sábado, 15 de agosto de 2009

Passeando no Calçadão

Calçadão de Copa: Relax mental e espiritual
Esse ladrilho foi pintado em menos de um minuto, com guache.

Hoje fui caminhar no calçadão de Copa, pra renovar as baterias espirituais e mentais.

O contato com a natureza sempre me proporciona essa renovação...

Aí, na parada pra tomar água de côco, um morador de rua, que inclusive dorme perto de onde eu estava, veio me apresentar seu trabalho.

Como percebi um sotaque diferente, ele me disse que era de Juiz de Fora.

Começou a desenhar, e em menos de um minuto, o ladrinho agora é obra de arte:
Está em cima da minha mesa, ao lado do computer.

Foi vendo o mar que confirmei novamente o que havia sentido, que devo dar um pulo em Copa amanhã de novo...

Sinto-me meio cigano (sem maldições!): Estou em Ita, dou pulos em Copa, e todo quinto domingo (em média de 3 em 3 meses) vou na Catedral Presbiteriana, ver Caio Fábio, e também retribuir o carinho que a grei Presbiteriana teve comigo na infância (ver post "carro vermelho"no arquivo).

Sinto que o Chefe me proporciona esses momentos, talvez por que anos atrás, vivia numa loucura de horários em relação a igreja:

Sem falar nas vezes que ia na semana, só no domingo, eu praticamente passava o dia inteiro na grei:

Chegava ás 8 da manhã, e saía ás 14h, isso pra voltar ás 17h (morava a 12km da grei), ás vezes, mal almoçava, e já tinha que voltar...e só saía de lá ás 22h.

Isso, tendo que trabalhar na segunda, algumas vezes (trabalhava por escala, ás vezes saía de um plantão de 24hs no sábado e fazia essa loucura).

E eu nem recebia um centavo da grei, e trabalhava mais que o pastor titular, que começou a implicar por ciúmes, e inveja.

Estafei, depois de 3 anos...tive arritmia, e fui parar no Copa d'ór (hospital).

Hoje, só vou na grei de manhã, e mesmo assim, em cultos ás 11h (Ita), 10.30h (Copa), e 10.15h (Catedral Presbiteriana), todas com fácil acesso para mim, as duas últimas de metrô.

Muito melhor que culto ás 9 da manhã, onde tinha que estar mais cedo, por causa de minhas responsabilidades, em anos anteriores.

Antes, “pregava” uma vez por mês, e “ensinava” todos os domingos na classe de jovens.

Hoje faço isso quase todos os dias, por aqui, mas de forma mais abrangente.

E alcanço mais gente, pois antes, onde estava, nem transmissão por internet havia-ainda não existe isso por lá.

E lêem os posts gente de todo Brasil, mais os brasileiros no exterior, e os de língua portuguesa...só por aqui, passam gente dos EUA ao Canadá, passando por Portugal,Alemanha,Inglaterra e Espanha e Suíça...Angola, na África, e Índia, China, Japão, indonésia...bem longe.

Num conseguia isso acordando cedo aos domingos, e trabalhando como um louco...

Quando reduzi o ritmo, o Chefe fez com que a mensagem Dele através de mim fosse longe, e me faz circular pelas casas Dele, e tocar e cantar em Ita, exercitando outro de meus dons.

Por isso, digo a todos que descansem no Senhor, pois não é por nossas forças que conseguimos as coisas, é pela força e o ritmo que Ele ditar.

É só confiarmos Nele, e não em pessoas:

As “pessoas de igreja” me sugaram e exploraram enquanto eu era conveniente ( nego ligava pra saber quando eu ia pregar- era o domingo que mais enchia na minha igreja de origem), mas depois me deram as costas- muitos me “malharam”.

Confie no Senhor, e não peça favor as pessoas...se não, não seremos diferentes do que estamos vendo, nessa crise toda, do senado federal.

Confie no Senhor, e não em suas próprias habilidades, intelecto, oratória, etc.

Lee, que antes caiu no ritmo “de igreja”, e se estrepou, e agora anda no ritmo que Ele quer.
Na Sessão Revival, veja por que turistas de várias nacionalidades se hospedam em Copa: