domingo, 12 de julho de 2009

Sonho: A Ajuda Veio do Alto


Sonho: A Ajuda veio do Alto

Objetivo: Demonstrar como Deus responde em situações de emergência

Término do sonho: 11.27h da manhã de domingo, 12 de julho

Acordei, olhei o tempo gelado e chuvoso, confirmado após descer com Chubby, dessa vez já sem chuva, mas com um frio de ter que botar gorro na cabeça.

Na volta, vi na internet quem ia pregar na grei, num era o Israel, e num levei fé, tomei café, e capotei na cama...

Num me arrisco mais a sair por mensagens que não sejam de qualidade- ainda mais nesse frio.

Ah, mas antes dei uma olhada na corrida, e quando vi Rubinho em primeiro, sabia que tinha alguma coisa errada...sabia por que o Rio estava chuvoso e muito frio....rsss!

Aí fui deitar de novo...vamos ao sonho:

“ Eu estava de novo na minha grei de origem...sempre com o templo antigo, pequeno, mas de épocas melhores que as vacas magras de hoje.

No pátio da igreja, com pouco movimento, eu avistei um helicóptero militar semelhante ao da foto acima, bem assustador, fazendo mó barulho:

Ele estava se preparando para pousar no estacionamento da grei, que a época, era ainda mais aberto do que hoje (sem teto).

Senti que as poucas pessoas presentes ficaram com medo, assustadas...muita gente correu pra se esconder.

Eu fui ao encontro deles, enquanto soldados armados até os dentes pulavam do helicóptero, cada um corria pra um pedaço da grei, parecendo que tinham determinada função em cada perímetro-passavam por mim correndo, me ignorando.

O líder deles era um sargento veterano, cascudo de guerra (era o que sentia): estava acostumado as batalhas.

O sargento também não me deu atenção, só coordenava os soldados.

Em questão de minutos, todos os soldados voltaram correndo para o helicóptero, e por último o sargento entrava, e a nave se preparava para decolar novamente.

Eu aproveitei pra tirar fotos com minha máquina “teco—teco”...foi a única coisa que deu tempo pra fazer...tirei foto do helicóptero.

Via a nave ganhar altura, subindo aos céus, cada vez mais...subindo, até sumir de vista.

Foi quando percebi que o chão estava diferente:

Estava todo verde, e o estacionamento agora tinha limites, com faixas para cada um botar o carro com ordem, e não estacionar da maneira e do jeito que quisesse.

Na verdade, tive a impressão que o helicóptero trouxe um “novo chão”, mas só percebi na subida desse. "

Interpretation:

Olhei no cel-clock, que marcava 11.27h...frio pacas...num fui ao culto, mas num deixei de receber mensagem, rs...

Grei vazia- como aquela grei está agora;

Soldados – eram anjos do “Chefe”.

Helicóptero – máquina de combate das mais eficazes na guerra, em certas ocasiões, melhor do que o avião, pela mobilização...significa que Deus se mobilizou, enviando soldados, e mostrando a estratégia dele.

Novo estacionamento:

Verde- a cor da esperança...novos tempos que chegarão ali, por causa da oração da “resistência”, e do novo pastor que chegará ali, no futuro, que vai pedir ajuda ao “Chefe” (em oração);

Limites nos estacionamento: Ordem na casa...igreja não é a “casa da mãe Joana”, onde nego acha que faz o que quer...

Aquela grei, em particular, tem um histórico de mandos e desmandos, inclusive com membros que se acham “donos dela”, fazendo o que querem...esse tempo vai acabar.

É isso aí...como disse ontem, já desisti de tentar entender por que esses sonhos me tem vindo com frequência.

Ah, o Rubinho não chegou em primeiro, claro...

Chegou em sexto.

Lee, batendo continência...
Falando em bater continência, me lembrei de um dos meus "filminhos do coração" preferidos :
A Força do Destino, com Richard Gere e Debra Winger, Oscar de melhor canção daquele ano, um filme que me marcou muito quando era teen (entrei sem ter idade pra ver).