segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Seu Filho/a gosta de ficar em Casa, ou Prefere sempre estar Fora Dela?


Muitos filhos e filhas não gostam de ficar em casa.

O motivo é muito simples - Conflitos familiares.

Tirando rebeldias injustificadas, pré-teens, teens, e jovens, não suportam ficar em um ambiente em que ele percebe nítidamente em que há total desarmonia no lar.

A partir dos sete anos, a criança começa a perder o encanto com relação a um dos pais, ou mesmo aos dois, ao perceber:

Gritos, discussões, xingamentos entre eles;

Agressões do pai a mãe, ou a eles mesmos (crianças) ;

Humilhações dada pelos pais a eles;

Falta de carinho e atenção dada por um dos pais.

As filhas, sofrem com a rejeição do pai de maneira mais intensa:

Palavras de carinho, falta de atenção quando fala das atividades “femininas” (ir ao balé, GRD, Jazz, etc);
Alguns pais não ligam pra elas, pois esperavam um filho homem:

Na ânsia de agradá-lo, vão jogar futebol ou seguir a profissão do pai mais tarde:

Algumas viraram militares, delegadas, etc, por causa disso – por quererm agradá-lo.

Outras, desistem de tentar agradá-lo, e se perdem nas drogas ou no álcool:

Algumas, pegam raiva de homem e viram lésbicas por causa disso.

Sem falar naquelas que o pai sufoca, oprimindo as meninas, que mal podem ter um namoradinho.
Os meninos que não se sentem amados , entram numa revolta que pode se tornar perigosa.

Especialmente quando teens, se ver o pai batendo na mãe, agora já com o corpo mais forte, não vão tolerar essa situação – podem acabar batendo nele.

E se esse espancava ele, a raiva pode ser pior – uma desgraça pode acontecer.

Mas se apenas verem que seus pais são indiferentes a ele, ele pode se tornar tímido em excesso, frio, desinteressado por tudo.

O desinteresse dos pais por ele, pode provocar um desinteresse pela vida.

Ora se os pais o acham desinteressante, que relevância ele pode ter na vida?

É assim que muitos deles pensam:

E vários deles são acometidos por pensamentos suicidas.

Se o pai é um omisso ou banana, e ele ver a mãe “comandando” tudo em casa, ele também vai ser assim.

Quando eu digo que tem muito mané por aí, eu não to brincando:

Falta muito homem-macho nesse mundo, porque há um desequilíbrio na relação homem- mulher quando o cara espera que a mulher tome as decisões para tudo dentro de casa.

Isso, além de sobrecarregá-las, as deixa esgotadas, e os filhos observam tudo isso.

E sim, os filhos homens de uma relação assim, podem ter uma tendência gay:

Não é o “gay por opção” ,mas o gay por “osmose”, por absorver a inoperância masculina do pai...e geralmente, acabam se tornando mais passivos.

A verdade é que problemas familiares acontecem -mesmo em lares saudáveis.

Mas em lares onde as relações não são saudáveis, isso aumenta exponencialmente.

A sua casa é o termômetro do equilíbrio emocional de seu filho.

Vou dizer umas coisas, que talvez nunca tiveram coragem de dizer pra você, pai e mãe:

Seus filhos, mesmo mais novos (lá pelos sete anos), sabem quando seu casamento é bom, ou quando é fake;

Seus filhos, a partir de determinada idade, sabem se vocês transam ou não;

Seus filhos, sabem se vocês estão empurrando o casório – eles sabem quando os pais passam apenas a dividir apartamento, dividir contas.

Seus filhos sabem se ele/ela ama você ou não.

Por isso digo que casamento só pode ser mantido por amor – se não, não invente a desculpa que está “esperando eles crescerem”, pra se separarem.

Eles já sabem que vocês são separados de fato, a não ser os mais novinhos, que vão entender essa decisão depois...ou perceber que o casal sempre foi “separado”, se continuarem mantendo o casório fake.

Alías, muitos deles agradeceriam se vocês tomassem logo essa decisão.


Quando envolve gente de igreja, a desgraça é maior...

Aliás, tudo o que envolve coisas do cotidiano na grei, sempre é mais pesado, por causa do legalismo.


Ás vezes, os filhos reparam no comportamento dos pais na igreja, que é totalmente diferente daquilo que é em casa.


Na grei, são alegres, distribuindo sorrisos fake pra todos:

Em casa, vivem num pé de guerra.

Na grei,cantam, ensinam,, alguns tem status de “respectable”..


Mas já peguei homens casados “respeitáveis na grei”, ao celular:

Falavam com suas amantes, no domingo na igreja, desesperados por passar mais um final de semana “em família”, não vendo a hora de se verem na semana.

Alguns bancam suas amantes com apartamentos e tudo.

Sei de casadas que também são bancadas por seus amantes – elas também tem suas funções na grei,e alguns de seus amantes, também.


Alías, vivo brigando com o Chefe por que sempre Ele me faz ver isso – só ano passado, vi uns cinco desses casos.


A vida fake dessa turma, prejudica seus filhos...e Deus detesta vida de aparências.

Me lembro do conflito dos meus pais:

Eu não queria chegar da escola e ver tudo aquilo.

Foi assim que virei um rato de cinema, e naquela época, a gente podia ficar vendo filme novamente, e via outra sessão, pra demorar mais.

Ou entrava no Flipper ( espécie de antecessor da lan house) e gastava meu tempo jogando Commander...e Pac-Man..

Tudo pra chegar em casa mais tarde.

Foi nessa época, que pela graça divina, eu me recusei a experimentar drogas, que foram oferecidas pelos colegas da turma...

Que não ia as excursões ao puteiro, que a turma fazia – pagar mulher pra transar nunca teve sentido pra mim desde essa época...

Que despachei um viado- velho que pediu pra ver meu pinto, no dia em que matei aula e fui ao zoólogico sozinho (e eu estava vendo a pantera na jaula, e não os veados!)


Sim, matei aula nessa época pra ver avião pousando em aeroporto, pra devorar gibis na biblioteca pública do bairro...

Foi quando me afastei da turma da escola que praticava pequenos furtos nas Lojas Americanas e supermercados, e da turma do prédio que roubava roupa na Mesbla.

E era tudo classe média...alguns viraram bandidos.

Deus fez do cinema o meu refúgio.

Se isso acontecia naquela época em que fugia dos conflitos familares, hoje em dia as opções são muito piores, como o crack vendido na porta de escolas tradicionais, etc.

Se seu filho não gostar de ficar em casa – Se não se sentir bem ao tempo que tem de ficar nela, pode ter certeza de que ele/ela percebeu o conflito familiar ali existente.


Pense nisso.


Lee


Na Sessão Revival conflito familiar:

Suzane Vega conta a história de Luka, que vivia sendo espancado:

http://www.youtube.com/watch?v=hVlIanZxOrY


Cyndie Lauper tenta explicar aos pais que só quer se divertir:

http://www.youtube.com/watch?v=xyY5eJZIkBw


Madonna toma uma importante decisão, e pede o apoio do pai:

http://www.youtube.com/watch?v=-8xwM8U8IQ8