terça-feira, 25 de agosto de 2009

Interpretando

Uma irmã veio me procurar pedindo interpretação para um sonho que ela teve.

Particularmente, prefiro ficar com as minhas próprias interpretações de meus sonhos:

Se algo não corresponder, “fica tudo em casa”.

E além disso, nunca corri atrás de profecias, ou de profetas...

Temos a disposição a palavra de Deus, de forma geral, ao nosso alcance, e Ele espera que tenhamos bom senso em nossas decisões- e se essa decisão for algo contra a vontade Dele, Ele lamenta- mas deixa.


Bem, ela me contou o sonho, e enquanto contava, fluía a interpretation...

Como conheço um pouco da vida dela, isso facilitou bastante.

Sonhou ela que estava numa casa que era dela, mas ao mesmo tempo via pessoas diferentes, que dava a sensação que não era a casa dela...

Quando ela saía da casa com a filha, viu perto de um muro divisório a sua casa, e seus dois netos pré-adolescentes, boiando de cabeça baixa em uma espécie de grande poça.

Ela achava que eles estavam mortos, mas ao mesmo tempo,achou que ainda poderiam estar vivos...no desespero, tentou chamar a filha, mas não conseguia...

Acordou angustiada...ela disse que não se lembrava de uma parte do sonho (sei bem o que é isso) , e veio me pedir ajuda.

Interpretation

Essa irmã agora é da grei presibiteriana, e seus netos a acompanham para igreja aos domingos: estão adorando.

A “casa que ela sentia ser e não ser dela”- É por liminar do juiz dela provisoriamente, mas há um “embrólio” judicial, e ela captou essa sensação,mesmo sem saber...é onde ela mora.

Muro divisório – A filha dela mora numa espécie de anexo da casa, uma casinha, na parte de trás do terreno, sem falar que a relação das duas não é lá essas coisas, pra dizer o mínimo... espiritualmente, ela viu como está na verdade a relação das duas: fechada.

Netos boiando, parecendo mortos- eles são largados pelos pais biológicos, que não estão nem aí pra eles...tem os meninos como “estorvo” na vida deles, não ligam, nem cuidam.

Senti o Chefe passando a ela a responsabilidade de leva´-los a casa Dele- os pais encostam nela, e ás vezes ela relutava em aceitar- mas ela pode ser a última chance dos meninos...

Bem, isso foi o que “fluiu” na hora, e batia com algumas coisas que ela estava sentindo.

È isso aí, amanhã escrevo mais, to cansado.

Lee