domingo, 20 de setembro de 2009

Na Fornalha


"O rei Nabucodonosor fez uma estátua de ouro; levantou-a no campo de Dura, na província de Babilônia.

E Ordenou que ao ouvirem o som de toda a espécie de música, todos se prostassem a estátua de ouro que o rei Nabucodonosor tinha levantado.

E qualquer que não se prostrar e não a adorar , será na mesma hora lançado dentro da fornalha de fogo ardente.

Por isso, no mesmo instante chegaram perto alguns caldeus, e acusaram os judeus.

Ó Rei, Há uns homens judeus, os quais constituíste sobre os negócios da província de babilônia:
Sadraque, Mesaque e Abednego; estes homens, ó rei, não fizeram caso de ti; a teus deuses não servem, nem adoram a estátua de ouro que levantaste.

Então Nabucodonosor, com ira e furor, mandou trazer a Sadraque, Mesaque e Abednego, e trouxeram a estes homens perante o rei.

Falou Nabucodonosor, e lhes disse: É de propósito, ó Sadraque, Mesaque e Abednego, que vós não servis a meus deuses nem adorais a estátua de ouro que levantei?

Se não a adorardes, sereis lançados, na mesma hora, dentro da fornalha de fogo ardente:

E quem é o Deus que vos poderá livrar das minhas mãos?

E responderam os 3: Não te necessitamos falar sobre isso.
Eis que o nosso Deus, a quem nós servimos, é que nos pode livrar; ele nos livrará da fornalha de fogo ardente, e da tua mão, ó rei.

E, se não, fica sabendo ó rei, que não serviremos a teus deuses nem adoraremos a estátua de ouro que levantaste.

Então Nabucodonosor se encheu de furor, e ordenou que a fornalha se aquecesse sete vezes mais do que se costumava aquecer.

E ordenou aos homens mais poderosos, que estavam no seu exército, que atassem a Sadraque, Mesaque e Abednego, para lançá-los na fornalha de fogo ardente.

E, porque a palavra do rei era urgente, e a fornalha estava sobremaneira quente, a chama do fogo matou aqueles homens que carregaram a Sadraque, Mesaque, e Abednego.

E estes três homens, Sadraque, Mesaque e Abednego, caíram atados dentro da fornalha de fogo ardente.

Então o rei Nabucodonosor se espantou, e se levantou depressa; falou, dizendo aos seus conselheiros: Não lançamos nós, dentro do fogo, três homens atados? Responderam e disseram ao rei: É verdade, ó rei.

Respondeu, dizendo: Eu, porém, vejo quatro homens soltos, que andam passeando dentro do fogo, sem sofrer nenhum dano; e o aspecto do quarto é semelhante ao Filho de Deus.

Então chegando-se Nabucodonosor à porta da fornalha de fogo ardente, falou, dizendo:
Sadraque, Mesaque e Abednego, servos do Deus Altíssimo, saí e vinde!

Então Sadraque, Mesaque e Abednego saíram do meio do fogo.

E reuniram-se os príncipes, os capitães, os governadores e os conselheiros do rei e, contemplando estes homens, viram que o fogo não tinha tido poder algum sobre os seus corpos;
Nem um só cabelo da sua cabeça se tinha queimado, nem as suas capas se mudaram, nem cheiro de fogo tinha passado sobre eles.

Falou Nabucodonosor, dizendo:

Bendito seja o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, que enviou o seu anjo, e livrou os seus servos, que confiaram nele, pois violaram a palavra do rei, preferindo entregar os seus corpos, para que não servissem nem adorassem algum outro deus, senão o seu Deus.
Por mim, pois, é feito um decreto, pelo qual todo o povo, e nação e língua que disser blasfêmia contra o Deus de Sadraque, Mesaque e Abednego, seja despedaçado, e as suas casas sejam feitas um monturo; porquanto não há outro Deus que possa livrar como este.

Então o rei fez prosperar a Sadraque, Mesaque e Abedenego por toda a província da babilônia. "
(Daniel 3.1-30, editado)

Penso que hoje em nossos dias, com a promiscuidade espiritual que vejo por aí, com tantos cristãos querendo agradar autoridades, ao Estado constituído, etc, essa cena seria diferente...
Quem fosse pego ia fazer um acordo:

Iriam negociar uma “ajoelhada” ás escondidas – pro rei não ficar mal na fita, e nem eles.

Mas “ajoelhou, tem que rezar”, e eles quebrariam os votos a Deus, da mesma forma...

Que bom que esses rapazes viveram em outro tempo, e não nos dias de hoje:

A babilônia era uma cidade tão perversa, que é novamente citada em Apocalipse, como símbolo das abominações da terra, em todos os tempos.

Imagine toda a facilidade de mal que possa existir numa cidade de hoje:

Babilônia, parafraseando o aumento da fornalha, era sete vezes pior.

Ser temente a Deus ali, não era ter essa vida de pirulitos, suspiros, e docinhos gospel que vemos hoje:

Não era viver esse pacotinho adocicado, esse “Cosme e Damião” gospel que dão nos púlpitos de hoje, pras pessoas se alimentarem.

Ser temente a Deus ali, não era chamar a orquestra da babilônia pra tocar em sua igreja, não era ter foto de Nabucodonozor em sua grei, nem cantar o hino nacional da babilônia dentro do culto, patrioticamente, pois temos que “honrar a autoridade”.

Sadraque, Mesaque e Abedenego, bem como Daniel, eram pessoas que sabiam que só uma vida genuinamente em Deus, em local tão tenebroso, poderia fazer com que tivessem vida.

Detalhe:

Eles só tinham a disposição uma pequena parte da Bíblia:
Tinham só os 5 primeiros livros, dos atuais 66 que nós temos (73 na Bíblia católica);

Não tinham sinagogas para eles congregarem, e não podiam acessar a net para poder ver culto ou lerem reflexões de outro país:

Nabucodonozor proibia, assim como o Irã faz hoje...

Não tinham um Pastor, um capelão na babilônia, pra dar uma força, nada...
Mas mesmo assim eles tinham muita, mas muita vida com Deus.

Dependiam Dele a cada dia, se não, viveriam sufocados...

Hoje temos igrejas com ar condicionado e estacionamentos, Bíblias completas, inclusive das mais comerciais possíveis (Bíblia da mulher, Bíblia da "prosperidade", Bíblia jeans, um scambal);

Cds, dvds, net, farofada gospel pra tudo quanto é lado (camisas, bandas, congressos de louvor, de jovens, de adolescentes, da terceira idade, etc);

Pastor de igreja, de jovens, de adolescentes, evangelistas, ministros de música, professores de crianças, de escolas bíblicas;

Daqui a pouco, a gente vai poder levar até o cachorro pra igreja, onde eles ficarão numa classe especial:

Terão aula com um Pastor Alemão.

Procuramos cobrir todos os espaços possíveis, e ainda assim, não somos como Sadraque, Mesaque, Abedenego, e mesmo como Daniel.

Por quê?

Antes de serem levados cativos de Jerusalém, esses rapazes tinham uma sólida relação com Deus, pelos ensinamentos que foram preenchendo o coração deles.

Naquela época, o ensino nas sinagogas priorizava a lei, para ser aplicada no dia a dia.

E nas casas, vivia-se conforme esse ensino.

Hoje, a igreja trocou o ensino pelo show.

Acham que manter o povo em" entretenimento gospel", é alimentação espiritual.

Confundem cultuar a Deus (um modo de vida) com músicas intermináveis.

As mensagens em geral são fracas e os ensinamentos adocicados demais.
Muito homem frouxo, com medo de desagradar os ouvintes, e perder sua renda.
Homens que preferem agradar ouvidos de outros homens, do que agradar a Deus.

E a ovelha, que não sabe fazer nada sozinha, segue tudo inocentemente, pois acha que aquilo é a maneira correta, aquela maneira "gospel" de ser, que ensinam dos púlpitos.

