sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Leila e Narjara, Caminhos Diferentes

Leila se iludiu, e cansou
Narjara não se Iludiu



Vendo o suicídio da Atriz Leila Lopes, pude ver como realmente quem segue o sistema de valores desse mundo não aguenta:


Leila se matou com chumbinho misturado a lasanha, e pra garantir, tomou uma caixa de soníferos.


Na carta - despedida dela, disse:


Cansei...não aguento mais, é o melhor a ser feito.


Leila ganhou projeção na Globo, já saiu na Playboy quando era nova, mas os anos chegaram, e os trabalhos começaram a rarear...na nossa TV, idade é um problema:


Temos que conviver com a molecada da malhação até eles fazerem 30 anos, e começarem a ser descartados.


Pras mulheres então, é muito mais cruel...


Leila acabou indo fazer pornô, como a ex- chacrete Rita Cadillac, e alguns atores decadentes.

Assim que fez o primeiro, ganhou logo uma sentença:


Um diretor de novelas disse que ela jamais voltaria a TV novamente.


Leila viu então que estava presa, aos 50 anos, a indústria pornô, e o desespero aumentou:


Ela sabia que o tempo iria passar, e que não poderia fazer isso por muito tempo...


Sem falar que a depressão, a doença (endometriose, teria que tirar o útero), os remédios para poder dormir,tudo foi contribuíndo para a cena final da vida dela:


Ser achada morta, sozinha, em casa.


Detalhe: Ela tinha marido- sempre disse que ter cônjuge não é sinal de felicidade...


Aliás, pelo que vi, era o tipo de maridão a lá os da Ana Maria Braga e Suzana Vieira, e o falso “Jesus” da Madonna – Só interessados na fama ou dinheiro delas, e nunca amando de verdade- e no fundo, elas sabem disso, mulher saca as coisas – mesmo sendo enganadas.


Leila caiu na desgraça que esse sistema de vida ensina:


Ter sucesso a qualquer preço, ainda mais na classe que ela frequentava...


Sim, a eterna professorinha de Renascer tava rasgando não só o corpo, mas no final, acabou com a alma rasgada...


E terminou justamente como em seu último “filme”, que segundo ela mesmo contou numa de suas últimas entrevistas, sua “personagem “ morria ( existe personagem em pornô?)


O sistema de valor desse mundo diz que o sucesso tem que vir sob qualquer preço.


Leila caiu nessa furada, e quando viu, estava cansada demais, sem forças para sair desse poço, sem falar na incompetência do maridão em estender a mão, para puxá-la.


Mais dignidade teve a Narjara Turetta, que ficou famosa nos anos 80 na Globo, como a filha de Regina Duarte em Malu Mulher, e fez a secretária da Sônia Braga em Páginas da Vida (2006).


Quando não arrumaram mais trabalho pra ela, Narjara não se fez de rogada:


Foi vender água de Coco com a mãe em Copacabana, onde mora, por muito tempo.


Não “se violentou “, não se matou, e simplesmente seguiu a vida com dignidade.


Ultimamente, foi vista como recepcionista temporária do BNDES:


Narjara se vira como pode, sem nunca se vender, mesmo com tanto talento.



Lee


Na Sessão Revival, Alan Parson´s Project, com TIME, que nos convida a refletir:



http://www.youtube.com/watch?v=damfoXTtXP0