segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Passaram dos Limites


Ontem, a final do No Limite foi limitada pelos votos dos perdedores:

Foi completamente injusto o resultado final.

Eu que vi as edições anteriores do programa, detestei esse formato final de voto com juri dos que saíram...

Se o nome do programa remete a testar os limites dos párticipantes, a vencedora final foi a Gabi, que chegou na frente de todo mundo.

Esse negócio de botar júri de perdedores, cheios de ressentimentos ( a marrenta da Índia, que cantou vitória antes do tempo e se deu mal, a cobra da Sandi, e os chorões Osmar e Guimarães – como faltou homem “macho” nesse programa), iam descarregar toda sua mágoa em alguém.
A Gabi era a mais fraca, fisicamente, das três:

A Jéssica era a mais forte, em compensação, a mais “boba” em estratégia:

Alías, Jéssica sabe falar duas frases completas, sem interrupção?

Era pra ela que o júri dos perdedores ressentidos estavam torcendo:
Gabi tirou ela da votação final, se não correria o risco de perder de zero.
A bombeira chorona, cansou de entregar o ouro:

Nem parece bombeira, em provas coletivas, sempre atrapalhava seu grupo.
Só aguentou numa prova individual, e que quando ganhou, ainda fez outra besteira:
Chamou duas pessoas do grupo azul recém misturado, na ocasião,que nunca tinha visto na vida, apesar de ter passado 3 semanas com o grupo laranja que não a suportava.

O Júri do grupo azul, o mais cheio de intrigas, é que tirou a vitória da gabi, por injeva.

Sim, Gabi, ao contrário da Sandi, que conspirava a toda hora, ficou na dela na hora certa:

Cresceu na reta final com as saídas da Índia, Guimarães, e Alexandre, que estavam fechados.
Limou o enfermeiro chorão, que era favorito, eliminou pessoalmente o feirante, e tirou a queridinha do júri ressentido da final, a Jéssica:
Quando a bombeira chorona ganhou, foi até sem graça, pois geral não gostava dela.
Votaram nela, pois não tiveram a competência de chegar a final:

Gabi, fraca fisicamente, foi a grande vencedora e estrategista desse game, pois nunca ganhou uma imunidade, e jogou com inteligência até o final...

A forma como conseguiu pegar o côco com a chave, saindo muito na frente, foi muito inteligente.
Espero que a globo volte ao formato original, primando pela competência do candidato, e não pela incompetência do júri:

Com esses, o programa ficou sem limites, vencendo alguém que perdeu a maioria das provas da competição...

Sem falar que era um porre ver a bombeira chorona se derreter toda hora.

Lee, esgotando seu limite com a globo.

Bônus: Ontem na grei

Toquei nos cultos de 9h, 11h e 19h horas.
É muito cansativo, e não dá tempo de tomar o café pois corro o risco de chegar atrasado.

A ordem do culto e mensagem são as mesmas nos cultos da manhã: o que vc vê no das nove, vc revê ás onze.

E o primeiro culto é um pouco mais vazio, e há grande concentração de idosos.

Minha voz estava querendo ficar rouca desde sábado, e minha voz começa a falhar na última música:
Faltando meia estrofe pra acabar, eu me poupo, fazendo apenas o ritmo com a percussão.

Assim, quando acabou a mensagem do primeiro culto e o coral ia cantar mais uma música, fui a padaria tomar meu café: Eram 10.30h.

Pingadinho de café com leite (mais escuro), guaraná natural e um sanduba quentinho chamado “Copacabana “ (que coisa, né?).

Faltando dez prás onze, acabo, e levo 5 minutos pra voltar á grei a pé.

Minha garganta requeria cuidados, pois estava querendo ficar rouco...e ainda tinha mais 2 cultos no dia.

No trajeto a pé pra grei, ligo para o Coronel Trautman e digo a este que interceda por mim, e relato o acontecido.

E aí veio a surpresa:

O Coronel, que ás vem pra fazer uma cobertura em intecessão quando toco, recebeu o seguinte recado do Chefe:

Mélzinho- mélzinho !! “

Que raio de mélzinho era esse?

Era um spray de mel com própolis e gengibre que estava na casa dele...ele pegou, e quando chegou na grei, me entregou.

Borrifei o “mélzinho” na garganta, a toda hora antes das apresentações, e só assim aguentei até o final.

A grei estava lotada, tanto no segundo culto da manhã, quanto no da noite:

Foi o dia mais lotado do mês (eu sempre vejo na net, qdo num vou) e quem chegasse depois ficava sem lugar, a noite.

Eu sempre boto as cores que Ele me orienta...
É algo pessoal, sou proibido de usar preto dentro da grei ( fora dela, sim, mas sem abusar).

Não falo pra ninguém do grupo, é coisa entre eu e o Chefe.
Mas á noite, falei que ia estar de púrpura ( e Ele me manda colocar as cores, e anunciar o dia que vou estar tocando - fazer o quê?).

Pois justamente á noite, o líder do nosso grupo musical estava de púrpura.

E muita gente na grei usava essa cor, até mesmo a regente.

Bateu uma tontura forte antes da música...o dia estava quente, mais senti que era espiritual:
Faço um sinal para Trautman, e este me diz que é realmente espiritual...devia estar cobrindo...
Pouco depois passa.

Muita gente gosta do nosso grupo na liderança do louvor...ontem, até mesmo o Pastor, quando viu os canticos, fazia “mini-mensagens” em cima desse, já que todos são bíblicos.

Mas muito mais que ensaiar, meu preparo espiritual é que é mais intenso:

Duas e meia da matina de sábado, estava orando pelo domingo, até ás 3 da manhã.

Tenho colegas de grupos de louvor, uns inclusive são líderes, que passam a madruga de sábado na Lapa, ou em outros locais, enchendo a cara e pegando vagabundas.

No dia seguinte, alguns, chegando seis horas da manhã em casa, e tem que estar no culto da manhã a frente do louvor...

Vários, nem dormem, senão perdem o culto.

Sai a coisa mais sem graça e insossa, é só barulho...cansei de aconselhá-los, mas não ouvem, e acham que podem seguir nesse esquema...

Cada um faz sua escolha.
Transmitir a mensagem da música, levando o povo até a Ele, em espírito, faz parte da missão do cantor (de coral, inclusive) e do instrumentista.

Lee, novamente com a participação do Coronel Trautman.
Na Sessão Revival, Hoje não é nenhum dia especial, mas...