quarta-feira, 15 de julho de 2009

Trocando Carinho e Atenção por Presentes



Tenho observado alguns pais acharem que presentes podem substituir o carinho, atenção, e amor que devem dar as suas crianças, aos seus filhos.

Presentes podem, no máximo, complementar esse carinho, nunca substituí-los...

Sim, criança gosta de presente, mas vai gostar muito mais da atenção que os pais derem a elas.

Nos shoppings, agora tem espaço de brincadeiras, com jogos eletrônicos, pula-pula, etc, e vi que alguns pais deixam os filhos por lá, como uma espécie de “estacionamento para crianças”, com ticket e tudo...e isso para crianças pequenas.

Ficou famoso nacionalmente, por esses dias, o casal que deixou a filhinha de 5 anos sozinha por menos de 20 minutos, tempo suficiente para a menina cair da janela da área de serviço, do 5º andar de um prédio, domingo passado.

O casal foi preso por abandono de incapaz, passaram uma noite em cana, mas conseguiram a soltura, e irão responder em liberdade.
Se essa lei ampliasse a" falta de atenção" que os pais tem para com seus filhos, muitos estariam hoje em cana.

Crianças até 10 anos são super-agitadas, é qualquer descuido é preocupante...

Mas encher a criança de presentes, sem brincar com eles, sem dar atenção, é algo muito comum nos pais de hoje, ainda mais se eles forem separados...

Pior ainda, se eles, sendo separados, virem a criança como um “indesejável”, e essa passar o fim de semana inteiro trancados com os avós, sem brincadeiras, já que esses não tem pique pra isso, sem jogos, sem internet, sem tv a cabo pra ver um canal de cartoons decente.

Uma colega vivencia esse problema, e a filha pré-adolescente não quer mais ir passar os finais de semana na casa dos pais, pois o mané sai, e deixa ela com os avós.

Vi duas sobrinhas serem abandonadas pelos pais, e a dor que isso acarretou na vida delas.

Presente nenhum vai substituir a presença dos pais...não adianta dar carrinho e num brincar com ele, dar boneca e num participar das brincadeiras dela, comprar vídeo game ou computador e não participar (e monitorar) junto a eles.

Não adianta sair pra ir ao shopping e deixá-los toda hora no “estacionamento de crianças”.

Ensine seu filho a ver um filme no cinema, com vc;

Ensine-os a fazerem a passagem de filmes dublados para legendados, quando chegar a hora:

De que adianta eles terem aulinhas de inglês na escola, se vc não se dá a esse trabalho?

Veja as aptidões de sua filha, se são musicais, artísticas (jazz, balé);

Veja as aptidões de ambos em artes marciais (inclusive capoeira, não é pecado):

Veja qual eles gostam, são ótimos para disciplina e gastar energia.

E pais que são da igreja:

A educação cristã começa em casa.

Não é responsabilidade da igreja, nem da escola.

Conte uma história bíblica para seu filho, isso ajudará a desenvolver a fé dele.

Não é responsabilidade da “tia” da igreja, nem da “tia” da escola.

Tem gente que tem a falsa idéia que uma escola dominical substitui a responsabilidade deles, como pais em educar as crianças, no caminho do Senhor.

Tem crianças que nunca escutaram uma história bíblica DOS PAIS, NA VIDA.

Num ponho minha “mão no fogo” por nenhuma “tia”, seja de igreja, seja de escola.

O máximo que elas poderiam fazer, seria complementar o que os pais ensinassem em casa, a respeito de Deus.

Ensine a disciplina a eles...tem muito pai e mãe frouxos, “refém” de crianças.

Demonstre como ama a seu filho ou filha...fazer é fácil...

Demonstre amor, carinho e atenção por eles, participando de suas vidas, inclusive dando disciplina...

Não só presentes.

Lee, que na tarde de sábado passado no shopping, teve sua atenção pedida por dois meninos, pra jogarem com eles na lan em que estava;

E após ter encontrado com a filha de 5 anos de uma amiga, foi “sequestrado” por ela, para ver um clip do Michael Jackson nas lojas americanas, enquanto a mãe lanchava;

Sem falar na camisa com carinhas de heróis que usava, e as crianças identificavam um por um, quem era quem (elas não tem medo do Hulk, e adoram o Homem-Aranha e o Wolverine).
Agora, vá pegar seu filho, pra vcs verem juntos um dos clássicos dos desenhos animados (como era chamado os cartoons antigamente): Os Super-Amigos!