sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O que Aconteceria se descobrissem que Jesus era Negro?


Nesse dia da consciência negra aqui no Brasil, pelo feriado de Zumbi dos Palmares (que protegia os escravos fugitivos no seu quilombo) , fiquei pensando:

O que aconteceria se descobrissem que Jesus era negro?

Ao longo dos séculos, vendeu-se a imagem de um Cristo branco.

As imagens Dele, retratada nas pinturas e desenhos, sempre mostram um Jesus branco.

Já vi filmes, que além de branco, Ele tinha olhos azuis e cabelos lisos.

Mas pesquisas recentes, de dois anos atrás, dizem que, na região onde ele nasceu, em Belém, onde hoje é a Cisjordânia, não era lugar de brancos.

Os pesquisadores levantaram a hipótese, e computadorizaram a imagem, baseados em vários restos mortais (DNA), dos habitantes daquela época.

Chegaram a mostrar um Jesus diferente do que acostumamos ver retratado.

Era mais parecido com o Sayd, do seriado Lost...

Totalmente fora do padrão branco caucasiano ocidental que nos acostumamos.

Mas...e se ele fosse negro?

Como vc reagiria diante de tal fato?

Lembro que, assistindo "Todo Poderoso" com o Jim Carrey, almoçando na casa de uma senhora de Igreja, anos atrás, ela começou a rir quando viu um “Deus negro”.

Que no filme, é interpretado pelo sempre ótimo Morgan Freeman - um negro.

Pra realçar mais o contraste, o "Deus negro” usava um terno branco.

Aquela senhora começou a rir :

Deus preto, hahaha, disse ela....

Percebi a ironia, e mandei na hora:

Mas, e se fosse??
Ela tentou contemporizar, mas percebeu que seu preconceito aflorou “sem querer”...

Ficou sem graça , que nem a comida dela , que também tava sem graça.

Jesus disse que a boca fala do que o coração está cheio (Mateus 12.34)

Sim, Deus é espírito – por isso quer que o adoremos em espírito, e em verdade - mas o verbo (a palavra) se fez carne, para andar na terra e cumprir sua missão:

E se Jesus fosse negro?

Eu creio que algumas coisas iriam acontecer:

Iriam rechaçar o fato científico, já que Igreja e Ciência nunca conviveram bem.

Ora, se a "santa inquisição" condenou Galileu por dizer que a terra era redonda, imagina então, algo nesse nível,que afetaria diretamente a projeção dos fiéis...

Jesus negão? Soaria como heresia para preconceituosos como a senhora acima, que debochou só de ver na ficção...Eles não aguentariam uma realidade histórico- científica.

Mas se fosse devidamente comprovada a pesquisa científica:

Várias igrejas se recusariam a aceitar o fato, especialmente o protestantismo americano , seguidos pelo catolicismo romano.

Igreja de americano é pra branco, de olho claro e cabelo liso,e com boa situação financeira – Ora, os negros tiveram que fundar igrejas só para negros.

E nessas igrejas, como as da Rua Azuza, em Los Angeles, na Califórnia, de onde saiu o pentecostalismo que varreu mundo, tornando- a famosa, os pastores brancos não chamam seus colegas negros para pregar em suas igrejas :

William Seymour, Pastor dessa igreja na Rua Azuza (Metodista) não era chamado para pregar em igrejas de brancos.

Quanto ao catolicismo romano , um Papa que integrou a juventude nazista, como o atual, jamais aceitaria um Cristo negro:

Basta ver quantos bispos e cardeais negros são líderes lá no Vaticano, ou mesmo ao redor do mundo.

Todos, do protestantismo americano branco, ao catolicismo romano sustentariam que essa pesquisa foi apenas para "abalar a fé", e que isso não é verdade.

Muitos iriam abandonar a “igreja” em definitivo.

Ser “de Igreja,” e ser Dele, é algo muito diferente – Muitos estão lá dentro e não o são.

Seus líderes e membros ficariam decepcionados por ter cultuado um Jesus negro, durante muito tempo.

Irão, decepcionados, abandonar de vez suas igrejas, pois se recusam a abandonar o preconceito.

Mas...e vc?

Sua vida mudaria se descobrisse que Ele era negro?

Mudaria se toda aquela imagem que te passaram desde criança se desfizesse de uma hora pra outra?

Não espere que algo mais forte te aconteça, pra se livrar do preconceito.

Lee

Na Sessão Revival Black de hoje:

Olhos Coloridos:

I Will Survive, clássico da disco music com Glórya Gaynor:

Ébano e o Marfim (as cores das teclas do piano) clássico com Paul McCartney e Stevie Wonder (adoro essa música):