Por exemplo, na questão apresentada aos três rapazes:

Hoje, todo mundo iria se ajoelhar, pois uma das coisas ensinadas nas igrejas é o obedecer as autoridades , conforme Romanos 13.
Mas não ensinam que isso tem limites espirituais:
Não perseguir, oprimir, praticar injustiças com o povo, por exemplo.

João Batista foi morto por Herodes, por denúnciar suas injustiças;
Jesus chamou ao próprio Herodes de “raposa”.

A igreja de hoje, chamaria Herodes e Nabucodonozor para se sentar na plataforma do altar, perto do púlpito.

Afinal, ele era “autoridade”...e ainda acharia bem feito João Batista ter morrido, por "confrontar" uma autoridade.
As igrejas quando fazem aniversário, mandam convites para prefeitos, governadores e autoridades participarem.

Elas são doidas por uma visita do Lula, acham isso o máximo:
As convenções de todas as denominações sempre convidam o presidente.
Sadraque, Mesaque e Abedenego nunca puxaram o saco de Nabucodonozor.

Os pastores de hoje, puxam o saco até de quem está na congregação deles, chamando-os pelos títulos:

Veja se seu pastor chama um membro de "doutor", ou outro título, como professor ou professora...

Aí vc saberá que ele é puxa saco, que gosta dessas coisas.

Os jovens rapazes tinham há muito no seu coração, o “Não terás outros deuses diante de mim”, pois eles sabiam quem era, e experimentavam Deus nas suas vidas.
Eles sabiam que obedecendo a Deus, poderiam virar churrasco;

Mas eles sabiam a quem tinham que obedecer.

Ah, eles sabiam também que Deus poderia os livrar da fornalha;

Mas a maturidade da fé era tanta que disseram:

Mas SE NÃO, se ele não quiser, não vamos nos curvar a estátua nenhuma do mesmo jeito.

Eles sabiam que, mesmo se virassem churrasco, a palavra de Deus não seria anulada;

Eles mostraram claramente de que “lado estavam”;

Eles confrontaram a autoridade do rei, pois nesse caso, ia de encontro com os princípios divinos;
Eles criam que Deus poderia livrá-los, mas SE NÃO, estavam cientes de que obedeceram a Ele.
Hoje, ensinam que Deus vai livrar de tudo, e não é bem assim.

Tem gente que envelhece na grei,mas não tem a maturidade desses jovens (todos na casa de seus vinte e poucos anos).
Ao que tudo indica, houve uma Teofania (manifestão de Jesus no Velho Testamento, aparecendo antes do tempo) discernida até por Nabucodonosor:
O quarto homem que estava com os rapazes, parecia ser semelhante ao Filho de Deus!

Ter maturidade na fé, não depende de idade, de ir “ ficando velho” na Igreja:
Conheço velhos há anos na igreja, mas que são imaturos.

Uma grande parte da membresia das igrejas, bem mais velhas que os rapazes do texto, ainda estão nas fraldas, nas coisas da fé, apesar de um bom tempo na grei.
Vivem lendo livros de auto-ajuda gospel, ou tentam virar Caçadores de Deus (como se Este fosse uma caça), vivendo de congresso em congresso, de acampamento em acampamento, enquanto na verdade este continua procurando quem possa adorar em espírito e em verdade.
Sadraque, Mesaque e Abedenego, decidiram que passariam pelo fogo, mesmo se morressem.
E foi depois que passaram pelo fogo, que foram honrados por Deus, entre os homens.

Sadraque, Mesaque e Abedenego dão um banho de fé em todos, hoje.

Enquanto isso, a maioria prefere mesmo tomar só um "banho gospel", com shampoo da turma da Mônica, pra não irritar olhos, brincando com um patinho de borracha, que apertando, diz:
"Amém, glólia a Deus, Aleluia".

Lee


Na Sessão Revival, pra quem gosta de viver fora do fogo: