segunda-feira, 29 de junho de 2009

O Rei do Rock, O Rei do Pop, e o Rei dos Reis

O Rei do Rock

Nome: Elvis Aaron Presley

Formação: Sargento do Exército Americano; Faixa preta de Karatê; Cantor profissional desde os 19 anos.

Casamento: com Priscilla Presley (por 5 anos).

Sexualidade: Era macho, mas quando a mulher teve filho, não sentia mais prazer tendo sexo com quem teve filho...uma distorção gerada pelo grande amor que sentia por sua mãe – Elvis começou a “degringolar” após a morte dela.

Música: Cantava de rock a gospel (é originário da Assembléia de Deus), passando por country e blues.

Voz: Era “o branco com voz de negro”: barítono, atingia 3 oitavas, bem como notas mais graves.

Gerou uma multidão de fãs no mundo inteiro: até hoje é o segundo artista morto mais tocado no mundo (estava atrás apenas dos Beatles, que dos 4 componentes, 2 já se foram- mas Michael chegou agora para competir nessa “categoria”).

Até hoje, tem o maior número de covers do mundo,mais até que Beatles e Michael Jackson.

Morte: aos 42 anos, inchado de gordo, devido a overdose em barbitúricos, mesmo com receita médica (seu médico foi julgado 4 anos depois da morte dele, e absolvido).

O Rei do Pop

Nome: Michael Joseph Jackson

Formação: cantor profissional desde os 11 anos, quando assinou com a Motown.

Casamento: Lisa Marie Presley (filha de Elvis e Priscilla, com 2 Ls, viu Pri ?) - 2 anos.

Deborah Rowe (por 2 anos)...todos dois, casamentos de fachada.

Sexualidade: indefinida...não gostava de mulher,mas também não gostava de homem:

Os traumas emocionais da infância (um suposto abuso) mas a forma carrasca que seu pai o tratava (surras de chicote, fio de ferro, tapas na cara) quando ensaiava o Jackson Five, fez dele uma figura bizarra:

Parecido com o pai, reformulou toda a cara, ao invés de fazer terapia, e ficou branco;

Nunca brincou com meninos de sua idade, quando criança e adolescente...quis fazer isso mais tarde, e juntando com os problemas de sexualidade, deu no que já sabemos.

Música: Só não cantou gospel e country...foi do Soul ao blues, do jazz ao hip hop, da disco music ao rap.

Voz: Falando, parecia uma criança de 12 anos, com voz afeminada...cantando, era difícil de classificar, pois por vezes alcançava incríveis 4 oitavas - sem falsete.

O que ele fez ainda criança em “I´ll be There”, deixa até hoje os professores de canto de queixo caído.

Gerou uma multidão de fãs, até mesmo numa prisão das Filipinas, que o homenageou no pátio da prisão, sábado passado.

Morte: aos 50 anos, de infarto, ainda cercado de mistérios que estão sendo investigados, mas assim como Elvis, pode ter sido por conta do médico que lhe aplicava injeções de demerol (ao qual era viciado) .

O Rei dos Reis

Nome: Jesus de Nazaré (naquele tempo, como na Grécia antiga, as pessoas eram conhecidas pelo prenome e pela cidade de onde eram).

Formação: Carpinteiro

Casamento: Não se casou, foi solteiro convicto.

Sexualidade: se fez “eunuco”, para cumprir sua missão,mas nunca exigiu isso de nenhum de seus discípulos, até hoje.

Música : O único registro que tenha cantado, foi pouco antes da última ceia com os discípulos.

Mas Ele participava ativamente das festas judaicas e de casamentos, onde havia muito canto.


Voz: "As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem; Ele as chama pelo nome" (João 10.3)

Gerou uma multidão de seguidores em todo mundo, até hoje:

Mais de 2 bilhões de pessoas, ou 1/3 da humanidade: Nenhum dos reis anteriores consegue isso, mesmo juntos.

Morte: Aos 33 anos, crucificado.

Mas ressurgiu 3 dias depois, e subiu aos céus, na frente de mais de 500 pessoas.

Disse que vai voltar, para buscar os que são seus, mas quem “subir” durante esse período, vai estar com Ele.

O mundo é cheio de reis ( e nem citei o Rei Pelé e o Rei Roberto), mas Ele disse que todos os reinos desse mundo dobrarão os joelhos na sua volta, e confessarão que Ele é o Senhor.

É só uma questão de escolha...cada um, tem o rei que merece.

Lee, admirador de alguns reis, mas seguidor só de um.



Na Sessão Revival:


O Rei do Rock foi parar na prisão:

http://www.youtube.com/watch?v=tpzV_0l5ILI




E o Rei do Pop no Egito, desafiando Faraó (Eddie Murphy):


http://www.youtube.com/watch?v=Dl6nQYNENnM







domingo, 28 de junho de 2009

No Clamor, a Resposta


Então clamaram ao SENHOR na sua angústia, e ele os livrou das suas dificuldades.
Enviou a sua palavra, e os sarou; e os livrou da sua destruição (salmos 107.19,20).

Deus responde nosso clamor.

Muitos se desesperam em momentos de angústia, e “jogam a toalha”, desistindo, ou acabam fazendo besteira, piorando uma situação.

Pouco antes desses versículos, vemos que alguns soldados estavam “desgarrados” pelo deserto, não achavam nenhuma cidade para descansar, e estavam famintos e sedentos:

Desfalecia-lhes a alma, diz no início do capítulo.

Quantas vezes nos sentimos assim, perdidos em alguns dos vários desertos da vida...

Querendo descanso, mas não tendo nenhum lugar para descansar...

E com fome e sede (pode ser de justiça, por algo melhor, etc), mas sem ter o que comer, nem água pra beber.

Quando clamamos a Deus, ele nos livra das dificuldades – por isso, continue:

Se os soldados, mesmo clamando, tivessem parado (e eles tinham motivos pra isso, pois além deles, os cavalos também estavam cansados e sedentos), não teriam recebido o livramento.

Eles não teriam pego o caminho direito, que Deus estava conduzindo:

Milagrosamente, do nada, chegaram a uma cidade habitada.

Deus envia sempre sua palavra, e nos sara.

Ele nos livra da destruição: é só clamar...

E não desistir...não pare, vc tá quase saindo do deserto, e chegando a uma cidade.

Clame, e Ele vai mostrar o “caminho direito”.

Lee, apontando o caminho > É só seguir em frente...

Na Sessão Revival de hoje, vamos rever algumas parcerias de Michael:

No Oeste americano, vendendo um "biotônico milagroso" com Paul Mc Cartney:

Dando uma força (ele só canta o refrão), para Rockwell (um amigo desconhecido), numa música que chegou ao segundo lugar da MTV na época, surprendendo a todos:

E na maior parceria de todos os tempos (45 cantores, com ele -vários, vc conheceu aqui na Sessão Revival):
Metade da África estava morrendo de fome, nos anos 80 (hoje, está morrendo de Aids, e por guerras) .

Michael e Lionel Richie escreveram a música em um dia, e todo o lucro do single iria para a África, em especial, a Etiópia.

Rádios de todo o mundo, decidiram tocar a música juntas, ao mesmo tempo...aqui no Brasil, ás 15h, todas as rádios brasileiras tocaram “We are the World” juntas:

Nunca mais aconteceu isso...só mesmo Michael, em mais uma façanha:
Deixo essa como a música especial desse domingo.

sábado, 27 de junho de 2009

Mistérios no atendimento de Michael


Michael sempre teve sua vida cercada de mistérios, inclusive na hora da morte.


Existem muitas perguntas sem respostas...e se a polícia continuar cavucando, vamos descobrir mais coisas que aconteceram naquela última quinta-feira...


A chave para isso é o exame completo dos legistas, em especial o toxicológico- mesmo morto, o corpo ainda fala (quem vê CSI, sabe disso, certo galera?).


Já se sabe que não houve luta, agressão, etc...o resultado final sai daqui a um mês.


Mistérios no atendimento de Michael:


1- Quem fez a ligação para os paramédicos, que ninguém sabe até agora?


Não foi ninguém da família...por que até agora não foi identificada essa pessoa?


2- O médico sumiu, desapareceu, escafedeu-se...vazou tão rápido, que esqueceu o carro, que já foi rebocado, com medicamentos dentro...por quê esse sumiço?


Michael estava fazendo exercícios ( a coreografia que usaria em Londres), era viciado em morfina, e tomava remédios de tarja preta, fortíssimos...supostamente, o médico teria dado uma injeção de demerol (semelhante a morfina) que é super-forte, mesmo após Michael ter tomado seus remédios, já pesados por natureza.


3- Como um médico profissional tentou fazer massagem cardíaca em cima da cama??


Massagens cardíacas precisam ser feitas no chão, em emergências, nunca em camas, pois são fofas- vc vai pressionar o peito, e o corpo vai descer.


Qualquer um que tenha feito um treinamento em primeiros socorros sabe disso...


Como um médico profissional- particular poderia ter cometido um furo desses?


Quer saber?


Eu creio que o médico, na medida em que ele deu a "injeção fatal" e viu a cena desesperada que se seguiu, tentou tirar o dele da reta...por isso, o sumiço.


Michael deu entrada no hospital ás 16.21h de Brasília.


Ás 18.29h (de Brasília) estava morto.


Sim, a ambulância americanana, e a polícia, não é como a nossa:


Chegaram em 6 minutos...aqui chegam 3 horas depois, só pra pegar o defunto ( a pública, claro).


Pense o seguinte- Michael não passou mal naquela hora e teve o infarto- antes, provavelmente se sentiu mal, ficou tonto, teve um aperto no peito, etc:


Por que não levaram ele imediantamente até o hospital, que fica só a 6 km da casa dele (7 minutosde carro, no máximo) ?


Provavelmente teria dado tempo de colocar soro direto na veia, para um medicamento imediato contra os remédios...


Mas esse foi o problema:


O Médico sabia do vacilo que tinha cometido, aplicando aquela injeção em hora errada.


Se fosse da família, eu pediria uma nova necrópsia.


Bem, "doutor", estamos aguardando o seu aparecimento...


Esse é o tipo de cara que num dá pra fugir pra nenhum lugar do mundo, pois todos estão de olho...


Peraí...tem um cara aqui na lan que é a cara desse médico...


Eu vou lá conferir pra ver se é ele...


- Negão, te conheço de algum lugar, já te vi antes....



Lee, conferindo os mistérios em torno de MJ: comprei um cd dele, o Brazilian colection, hoje...tenho nova trilha musical para a hora do banho- só tomo banho escutando música.


Na Sessão Revival, o primeiro grande sucesso solo de Michael (já adulto) , que estourou no mundo todo, na fase final da disco music, e que até hoje é tema de abertura do Vídeo Show, da Globo (escute a parte que o vídeo show colou) - Don't Stop 'Til You Get Enough (79);



E o último sucesso do Jackson Five (nessa última fase chamados de The Jacksons, por se desvincularem da gravadora que tinha direito a usar o nome antigo), já com todo mundo marmanjo, antes da saída de Michael em 80 - Can You Feel It.



Don't Stop 'Til You Get Enough :







Can You Feel It - The Jacksons:


















sexta-feira, 26 de junho de 2009

The King of Pop: Lições que podemos tirar dos erros dele (e da família)



Hoje quando fui almoçar,comprei 3 jornais com a capa da morte de Michael em destaque, para guardar de recordação...sendo que o jornal O Dia, aqui do RJ, tinha se esgotado.

Fui comprar em outra banca.

Quando fui pegar o meu sanduba de almôndegas na Subway, a Monique (atendente) me perguntou:

-Que cara é essa?

- To triste, respondi.

-Ah, vai dizer que é por causa do Michael Jackson?

- Isso mesmo.

A dona da franquia estava por lá, e falamos de como ele agora entrava pro hall dos mitos, como Elvis e John Lennon.

No entanto, penso que será num estágio maior do que esses, pois tanto o Rei do Rock (Elvis) quanto Lennon (da maior banda de todos os tempos) não tinham algo que tem hoje:

A mídia, e as novas tecnologias.

Enquanto saiu edição extra de jornal para anunciar a morte de Elvis nos EUA (em 77), e as rádios demoraram a confirmar a morte de Lennon no hospital, após ser baleado (em 80), todos ficaram logo sabendo de Michael:

Uma hora depois da morte oficial dele, eu recebia uma ligação de celular;

Sites do mundo todo anunciaram, e eu postei logo no orkut – onde muita gente ficou sabendo, naquele momento.

Michael soube usar toda a parafernália audiovisual a seu favor, nos clips e shows, o que sai em vantagem em relação aos mitos que citei.

Sem falar que alcançou tanto as gerações que vieram depois dele (umas 4), como as gerações anteriores a ele - algo inédito ( pois com 8 anos já era o principal dos Jackson Five):

Ninguém conseguiu fazer isso, dos mitos que citei, fora os outros (Bob Marley, Ray Charles, James Brown), etc .

Bem, a Monique viu que minha cara ainda estava inchada...e ainda tenho um Globo Repórter para encarar...ai,ai...

Mas senti em meu coração que tinha que escrever sobre as lições que temos que tirar dos erros cometidos por ele, e sua família...vamos a elas.

1 – Coisas mal resolvidas na infância, como traumas, abusos e excessos, vem a tona mais tarde, se nós não nos curarmos psicológica e espiritualmente.

O pai de Michael era um carrasco, e ensaiava o Jackson Five com mão de ferro.

Ele, que era operário de dia, e guitarrista frustrado á noite, projetou nos filhos o sucesso que ele não teve na vida artística.

Tome muito cuidado com quem decide a sua vida:

Vc vai ser advogado/a por que vc gosta, ou seu pai e mãe quer?

Vai/foi ser militar só para agradar o papai?

Tá fazendo medicina por que toda sua famíla é de médicos, mesmo sem vc gostar?

Pais, não empurrem para seus filhos suas frustrações , ou mesmo seus gostos – é uma das coisas que mais vão complicar a vida deles no futuro.

O pai de Michael cobrava mais dele- sabia que ele era o astro da turma, mesmo sendo o menorzinho – Michael levava tapas na cara, toda hora que errava.

Muito cuidado com a atenção que vc dá só a determinado filho- não se esqueça que vc tem outros.

Janet Jackson disse em certa entrevista que o irmão tinha sido abusado, e deu a entender que fora pelo pai...depois, desconversou.

Se isso aconteceu, explica muita coisa que houve com ele depois...mais uma coisa aconteceu:

O menino Michael viu os irmão mais velhos transando com fãs dentro do mesmo quarto de hotel que ele estava, várias vezes...ele botava o travesseiro no ouvido, pra tentar não ouvir a orgia ao lado dele- o própio Michael disse isso.

Não me espanto que mais tarde ele tenha abusado de garotinhos, pelos históricos acima citados.

Trate seu filho pequeno como ele é - uma criança.

O que aconteceu com Michael, com Macaulay Culkin (Esqueceram de Mim) e o que o Sílvio tá fazendo com a Maísa, é inaceitável – criança é criança- mesmo sendo prodígio, como ela é, e eles foram.

Na questão espiritual, é necessãrio o perdão...só o perdão liberta a pessoa, terapia sozinha não consegue isso.

2- Trate o dinheiro como ele é - papel- e não como deus.

Jesus se referiu ao dinheiro como Mamom, uma entidade que controla as riquezas.

Ele disse que ninguém poderia servir a Deus e as riquezas, ao mesmo tempo, pois haveria de agradar a um, e desprezar a outro.

Mamom controla as finanças do mundo, quebra bolsas, levanta economias a custo de explorar outros, etc, e enriquece a quem faz pacto com ele, em troca da alma.

Michael fez de mamom o seu deus, e torrou 535 milhões de dólares em menos de 10 anos, achando que teria dinheiro pra sempre:

Devia 7 milhões a um empresário árabe, que ira pagar em troca dos shows que faria em Londres...o dinheiro se foi em extravagâncias, em processos judiciais, e em muitos problemas de saúde.

Dinheiro, definitivamente, não deixa ninguém feliz.

3- Cuidado com sua auto-estima: se vc não gostar de si mesmo, nunca vai gostar de ninguém.

Se vc não amar a si mesmo, não vai amar ninguém, pois esse amor será superficial.

Tem gente que queria ser mais alto, mais baixo, mais magro, ter mais corpo, ser mais bonito, com o cabelo assim ou assado, com olho dessa cor, queria ter peito grande, queria “ter bunda”, ou "não tê-la", ser mais novo, ou ser mais velho.

Uma baixa auto-estima, geralmente faz com que a pessoa tenha uma visão negativa da vida.

Afinal, ela tem uma visão negativa de si mesma.

Michael não se conformava em ser negro – queria ser aceito pelos brancos, ficando branco, inventando que tinha vitiligo;

Fez 50 cirurgias plásticas...mexeu tanto no nariz, a ponto de quase ficar sem;

Alargou os olhos, ficando com “olhos de gato”, e ficou com cabelo de boneca.

Acabou virando uma caricatura, parecendo mais aquele macaco branco do Planeta dos Macacos.

Com Elvis foi a mesma coisa- morreu gordo, inchado, pelo vício de barbitúricos.

Sei separar as coisas : "Adoro" Michael como artista, a ponto de chorar a morte dele, de ficar triste ao longo do dia, com cara inchada, abatida -perceberam isso.

Mas sei muito bem que ele foi um ser humano infeliz, marcado por dramas familiares intensos, escolhas erradas, e cagadas que fez ao longo da vida.

Posso dizer pra vc que o que levou Michael a dependencia de morfina, era a insatisfação com a vida- era como se quisesse se aliviar de toda dor, não só a dor física que sentia, mas a dor da alma.

Se Michael soubesse que a dor da alma só Jesus pode curar, e não remédios, e pudesse ter visto hoje as imagens de gente, como eu, chorando daqui até o Japão...

Gente que apesar de tudo, o amava...

Acho que ele ainda estaria entre nós.

Lee, que ainda tem um Globo repórter do Michael a encarar.
Na Sessão Revival, um vídeo inovador de Michael, que congestionou as linhas da Globo, e foi lançado no mesmo dia, simultâneamente em 27 países- Black or White (participação especial de Macaulay culkin) :

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Forever Michael

Na Época do Jackson Five

O Álbum mais vendido de Todos os Tempos

Michael sai de cena, e assim como Elvis e John Lennon, deve virar um mito


Olha, confesso que tá difícil escrever essas linhas...

Depois de confirmarem a morte da ex- pantera Farraw Fawcett, hoje (ontem) dava vontade de chorar ao ouvir o tema de abertura das Panteras...

Mas Farrah estava com câncer terminal- já era esperado.

Mas assim que cheguei da rua, recebi um telefonema dizendo que Michael estava em estado crítico, abro em sites confiáveis e disseram que já estava morto...

Eu já sabia sobre o que iria escrever...eu já sentia que ele havia morrido.

Por volta de 16 horas de Brasília, Michael teve um ataque cardíaco em casa (estão investigando a causa, dizem que ele pode ter tomado uma de suas injeções contra dor, e não resistiu), e paramédicos o levaram ao hospital, onde entrou em coma.

E acabo de ouvir a a confirmação do legista, pelo Jornal Nacional que ele morreu...

Alías, Jornal Nacional barra pesada esse...revi Farrah, com a música das panteras ao fundo...e Michael...a Fátima Bernardes se atrapalhou e tudo, no final, sendo corrigida pelo marido, Bonner- ela disse: "logo mais, no Jornal Nacional, vc terá mais informações".
Bonner corrigou, "No Jornal da Globo, estamos todos abalados pelo morte do ídolo pop."

A música - tema das Panteras, que tanta força fiz pra não escutar hoje, junto com as imagens de Michael, de quando eu era teen, me fizeram entrar no quarto e desabar em choro...

Choro contido, abafado com toalha- num to mais em idade de ficar chorando por atores/atrizes/ artistas:

Em público, claro...na verdade, fui dormir com a cara inchada, de tanto chorar, e já chorei pela manhã de hoje (26), também- num to podendo ver nem ouvir nada dele.
Vieram muitas lembranças dele...

Eu me lembrei de quando fui na Mesbla, antiga loja varejista, que fechou aqui no Rio...hoje, é uma Sendas...era lá que comprava meus discos , ou fitas cassetes.

Foi lá que eu comprei Thriller, sem saber que aquele seria o álbum mais vendido da história da música: 109 milhões de cópias.

Pra se ter uma idéia, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, considerado o álbum mais vendido (e importante) dos Beatles, está em nono lugar na lista.
Sim, Michael fez muita merda, as mais notórias, as acusações de abuso sexual em garotinhos:
Uma em 93, outra em 2005.

Em 93, pagou um acordo milionário, que levou metade de sua fortuna, tanto pra família da vítima, tanto pro advogado que conseguiu o acordo pra não ir a julgamento.

Em 2005, nova acusação, e torrou o restante da grana pra pagar advogados e custos judiciais caríssimos, pois pesava contra ele a acusação anterior, e desta vez ele foi preso, com algemas e tudo, sendo fichado:

Teve que vender o Neverland, espécie de rancho-parque de diversões- zoológico pessoal.

Vendeu também 1/3 dos direitos autorais das músicas dos Beatles, que ele havia comprado de Paul Mc Cartney- começava a faltar grana - tudo pra não ir em cana.

Durante esse hiato de 12 anos ele ficou no ostracismo, com supostos problemas de saúde ( por ter feito tratamento pra ficar branco, e por inúmeras cirurgias plásticas- mexeu tanto no nariz, que o mesmo começou a “derreter”).

Por isso, fechou uma série de shows em Londres, que começaria no próximo dia 12 de julho, onde em apenas 5 horas, foram vendidos todos os ingressos.

Iria ganhar 50 milhões de dólares só por esses shows.
Mas a morte de Michael me trouxe outras lembranças dos tempos de criança, teen, e fase adulta...
A primeira música que ouvi de Michael foi One day in your life, que achei simplesmente linda.
Foi numa fita cassete da Basf, que era da minha irmã.

Me lembrei também que todas as crianças, pré- teens, teens e jovens de quando ele estava no auge, imitavam a dança dele, em especial o Moonwalker, que desliza com os pés- quantos adolescentes não ensairam esse passo...taí, esse eu num ensaiei.
Alías, nunca imitei uma dança do Michael, sabia que num ia conseguir, só admirava.

Me lembrei de como as meninas gritavam, quando ele botava a mão no saco;

Me lembrei de quando em qualquer loja, bar, onde quer que fosse, que começasse a tocar Billy Jean, Beat It, ou Thriller, eu parava pra escutar- e quando olhava para os lados, percebia que não era o único;
Me lembrei do comercial da Pepsi, que ele foi fazer, e uma fagulha de fogo, dos efeitos especiais, pegou no cabelo dele, queimando o couro cabeludo...foi dali que ele se viciou em remédios e injeções contra dor.
Me lembrei de que, de serviço num domingo (plantão) a época que eu trabalhava para o estado, coloquei num canal de tv aberta, que passava flashbacks de clips antigos (acho que era a CNT).
Eu sozinho, na sala de tv, vendo clips antigos (que me amarro), deixei a porta aberta.
Foi quando começou a tocar "Beat It".
Primeiro, entrou o faxineiro com sua vassoura, e ficou dançando, largando a vassoura e fazendo os movimentos;
Depois, entrou um médico, e a seguir, uma enfermeira, e depois, outro colega administrativo...
Depois, entraram 2 pacientes...pronto:
Eu, que estava sozinho um tempão numa tarde fria vendo meus flashbacks, agora via uma verdadeira festa, com todos diante da tv, olhando o clip, e muitos dançando.
Michael animou aquela tarde de inverno numa clínica...só alguém carismático consegue isso.
Me lembrei da mini-série da vida do Michael, que passou na Globo na década de 90, e que todos assistiam e comentavam, igual novela;

Me lembrei de quando chegava da grei domingo á noite, corria pra ligar no Fantástico, desesperado pra ver os novos clips dele:
Eu ficava caçando meu pai, pra gente entrar logo no carro e ir embora, igual fazia pra ver os gols do Fantástico (que hoje, voltou a passar por volta de 22.30h,igual naquela época- era uma corrida contra o tempo) - ele pensava que era pra ver os gols, e caçava minha mãe pra botar logo dentro do carro, e ir embora.
Mas era para ver os clips do Michael - kkk!
Beat It, Billy Jean, e Black or White, o Fantástico teve que reprisar no final, novamente, devido aos pedidos que chegavam via telefone (naquela época, não havia canal de clips, como a MTV, no Brasil);

Thriller então, congestionou as linhas da Globo, a ponto de não só repetirem, como reprisaram novamente no domingo seguinte duas vezes.
Me lembrei de que, eu ouvia as músicas dele, seguidas, de quatro a sete vezes, até enjoar, e ir pra outra- hábito quemantenho até hoje, ouço pelomenos 3 vezes seguidas, qualquer música que gosto.

Os clips tinham história, e eram elaborados,uma novidade para época...e quebravam preconceitos:

Billy Jean foi a primeira música cantada por negro que tocou na MTV americana, em 1983...antes, a emissora só tocava brancos.
A música conta a história de um homem acusado falsamente de ser o pai de uma criança - uma história real vivida por Michael em 1981, quando uma fã maluca passou a persegui-lo clamando que ele assumisse uma suposta paternidade do filho dela.

Beat It falava contra as lutas de gangues, e Thriller era um filminho de terror manero, que todo mundo dança até hoje em festas flashbacks, e está presente em filmes como "De Repente, 30".

Olha, cheguei ao final do texto...essa dose dupla de hoje me exauriu... num dá mais.

Eu juro pra vcs que, se algo acontecer com o Stallone essa semana, num escrevo por pelo menos sete dias!!
Forever Michael, em minhas lembranças.
Lee, que não irá para a Neverland, mas sim para a Foreverland, quando chegar a hora: A eternidade.
Daqui até alguns dias, Sessão Revival com clips de Michael, começando com os 3 maiores sucessos:
Billie Jean legendado- duvido que vc num vá mexer o pézinho...rs:
Beat It, com a guitarra de Ed Van Halen, de participação especial:
Thriller legendado (parte 1) - (só de manhã, pode ter pesadelo):
Thriller legendado (parte 2) -num vai dizer que num avisei, hein!

terça-feira, 23 de junho de 2009

Infelizmente, a Farrah está terminando...

Farrah Fawcett
Kelly, Jill , e Sabrina: As Panteras Originais


Farrah Fawcett, a eterna Pantera Jill do seriado As Panteras, está com câncer terminal.

Ela já havia vencido um câncer de mama, mas dessa vez retornou num devastador câncer que começou no reto, e subiu até o fígado, se espalhando...foi diagnosticado em 2006.

O filho da atriz ,que está em cana por drogas, disse que a mãe está pesando apenas 39 quilos, e sem cabelo, devido a quimioterapia.

Ryan O`Neal, companheiro da atriz desde a década de 80, resolveu pedir ela em casamento, e disse que não sabe como vai ser sua vida sem Farrah.

Milhares de fãs ao redor do mundo, se surpreenderam com a notícia...eu, inclusive, pois sabia que ela havia vencido o câncer de mama, não sabia que surgira outro.

As Panteras foi um clássico da TV mundial- esqueçam os filmes do cinema, duas porcarias (e olha que gosto da Drew Barrymoore).
Era raro ter série com mulheres como atrizes principais, na época.

Nos cinco anos que passaram na TV, as garotas venderam de tudo, desde capa de revistas, bonecas, cosméticos, sabonetes e um scambal.

Os homens eram loucos pela Jill (Farrah), que fazia a mais desmiolada da turma original.

As mulheres do mundo todo, a época (pois o seriado passa em reprise no mundo todo até hoje- elas nem precisaram mais trabalhar, devido aos direitos autorais, pois tem até dvd), iam ao salão e pediam pra cabelereira fazer o “corte da Jill, das Panteras”.

Farrah Fawcett era assediada por ricaços, donos de cassino, etc, e até por sheiks árabes que queriam pagar uma bolada pra ter “uma noite das arábias” com ela.

O famoso calendário dela com maiô, vendeu milhões de cópias, aparecendo até em filme (Os embalos de sábado á noite).

O estouro dela foi tão grande, que ela só passou um ano e meio no seriado: tentou carreira no cinema, sem sucesso.

Antigamente, nego nos EUA fazia distinção entre ator de seriado e ator de cinema:

Farrah sentiu isso na pele...

Hoje, essa cultura caiu drasticamente, apesar de algumas resistências...Farrah só recebia papéis de mulher fatal, em produções de gosto duvidoso, ou fracas mesmo.

A Época, Farrah se casou com Lee (!!) Majors, mais conhecido como o Homem Biônico do seriado O homem de seis milhões de dólares, outro sucesso da época.

Mas ele a sufocava, era muito ciumento, e depois, a proibiu de atuar (Farrah só voltou a atuar em participações de vez em quando na série, como convidada)...se divorciaram, claro.

Talvez por vc achar que Jill era minha Pantera favorita, to escrevendo sobre a doença dela...mas não, ela não era...

Eu escrevo sobre o que sinto, muitas vezes, assim como escrevi da morte do David Carradine, estou escrevendo por que atores ou atrizes, pra quem é fã de cinema e seriados de TV, nos marcam, especialmente de nossa infância ou fase teen.

Quer saber de quem eu gostava?

Das três originais, Sabrina (Kate Jackson), Kelly (Jaclyn Smith) e Jill Munroe (Farrah), eu ficava ligado na Sabrina, que alías, é a cara de uma vizinha minha.

Sabrina era a mais inteligente das três, Kelly a mais tranquila, e Jill a sedutora doidinha.

Sem falar que sempre fui fã das morenas...isso até quando veio a segunda temporada...

Quem substituiu Jill Munroe, foi sua irmã, Kris Munroe (Cherryl Ladd):

Pela primeira vez na vida, tinha olhos para as loiras...deve ser por que a Jill num combinava comigo...mas a Kris, essa combinava...ah, a Kris combinava...rss!

Assim, terminei com a Sabrina (Kate Jackson) pra ficar com a Kris (Cherryl Ladd):

Até hoje, Sabrina não fala comigo por causa disso (kkkk).

Assim, não senti tanto a falta da Jill, que inclusive, como disse, volta e meia voltava pra dar um help a turma, e ficavam as 4 panteras...ela tava sempre por perto...

Tô começando a sentir falta dela agora:

A TV ficará sem Farrah;

As Panteras ficarão meio sem graça, sem a “doidinha sensual” da turma.

Lee, antes fã tão somente das Sabrinas (morenas), até que uma loira (Kris) entrou em sua vida – foi uma “Farrah”na minha cabeça...

Sessão Revival especial das Panteras hoje tem 3 vídeos, veja pela ordem:

Abertura original,com Farrah Fawcett no elenco:

http://www.youtube.com/watch?v=sOjJohZfYiM


Abertura já com Cherryl Ladd no elenco:

http://www.youtube.com/watch?v=PWC-EBgBjf4


Reunião das Panteras originais no Emmy em 2006:

http://www.youtube.com/watch?v=aevrZX5waao

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Air France, Airbus,etc- Onde estava Deus nisso tudo?


Foi a pergunta constante, que fizeram nessas últimas semanas.

Eu sempre dou um tempo para escrever sobre coisas mais chocantes...

Nunca escrevo na hora, ou mesmo não escrevo, como no caso do menino que foi arrastado pelos bandidos, ou da mãe que os PMs mataram dentro do carro, pensando que era bandido, tudo aqui no Rio.

Creio que na maioria das vezes, é melhor se calar, e se solidarizar, do que tentar entender algumas coisas- até por que nessa hora,os atingidos nunca vão entender nada.

Geralmente, tem aquele choque inicial, depois o inconformismo, até chegar a aceitação:

Quem nunca chega a aceitação, leva uma vida aprisionada por tudo o que aconteceu.

Depois, tem todo aquele “lápis colorido” que a imprensa faz, só aumentando a dor dos parentes e amigos:

Botar fotos na capa de jornal e revista e contar historinhas da carochinha (fulana tinha só 22 anos, e ia passear na europa, o jovem casal ia em lua de mel para Paris, fulana viajava com o filho de 9 anos, etc).

Essa mexicanização da notícia, é muitas vezes, deprimente- eu, num gosto, mesmo.

Bem, aí chega alguém e quer botar a culpa num avião que cai em Deus, no PM que matou por engano (um erro de julgamento) em Deus, a culpa dos bandidos arrastarem o menino em Deus, e todas as desgraças que acontecem, poem na conta divina.

Bem..pra começar, vou colar o que o Pr Israel Azevedo escreveu no boletim dominical de ontem, na grei, que vai com tudo o que penso a respeito do que aconteceu, e depois comento mais embaixo.

“1. Para reger as nossas vidas, Deus fixou leis, que põem ordem no mundo.

Deus governa o mundo por essas leis. São leis que precisamos conhecer pela fé e pela ciência.
É também por meio dessas leis que Deus fala (“Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo” (Salmo 19.3-4).

Quando quebramos essas leis, pagamos um preço. O fato de não sabermos as causas (como é o caso do vôo de um avião) não quer dizer que elas não existam. Nem quer dizer que não tenhamos que pagar o preço por as quebrarmos.

2. Precisamos aprender que a liberdade (de voar) inclui o risco (de cair).

Não podemos desejar a liberdade e recusar o risco. Quem vive (todos nós) deve saber dos riscos.
Viver implica riscos- Deus respeita a nossa liberdade, no erro e no acerto.
Embora seja soberano, Deus respeita até a escolha errada que fazemos. Como diz o salmista, o que Deus faz é, pelas leis que criou, nos admoestar, para que as guardemos e recebamos suas recompensas (Salmo 19.11).

3. Nossa vida é grandemente beneficiada pelas aplicações científicas, transformadas em produtos,em diversas áreas, como a medicina e o transporte.

Não devemos ter medo das tecnologias, nem divinizá-las, por mais conforto e segurança que nos tragam.
A notícia de um acidente aéreo, com vítimas,próximas ou distantes de nós, é um convite para desidolatrarmos a tecnologia; é um convite à humildade.
Em todos os momentos da vida, devemos orar como o poeta bíblico: “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão” (Salmo 19.13).”

Bem, falando específicamente da queda do avião, e das leis divinas:

Em vez de botar na conta divina, e de alguns pastores falarem abobrinhas, como vejo por aí (ex do que falaram nesse episódio: “foi da vontade de Deus”, ou estavam em pecado”, ou “as crianças pagaram os pecados do pai, etc) deveríamos entender princípios básicos, que Ele criou.

Pra vc fazer um avião com mais de uma tonelada de ferro voar (o que por si só, já é uma coisa fantástica), vc precisa seguir as leis da física, da aerodinâmica, etc- e tudo isso, foi Deus quem criou, e deu o conhecimento ao homem.

Se vc for contra a natureza Dele, por exemplo, terá problemas- mesmo o melhor navio, se navegar contra o vento (natureza criada por Ele), contra a correnteza (criada por Ele),vai se atrasar, e se não prestar atenção nas coisas criadas por Ele (recifes, rochedos, Icebergs), o navio rasga igual papel– lembre-se do Titanic.

Pra isso tem sonar, radar, mapas, regiões a serem evitadas, etc.
Pra esse avião de mais de uma tonelada de ferro continuar voando, precisa continuar seguindo os princípios criados por Deus.

Mesmo um avião grande como o Airbus, jamais poderia ficar 12 minutos dentro de uma nuvem enorme (tinha 15 kilômetros), carregada de turbulências (deslocamentos de ar), raios e relâmpagos:

Nenhum piloto em sã consciência, ainda que recém formado, encararia uma dessas.

Por isso que existe a suspeita do defeito na leitura do computador, reforçado pelo comunicado da Airbus a todos os aviões que percorrem médias e longas distâncias para efetuarem uma troca:

Esse Recall, depois da desgraça, reforçou a culpabilidade da Airbus.

É claro que a empresa vai jogar a culpa no piloto, pra evitar indenizações (aí, a culpa é da Air France, patroa dos pilotos).

O computador leu mal, ou alguém programou mal, enfim, entraram no olho do furacão, pois foram contra as leis de natureza Divina.

Mas Deus num poderia ter feito um milagre?

Claro que sim- mas aí, estaria indo contra suas própias leis.

Se Ele as criou, e deu entendimento ao homem para que pudéssemos “navegar” conforme a vontade Dele, nos ensinando a maneira correta de agir em segurança, se Ele fosse intervir constantemente nessas questões (pois algumas vezes,Ele intervém) estaria indo contra a própia natureza Dele- de que adiantaria tê-las criado?

E nas vezes que Ele interfere, é questão únicamente da soberania Dele.

Como no caso em que um avião emperrou o trem de pouso, e um membro de uma igreja ligou do celular do avião para a igreja, num domingo, em pleno culto, em Belo Horizonte...
Falou diretamente com o Pastor:

- Estamos voando em círculos para gastar combustível: o trem de pouso emperrou, e depois da próxima volta, o comandante vai tentar pousar o avião de barriga.

O Pastor botou toda igreja de joelhos e oraram, clamando a Deus...na última volta, o trem de pouso voltou a funcionar.

Mas já vi toda uma igreja clamando por um irmão que passou mal no jogo de volei, no acampamento, lá em Areal- algo bem mais simples.

Eu tava na piscina, e correram para socorrer o coroa que passou mal, massageando o peito dele.
Enquanto botaram ele num carro que voava a 150km por hora, até o hospital, fizemos um grande círculo, todos dando as mãos, de joelhos na grama, os filhos do coroa, inclusive, todos orando.

Ele chegou no hospital morto...tinha 50 e poucos anos, e morreu de infarto na frente dos filhos.

Eu tinha 14 anos, e ali comecei a aprender sobre a Soberania de Deus:

A gente queria o coroa aqui embaixo, mas Ele achou melhor levá-lo.

Aprenda mais sobre as leis de Deus aqui na terra- procure uma grei sadia.

Essas igrejas malucas, que não permitem pensar, poem a culpa no diabo, nas pessoas, em todo mundo, e seus pastores não sabem explicar o básico, pois só sabem pedir dinheiro e inventar coisas malucas pro povo seguir, como ensinamentos falsos, bandas lançando modismos e com letras e práticas nocivas a sã doutrina da Bíblia.

Não dizem que destruímos a camada de ozônio, que derrubamos as matas, que estamos derretando as calotas polares, que existem outras formas de combustível não poluentes sem ser o petróleo, que fazemos bolsas de jacarés e vestidos de pele de leopardo,que matamos focas a pauladas e baleias na covardia pro comércio, que matamos os elefantes pro marfim virar tecla de piano de luxo...

Nós fazemos todas essas coisas “bacanas”, e depois botamos a culpa em Deus, ou no diabo:

Fica mais fácil.

Lee, ciente da lei da probabilidade: aviões caem menos do que se imagina, mas caem...trem descarrila, carros batem, motoqueiros morrem todo dia, pessoas morrem por violência, etc.

Na Sessão Revival, pra vc de grei que não gosta de pensar:

sábado, 20 de junho de 2009

Generalidades


Sobre a questão do Jornalismo sem diploma:

Sinceramente, eu apoiei.

Os maiores jornalistas que conheci e conheço, não tem diploma.

Paulo Francis não tinha diploma, mas era capaz de escrever sobre política internacional como poucos...alías, ele escrevia e falava muito bem sobre tudo, menos futebol.

Francis, na era pré-internet, lia 200 revistas por mês, nacionais e internacionais,e lia jornais daqui e dos EUA.

Foi correspondente da globo em NovaYork, não tinha medo de polêmica, e era uma figuraça, falando na TV- quem viu Manhattan Connection com ele, e depois sem ele, sabe do que estou falando.

Armando Nogueira é o maior cronista esportivo do país, tendo ajudado a fundar o jornalismo da globo (o Jornal Nacional e o globo repórter foi idéia dele, junto com Alice Maria).

Ele, sem diploma, foi quem começou a puxar o pessoal das faculdades para a TV.

O Arnaldo Jabor é cineasta (tb sem diploma), e faz críticas ferinas no jornal da globo, especialmente contra os políticos de Brasília, que pedem sua cabeça toda hora.

Luciano do Valle, Jorge kajuru, e uma penca de comentaristas e jornalistas esportivos bons, não tem diploma.

A Folha de São Paulo escolhe seus jornalistas pela qualidade, e não por diploma:

A maioria dos colunistas e repórteres deles, não fizeram jornalismo.

Sabe o que acontece?

Vc chega nas redações hoje, e vê um bando de meninas bonitinhas, mas vazias, sem conteúdo, e que mal sabem escrever.

Mas conseguem a vaga pelo “QI”- quem indica.

São raras as que se dão bem, com conteúdo, mesmo com “QI”:

A Patrícia Poeta, por exemplo, tem beleza, mas tem conteúdo...

Mas será que se ela não tivesse casado com o Amauri Soares (diretor de projetos e eventos da globo), ela estaria no Fantástico? Acho difícil.


Além do que, na TV, por mais que eles digam que não, tem o selecionamento estético:

Dificilmente vc vê um repórter ou uma repórter “comum”, ou mesmo “feios”:

A maioria, parece pronta para entrar em novela.

Gostei da queda do diploma...e tô torcendo pro fim da obrigatoriedade de carteira da OAB, que também não garante nada se um advogado é bom, ou não:

É só pra tirar dinheiro.

Na minha última Sessão de fisioterapia, vejo o Saliba, novamente...

Ultimamente, ele se ocupa em arrumar sua coleção de 8 mil discos antigos (estilo bolachão) e dos seus 3 mil cds.

Saliba, vc sabe, foi meu professor no primeiro e segundo grau, e na faculdade.

Assim, vou aproveitar a última sessão de fisioterapia, e fechar a trilogia das historinhas do Saliba...já contei a do primeiro grau, num dos generalidades, a do segundo, no post “na fisioterapia”, e agora, fechando a trilogia, na faculdade.

Eu havia saído de um plantão (na época que eu trabalhava no estado), e estudava de manhã- saí do trabalho direto pra fazer prova, cheio de sono.

Como não sabia nada (raramente estudava pra provas) e pra piorar, estava com sono,
das 10 questões, só sabia 3, e uma tinha chutado.

Foi quando o Saliba, na velha mania de percorrer a sala pra ver se nego tava colando, chegou até a mim, na última carteira (eu havia chegado uns 5 minutos atrasado).

Daí, ele foi lá pra frente novamente, e marcou um tempo lá...o restante de minha prova continuava em branco...eu num sabia mais nada.

Passados ums 20 minutos, em que eu quase apaguei de sono, ele foi novamente para onde eu estava, lá atrás, perto da porta.

Na verdade, ele havia arrochado naquela prova...tava difícil, mesmo...nego olhava um pra cara do outro, sem saber o que fazer- era impossível alguém colar tranquilamente na prova dele.

Quando Saliba chegou ao meu lado, começou a ver minha prova, quase em branco.

Eu só ia deixar pra “chutar” mais pro final...

-Não sabe responder o restante? Perguntou ele, bem baixinho.

Fiz que não com a cabeça.

Aí então, algo inédito acontece:

Saliba aponta pra mim as respostas de umas cinco questões, pelo menos.

Sim, o professor me deu cola!!

Fui um dos poucos alunos a ficar na média, naquela primeira verificação...

Mas lembre-se:

Isso foi privilégio de um único aluno a passar todas as fases de estudante com o mesmo professor:

Sim, foi pelos “velhos tempos”.

Lee, generalizando em mais um sábado.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Pessoas "cultas" não devem desprezar os mais humildes


Vejo muitas pessoas supostamente cultas, tratando os mais humildes com ar de superioridade.
Como se um título tornasse a pessoa alguém “fora do comum”.

Nossa sociedade faz isso, pois chama os advogados e médicos de doutores.

Fazendo fisioterapia para o ombro, pude reparar nos nomes bordados nos jalecos das própias fisioterapeutas:

Algumas, acreditem, tinham antes do nome, escrito “Dra”.

Eu não gosto de chamar uma pessoa pelo título, é raro.

Chamo médicos pelos nomes, e advogados, também;

Chamo pastores pelo nome, e peço que me chamem pelo meu nome.

Também não gosto de chamar de “senhor”, ou que me chamem assim:

O Senhor está no céu.

Penso que a pessoa com “títulos”, ou mesmo uma pessoa culta, além de tratar uma pessoa mais humilde de igual para igual, deve falar de maneira que a outra entenda.

Já conversei com meninas com doutorado, ex- colega de turma agora doutor ,com jornalista professor de faculdade autor de livros, militares de alta patente, pastores proeminentes, etc.

Tenho amigos e amigas com doutorado, com mestrado, etc.

Mas todo dia paro pra falar e ouvir histórias dos faxineiros do meu prédio, dos porteiros de minha vizinhança, das meninas atendentes da Subway, motoristas de ônibus no ponto final, seguranças de shopping e de rua, as meninas atendentes do posto, etc.

Jesus conversou com Nicodemos, um mestre da lei, de Israel ( que sabia de cor 613 mandamentos), e depois descobriu-se que o mestre da lei num sacava nada de “vida”;

Era amigo de José de Arimatéia, um rico e influente membro da alta sociedade (e que mais tarde pediu o corpo dele aos soldados, para ser sepultado);

No entanto, circulava entre broncos pescadores, conversando de igual para igual, com eles;

Falava com as donas de casa, com gente simples, e gente marginalizada.

Eu vejo gente que trata os outros bem, só quando este tem cultura, formação, ou tem grana.

Nunca inferiorize ninguém por vc ter um pouco mais de conhecimento;

Não menospreze alguém por não ter “títulos”;

Nem o mais humilde por vc ter mais estudo do que ele.

O que importa, acima de tudo, é o caráter, seja rico, pobre, com ou sem intrução.

Lee, que volta amanhã com generalidades- encontrei o Saliba de novo!

Na Sessão Revival, veja “simples garçons” conquistando a “garota de luxo”:

Jogo Duro: “Ser hetero está fora de moda”


Paulinho Vilhena , apresentador do reality Jogo Duro, que passa domingo á noite na globo, disse em entrevista ao jornal O Dia, aqui do Rio, que “ser hetero está fora de moda, o negócio é cortar pros dois lados”, afirmou, rindo.
Acho que Paulinho só está vendo a perspectiva de “cortar pros dois lados” ( ué...ele não era “pegador”?) apenas no meio artístico, onde se tem uma certa “tradição” de homo e bissexualidade...

Sim, desde os anos 50 , muitos artistas eram gays , na Hollywood americana, então...

Rock Hudson, Richard Chamberley, Montgomery Clift, o eterno rebelde James Dean...

De igual maneira, aqui no Brasil.

Hoje, a Lindsay Lohan diz que é bi, a Megan Fox (Transformers), a Cláudia Gimenes também, e por aí vai.

Sem falar a turma que vive “dentro do armário”- os que tem medo de "se revelar".
Sei quando um cara é gay, mesmo se ele num tem "afetos"...e canso de ver meninas, provavelmente sem saber que o cara é gay, namorando-os...algumas, estão para se casar.
Tem um monte assim, inclusive nas greis.

Mas Paulinho precisaria circular um pouco fora do meio artístico, ter amigos de fora “do ramo”, pra poder dizer que não ser hetero é que está na moda.

Por exemplo, se Paulinho matricular um filho na escola pública, vai descobrir que não é moda ser gay, por lá.

Em recente pesquisa do MEC, 96% dos pais de alunos, não querem que os filhos estudem ao lado de deficientes, e nem de gays.

Num índice um pouco menor, também não querem seus filhos com quem mora na favela, e nem com negros...depois, dizem que no Brasil não tem preconceito...

Essa pesquisa foi feita em 501 escolas do Brasil inteiro.

Paulinho precisa saber que, em vários locais da cidade em que ele mora, gays não são bem vistos:
Acabam tendo que ficar em redutos própios, como boates, ruas, como a Farme de Amoedo em Copacabana, aqui no Rio, alguns pontos da praia, etc.

E “Cortar pros dois lados”, faz parte do Hedonismo ( do grego hedonê, prazer):
Uma doutrina filosófico-moral que afirma ser o prazer individual e imediato o supremo bem da vida humana...esse pensamento vem desde a Grécia antiga, num é modismo de hoje.

Sim, “Cortar pros dois lados”, como disse Paulinho, não é nenhuma moda:

É tão antigo, que Sodoma e Gomorra, lá no livro de Gênesis, eram cidades cuja especialidade era essa.
O termo Sodomia, vem desde essa época, em referência a cidade de Sodoma.

Cada um faz a escolha que quer- e Deus irá respeitá-la – mas daí dizer que isso virou moda, Paulinho, é jogo duro:

É pura forcação de barra.

Lee, participante do jogo duro da vida, mas com a certeza Dele de receber o prêmio, no final.
Na Sessão Revival, já que falamos em Hedonismo, “sair do armário”, cortar pros dois lados,etc, o vídeo não poderia ser outro, se não o do Queen legendado - I want do break free:

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Outra Vítima da Intolerância


Marcelo Campos, cozinheiro que foi espancado domingo passado, numa rua perto de onde ocorria a parada gay em São Paulo, morreu ontem.

Foi espancado covardemente, sofreu traumatismo craniano, respirava com ajuda de aparelhos, até ter sua morte cerebral confirmada.

Alías, tacaram bomba caseira nesse desfile, ferindo mais de 20 pessoas.

Eu quero ver se vão descobrir quem espancou o rapaz até praticamente a morte;

Eu quero ver se vão descobrir de onde veio a bomba, quem a fez, e jogou.

Sendo Marcelo gay, pobre, e negro, dificilmente se empenharão pra pegar o criminoso.

Eu nunca fui chegado em paradas, seja qual que fosse:

Em geral, elas atraem um potencial enorme, uma propensão para tumultos.

Seja marcha para melhores salários, greve, marchas políticas, parada gay, marcha pra Jesus, passeata pela paz , seja o que for- de nada adiantam.

É muito melhor, tão somente, acionar a justiça, e plantar na frente do fórum no dia do julgamento- pronto.

Marchas só servem pra levar borrachada, irritar os olhos de gás lacrimogêneo, jogados pela polícia, ou, nas mais tranquilas, aparecer na TV- só isso.

A marcha, em si, muda pouca coisa, ou nada.

É muito melhor fazer um boicote:

Geral agora não vai trabalhar;

Geral agora, não vai mais andar de ônibus;

Geral agora, não vai mais votar, ou todo mundo vai anular voto;

Geral agora não vai pagar imposto, pois a segurança é uma droga, e por aí vai.

E tem mais: Marchas no Brasil, são pouco eficazes.
Nos EUA e França, eles fazem marcha, mas aliado a boicotes.
Por exemplo, nos EUA, os negros marchavam, mais deixaram de andar de ônibus, por mais de um ano, quase falindo as empresas;
Os gays de San Francisco, fizeram um levantamento de quem era homofóbico, e lojas de fast food, restaurantes, comércio de lojas, bares, etc, passaram mó perrengue.
Na França, tiveram que abaixar o preço da gasolina, pois além de não comprarem, os franceses atravessaram caminhões nas principais vias de Paris- eles tinham disposição pra serem presos.

