sexta-feira, 8 de maio de 2009

No Dia em que eu for Famoso


Não tenho nem nunca tive a menor intenção de “ser famoso”.

Ser famoso ser saber lidar com a fama, é uma das coisas mais desgraçadas que pode acontecer com uma pessoa....

Recentemente, uma atriz inglesa de 22 anos se suicidou, pois o seriado que ela participava desde pequena, terminou, e ela ficou sem rumo na vida...se matou.

A fama pode parecer legal, mas vai depender de como vc lidar com ela.

Após uma simples entrevista de cinco segundos na globo, vi o efeito que isso causa nas pessoas, quando por 3 dias recebi cumprimentos, por me verem na TV.

Grande feito...Imagina então ficar na mídia direto.

Não importa se vc é feio, gordo, baixo, careca, burro...nego não vai mais te deixar em paz.

Vão monitorar sua vida, você não vai mais poder ir tranquilo a locais públicos.

Vão inventar um monte de fofoca.

Tenho visto várias carreiras irem para o ralo, por não saberem lidar com a fama.

Assim, resolvi escrever meu manifesto antes de ficar famoso- se um dia isso for acontecer (na verdade eu tentei dormir, mas não sei por que, fui incomodado até esboçar um parágrafo sobre esse assunto...só depois consegui dormir- e não entendi o por que disso).

Vou escrever o que será mantido...primeiro, o que já existe.

I- Vou continuar dando atenção especial as crianças

Criança é pura, inocente, por isso mesmo se por algum motivo vierem a falecer nessa idade, vão direto pro céu. (ao contrário dos mais velhos, que tem de tomar uma decisão).

Dou atenção especial ao Miguelzinho, de um ano de idade, aqui no prédio, que fica doido quando me vê com Chubby (meu york) descendo pra rua.

A mesma coisa pra Jéssica, de oito anos, que pede a coleira quando volto ao prédio, geralmente no inicío da noite, e leva o Chubby até a entrada de serviço.

Crianças quando passam ao meu lado no shopping e ficam olhando, eu dou um sorriso ou tchauzinho, e elas se amarram...elas é quem são especiais.

II- Vou continuar dando atenção especial aos mais simples.

Eu me amarro em conversar com gente simples, desde cobradores de ônibus, atendentes de lanchonetes, porteiros e faxineiros, até mesmo os porteiros vizinhos ao meu prédio, frentistas do posto...até pro faxineiro do banheiro do shopping já levei um papo.

Portanto, eles continuarão a ter preferência, pois me deram atenção com sua simplicidade, muito antes de ser famoso...levo bons papos com os rapazes e meninas da Subway, da lan onde jogo, etc...

III- Usarei de cada oportunidade, levando minha influência, para falar Dele.

O meio artístico, onde tem muita gente morrendo pelo vicío da droga e outras perdições, precisa de Jesus...

Eu fico P. da vida com gente que tem acesso a eles, mas que em vez de levar uma palavra, fica bajulando, fica encantado por estar na presença deles, ou pior:

Eles, que deveriam aconselhá-los, é que recebem conselhos de vida!!

Farei tudo sem proselitismo e sem encher o saco de ninguém...mas que não me perguntem o “segredo do sucesso”, pois será a resposta mais fácil de dar.

IV- Terei a consciência que posso ter vários fãs, vários “irmãos”, mas raríssimos amigos.


Levarei em conta quem me conheceu antes da fama, e como me tratava.

Aqueles que já me conheciam antes, mas não se importava muito, e depois quiserem tirar onda de amigo íntimo, serei Justo:

Farei que nem Roberto Justus: “Vc está despedido”!

Aqueles que acompanharam, que fazem parte do meu cotidiano, de uma forma ou de outra (vc sente quem gosta, quem se importa ou não com vc) , eu mesmo farei questão de chamá-los de amigos.

Esses serão sempre convidados, quando for fechar uma sessão de cinema, pra ver filme e comer bolo, depois do filme, aqui no cinema da Tijuca.
(obs:não comemoro niver...num sei por que to escrevendo isso...deixando fluir).

Aqueles que tiveram a oportunidade de me conhecer, mas por um motivo ou outro, me rejeitaram, os tratarei como oportunistas- “jamais vos conheci”...

E as amizades futuras?

Claro que as farei...mas sempre com meu feeling ligado, pra saber quem é quem.

E a mulherada oportunista?

As tratarei como tais...oportunistas. Mas na verdade, com elas, o oportunity serei eu...ha!

E as saídas em público?

Terei a consciência que uma ida ao shopping poderá durar horas...darei atenção a todos, exceção quando tiver comendo...num vou ficar recluso igual a Xuxa ou Chico Buarque, dois frescos nesse sentido.

O Zico dá autógrafo a todo mundo, Tom Cruise e Stallone tiram fotos com todos.

O dia em que os famosos souberem que quanto mais o povo os verem como comuns, e se acostumarem com a presença deles, o “encanto” se dissipa (e a perturbação também), pois eles serão vistos como gente normal.

Sim, uma ida a padaria pode durar uma hora, mas aí eles dirão: “ah, ele tá aqui toda hora.”
Consequentemente, sua imagem vai melhorar, pois a maior influência é o público falando de vc.

E as entrevistas e programas de TV?

Acho um saco, mais pelo apresentadores ou repórteres...são poucos bons repórteres, como a Tatiana Nascimento, da Globo...as mulheres então, se comportam mais como fãs do que como profissionais, quando entrevistam homens, algumas se derretem toda, e eles fazem a festa.

Nos Cqcs e Pânicos da vida, sou eu que vou zoar muito;

Adoro Serginho Groismann, ele deixa mais á vontade do que o Jô;

Faustão será um mal necessário, devido ao alcance dele;

Vou levar a caneca do Jô pra casa;

Os programas de fofoca? Não acredite em tudo o que falarem de mim...

Poderá ser bem mais do que estiverem falando...ou ser tudo mentira...

Afinal, um programa de fofoca num é pra ser levado a sério.

Lee, antes da fama...num acredito que escrevi isso.

Tive acesso aos últimos vestidos da festa...fechando essa parte, então.

Juliana Marques

Que vestido lindo...um rosa suave, a cor da paixão, com uma rosa bordada, um efeito bonito. Belo caimento, brinco discreto, maquiagem ok, belo cordão...emagreceu, tá uma graça, muito mais bonita.

Dani Louback

Belíssimo vestido de tom azul-forte, muito bonito...brinco lindo, vistoso, por isso mesmo não usou cordão, para valorizá-lo – acertou. Cabelo lindo, brilhante, maquiagem ok.
Méldeus...que morena bonita.

Leesper, de olho nas festas.