sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A Formatura



Sonho: A Formatura
Objetivo: Ver no final
Término do Sonho: 8.10h de hoje.

O Sonho:

A Minha turma iria se formar, e eu recebia de minha professora uma camisa branca para vestir, escrito 1982-1989, na frente.


Ela me dizia que eu poderia participar da festa, mas que não iria me formar, pois eu havia ficado em dependência numa matéria...

Nunca havia visto essa senhora antes, na casa de seus 50 e poucos, grisalha, cabelos curtos.

Fiquei meio sentido, mas tentava me consolar ajudando os outros na preparação da festa.

Eu via gente ajustando o tablado da formatura, preparando os ajustes para a mesma, que seria á noite...

Enfim, procurava me conformar que estava fora dela.



Acordei, e ainda sonado, olhei ao lado para ver se o meu caderno de anotar sonhos estava ao lado...não estava.



Procurei então relembrar as partes principais do sonho, repassando o mesmo na mente, enquanto ainda tava "fresco"...

Mas em seguida, adormeci novamente...e aí veio a surpresa:



O sonho continuou, ainda não havia acabado!


Lá pelo meio da tarde, a professora me procurou, e dessa vez me deu nova camisa:

Uma camisa púrpura, muito bonita, brilhante...era a camisa que todos os formandos usariam na cerimônia de formatura,que tinha jeito de ser bem descontraída.

- Ué, mas a senhora num disse que eu não iria me formar?? Perguntei a professora.

-
Foi apenas uma brincadeira, e vc caiu direitinho, disse ela.

Pouco depois, me via com a camisa púrpura, todo feliz, por poder participar da formatura!



A cena terminou eu vendo um colega ensaiando a música que ele iria tocar no violão...


Ele tocava o violão já com a camisa púrpura.

Interpretation:


Camisa branca 1982-1989: Meus anos de estudo, do fundamental ao ensino médio.


Professora de cabelos brancos- Representava todos os mestres que tive nesse período.

O branco representa a pureza, a inocência.

Camisa púrpura- a cor da realeza, significou vitória, no caso.


Eu vivi períodos dífíceis e conturbados nesse período...

Quando voltei da Alemanha, estava muito adiantado, ainda novinho- Tive que refazer a quarta série (eu estava no equivalente a sexta série, e como não sabia nada de português, fui “rebaixado” dois anos! )

Eu simplesmente esqueci de palavras simples como pneu, por exemplo...

Aquilo foi um baque...minha ex-escola tinha tudo, e agora ainda precisaria reaprender a falar!

Nunca mais fui o mesmo, em termos de estudo...eu era ferinha lá fora, e aqui, não rendia nada.

Aquilo mexeu comigo, sem falar em estar numa turma em que não conhecia ninguém,ao contrário de onde eu vinha, cercado de amigos por toda a cidadezinha...


O que me salvou foi o futebol: ninguém gostava de agarrar, e eu já era goleirinho lá fora:

Fechava o gol, e não tinha medo de boladas, numa época em que a bola era horrível, e queimava a mão, deixando-as todas vermelhas...fiquei “popular” na turma.

No ano seguinte, minha mãe adoeceu de ficar internada 20 dias...os médicos deram poucos meses de vida, meu pai teve que voltar do navio (Marinha) pra ficar comigo...

“Ficar”, entre aspas, pois ele passava o dia inteiro fora, só chegava á noite...visitei minha mãe só num fim de semana.

Por 3 meses, num pegava em livro ou caderno, já na reta final do ano...acho que os professores me passaram por pena...minha mãe tá viva até hoje.

Na sétima série, fiquei em dependência em matemática- só passei assim.

Ano sim, ano não, ficava em recuperação...mas o golpe maior veio no início do segundo grau:

No segundo semestre, meu pai morreu no navio (eu tinha tido um sonho sobre isso, seis meses antes) e faltei uma semana...

Caiu nosso padrão de vida, passamos a maior barra...eu ia a aula e só ficava lendo gibis, dentro dos cadernos...num sei como passei naquele ano- num estudava...

No final do ano, tive que ir para um colégio mais barato...fora do meu bairro...

Perdi o interesse nas aulas, e ia a biblioteca pública do bairro, e passava o tempo devorando livros...matava aula uma vez por semana, assim...adorava ler.

Mas nunca me perdi...apesar de oferecerem, o Chefe nunca me deixou experimentar drogas, ou fazer pequenos furtos, como a turma que ia roubar chocolates e outras bugigangas nas Lojas Americanas e no Extra, e que me convidavam.

E eu gostava de ir a escola - mas só pra jogar bola...rs.

Me sentia burro...colava pacas...mas em inglês eu que dava cola...em redação, era imbatível.

Enfim, em meio a tantas pancadas que poderiam me ter feito largar tudo (tem gente que hoje larga por muito menos), eu consegui...

Ele me lembrou disso...

Pois foi graças a Ele que eu consegui.

A vida estudantil é por vezes cansativa, e muitas vezes, massacrante...

Quando vc achar que não vai dar, confie e entregue tudo nas mãos Dele.

Descanse no Senhor, vc chega lá.

Lee, precisando comprar outro caderno dos sonhos: faltam só seis folhas...


Na Sessão Revival - Vc se lembra?

http://www.youtube.com/watch?v=hmppuf-2uiE