Essa parada gay de sampa, começou como marcha contra intolerância, e depois virou carnaval, com desfile de carros e tudo, e ganhou cunho “turístico”.

A única coisa que ganharam, foi porrada de homofóbicos, e bomba nos córneos.

Em vez de pressionarem o legislativo, contra crimes desse tipo, contra os homossexuais, aumentando a pena, por exemplo, vão se divertir na parada.

A intolerância contra a opção sexual (por mais que vc não concorde com ela), contra credo(nego queimando centro espírita, por exemplo), e preconceito racial, sempre será estimulada:

É só não acontecer nada, tudo ficar por isso mesmo...

Afinal, foi só mais um viadinho, um neguinho, um macumbeiro safado...

É assim que muita gente pensa, inclusive autoridades.

Vc também pensa assim?

Lee, intolerante com descaso visto em muitos desses casos.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A Ofensiva nazista- O Escape

nazistas cercam vilarejo: a Resistência tenta se defender
Praia de Omaha, Japão
Sonho: A Ofensiva nazista - O Escape
Objetivo: Demonstrar que no combate espiritual, alguns são vítimas; outros, feitos prisioneiros; Mas, se tivermos fé, conseguiremos "o escape".
Término do sonho: seis da manhã de hoje, 17 de junho.

Após 2 dias sem postar devido a cansaço e compromissos, quando tinha em mente um texto para escrever hoje, eis que sou surpreendido com um novo sonho sobre os nazistas...


Não pense vc que isso é invenção, tenho minha própia série de contos:Kunlun (vez ou outra) mas entendo que o "Chefe", através desses sonhos que posto, quer alertar e edificar muita gente.



Sempre levei esses sonhos a sério, pois tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, mostra Ele se comunicando com seu povo através deles, mas a igreja moderna tratou de sepultar as formas Dele falar conosco, limitando-o ao que sobra de nossa pequena compreensão...vamos ao sonho.



Estávamos cercados pelos nazistas, encurralados mesmo. Não havia esperança, pois muitos deles chegavam pra reforçá-los, enquanto nosso número permanecia o mesmo.


Após horas, estávamos cansados, exaustos mesmo...lembro que, em determinada hora, vi, em vez de soldados, sacedotes de magia negra, com seus apetrechos, mostrando exatamente o que estava por detrás daquilo...


Os nazistas cercaram, dominaram, e nos renderam.


Fomos levados para ali ao lado, num campo aberto, e me surpreendi com o número da resistência:

Éramos muitos, ao contrário de onde eu estava...na verdade, a sensação foi que já havia várias pessoas ali, capturadas...muita gente mesmo.


Não havia como nos levar para a detenção, pois o número de caminhões não era o suficiente...

Aí, os nazistas fizeram uma barbárie:


Juntaram o o maior grupo de pessoas possíveis, formando todos em formato de uma grande cruz, simbolizando o cristianismo...eu fiquei de fora, e via tudo na minha frente...


Jogaram algo que me parecia álcool, na maior parte deles...


A "cruz humana" ficou enorme...quando todos os irmãos perceberam o que ia acontecer, se entrelaçaram, segurando uns aos outros nos ombros...alguns se abraçaram.


Acenderam o fogo...a cena era chocante.


Curiosamente, enquanto o fogo lambia, consumindo seus corpos, ninguém gritava de dor.

Para nós "que ficamos", era o alerta de que, se alguém tentasse fugir, terminaríamos da mesma forma.


A seguir, a cena era de nós prisioneiros, perfilados em frente a praia de Omaha( foto acima), onde também houve combate na segunda guerra.


Não sei como fomos parar ali...mas senti a sensação de que, não havíamos chegado ainda ao destino final, foi feito uma espécie de parada- e eles nos colocaram de frente ao mar.


O objetivo era ter a certeza de que não havia para onde fugir, pois de frente estava o mar, ao lado, poucos soldados, a maioria se concentrou atrás de nós.


Foi então que tirei a parte de cima de meu uniforme...e fiquei tão somente com a camisa branca que usava por debaixo dela.


O prisioneiro ao meu lado, falou baixinho:


- Vc tá maluco? Põe isso logo de volta!


Mas não respondi nada...simplesmente fui caminhando em direção ao mar...me senti revigorado, e comecei a entrar na água...


Nenhum soldado inimigo me via, era como se estivesse invisível para eles...mas sentia a sensação de desespero dos soldados do meu exército, pasmos, com medo, mas ao mesmo tempo conformados com a a situação deles...tudo isso eu "captava".


Fui me aprofundado no mar, até começar a dar braçadas, cheio de disposição...


Foi assim, saindo da fila, e indo ao mar, e nadando com energia, que fugi:


Assim foi meu escape.


Interpretation:


Dessa vez, o sonho não era de uma grei específica:


Era sobre toda a igreja de Cristo aqui na terra.


Não me sentia membro de nenhuma igreja local, mas sim, parte da grande grei Dele aqui na terra.


Sacerdotes de magia negra, em alguns momentos:


Era a força espiritual que orientava os nazistas( demônios).


A cruz humana lambida em fogo:


Os mártires de Cristo...gente ao redor da terra, que ao ser pega simplesmente por serem discípulos Dele, são mortas.


Em vários países isso acontece, como em Burma, Paquistão, Afeganistão, e em alguns países do oriente médio...quando não morrem assassinados, morrem na prisão.


Eu tirando a camisa de guerra, e de camisa branca:


Ao tirar o uniforme( parte de cima), simbolizava que eu não sairia dali com minha força humana.


A camisa branca, representa a pureza, a santidade, que todo soldado Dele deve ter.

Praia de Omaha, e o mar:


A praia de Omaha representa a vida cristã .


Tem uma bela paisagem, um terreno instável (areia), que requer atenção. Ainda assim, muitos não desfrutam plenamente dessa vida, pois estão presos(capturados por pecados que os dominam) e por isso, permanecem parados e com medo.


Quando me despojei do meu "eu", e vesti a camisa branca, me senti livre, antes mesmo de entrar no mar...livre-se dos seus fardos e pecados, e vc será livre- a graça faz isso.


O Mar:


O Mar é a vida de fé, que devemos ter Nele.


Na razão, os nazistas sabiam que ninguém cansado ia encarar o mar.

O mar, foi a minha fuga, o meu escape.


Muita gente leva a vida apenas no racional, inclusive os que estão nas igrejas.

Aí, por não se lancerem ao mar (uma vida de fé) não experimentam o melhor Dele para suas vidas.


Sem fé, é impossível agradar a Deus:


"Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem Dele se aproxima precisa crer que Ele existe e que recompensa aqueles que o buscam".( Hebreus 11:6)


mergulhe nesse mar de fé...simplesmente confie.


E lembre-se de Jesus falando a vc:


Aos homens isso é impossível, mas para Deus, nada é impossível”. (Mt.19.26)


Foi assim que eu fugi dos nazistas...nadando no mar da fé.


Lee, há muito tempo dando braçadas nesse mar.


Na Sessão Revival, A Legião Urbana canta, enquanto os Soldados chegam na praia, recebidos pelos nazistas:



http://www.youtube.com/watch?v=ew4blcb86EE