quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Deus Cupido : Só na Mitologia 2


Reunir os diferentes significados de amor no grego, vistos no post anterior, facilita bastante pra sabermos o que de fato a gente está sentindo por uma pessoa .

Nos ajuda a não sermos influenciados por terceiros, seja lá quem for:

Por turminhas de amigos, por parentes, por igreja, etc.

Digo isso sempre pensando em relação a casamento...

Ficar com alguém (sem compromisso), ou ter um namoradinho ou namoradinha (ter algum
compromisso), é opção de cada um...

Tem gente que realmente não gosta de ficar nem um pouco só.

Mas para um compromisso maior, sentir se há os três elementos que citei, facilita nossa percepção.

Eu tinha um colega que namorava uma menina bonita, mas estava absolutamente intranquilo na questão de casamento...ela já começava a perguntar sobre isso.

Pareciam “bonitinhos” aos olhos de todos...ele era um negão forte, e ela era branca.

Perguntei se era por causa de questão racial, medo de sofrer preconceitos...

Se fosse, diria que se ambos tivessem amor um pelo outro, aguentariam quando surgisse algum preconceito – pois poderia surgir em algum momento da vida...mas não era.

Era o Eros.

Ele disse que “se conhecia”, gostava da menina, mas não tinha muito “ tesão” por ela...

E tinha a nítida percepção de que ela seria “devagar” nessa área, por conversas que tiveram (na ocasião, ela era virgem).

O negão, “cheio de paixão pra dar”, teve o bom senso de não iludí-la: terminaram.

Hoje, é casado e pai de dois filhos...espero que esteja bem.

Ele conseguiu identificar a tempo, instintivamente, que faltava um desses elementos.

Hoje, muitos homens casados “estão na secura”, mesmo casados, pois nessa questão do
Eros, que é forte, não a observaram anteriormente, ou pensaram que "iria mudar".

Da mesma forma, a mulher mais “fogosa”, fica carente se casar com um cara “devagar”, nessa área:

Ambos deram ênfase só no Àgape, ou no Philos...fique sempre atento.

O preconceito com quem demora a se casar, ou mesmo não quer se casar

A igreja sempre foi cruel com os solteiros, nesse sentido.

A sociedade ocidental, em nossos dias, até que não se importa mais como no passado:

As mulheres (as mais visadas no preconceito) vão tranquilamente pra lá de 30, 35 anos, solteiras.

Elas estão estudando, trabalhando, pra não depender de homem, como era antigamente.

Mas na grei é terrível...antes, a pressão pra uma menina casar começava aos 18 anos, com a garota cheia de espinhas na cara.

Na igreja, caiu pra pouco depois dos 22 anos, quando se forma na faculdade, em média.

É perturbação de mãe, de irmãs da igreja ...um inferno emocional pra menina.
Se esta teve uma irmã que já se casou, complica ainda mais...
E se essa irmã que se casou for mais nova que ela, é o caos!
Vai desesperadamente se casar com o primeiro mané que der mole.

Se por acaso tiver um namorado, o pastor toda hora pergunta quando vai fazer o casamento deles, fica enchendo o saco.

Essa pressão produz os maiores equívocos que já testemunhei...já vi gente, por causa disso, casando e se separando seis meses depois: um deles, foi um filho de pastor.

Fora aqueles que ainda estão juntos por constrangimento, por medo de reação da igreja e dos pais:

Uma menina que conheci arrasta o casório dela há uns sete anos...algum tempo atrás, ela disse que percebeu a furada em que tinha entrado um mês depois de se casar...

Vive em depressão das brabas, de não querer sair da cama: se sente morta, que é como está o casório dela – morto.

Mas tem medo de separar, por causa da reação dos outros...

E ainda a aconselharam a engravidar (como se filho consertasse casamento), mas também não dá:

Ela não sente mais atração pelo marido – Eros – pouco sentia, e agora as relações são raras..

As pessoas pedem ao “Deus cupido” para flechar com Ágape, Philos, ou Eros uma pessoa: “ Senhor”, bote amor no coração dele/dela”.

Pedem isso seja por gostar de alguém, e querer essa pessoa;

Seja pra tentar salvar um namoro, noivado, e principalmente, um casório:

É o tipo de oração que mais fazem em reuniões de oração.

Mas o Deus real diz que amar outra pessoa é um ato que deve partir do coração do homem, e não Dele.

Vós, maridos, amai vossas mulheres (Ágape), como também Cristo amou (Ágape) a igreja (Efésios 5.25)

Para que ensinem as mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos (Ágape), a amarem (Ágape) seus filhos (Tito 2,4)

É de baixo (homem) pra cima (Deus), e não ao contrário.

Se Ele colocasse esse amor-chip dentro da gente, seríamos robôs.

Parte de nossa vontade, é dessa maneira que foi feito.

Ora, Ele diz que até mesmo o pecado parte de nossas própias concupiscências – ninguém pode dizer que é Deus quem está tentando.

Podemos perceber que o amor Ágape, não pode faltar de jeito nenhum num casamento...
Mas Ele não coloca esse amor na pessoa- ela tem que desejar ter o amor sacrificial, é um ato de vontade.
Ele não coloca o Philos - ter carinho, amizade...a pessoa tem que querer desenvolvê-lo:
Por isso que tem um bando de homem grosso, e um bando de mulher fria:
Não elogia a roupa , maquiagem e cabelo dela, depois de horas na frente do espelho, não elogia a roupa dele, não dá um cheiro no cabelo dela, sentindo o cheiro do shampoo e elogiando-a;
Não dá um cheiro sentindo o perfume dele, não mexe na orelha, num faz cafuné, num dá abraço, não paga conta no primeiro encontro (rachar só depois!), não abre porta do carro pra ela;
Não escreve torpedinho de amor pra ele, não pega o batom dela e escreve no espelho do carro/casa uma frase pra ela, nunca levou café na cama pra ela, nunca fez uma aparição surpresa pra ele (cuidado -pode ser perigoso, rsrs)...
Não deixam presentinhos de surpresa escondidos, um pro outro...
Philos é isso- também anda raro hoje em dia.
Ele também nunca vai colocar o Eros...ter ou não tê-lo, é também de cada um.
O máximo de oração que podemos ter nesse sentido, é que Deus esclareça o coração da pessoa, naquilo que ela realmente quer.

Se um homem ou uma mulher não quiser namorar com outro ou mesmo continuar casado, não adianta forçar...

Não adianta jejum, voto, vigília, corrente de oração, ungir com óleo da unção a cueca dele, ungir com óleo a calcinha dela , passar óleo no pinto ou na peteca pra segurar conjuge (não se assuste : tem de tudo nesse louco mundo “gospel” brasileiro);

Ir de joelhos até Aparecida, ir pra sessão espírita, levar o nome pra macumba, pedir pra rezar um mantra, jogar moeda na fonte e fazer pedido, etc.

O máximo que pode acontecer é uma pressão religiosa, seja por medo de perder certo “status” na igreja, seja por medo de algum tipo de “maldição” que alguém possa jogar (e como crente adora jogar praga nos outros, em nome de Deus), etc.


Aí a pessoa fica por medo, e não por amor.

Continua...


Amanhã:


Pessoas que estão esperando o “Deus cupido” enviar o seu eleito/sua eleita...será que só existe uma pessoa na terra que serve pra vc?



Lee, que se não chover, amanhã estará em Copa a partir das 11.30h pra ver o anúncio oficial da sede dos jogos olímpicos...será em Rio 2016?


Sessão Revival Love continua:
Mais que palavras:
Do you like Chopin?