quinta-feira, 25 de junho de 2009

Forever Michael

Na Época do Jackson Five

O Álbum mais vendido de Todos os Tempos

Michael sai de cena, e assim como Elvis e John Lennon, deve virar um mito


Olha, confesso que tá difícil escrever essas linhas...

Depois de confirmarem a morte da ex- pantera Farraw Fawcett, hoje (ontem) dava vontade de chorar ao ouvir o tema de abertura das Panteras...

Mas Farrah estava com câncer terminal- já era esperado.

Mas assim que cheguei da rua, recebi um telefonema dizendo que Michael estava em estado crítico, abro em sites confiáveis e disseram que já estava morto...

Eu já sabia sobre o que iria escrever...eu já sentia que ele havia morrido.

Por volta de 16 horas de Brasília, Michael teve um ataque cardíaco em casa (estão investigando a causa, dizem que ele pode ter tomado uma de suas injeções contra dor, e não resistiu), e paramédicos o levaram ao hospital, onde entrou em coma.

E acabo de ouvir a a confirmação do legista, pelo Jornal Nacional que ele morreu...

Alías, Jornal Nacional barra pesada esse...revi Farrah, com a música das panteras ao fundo...e Michael...a Fátima Bernardes se atrapalhou e tudo, no final, sendo corrigida pelo marido, Bonner- ela disse: "logo mais, no Jornal Nacional, vc terá mais informações".
Bonner corrigou, "No Jornal da Globo, estamos todos abalados pelo morte do ídolo pop."

A música - tema das Panteras, que tanta força fiz pra não escutar hoje, junto com as imagens de Michael, de quando eu era teen, me fizeram entrar no quarto e desabar em choro...

Choro contido, abafado com toalha- num to mais em idade de ficar chorando por atores/atrizes/ artistas:

Em público, claro...na verdade, fui dormir com a cara inchada, de tanto chorar, e já chorei pela manhã de hoje (26), também- num to podendo ver nem ouvir nada dele.
Vieram muitas lembranças dele...

Eu me lembrei de quando fui na Mesbla, antiga loja varejista, que fechou aqui no Rio...hoje, é uma Sendas...era lá que comprava meus discos , ou fitas cassetes.

Foi lá que eu comprei Thriller, sem saber que aquele seria o álbum mais vendido da história da música: 109 milhões de cópias.

Pra se ter uma idéia, Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, considerado o álbum mais vendido (e importante) dos Beatles, está em nono lugar na lista.
Sim, Michael fez muita merda, as mais notórias, as acusações de abuso sexual em garotinhos:
Uma em 93, outra em 2005.

Em 93, pagou um acordo milionário, que levou metade de sua fortuna, tanto pra família da vítima, tanto pro advogado que conseguiu o acordo pra não ir a julgamento.

Em 2005, nova acusação, e torrou o restante da grana pra pagar advogados e custos judiciais caríssimos, pois pesava contra ele a acusação anterior, e desta vez ele foi preso, com algemas e tudo, sendo fichado:

Teve que vender o Neverland, espécie de rancho-parque de diversões- zoológico pessoal.

Vendeu também 1/3 dos direitos autorais das músicas dos Beatles, que ele havia comprado de Paul Mc Cartney- começava a faltar grana - tudo pra não ir em cana.

Durante esse hiato de 12 anos ele ficou no ostracismo, com supostos problemas de saúde ( por ter feito tratamento pra ficar branco, e por inúmeras cirurgias plásticas- mexeu tanto no nariz, que o mesmo começou a “derreter”).

Por isso, fechou uma série de shows em Londres, que começaria no próximo dia 12 de julho, onde em apenas 5 horas, foram vendidos todos os ingressos.

Iria ganhar 50 milhões de dólares só por esses shows.
Mas a morte de Michael me trouxe outras lembranças dos tempos de criança, teen, e fase adulta...
A primeira música que ouvi de Michael foi One day in your life, que achei simplesmente linda.
Foi numa fita cassete da Basf, que era da minha irmã.

Me lembrei também que todas as crianças, pré- teens, teens e jovens de quando ele estava no auge, imitavam a dança dele, em especial o Moonwalker, que desliza com os pés- quantos adolescentes não ensairam esse passo...taí, esse eu num ensaiei.
Alías, nunca imitei uma dança do Michael, sabia que num ia conseguir, só admirava.

Me lembrei de como as meninas gritavam, quando ele botava a mão no saco;

Me lembrei de quando em qualquer loja, bar, onde quer que fosse, que começasse a tocar Billy Jean, Beat It, ou Thriller, eu parava pra escutar- e quando olhava para os lados, percebia que não era o único;
Me lembrei do comercial da Pepsi, que ele foi fazer, e uma fagulha de fogo, dos efeitos especiais, pegou no cabelo dele, queimando o couro cabeludo...foi dali que ele se viciou em remédios e injeções contra dor.
Me lembrei de que, de serviço num domingo (plantão) a época que eu trabalhava para o estado, coloquei num canal de tv aberta, que passava flashbacks de clips antigos (acho que era a CNT).
Eu sozinho, na sala de tv, vendo clips antigos (que me amarro), deixei a porta aberta.
Foi quando começou a tocar "Beat It".
Primeiro, entrou o faxineiro com sua vassoura, e ficou dançando, largando a vassoura e fazendo os movimentos;
Depois, entrou um médico, e a seguir, uma enfermeira, e depois, outro colega administrativo...
Depois, entraram 2 pacientes...pronto:
Eu, que estava sozinho um tempão numa tarde fria vendo meus flashbacks, agora via uma verdadeira festa, com todos diante da tv, olhando o clip, e muitos dançando.
Michael animou aquela tarde de inverno numa clínica...só alguém carismático consegue isso.
Me lembrei da mini-série da vida do Michael, que passou na Globo na década de 90, e que todos assistiam e comentavam, igual novela;

Me lembrei de quando chegava da grei domingo á noite, corria pra ligar no Fantástico, desesperado pra ver os novos clips dele:
Eu ficava caçando meu pai, pra gente entrar logo no carro e ir embora, igual fazia pra ver os gols do Fantástico (que hoje, voltou a passar por volta de 22.30h,igual naquela época- era uma corrida contra o tempo) - ele pensava que era pra ver os gols, e caçava minha mãe pra botar logo dentro do carro, e ir embora.
Mas era para ver os clips do Michael - kkk!
Beat It, Billy Jean, e Black or White, o Fantástico teve que reprisar no final, novamente, devido aos pedidos que chegavam via telefone (naquela época, não havia canal de clips, como a MTV, no Brasil);

Thriller então, congestionou as linhas da Globo, a ponto de não só repetirem, como reprisaram novamente no domingo seguinte duas vezes.
Me lembrei de que, eu ouvia as músicas dele, seguidas, de quatro a sete vezes, até enjoar, e ir pra outra- hábito quemantenho até hoje, ouço pelomenos 3 vezes seguidas, qualquer música que gosto.

Os clips tinham história, e eram elaborados,uma novidade para época...e quebravam preconceitos:

Billy Jean foi a primeira música cantada por negro que tocou na MTV americana, em 1983...antes, a emissora só tocava brancos.
A música conta a história de um homem acusado falsamente de ser o pai de uma criança - uma história real vivida por Michael em 1981, quando uma fã maluca passou a persegui-lo clamando que ele assumisse uma suposta paternidade do filho dela.

Beat It falava contra as lutas de gangues, e Thriller era um filminho de terror manero, que todo mundo dança até hoje em festas flashbacks, e está presente em filmes como "De Repente, 30".

Olha, cheguei ao final do texto...essa dose dupla de hoje me exauriu... num dá mais.

Eu juro pra vcs que, se algo acontecer com o Stallone essa semana, num escrevo por pelo menos sete dias!!
Forever Michael, em minhas lembranças.
Lee, que não irá para a Neverland, mas sim para a Foreverland, quando chegar a hora: A eternidade.
Daqui até alguns dias, Sessão Revival com clips de Michael, começando com os 3 maiores sucessos:
Billie Jean legendado- duvido que vc num vá mexer o pézinho...rs:
Beat It, com a guitarra de Ed Van Halen, de participação especial:
Thriller legendado (parte 1) - (só de manhã, pode ter pesadelo):
Thriller legendado (parte 2) -num vai dizer que num avisei, hein!