segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Saia Curta e os Fariseus nunca Combinaram

Pernocas de fora

Fariseus não gostam disso

A Universidade Bandeirante de São Paulo (Uniban) decidiu expulsar a estudante de Turismo Geisy Arruda, de 20 anos, na última sexta-feira, dia 6.

A aluna foi perseguida, encurralada, e xingada por um grande grupo de alunos nos corredores da instituição...

Tudo porque usava um vestido curto.

Ela saiu do local escoltada pela polícia. O tumulto ocorreu no dia 22 de outubro e ganhou repercussão, gerando debates sobre intolerância na sociedade.
Geisy, que foi informada sobre a decisão , contou que vai recorrer à Justiça:

"A Uniban vai comprar uma briga maior ainda", disse ela.

"Eu não sou um problema. Os alunos é que agiram como bichos", afirmou a jovem, que trabalha em um mercado perto de sua casa.

Esse episódio, que parece ter ocorrido em algum país Xiita do Oriente Médio, aconteceu em plena São Paulo.

Essa tal de Uniban (faculdade com nome de banco?) pelo que pesquisei, é de uma família toda formada no catolicismo romano, há várias gerações.

Daí fica fácil a gente entender essa “Santa Inquisição” que seus fariseus representantes expuseram a garota.

Fariseus, sejam eles do tempos de Jesus, sejam do nosso tempo, acham que são “fiscais de postura” comportamental das pessoas- se acham no direito de julgar comportamento.

Quer dizer, a menina de 20 anos anda de saia curta o dia inteiro, na rua, pra ir ao trabalho, e agora deveria o quê, voltar a usar uniforme estudantil na faculdade, pra não incomodar os outros?

E a reação dos alunos? Tá, em Sampa num tem praia, mas tem parques, estádios de futebol, e até um carnaval sem graça , mas é carnaval :

Será que nego nunca viu um par de pernas de fora?

A rapaziada da faculdade nunca viu garota de saia curta?

As meninas de Sampa não usam bermudas nem saias curtas? Usam “ Burka”?
Ou as meninas da faculdade ficaram foi com inveja das pernas da garota?

Um falso moralismo de quem, sendo jovens, cheios de sacanagens as mais diversas, de tudo o que se possa imaginar, regado as mais diversas combinações de drogas e álcool que se tem notícia, nos últimos tempos;

Gente que sai de casa pra “night”, e não consegue voltar, ou por que se esqueceu de onde mora devido ao estado etílico, ou por que morrem em acidentes de carro;

Esses se comportaram como radicais do Islã ultranacionalistas, daqueles que amarram bomba no corpo e entram em supermercado pra explodir.

Elas usam roupas com as pernas de fora, e eles tem namoradas e irmãs também com as pernas de fora, inclusive crianças.

Alías, as mães deles, na faixa dos 45 anos, também já andou muito e anda de pernas de fora.
Bom senso existe, sim: Mas isso a pessoa tem, ou não– não é forçado.

Isso os fariseus diretores da Uniban, em vez de acolherem a aluna que foi coagida, não sabem...
Preferiram “educá-la”, expulsando-a da faculdade, pois em seus quadros não pode haver pessoas “impuras...diz a nota dos fariseus:

"Foi um flagrante desrespeito aos princípios éticos, à dignidade acadêmica e à moralidade”.

Chamaram a PM paulista, que colocaram um jaleco na garota á fim de encobrirem sua “vergonha”, retirando-a dali...não prenderam ninguém das mais de 700 pessoas que coagiram a menina...que vergonha de PM essa, hein?

A reação da sociedade?

Ainda bem que não estamos numa aldeia xiita, ufa!

Sim, porque esse comportamento farisaico tô cansado de ver nas igrejas daqui, ao longo dos anos...

Em minha grei de origem, existem nas atas antigas (que registram as sessões acontecidas nas assembléias) expulsão de mulheres do rol de membros que cortaram o cabelo curtinho, na década de 60.

Na mesma década de 60, o seminário “Palavra da Vida”, um acampamento em Sampa muito conhecido dos evangélicos (agora nem tanto, já que várias igrejas tem seu próprio acampamento particular), se achava no direito de ditar regras para o namoro:

“Pegar só na mãozinha”, “estar juntos só ao lado de várias pessoas”, e “dar o primeiro beijo na boca só no altar, na hora do casamento”, era algumas dessas regrinhas.

Isso durou até a década de 80.

Os loucos que seguiram isso tiveram vários problemas, pois mal se conheciam, claro.

Ainda hoje, aqui no Rio, torcem a cara pra mulher de calça comprida, em algumas igrejas, e homens de bermudas, imagine então no interiorzão mais afastado, de maioria católica, ou mesmo evangélico.

Bem, a reação foi que o Mistério Público de Sampa entrou no caso, assim que soube da decisão, para investigar ;

A OAB condenou a atitude, o MEC e a Secretaria Especial de políticas a mulher pressionaram...resultado?

A tal da Uniban é que ficou de saia – Ficou numa tremenda e curtíssima saia justa, daquelas que aparecem até a “periquita” .

Revogaram a decisão na tarde dessa segunda, e não vão mais expulsar a garota.

Fariseus de ontem e de hoje, usam muita roupa, sejam nas igrejas, nas faculdades, nos tribunais, etc, mesmo com muito calor- é uma das características deles.

Acham que mostrar o corpo é pecado.
Se seu Pastor implica com isso, ou na hora dos acampamentos da vida manda os homens irem de bermuda pra piscina e as mulheres de maiô, saiba:
Ele é do time do barbudo ali em cima.

Bem, deve ser “sem graça “ estudar na tal da Uniban...

Que graça teria estudar num local onde as meninas num podem ficar com as pernocas de fora?

Lee , que mora num país tropical, abençoado por Deus, e bonito por natureza, bom para andar de havaianas com camiseta “mamãe eu to forte” :

Se estivesse no Alaska, me vestiria de acordo com o clima.
Na Sessão Revival, veja o que aconteceu naquela faculdade: