quinta-feira, 18 de junho de 2009

Outra Vítima da Intolerância


Marcelo Campos, cozinheiro que foi espancado domingo passado, numa rua perto de onde ocorria a parada gay em São Paulo, morreu ontem.

Foi espancado covardemente, sofreu traumatismo craniano, respirava com ajuda de aparelhos, até ter sua morte cerebral confirmada.

Alías, tacaram bomba caseira nesse desfile, ferindo mais de 20 pessoas.

Eu quero ver se vão descobrir quem espancou o rapaz até praticamente a morte;

Eu quero ver se vão descobrir de onde veio a bomba, quem a fez, e jogou.

Sendo Marcelo gay, pobre, e negro, dificilmente se empenharão pra pegar o criminoso.

Eu nunca fui chegado em paradas, seja qual que fosse:

Em geral, elas atraem um potencial enorme, uma propensão para tumultos.

Seja marcha para melhores salários, greve, marchas políticas, parada gay, marcha pra Jesus, passeata pela paz , seja o que for- de nada adiantam.

É muito melhor, tão somente, acionar a justiça, e plantar na frente do fórum no dia do julgamento- pronto.

Marchas só servem pra levar borrachada, irritar os olhos de gás lacrimogêneo, jogados pela polícia, ou, nas mais tranquilas, aparecer na TV- só isso.

A marcha, em si, muda pouca coisa, ou nada.

É muito melhor fazer um boicote:

Geral agora não vai trabalhar;

Geral agora, não vai mais andar de ônibus;

Geral agora, não vai mais votar, ou todo mundo vai anular voto;

Geral agora não vai pagar imposto, pois a segurança é uma droga, e por aí vai.

E tem mais: Marchas no Brasil, são pouco eficazes.
Nos EUA e França, eles fazem marcha, mas aliado a boicotes.
Por exemplo, nos EUA, os negros marchavam, mais deixaram de andar de ônibus, por mais de um ano, quase falindo as empresas;
Os gays de San Francisco, fizeram um levantamento de quem era homofóbico, e lojas de fast food, restaurantes, comércio de lojas, bares, etc, passaram mó perrengue.
Na França, tiveram que abaixar o preço da gasolina, pois além de não comprarem, os franceses atravessaram caminhões nas principais vias de Paris- eles tinham disposição pra serem presos.

Essa parada gay de sampa, começou como marcha contra intolerância, e depois virou carnaval, com desfile de carros e tudo, e ganhou cunho “turístico”.

A única coisa que ganharam, foi porrada de homofóbicos, e bomba nos córneos.

Em vez de pressionarem o legislativo, contra crimes desse tipo, contra os homossexuais, aumentando a pena, por exemplo, vão se divertir na parada.

A intolerância contra a opção sexual (por mais que vc não concorde com ela), contra credo(nego queimando centro espírita, por exemplo), e preconceito racial, sempre será estimulada:

É só não acontecer nada, tudo ficar por isso mesmo...

Afinal, foi só mais um viadinho, um neguinho, um macumbeiro safado...

É assim que muita gente pensa, inclusive autoridades.

Vc também pensa assim?

Lee, intolerante com descaso visto em muitos desses casos.