sábado, 6 de junho de 2009

Conformados com o Pensamento ou Renovados no Entendimento?


E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. (Romanos 12.2)

Por muito tempo, muitas mensagens que ouvi desde criança sobre esse texto, davam ênfase que “não se conformar com este mundo” era “não se misturar com quem não acreditasse em Deus”.

O que é contrário ao que vemos nos evangelhos, Jesus caminhando entre gente “desqualificada para a sociedade”, participando de festas, tudo de pessoas que a princípio, não criam nele...

Depois, vi muitos pregadores darem ênfase em que “não se conformar com esse mundo”, seria abandonar as práticas cotidianas que todos os membros carregavam:

Ver novela, ir ao cinema, escutar músicas não evangélicas (e tão somente a porcaria gospel existente até hoje...de 10 músicas tocadas, só uma presta, as de rádio então são tristes), ir a shows, ir a praia, etc.

Como postura, eles diziam também que “não se conformar com esse mundo” era vc não beber, não fumar, não usar batom, maquiagem, decote, vestido curto ou calça comprida, para as mulheres;

Barba e bigode, cabelos compridos, e mais recentemente, tatoos e brincos para os homens
Afinal, tudo isso era “do mundo”, e não “podíamos nos conformar com ele”.

Muito pouca gente seguia isso a risca, diga-se de passagem...e a maioria ia aos locais, ou fazia uso de seus própios costumes de maneira escondida.

Era, e ainda é, a hipocrisia religiosa em seu ponto máximo.

Meu pai, pelo menos, não seguiu nada disso a risca...ele sempre achou isso uma grande babaquice, e o tempo mostrou que ele estava certo:

Muitos dos pastores que impunham essas coisas, que conhecemos ao longo da vida, falavam isso de púlpito, mas na prática eles também tinham outra conduta:

Eram infelizes no casório, tendo mulheres por fora;
Tiravam onda de família perfeita, mas alguns batiam até nas própias mulheres;
Muitos metiam a mão no dinheiro da tesouraria.

Meu pai nunca fez questão de esconder, pra quem vinha em casa, o barzinho onde ele tinha um coquetel de bebidas...até mesmo quando um desses pastores foi lá em casa.

Meu pai era cristão, mas quando partiu dessa pra outra, tinha um maço de Marlboro com ele:

Evitava fumar em casa,mas o fazia na rua...num tava nem aí pros fiscais de postura das greis da vida.

Nem por isso hoje eu bebo (detesto cerveja) ou fumo:

Foi uma opção minha.

Muito, mas muito de vez em quando,um copo com dois dedos de vinho , e o restante com Pepsi light, ou Coca zero (com a Pepsi é mais gostoso).

Mas afinal, o que é ser “conformado com esse mundo”?

Ser conformado com esse mundo, é ser conformado com o projeto de vida que ele oferece a nós.

São coisas tão impregnadas, que todo mundo passa a seguir como objetivo de vida, e aí, quando não conseguem, se frustram;

Mas também quando conseguem,passado um tempo, ficam sem chão, pois não sabem mais qual é o objetivo da vida.

Coisas impregnadas em nossa vida do pensamento secular, ou seja “deste mundo”:

1- Passar no vestibular.

Fazem um massacre emocional para adolescentes, dizendo que o objetivo de vida deles, é esse:

Aos 17, 18 anos, decidirem o que vão fazer da vida, quando ainda não sabem nada dela, e muito menos deles própios...

Quem não consegue, após anos tentando se sente a menor das pessoas;

Quem faz faculdade particular, apenas descobre, ao se formar, que apenas vai ser mais um vendedor de shopping com canudo na mão, já que os bons empregos vão rareando.

Por isso, a enorme massa que tenta concurso, pois só ali tem emprego “seguro”.

2- A mulher que já tem uma “certa idade”, e ainda não se casou.

A pressão sobre elas é enorme, pois além de elas verem o tempo passar, ainda tem a questão do “relógio biológico”.

Outra das desgraças que vejo nas greis, é a pressão sobre meninas ainda novas, com seus 20 e poucos anos, para se casar.

Por isso, casam-se depressa, e muitas vezes, o resultado é o festival de mulheres casadas com meninos da mesma idade, imaturos,alías, pior, já que os homens em geral amadurecem um pouco mais tarde que elas.

Boa parte delas, descobrem a besteira que fizeram ainda no primeiro mês de casadas.

Outra furada é quando essas jovens recém- casadas sofrem pressão pra ter o primeiro filho, muitas ainda com sérios problemas conjugais recém descobertos.

A pressão é da família, e claro, da grei, onde as senhoras perguntam: quando é que vem o bebê, hein? E depois que ele chega, pedem o “irmãozinho/a”.

Se vc é jovem recém casada e passa por problemas conjugais sérios com seu marido, não caia nessa furada de fazer “filho por causa dos outros”;

E nem ache que filho vai “dar novo ânimo pro seu casamento”, ou que “vai segurar homem”.

A terceira coisa mais comum impregnada em nossa vida, pelo pensamento secular, e não divino, é essa:

3- Colocar uma data limite para alcance de objetivos de vida.

Em geral,nessa forma de “pensamento secular” espera-se que a pessoa tenha alcançado seus objetivos de vida por volta de determinada idade.

Às vezes na casa dos 30, mas não passando dos 40 anos.

Lembre-se: isso é pensamento secular- isso sim é se conformar com o mundo.

Por isso vejo muita gente triste e frustrada, pois situados nessa idade, e não tendo nada, se acham fracassados na vida, etc.

Abraaão, só foi buscar sentido na vida, mesmo tendo posses, aos 75 anos.

Depois disso, foi chamado de “o pai da fé”.

Moisés vivia no bem bom do palácio até os 40, onde tinha tudo.

Fugiu para o deserto...aos 80, virou libertador de seu povo.

Caleb entrou na terra prometida aos 45...mas só tomou seu pedaço de terra, aos 85.

Grandes líderes, atores, etc, só despontaram após os 50 anos.

Mas em geral, a maioria deles renovou o entendimento, se recusando a pensar como esse século, como esse mundo:

Aí, experimentaram qual a boa, perfeita e agradável vontade de Deus pra a vida deles.

Você nunca vai experimentar a perfeita vontade de Deus pra sua vida, pensando como este mundo pensa, seguindo o script de vida daqui “de baixo”, pois ele raramente tem alguma coisa de Dele.
Fora os que citei acima, o núcleo comum do pensamento secular brasileiro é:
“Ter a casa própia”, “carro na garagem”, e garantir “boa aposentadoria”.

Esse pensamento é tão impregnado em nossas greis, local onde se deveria apresentar a realidade da transformação do entendimento (que leva a saber a vontade Dele para nós) que nossa greis, as grandes, se comportam como empresas:

Muitas, de médio e maior porte,já escolhem seus pastores pelos titulos.

Tem grei exigindo que além da teologia, nego seja mestre ou tenha outra faculdade, pra pastorear aquela “grei de renome”.

Ou seja, Jesus ficaria de fora, pois era carpinteiro...

Paulo, também, pois era só um fazedor de tendas...alías, nenhum dos dois era casado, outro “problema”pra grei que gosta de tudo “bonitinho”.

Enquanto permanecermos conformados com esses pensamentos, e não transformados pelo entendimento (que vem Dele), jamais saberemos qual é a boa Dele pra nossas vidas.
Por isso, a maioria das pessoas mal sabem responder quem são, pois de fato,não sabem.

O pensamento conforme esse mundo parece ser uma boa;

Mas jamais nos conduzirá a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

Lee, na contramão do pensamento deste mundo.
Na Sessão Revival, Tempos Modernos: