quarta-feira, 22 de julho de 2009

Abrindo Mão disso e daquilo, até vc não ter mais nada


Tenho visto, ao longo da vida, relacionamentos em que uma das pessoas vai abrindo mão disso e daquilo outro, até chegar em algo que é fundamental para a vida delas:

Aí, chega a hora em que não suportam, e estouram.

É necessário conversar, expor bem claramente seus gostos, delimitar aquilo que pra vc é considerado “parte essencial”, sem as quais vc não consegue passar.

Já imaginou pedidos para uma pessoa parar, abandonar atividades, tais como:

Parar de tirar fotos, parar de pintar, de ter aulas de dança, de fazer teatro, de tocar instrumentos e cantar, e outros, de parte ligados a arte?

Para algumas dessas pessoas, isso não é só um curso, ou um meio de ganhar a vida:

É uma necessidade de expressão da alma.

Ou aquelas pessoas que tem a veia esportiva, fazem natação, jogam futebol, vôlei, fazem artes marciais, surfam, remam, correm,etc...

São pessoas com uma tendência natural para a ação.

E as pessoas que gostam de viajar, nem que seja pra uma cidade ao lado?

Suma com a mochila do mochileiro, e algeme suas pernas, pra ver se ele não morre.

O problema número um do relacionamento, é quando um começa a querer mudar o outro.

É claro que vez ou outra, deixar de jogar sua pelada ou faltar um ensaio ou treininho para uma festa de aniversário, casamento, ou mesmo uma saída inesperada acontecem.

Mas exigir que outra pessoa começe a fazer cortes em coisas de sua vida, que ela considera importantes, por exigência mesquinha, pura e simplesmente, é sinal que a pessoa não ama ou se importa com vc de fato- além, de como disse, ser egoísta.

Uma senhora que morou muitos anos aqui no prédio, me contava sua história na natação.

Ela obteve o índice para ir as olimpíadas de Roma, em 1960.

Mas infelizmente não foi:

O noivo, que era da Marinha, começou a infernizar a vida dela, conseguindo a ajuda dos pais da então jovem, para que a mesma não perdesse “um bom partido” ,como eram considerados os militares, pessoal do Banco do Brasil, etc (financeiramente falando) a época.

Hoje boa parte dessas carreiras, andam com o pires na mão.

A então jovem chorou, tal como naquelas chuvas que, previstas para caírem durante um mês, mas que caíram durante dois dias direto – arrasando sua vida naquele ano.

Aquelas olimpíadas tinham menos de 3 semanas- de 25 de agosto a 11 de setembro daquele ano.

O índice dela – só o índice – era quase igual a que ficou com a medalha de bronze.

Ela ficou muito tempo ser ver olimpíadas...

Desde então, ficou reclusa e toda largada, e costumo ver o “maridão” dela todos os dias quando saio, jogando carteado na praça- é muito difícil ver os dois lado a lado, mesmo quando eu era teen.

Mulheres sufocam homens, perturbando-os até que parem de lutar, de treinar, de ensaiar, de estudar, enfim, de fazerem o que gostam.

Homens sufocam mulheres, mandando-as pararem de pintar os cabelos, de se maquiar, de terem amizades com suas amigas, não deixando sair com elas, em determinadas ocasiões.

Cansei de ver namoradas indo ao tatame, fiscalizando colegas, no Jiu-jitsu, e depois monitorando no celular.

Um amigo casado, faixa-preta, foi ameaçado pela mulher de ser deixado, e um faixa-marrom (ou seja, todos com vários anos de arte) é zombado pela mulher toda vez que sai pra treinar, com se aquilo fosse coisa de criança- ele tá doido pra “pular fora”.

Sou ligado a música desde criança, cansei de ver cenas de chantagem emocional pra não ir ensaiar (com malas que estava na época) inclusive com simulação de estar passando mal;

Até hoje, vejo namorados e namoradas fiscalizando seus pares nos ensaios:

Alguns são de "maneira natural”, até por que ele ou ela são conhecidos dos outros...são do mesmo ambiente.

Outros, é por puro ciúmes mesmo, ficam iguais cães de guarda - acho ridículo:

Tanto pra quem faz, tanto a quem se submete a esse papel.

Engraçado é que ninguém “increspa” com cigarro, ou mesmo com bebida além da conta, coisas que fazem mal- geralmente, não enchem o saco um do outro por causa disso.

Só “increspam”, perturbam, com essas atividades saudáveis, dessa relação toda acima de coisas que citei.

Por isso, converse nessas horas, pois se vc for tirar e fazer tudo o que a outra pessoa está te pedindo, logo logo ela vai começar a embarreirar coisas essenciais a sua vida.

Sem falar na maneira de se vestir, etc.

Verifique os motivos do pedido, se há alguma razão;

Se não é por ciúmes;

Se não é por inveja (da capacidade que ele ou ela não tem, que vc tem);

E veja se ele ou ela também abrem mão de algo (se é que eles tem algo para abrir mão- também tem isso).

Quanto ao mais, digo o seguinte:

1-Não importa se todos achem ele ou ela bonzinhos (uma “boa moça”, um “bom moço”, um bom crente, etc- como as pessoas dizem):

Quem sabe quem tá sendo sufocado ou não, é vc – tenha coragem de agir, de delimitar, ou mesmo mandar pastar, pois se ele ou ela não mudar agora, não vai mudar no casório.

Que alías é o segundo erro dos relacionamentos: achar que a pessoa vai mudar, depois de casar.

2- Local de mala, é no aeroporto, rodoviária, e nas lojas, além daquela que vc tem no armário- não carregue peso sem necessidade, todos os dias...faz mal a coluna.

Enfim, não deixe de participar de uma olimpíada (o melhor da sua vida - o momento máximo de um atleta) por causa de pessoas que querem passar a foice nos seus gostos e hábitos (saudáveis) de vida:

Podem acabar passando a foice na sua esperança, te deixando “largado na vida”, enquanto vão jogar carteado na praça.

Lee, que não abre mão do essencial.
Na Sessão Revival, Os Tears For Fears falam da Mulher Acorrentada: