sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Sobre Adorar em Espírito e em Verdade


“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.”
(João 4. 23,24)

A primeira coisa que a maioria das pessoas pensam quando lêem esse texto, é no louvor congregacional das igrejas, ou seja, cânticos e hinos.

Mas é muito mais do que isso...

Sim, Deus habita nos louvores do seu povo, mas para que Ele possa habitar no mesmo, tem duas condições básicas exigidas:

Tem de ser “em espírito”, pois se Deus é Espírito, o seu espírito tem de estar conectado ao Dele:

Tem que estar em sintonia com Ele...tem que conhecê-lo, estar “interessado” Nele.

Mas também deve ser "em verdade":

Isso vem de um coração quebrantado, contrito...

A primeira coisa que Deus examina no homem, é o coração, a sua real intenção no que está fazendo, pensando, no que quer.

Este adorar, não é só dentro de igreja, mas sim ter um “coração adorador” todos os dias, ser grato a Ele a cada dia.

“Em verdade”, é em sinceridade:

Diversas vezes não canto "só por que estão cantando"...

Ás vezes, discordo da letra, ou uma música não me traz uma lembrança legal...
Ou mesmo ainda não "entrei no clima".

Fico quieto no meu canto – isso é ser verdadeiro.

Uma boa parte das músicas atuais, deveriam apenas ficar nos cds, e não serem levadas para a congregação cantar, virarem cânticos.

Os cânticos do passado foram produzidos com o objetivo de serem cantados pela congregação;

Os de hoje, em sua maioria, apenas para cantarem no CD/DVD ao vivo de boa parte dos cantores e bandas “gospel”- de saírem na captação do som ao vivo destes.

E nos forçam a ouvir na grei o que foi feito com um propósito apenas de show.

Toco e canto num dos grupos de louvor da grei, cujo repertório é basicamente flashback de cânticos do passado (80% das músicas), que foram feitas com o propósito de fazer a igreja cantar junta.

Hoje, querem que cantemos, sem arranjo para a congregação, músicas de cantores solo e bandas que estão ditando a nova moda, tipo Hillsong e a Lagoinha, genérico brasileiro da banda australiana...

A turma ouve no cd, e quer tocar igualzinho pra cantar na grei, o que eles cantam num show acústica ou eletrônicamente preparado para tal.

E geralmente tiram num tom alto demais, e todos ficam se ”esganiçando” pra tentar sair igual, inclusive na aparência:

A mão levantada, os maneirismos corporais dessas cantoras, os olhos fechados e gritos, são imitados especialmente pelas meninas da igreja:
O que vejo de "Darlenes" e "Ana Paulas" quando vou a culto por aí, ou na internet, é uma praga.
Foram elas que ditaram os maneirismos "gospel" dos cultos de hoje, de dez anos pra cá...
Antes, muito mais o jeito "Cassiânico" de antigamente- pelo menos, essa não imitava ninguém.
"Em Verdade", não é ser fake.

Os passarinhos louvam com sinceridade:

O canto do curió é diferente do sabiá, que é diferente do canário, etc.
Nunca vi um tentando imitar o outro...

Adore a Deus em espírito e em verdade, todos os dias...

E lembre-se que música de igreja não é passatempo, aquecimento de culto....
No meu ensaio, já estou cultuando, ali já estou "em espírito e em verdade", ainda que a música esteja sendo ajustada...

Ás vezes, um simples assobio, "em espírito e em verdade", chega até a Ele...
Um simples cantarolar agredecido de coração, varrendo uma casa ...
O Pai está a procura de quem o adora assim...

Enquanto boa parte de uma barulhama que escutamos por mais de uma hora aos domingos, carregada de parafernálias eletrônicas, nem passam do teto da grei:

Soa “bonito” apenas pra quem está na frente deles, destilando muita vaidade, sem estar no espírito, e muito menos em verdade.

Lee

Na Sessão Revival, as meninas do Point of Grace perguntam: Como vc vive?