I