domingo, 24 de janeiro de 2010

A Escolha de Matias: Vontade de Deus ou Vontade dos Homens?


Vejam como foi a escolha de Matias para ser Apóstolo:

"Num desses dias de reunião, estavam presentes mais ou menos cento e vinte seguidores de Jesus. Nessa reunião Pedro se levantou e disse:

Portanto, precisamos escolher outro homem para pertencer ao nosso grupo e ser testemunha junto conosco da ressurreição do Senhor Jesus.

Deve ser um daqueles que nos acompanharam durante o tempo em que o Senhor Jesus andou entre nós, desde que foi batizado por João até o dia em que foi levado para o céu.

E foram apresentados dois homens: José, chamado de Barsabás, que tinha o apelido de Justo, e Matias.

Em seguida oraram, dizendo: Senhor, tu conheces o coração de todos: Mostra agora qual dos dois escolheste.

Para trabalhar conosco como apóstolo, pois Judas abandonou este trabalho e foi para o lugar que ele merecia.

Depois fizeram um sorteio para escolher um dos dois. O nome sorteado foi o de Matias, que se juntou ao grupo dos onze apóstolos". (Atos, capítulo 1, vs 25 a 26, editado)

Agora vejam como foi a escolha de Paulo:

"Eu, Paulo, escrevo esta carta - eu que fui chamado para ser apóstolo, não por pessoas ou por meio de uma pessoa, mas por Jesus Cristo e por Deus, o Pai, que ressuscitou Jesus da morte". ( Galátas 1.1)

Os textos acima tem muito a nos ensinar sobre escolha divina e escolhas humanas.

Principalmente em se tratando de escolhas de pessoas para sua obra.

A grande diferença nesse caso é o padrão da escolha.

Os padrões humanos sempre tem pré- requisitos, enquanto o divino, foge a lógica humana.

Aqui já estamos no livro de Atos, a seguir dos evangelhos - que começa a se diluir um pouco, ao tomar rumos “institucionais”.

Pedro convoca uma reunião com 120 pessoas “votantes” para o cargo “que ficou vago” com a traição de Judas.

Ele achava que aquela vaga precisava ficar prenchida...se baseava nisso citando o Salmo 109, vs 8, que falava sobre os ímpios...

Mas em nenhum momento do capítulo, vemos ele ou alguém dizer ter recebido de Deus que era para se fazer isso.

Então vieram os tais dos pré-requisitos...

Pré- requistos humanos sempre foram empecilhos para enxergar a vontade de Deus.

1- Tinha que ter andado entre eles, nos 3 anos e meio anteriores:
A "panela "(hoje muito comum nas igrejas), começou a ser formada nessa época...

2- Tinha que ter visto Jesus ser batizado por João Batista ( bem no início do ministério);

3- Tinha que ter visto Jesus subindo aos céus, após a crucificação e ressureição Deste ( umas 500 pessoas viram).

E assim após os 2 nomes apresentados, fizeram uma rápida oração, e” lançaram sortes”, que caiu em Matias.

Os israelitas lançavam sortes com o objetivo de transferir das mãos dos homens às mãos de Deus o processo de tomada de decisão:

A sorte somente era lançada depois de se buscar a direção de Deus em oração - ou seja, era algo pitoresco...um costume da antiga lei, e não do agora evangelho da graça.

Matias foi eleito...

Veja bem, Matias era um “cara de Deus” - o acompanhou de fato, e depois:

Segundo a história eclesiástica , Matias primeiro pregou o evangelho na Judéia, seguindo para a Etiópia e, posteriormente, se dirigiu para região da Colquídea, hoje conhecida como Geórgia (ao lado da Rússia, que é doida para tê-la de volta) , onde foi crucificado.

Viveu e morreu – literalmente - pelo evangelho.

Mas só é citado, muito rápida e discretamente, nesses dois versículos – acaba a história dele na Bíblia, ali.

A escolha de Deus, foge a lógica humana.

Paulo, apóstolo escolhido posteiormente por Deus, era anteriormente perseguidor dos Cristãos- um “caçador de cristãos”, a lá Sobrenatural (seriado).

Era Judeu (tinha cidadania romana) , e foi eleito apóstolo entre os gentios ( ou seja, os não judeus) pelo Senhor :

Pela lógica humana, não seria mais fácil ele pregar para os Judeus, já que era um Judeu de 'pedigree' (ele era praticamente um rabino, formado por uma das escolas mais tradicionais de seu tempo)?

Mas Deus nunca agiu segundo a lógica humana.

Apóstolo, no grego, significa enviado...nesse sentido, somos todos apóstolos Dele.

O problema hoje nas igrejas, é não saber esperar a voz divina- a orientação deste.

Hoje, tudo se faz nela, por pré-requisitos:

Pré-requisitos que começam na agenda, que muitas vezes, é ocupada para Deus:

No início do ano, se programam coisas até o final dela, que não se sabe se é da vontade de Deus – é tudo sugestão humana.

Cada um de seus respectivos departamentos ou ministérios, brigam por uma vaga ali.

A turma teen, os jovens, os adultos, a terceira idade, todo mundo quer uma data pré-estabelecida, que seja de seu interesse.

Nenhuma igreja tem a coragem de ter agenda vazia – só prenchida pelo aniversário desta, e pelo Natal – Nenhuma delas tem a coragem de deixar Deus naturalmente ir prenchendo as atividades ao longo do ano – elas são estabelecidas pelo homem.

Calendários “denominacionais”, Mês de missões,Mês de juventude, Mês de família, Mês das senhoras“, tema do ano”( a maioria das vezes distoantes do tema que Deus queria)...

E muita, mas muita, farofada gospel para enganar trouxa que adora ser iludido.

Entende por que não há crescimento espiritual?
Entende por que você vai a igreja e sente vazio, muitas vezes?

Entende por que você não encontra forças para determinadas situações, como provações, perdas de entes queridos, conflitos existênciais , direção de vida?

A vaga foi prenchida por homens, e não por Deus.

Como alguém pode receber uma palavra de Deus onde não há palavra?

Pois não há nem no púlpito e nem na escola bíblica, na maioria das vezes.

Como uma pessoa com a alma se rasgando vai receber uma palavra Dele, uma oração, no meio da farofada gospel, num culto-show de duas horas?

Como vai receber uma palavra Dele, na casa Dele, onde não há mais mensagem?

Nos calendários denominacionais,então, é uma tristeza...

Vem muita gente de fora (a maioria que os pastores nem conhecem- ele deixa tudo a deriva- é mais descanso pra ele) , e vira uma salada...

No Mês de missões, só muda de país ou estado, e só o relato de dificuldades sem fim, com o cara- ou a mulher- só falando que tá quase jogando a toalha...foram poucas as vezes que eu vi relatarem o poder de Deus em situações;

Mas a escolha de pastores em algumas igrejas é muito semelhante a de Matias...

Cheias de pré-requisitos.

Já vi casos de igreja que exigem faculdades, mestrados, etc, para seus pastores;

Que falem idiomas;

Enfm, nem mesmo Jesus ou qualquer um dos apóstolos poderiam ser pastores de lá.

Matias, era de Deus, mas foi eleito por homens, e nunca mais se ouviu falar dele no Novo Testamento, além dos dois versículos acima;

Paulo, foi eleito por Deus, e simplesmente escreveu 14 dos 27 livros do Novo Testamento, influenciando gerações até hoje.

Precisamos aprender saber qual é a escolha de Deus, pois enquanto “tentarmos a sorte”, vamos bater cabeça.

Lee

Na Sessão Revival, João Alexandre em dois momentos inspiradíssimos:

Pra cima, Brasil:

É proibido pensar: