segunda-feira, 22 de junho de 2009

Air France, Airbus,etc- Onde estava Deus nisso tudo?


Foi a pergunta constante, que fizeram nessas últimas semanas.

Eu sempre dou um tempo para escrever sobre coisas mais chocantes...

Nunca escrevo na hora, ou mesmo não escrevo, como no caso do menino que foi arrastado pelos bandidos, ou da mãe que os PMs mataram dentro do carro, pensando que era bandido, tudo aqui no Rio.

Creio que na maioria das vezes, é melhor se calar, e se solidarizar, do que tentar entender algumas coisas- até por que nessa hora,os atingidos nunca vão entender nada.

Geralmente, tem aquele choque inicial, depois o inconformismo, até chegar a aceitação:

Quem nunca chega a aceitação, leva uma vida aprisionada por tudo o que aconteceu.

Depois, tem todo aquele “lápis colorido” que a imprensa faz, só aumentando a dor dos parentes e amigos:

Botar fotos na capa de jornal e revista e contar historinhas da carochinha (fulana tinha só 22 anos, e ia passear na europa, o jovem casal ia em lua de mel para Paris, fulana viajava com o filho de 9 anos, etc).

Essa mexicanização da notícia, é muitas vezes, deprimente- eu, num gosto, mesmo.

Bem, aí chega alguém e quer botar a culpa num avião que cai em Deus, no PM que matou por engano (um erro de julgamento) em Deus, a culpa dos bandidos arrastarem o menino em Deus, e todas as desgraças que acontecem, poem na conta divina.

Bem..pra começar, vou colar o que o Pr Israel Azevedo escreveu no boletim dominical de ontem, na grei, que vai com tudo o que penso a respeito do que aconteceu, e depois comento mais embaixo.

“1. Para reger as nossas vidas, Deus fixou leis, que põem ordem no mundo.

Deus governa o mundo por essas leis. São leis que precisamos conhecer pela fé e pela ciência.
É também por meio dessas leis que Deus fala (“Não há linguagem, nem há palavras, e deles não se ouve nenhum som; no entanto, por toda a terra se faz ouvir a sua voz, e as suas palavras, até aos confins do mundo” (Salmo 19.3-4).

Quando quebramos essas leis, pagamos um preço. O fato de não sabermos as causas (como é o caso do vôo de um avião) não quer dizer que elas não existam. Nem quer dizer que não tenhamos que pagar o preço por as quebrarmos.

2. Precisamos aprender que a liberdade (de voar) inclui o risco (de cair).

Não podemos desejar a liberdade e recusar o risco. Quem vive (todos nós) deve saber dos riscos.
Viver implica riscos- Deus respeita a nossa liberdade, no erro e no acerto.
Embora seja soberano, Deus respeita até a escolha errada que fazemos. Como diz o salmista, o que Deus faz é, pelas leis que criou, nos admoestar, para que as guardemos e recebamos suas recompensas (Salmo 19.11).

3. Nossa vida é grandemente beneficiada pelas aplicações científicas, transformadas em produtos,em diversas áreas, como a medicina e o transporte.

Não devemos ter medo das tecnologias, nem divinizá-las, por mais conforto e segurança que nos tragam.
A notícia de um acidente aéreo, com vítimas,próximas ou distantes de nós, é um convite para desidolatrarmos a tecnologia; é um convite à humildade.
Em todos os momentos da vida, devemos orar como o poeta bíblico: “Também da soberba guarda o teu servo, que ela não me domine; então, serei irrepreensível e ficarei livre de grande transgressão” (Salmo 19.13).”

Bem, falando específicamente da queda do avião, e das leis divinas:

Em vez de botar na conta divina, e de alguns pastores falarem abobrinhas, como vejo por aí (ex do que falaram nesse episódio: “foi da vontade de Deus”, ou estavam em pecado”, ou “as crianças pagaram os pecados do pai, etc) deveríamos entender princípios básicos, que Ele criou.

Pra vc fazer um avião com mais de uma tonelada de ferro voar (o que por si só, já é uma coisa fantástica), vc precisa seguir as leis da física, da aerodinâmica, etc- e tudo isso, foi Deus quem criou, e deu o conhecimento ao homem.

Se vc for contra a natureza Dele, por exemplo, terá problemas- mesmo o melhor navio, se navegar contra o vento (natureza criada por Ele), contra a correnteza (criada por Ele),vai se atrasar, e se não prestar atenção nas coisas criadas por Ele (recifes, rochedos, Icebergs), o navio rasga igual papel– lembre-se do Titanic.

Pra isso tem sonar, radar, mapas, regiões a serem evitadas, etc.
Pra esse avião de mais de uma tonelada de ferro continuar voando, precisa continuar seguindo os princípios criados por Deus.

Mesmo um avião grande como o Airbus, jamais poderia ficar 12 minutos dentro de uma nuvem enorme (tinha 15 kilômetros), carregada de turbulências (deslocamentos de ar), raios e relâmpagos:

Nenhum piloto em sã consciência, ainda que recém formado, encararia uma dessas.

Por isso que existe a suspeita do defeito na leitura do computador, reforçado pelo comunicado da Airbus a todos os aviões que percorrem médias e longas distâncias para efetuarem uma troca:

Esse Recall, depois da desgraça, reforçou a culpabilidade da Airbus.

É claro que a empresa vai jogar a culpa no piloto, pra evitar indenizações (aí, a culpa é da Air France, patroa dos pilotos).

O computador leu mal, ou alguém programou mal, enfim, entraram no olho do furacão, pois foram contra as leis de natureza Divina.

Mas Deus num poderia ter feito um milagre?

Claro que sim- mas aí, estaria indo contra suas própias leis.

Se Ele as criou, e deu entendimento ao homem para que pudéssemos “navegar” conforme a vontade Dele, nos ensinando a maneira correta de agir em segurança, se Ele fosse intervir constantemente nessas questões (pois algumas vezes,Ele intervém) estaria indo contra a própia natureza Dele- de que adiantaria tê-las criado?

E nas vezes que Ele interfere, é questão únicamente da soberania Dele.

Como no caso em que um avião emperrou o trem de pouso, e um membro de uma igreja ligou do celular do avião para a igreja, num domingo, em pleno culto, em Belo Horizonte...
Falou diretamente com o Pastor:

- Estamos voando em círculos para gastar combustível: o trem de pouso emperrou, e depois da próxima volta, o comandante vai tentar pousar o avião de barriga.

O Pastor botou toda igreja de joelhos e oraram, clamando a Deus...na última volta, o trem de pouso voltou a funcionar.

Mas já vi toda uma igreja clamando por um irmão que passou mal no jogo de volei, no acampamento, lá em Areal- algo bem mais simples.

Eu tava na piscina, e correram para socorrer o coroa que passou mal, massageando o peito dele.
Enquanto botaram ele num carro que voava a 150km por hora, até o hospital, fizemos um grande círculo, todos dando as mãos, de joelhos na grama, os filhos do coroa, inclusive, todos orando.

Ele chegou no hospital morto...tinha 50 e poucos anos, e morreu de infarto na frente dos filhos.

Eu tinha 14 anos, e ali comecei a aprender sobre a Soberania de Deus:

A gente queria o coroa aqui embaixo, mas Ele achou melhor levá-lo.

Aprenda mais sobre as leis de Deus aqui na terra- procure uma grei sadia.

Essas igrejas malucas, que não permitem pensar, poem a culpa no diabo, nas pessoas, em todo mundo, e seus pastores não sabem explicar o básico, pois só sabem pedir dinheiro e inventar coisas malucas pro povo seguir, como ensinamentos falsos, bandas lançando modismos e com letras e práticas nocivas a sã doutrina da Bíblia.

Não dizem que destruímos a camada de ozônio, que derrubamos as matas, que estamos derretando as calotas polares, que existem outras formas de combustível não poluentes sem ser o petróleo, que fazemos bolsas de jacarés e vestidos de pele de leopardo,que matamos focas a pauladas e baleias na covardia pro comércio, que matamos os elefantes pro marfim virar tecla de piano de luxo...

Nós fazemos todas essas coisas “bacanas”, e depois botamos a culpa em Deus, ou no diabo:

Fica mais fácil.

Lee, ciente da lei da probabilidade: aviões caem menos do que se imagina, mas caem...trem descarrila, carros batem, motoqueiros morrem todo dia, pessoas morrem por violência, etc.

Na Sessão Revival, pra vc de grei que não gosta de pensar: