segunda-feira, 29 de março de 2010

As Bombas da Religião no Metrô de Moscou


Duas explosões mataram ao menos 37 pessoas e deixaram outras 65 feridas, em duas estações centrais do metrô de Moscou, na manhã desta segunda-feira.
A primeira explosão ocorreu na estação Lubyanka, no Centro de Moscou, que fica próxima ao Kremlin, a “explanada dos ministérios” da Rússia.

A explosão ocorreu pouco depois de um trem estacionar... as vítimas foram atingidas num vagão e também na plataforma.
No complexo está o Serviço Federal de Segurança da Rússia, instituição que sucedeu a lendária KGB, a antiga agência de inteligência russa.

A segunda explosão atingiu a estação Park Kultury, também localizada no centro da cidade.

O Serviço Federal de Segurança confirmou que a tragédia vem sendo tratada como ato terrorista:
As explosões teriam sido obras de mulheres suicidas, segundo um comunicado.

Uma fonte policial disse às agências internacionais de notícias que parte dos corpos das suicidas foram encontrados nas duas estações atingidas.

Desconfia-se de um grupo separatista muçulmano do cáucaso.

Imediatamente, o metrô de Nova York entrou em estado de alerta máximo.

Toda vez que vejo uma notícia dessas, vejo o que a religião distorcida faz com as pessoas...

No caso aqui, são muçulmanos, mulheres-bombas, como é no oriente...

Mas o chamado Cristianismo também já matou muito “em nome de Deus”, especialmente nos tempos da cruzada, e nos tempo das conversões a força...

Nos tempos em que matavam índios e negros, já que não tinha problema, pois segundo a teologia da época, esses “não tinham alma”.

A loucura da religião distorcida, institucionalizada, sempre gerará essas bombas...

A loucura da religião, promove homens e mulheres -bomba, sob fanatismo...

Mas também promove pastores, padres e líderes bombas para o povo...

A pedofilia generalizada, que o Papa tenta amenizar, na igreja católica, é uma bomba...

A teologia da prosperidade, com os pastores mercenários, que chegam até a traficar armas e drogas, em seus carros particulares, é uma bomba para o povo...

E mundo a fora, explodem bombas reais, e bombas emocionais, em cima das pessoas...

Todas elas, bombas promovidas pela religião...todas, bombas de cunho religioso.

Não foi a toa que Guerra ao Terror ganhou o Oscar:

Um filme que mostra um soldado desativando bombas ganhando o Oscar, soaria como piada uns 12, 15 anos atrás, nos tempos de Titanic.

Cada vez que vejo uma cena dessas, eu vejo como o homem precisa do evangelho em seu coração, e não de religião;

Pois só o legítimo evangelho é capaz de transformar um coração com potencial suicida.

Cada vez que eu vejo uma cena dessas, também fico pensando como gosto cada vez mais de animais e da natureza:

O homem cada vez mais está virando um sociopata, com coração cada vez mais duro, amante de si mesmo, insensível, capaz de fazer as maiores atrocidades ao semelhante.


Lee

Na Sessão Revival, veja a reportagem do ataque:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1238429-7823-ATAQUES+SUICIDAS+MATAM+PESSOAS+NA+RUSSIA,00.html


Mestre Armando se foi


Tomando meu pingado com pão na padaria, estava passando Ana Maria Braga (ninguém merece), e tentava apressar o mesmo:

Estava numa parte em que ela e convidados discutiam a eliminação do dia anterior do Big brother (ninguém merece 2).

Mas aí ela entrou com a notícia da morte do Armando Nogueira, e pude então voltar a tomar meu pingado em ritmo normal.

Armando Nogueira morreu hoje pela manhã, ás sete horas, em casa, aos 83 anos.

Tinha câncer no cérebro, que o afastou das crônicas há dois anos, e de seu programa na Sportv, Papo com Armando.

É o fim de uma era de grandes jornalistas brasileiros...

Restaram poucos da velha guarda, já que o Paulo Francis e o também jornalista esportivo João Saldanha, se foram há muito tempo.

Armando foi um dos criadores do Jornal Nacional, foi ele que idealizou o formato do mais famoso jornal televisivo do Brasil.

Foi um dos primeiros a pegar a moçada das faculdades, e levá-los para a redação de um telejornal, dando oportunidade pra muita gente.

Armando, botafoguense roxo, era acima de tudo um gentleman:

Mesmo quando bateu de frente com o chefe, Roberto Marinho...

Na eleição de 1989, quando a Globo nítidamente deu preferência a Collor contra Lula, ele entrou na sala do chefe, disse tudo o que tinha para dizer, na maior lisura, e que a partir daquele absurdo estaria se afastando do jornalismo convencional.

Qualquer pessoa no mundo, o chefe demitiria na hora, mas Armando teve seus salário depositado todos os meses, pelo chefe, mesmo não mais “envolvido”.

Três anos depois, Collor sofria impeachment pelo congresso, sendo deposto.

Caso como esses, mostram como Armando já enxergava as coisas muito antes...

Foi um dos comentaristas de futebol mais sensatos que já ouvi na vida...

Armando foi um mestre na vida – mestre “sem canudo”, o mestre natural, como é o verdadeiro mestre.

Ele comentava de futebol nos programas daTV sem ares de academicismo:

Falava como se estivesse na padaria tomando um café, com você ao lado dele...

Até uma criança que gostasse de futebol, o entendia.

Velho com espírito jovem, com 70 anos ainda pilotava ultraleves, que só foi aprender depois dos 60...

Era o avô que todos nós gostaríamos de ter tido, pois além de tudo, era bem humorado, e muito humilde, pois mesmo com tamanha importância para o jornalismo nacional, não tem a empáfia, a máscara,que muitos globais carregam (né Sr. Bonner?)

Publicou 10 livros, todos de crônicas esportivas.

Armando se foi, é uma pena:

Agora só nos resta aturar os Netos, Edmundos e Dr. Osmares da vida, comentando...

Putz...ninguém merece (3).

Rest In Peace, Mestre.


Lee

Obs: Os acontecimentos estão me tirando do meu recesso...devo escrever sobre o atentado do metrô de Moscou (também hoje de manhã) logo mais á noite.

domingo, 28 de março de 2010

Salmo 100


O Salmo 100 tem apenas cinco versículos, que falam basicamente sobre louvor:

1- Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.

Cantar hinos e louvores a Deus...o salmista conclama toda a terra a fazê-lo...

Júbilo é uma alegria com intensidade:

Deveríamos ter muito mais júbilo, que derruba todo formalismo, ou alegria mecânica, em nossa relação de adoração com Deus, nunca permitindo que o formalismo nos amordaçasse.

Vejo muito mais gente celebrando com júbilo um carnaval, o qual se preparam para um ano todo, do que várias pessoas na igreja...

Passam duas horas desfilando com fantasias pesadas, fora o tempo de chegada aos sambódromos...

Mas estão com um coração jubiloso, inclusive idosos de idade avançada, até mesmo os que ficam nas arquibancadas.

2- Servi ao SENHOR com alegria; e entrai diante dele com canto.

Não se serve a Deus por medo;

Não se serve a Deus por barganhas ( vou adorar pra ter alguma coisa- vou ofertar, ou dizimar, pra ter alguma coisa);

Não se serve a Deus por chantagem...
Só se serve a Ele com alegria (inclusive para ofertar e dizimar).

Às vezes, ensinamos nossas crianças a louvar a Deus por medo...

As “ tias ” da igreja cantam para eles, no culto infantil:

“Cuidado boquinha com que fala, cuidado olhinho com que vê...”
Esse “clássico infantil” deveria ser banido das salas infantis de nossas igrejas:

Ensinamos a criança a ter medo de Deus, desde pequenos, inconscientemente.

Devemos ensiná-las a louvar a Deus com alegria, nunca por medo:

Gerações cresceram e crescem com medo de Deus, por cânticos como esse, totalmente desprovidos da graça divina.

Devemos entrar diante da presença de Deus sempre com um cântico na nossa boca:

Isso é uma “terapia espiritual”, mesmo para aqueles que estão cheios de problemas, mas sabem que o Senhor é muito maior do que todos eles.

3- Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.

Somos ovelhas do rebanho do Senhor – Se Ele nos fez, nos conhece profundamente- Você não se conhece mais do que Deus conhece a você- talvez por isso, muitas vezes nós mesmo não “nos entendamos”.

Toda vez que o homem “tenta se entender”, ele descobre que se entende cada vez menos:

Deixe isso com Ele, vai economizar a beça com analistas, se seu objetivo é somente “se entender”.

4- Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.

Aqui o salmista refere-se claramente ao ato de ir para a igreja.

Jamais deveríamos ira para a igreja no “automático”, mecânicamente, apenas porque “é dia de ir a igreja”;

Pastores deveriam ir a igreja, não pensando que ali é “local de trabalho” ;

Funcionários cristãos que trabalham ali, da mesma forma.
O rebanho do Senhor tem que cruzar a entrada com um coração cheio de louvor:

No estádio, todo mundo fica em fila, enfrenta forte calor, chuva, e todos voltam roucos para casa, cantando hinos de incentivo ao time:

Deveríamos voltar pra casa roucos da igreja, de tanto cantar, de expressar nosso louvor com intensidade.

Hoje, começo a voltar um pouco rouco da igreja...

Antigamente, só ficava rouco quando voltava dos jogos do Botafogo.

Nosso louvor ao Senhor tem que ser muito mais intenso do que o louvor que damos para nossos times;

Deve ser muito mais intenso do que quando cantamos nos shows de nossos cantores ou bandas favoritas.

5 - Porque o SENHOR é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração.

A misericórdia do Senhor não tem fim....

O seu amor, dura para sempre...

Sua fidelidade para conosco, nunca cessa:

O mistério da graça, está em nos alcançar, mesmo quando não somos “bonzinhos.”

Os pastores mandam obedecer mandamentos, mandam que sejamos boas pessoas...

E claro, a gente não consegue – Jesus já sabia disso...

A misericórdia do Senhor, é um dos maiores atos da graça divina para com o homem.

Sendo esta misericódia- que faz parte da graça- eterna, foi propósito Dele deixá-la a nossa disposição quando não conseguimos ser “bonzinhos”, como vejo muita gente pregando por aí...
Ou assustando o povo a base de ameaças...de “não podismos”...

Essa misericórdia dura para sempre, estando a nossa inteira disposição nos momentos em que precisamos dela:

Quase toda hora.

Lee

Obs: o blog vai entrar de recesso por uma semana.

Na Sessão Revival, o Vencedores por Cristo com o Salmo 100:

http://www.youtube.com/watch?v=6DrSwZD2OPs


sexta-feira, 26 de março de 2010

Justiça para Isabela


Logo mais, na madrugada, chega ao final o julgamento dos Nardoni.

Durante dois anos, só escrevi duas vezes, e muito tímidamente, sobre eles.

Na verdade, fiz apenas citações deles em outras mensagens.

Eu não gosto de escrever sobre isso, sobre o menino João Hélio, sobre a Gabriela Prado (assassinada no metrô aqui perto de casa)...

Sobre o menino das agulhas, foi também outra citação, apenas...

Sobre esse mané que matou o cartunista, tentando jogar a cuilpa no chá do Daime, só essa linha que você lê agora...

Sobre o manézão que matou a ex mulher no salão, apenas outra citação, e um vídeo depois apagado pelo youtube...

Sobre o cara que matou a namorada esganando-a, sob efeito de crack, idem...

Eu daria um péssimo articulista policial...

Não conseguiria separar o emocional do relato de apenas escrever friamente sobre um acontecimento.

Saber que por ciúmes de uma menina, o pai dela e a nova mulher esganam uma criança, antes de jogar pela janela, como se fosse um lixo, é dose.

Eu, que fico revoltado quando vejo qualquer tipo de maldade com os animais, qualquer agressão a natureza, e qualquer tipo de injustiça com seres humanos, não consigo imaginar minha reação vendo essas coisas...

Fico olhando um pai complacente com o filho assassino, que matou sua própia neta...
Fico olhando a assassina dando uma de “evangélica” na cadeia – e eu já trabalhei em cadeia por algum tempo, fazendo capelania com menores infratores, percebo quando é caôzada (na gíria deles, falsidade),ou quando há sinceridade:

Nítidamente orientado pelos advogados, pois há pouco tempo, nenhum dos dois trabalhava na cadeia...outro grave erro do nosso código de execuções penais, preso não ser obrigado a trabalhar...

Ver a mãe da Isabela ser achacoalhada num julgamento pela defesa, como se ela que fosse a vilã...

Eu fico vendo as meninas de hoje, se envolvendo com esses manés, e pagando um preço muito caro, tudo apenas pra “não estar sozinha”...
Sim, pois os raros bons caras, são preteridos por elas, que acabam ficando com um Nardoni da vida...

Vejam as linhas que citei acima:

Um cara que esganou a namorada, outro que matou a ex no salão, outro que furou seu filho com agulhas a pedido da amante...

Não consigo entender por que as pessoas, em especial as meninas, se atraem por bandidos, por caras estúpidos e agressivos, por caras que as desfiguram como pessoa numa relação, por caras que batem nelas.

Por caras que traem á vera, inclusive inventando “viagens de serviço e cursos da empresa”, e inventando tirar plantões fictícios...

Por caras que, como hoje, sexta, sempre tem uma "reunião extra”...

Como podem ser tão imbecis? A troco de dinheiro, apenas?

Enfim, o resultado do julgamento sai de madrugada.

A pequena Isabela já está no céu, pois as crianças pertencem ao Senhor (deixem vir a mim os pequeninos, pois deles é o céu, disse Jesus).

Somente pessoas com idade para um livre discernimento, uma decisão pessoal,é que são julgadas.

Mas quem estão sendo julgados hoje, por homens, é o pai dela e a namorada:

Não sei como será o resultado dos homens- espero por justiça- mas, se os dois não se arrependerem e ficarem nesse jogo de empurra, o julgamento lá de cima será implacável.

Lee

quarta-feira, 24 de março de 2010

A Difícil relação da Igreja com os “Diferentes”

Bíblia do Surfista: Na linguagem própria deles

Um discípulo "diferente"

Vários discípulos" diferentes"

Ide por todo o mundo, e pregai o evangelho a toda criatura (Marcos 16.15)

Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao arrependimento (Mateus 9.13)

Se é para pregar o evangelho a toda criatura, e se nesse processo não pode haver acepção de pessoas – Jesus disse que não veio chamar os “bonzinhos” - pergunto:

Por quê as igrejas de hoje fazem justamente ao contrário do que Jesus ordenou?

Parece que hoje em dia, elas foram feitas para gente bonita, bem sucedida, branca, sem mancha nenhuma de pecado...

Dificilmente uma igreja aceita, ama, ampara ,cuida, de pessoas com a aparência acima...

O máximo que elas fazem com eles, é tolerar, e olhe lá...

Geralmente, mesmo se estes quiserem ficar, são excluídos pelas panelas naturais que se formam numa igreja...

Mas a maioria mesmo, torce é para eles irem para outro lugar...afinal, ali é uma “igreja”, e não é lugar para gente com aquela aparência, estilo...

Jesus disse que queria ver misericódia,mas hoje Ele só vê a discórdia com essas pessoas...
Parece que na igreja, não pode haver pessoas de todos os tipo da sociedade, o que inclue os “diferentes”;

O que inclui gente com qualquer natureza existente numa sociedade, e com todos os seus problemas...nem precisa ser tão “diferente”:

O divórcio, por exemplo...

Segundo o último censo do IBGE, um em cada 4 casamentos termina em divórcio, no Brasil.

Ou seja, é algo que acontece na sociedade...

E os divorciados, são uma das categorias de pessoas mais excluídas dentro de uma igreja.

São vistos como exemplos de fracasso conjugal, são vistos como “ameaça” diante dos outros...

Especialmente se numa igreja existe um ministério de famílias...

São raríssimos os ministérios em igreja que pensam neles...minha grei é uma dessas raras.

Se o divorciado é malvisto numa igreja, se divorciar em algumas delas- especialmente com pastores legalistas á frente – é quase uma sentença de morte eclesiástica.

Ainda que a mulher tenha marido “crente” com amantes, ainda que ela apanhe do marido “crente”, etc, tem de ficar na sentença de morte casamentória até o final.

Ainda que este marido seja casado com alguém que não o respeite, que vive dando chiliques, ou como diz em Provérbios, seja uma mulher rixosa, ele é também um “sentenciado”.

E aí é onde a hipocrisia costuma rolar solta.

Mas voltemos aos “diferentes”...

Jesus disse que era para pregar o evangelho a todos eles - “toda criatura”, inclui todo mundo no pacote...

Por quê existe então esse desconforto, em relação a essa turma?

Primeiro, por quê a igreja não é preparada para lidar com eles.

Conversando com um amigo que pastoreava no centro da cidade, aqui no Rio, ele me disse o choque que foi quando um travesti, fruto do trabalho de evangelismo da igreja dele, se converteu.
Nos primeiro domingo que foi a igreja, procurando uma classe de escola bíblica, deu de cara com o pastor, e perguntou:

- E agora, pastor? Pra que lado eu vou...pra classe de mulheres, ou pra classe dos homens?, perguntou, com voz ainda afeminada.

Curioso é que algumas igrejas preparam grupos para evangelizar, mas não se preparam para receber as pessoas...

E esse receber, não é ficar dando cafézinho, bolinho, biscoitinho, depois que alguém faz uma decisão” no culto”, como fazem algumas igrejas...

Nem muito menos ficar dando livretinho com as “4 leis espirituais”, ou outra literatura, como faz a maioria delas.

Receber a pessoa na igreja- no corpo de Cristo – é começar a integrá-la na mesma, deixando-a á vontade.

É apresentar aos amigos, desde a primeira hora...

É exercer misericórdia, seja um travesti, um cara com bafo de cachaça, uma mendiga mal cheirosa...

Ou a uma tatuada da cabeça aos pés, com piercings na sombracelha, no nariz, na boca, e na língua...

É apresentar a pessoa a graça divina, que a alcançou...

O ensinamento, é a segunda fase, que vem naturalmente.

A pessoa sempre vai se lembrar de como você a tratou, lembre-se disso:

Não vai lembrar do biscoito, do café, da literatura que mal entende....

Vai se lembrar sim, de como você a recebeu, e ás vezes, um olhar diz mais do que uma palavra.

Em segundo lugar como motivo para desconforto eclesiástico com relação aos diferentes, está na atitude do pastor para com eles.

Primeiro, que por incrível que pareça, tem pastor que não gosta de gente;

Tem pastor que não gosta de pobre;

Tem pastor que não gosta de negros, ainda que uma boa parte de sua membresia seja constituída por eles;

Tem pastor que discrimina os divorciados, ainda que o casamento dele seja falido, e ele tenha “uma por fora”;mas desce o malho nos outros.

Com os “diferentes”, então, nem se fala...

Pouco tempo atrás ,fui numa igreja da zona sul aqui da cidade.

Em determinado momento, entre outras pérolas legalistas, disse que agora tem igreja pra tudo, até igreja “só para tatuados”...

“É verdade, por causa de pessoas como ele”, senti o Chefe falando ao meu coração...

Me levantei e fui embora.

Por causa de figuras como esse ilustríssimo pastor, é que tem igrejas para surfistas- e Bíblias para eles, na linguagem do surf, com fotos de ondas e pequenas biografias de surfistas de Cristo ao redor do mundo:

É uma edição de 2006 da Sociedade Bíblica do Brasil juntamente com os Surfistas para Cristo.
Por casua de figuras legalistas como ele, que só aceita gente bonita , cheirosa e com casamentos perfeitos, é que tem igrejas onde os skatistas, surfistas, artistas, se sentem mais á vontade.

Onde tatuados e piercenados podem participar da comunhão com o Corpo de Cristo, sem serem discriminados...

Onde cabeludos e barbudos roqueiros não sofrem acepção...

Onde os motoqueiros podem estacionar suas Harleys e triciclos, e adorarem ao Senhor num culto...

Tudo isso poderia acontecer num só lugar...

Mas por causa do preconceito do pastor, tem que se criar vários ministérios ou igrejas...

Esses pastores são na verdade, um grande obstáculo na divulgação do evangelho a toda criatura.

Por que, mesmo se esses forem “aceitos” em sua igrejas, querem descaracterizá-los:

“Sugerem” cobrir as tatoos, cortar cabelo, não entrar de bermuda, e por aí vai.

Seriam tão bom se eles mudassem, mas é difícil, pois são “sistematizados”...

E não tem um pingo de misericórdia no coração, só a aparência dela.

Por isso, eu torço para que um dia o Chefe remova toda essa turma de onde estão.

Lee

Na Sessão Revival, o Stryper, com seu som "diferente":

http://www.youtube.com/watch?v=T59C5s99q48









domingo, 21 de março de 2010

Não é Preciso Propaganda


A camisa acima ilustra bem os rumos que o “ser evangélico” tomou:

Virou moda, literalmente.

Hoje em dia, é moda ser evangélico...os políticos sabem bem disso:

Muitos defendem a bandeira (só de suas igrejas, ou de seu curral eleitoral gospel) na hora da eleição.

O que não quer dizer que são gente idônea, confiável:

Boa parte da turma do ex- governador Arruda, preso em Brasília, são de igrejas evangélicas...alguns também já estão presos, outros sendo investigados.

Quase todo escândalo de corrupção no país, tem evangélico no meio:

Os anões do orçamento, o governo Garotinho, aqui no Rio ( o “casal” teve seus bens bloqueados pela justiça, recentemente, mas ele continua com um programa evangélico numa rádio aqui do Rio, todos os dias, onde é chamado de “irmão Garotinho”).

Hoje em dia, trocou-se o ser, o viver, pela aparência, pela propaganda.

Jesus pregava com autoridade e unção, e jamais apelou com a intensidade que se vê hoje nas mais variadas formas.

Para Ele, bastava um “vinde a mim”, ou um simples “segue-me”.

Hoje, na igreja neurotizada que foi se formando, estimula-se o evangelismo acima, de camisas, panfletos, marchas “para Jesus”, culto “evangelístico” nas praças ou aos domingos á noite nas igrejas...

Estimula-se ainda a “trazer um visitante para a igreja”, para que este possa “ouvir a pregação do evangelho”...

Hoje, toda a propaganda que chamam de evangelismo, é voltada para a igreja, e não para Cristo...

A Universal e quase todas as outras que estão na TV, de todas as denominações, fazem isso...

Você já viu eles dizendo “procurem uma igreja próxima a sua casa?” Não vão ver:

Sempre é mandando para uma filial, para “nossa comunidade”...e aí passa na telinha os endereços das “filiais” – pois tudo aquilo é uma franquia, com um dono – disponíveis.

Assim funciona a propaganda, o marketing, que eles chamam de “evangelismo”.

Os "neuróticos de Cristo"

Eles são frutos de igrejas neuróticas, com pastores altamente legalistas.
Enchem o saco dos outros durante as conversas, tentando “converter á força”...

São pessoas das mais varidas idades -hoje em dia, tem muito teen, jovem, não só idosos, como se imagina...

A Neurose alcançou a todos:

Pastores neuróticos, igrejas neuróticas.

São alienados da realidade, deixando de viver uma vida cristã saudável e normal, em troca da neurose religiosa que foi passada pelos seus “mestres”.

Não sabem que, se vivessem apenas o evangelho, mesmo sem “abrir a boca”, os outros notariam a diferença...perceberiam que existe algo de bom e diferente...

Aguçariam a curiosidade...

Os valores fluíriam naturalmente...ninguém roubaria, desfalcaria...
Ou se “perderia”...

A maioria de hoje se “perde”, pois não tem isso dentro de si...

Pois ficaram apenas na fachada das camisas, dos discursos sem vida...

Das frases religiosas de efeitos em orkut, nos “cadernos gospel” para escola...

Em congressos caça -níqueis que vão de louvor até os dos “homens de negócio”...

Acampamentos para “fugir do carnaval”, e retiros para “fugir da realidade”...

E principalmente, desse evangeliquês doido, presente na boca deles:

Tudo é “tremendo, abençoado”, etc...

Regado ao som de muito louvorzão, pra passar o tempo.

Reprimidos por anos, quando explodem – e é só uma questão de tempo para explodir, pois a religiosidade deles é carnal - é uma tristeza só:

O neurótico religioso, quando se afunda, é pior do que porco encharcado na lama:

Bebe demais, se droga mais do que os que já se drogam, faz orgias das mais variadas...

A degradação do neurótico religioso, é muito pior do que a do não religioso.

Tudo isso, por que não se ensina a viver o evangelho de maneira sadia.

Hoje, são apenas regras de comportamentos, de pode- não pode.

Se se ensinasse a viver o evangelho, não precisaríamos de camisas como a da foto, pra dizer que se é evangélico;

Não precisaríamos de camisas, de adesivos no carro, na porta de casa, etc...

As pessoas perceberiam algo diferente...

O que se é, é, e mesmo sem abrimos a boca é perceptível:

E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus.” ( II Reis 4.9)

Elias nem abriu a boca...só passava na rua.

Não usava nenhuma “roupa de profeta”...

E nenhuma camisa evangélica.

Lee

A Jornada de Eli é a Jornada do Justo


E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé (Gálatas 3.11)

Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem (Hebreus 11.1)

Então os justos resplandecerão como o sol, no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. ( Mateus 13.43)

Fui ver O Livro de Eli ontem no cinema...creio que todo cristão deveria ver esse filme:

A Jornada de Eli, é uma metáfora sobre a Jornada do Justo sobre a terra.

E nos faz refletir como está sendo nossa própia jornada aqui...

Denzel Washington como poucos poderia dar a vida que deu ao personagem Eli:

Denzel é filho de pastor na vida real, seu pai foi pastor pentecostal por mais de 50 anos, até morrer com 81 anos de idade.

Cresceu vendo os sermões inflamados do pai pastor, e sua mãe era dona de um salão de beleza.

Aos 11 anos, lavava a cabeça das clientes...durante essa época, aconteceram duas coisas na vida dele:

Primeiro, o divórcio de seus pais, pois o pai não concordava com o salão de beleza da mãe (e consequente independência financeira dela)...

Alías, conheci um caso assim, só que diferente:

Uma amiga da família, que sempre fora da Assembléia de Deus (hoje mora no céu),tinha um salão de muito sucesso no bairro da cidade, e o pastor dela, disse para que parasse, pois aquilo era “do diabo”.

Metade de suas clientes eram de igreja, e ela levou o conhecimento do evangelho a muitas outras, ali dentro...

Por que eles “satanizam” tudo, hein? Filmes, músicas, etc...

Ela sabia que aquele conselho era opinião dele e não divina, e continuou ralando, e hoje tem filho médico, viajou pra Israel, enfim tudo obtido pelo trabalho do salão “maldito”.

O segundo acontecimento marcante para Denzel, aconteceu justamente dentro do salão, e não numa igreja:

O recebimento de uma mensagem profética.

Uma cliente idosa estava no salão de beleza da mãe, e lhe pediu um papel.

Denzel o trouxe, e ela começou a escrever sobre o futuro dele:

Inclusive de que influenciaria milhões de pessoas.
Denzel ficou impressionado, e carrega essa folha de papel com ele até hoje.

Já foi indicado ao Oscar por 5 vezes (vencendo duas), e junto com Will Smith, consegue a raridade de influenciar mesmo os brancos, nos EUA.

Denzel é um dos quatro únicos negros a ganhar um Oscar como ator principal, em mais de 80 anos de premiação da academia :

Sidney Poitier (o primeiro, em 1964 ,de quem Denzel é considerado sucessor), e só recentemente, Denzel em 2001, Jamie Fox em 2004, e Forest Whiteker em 2006.

Quando não está gravando, você pode encontrá-lo todos os domingos as 10h da manhã na Igreja Pentecostal de Los Angeles, com a família.

Por isso, ninguém melhor do que ele para fazer o papel do único homem numa América pós apocalíptica que possui um exemplar da Bíblia (versão da famosa King James):

Eli recebeu a missão de Deus de levar este único exemplar até o Oeste.

Só isso: Não sabia para quem, mas pela fé, seguia seu caminho até completar sua jornada.

Andou o país inteiro a pé (poucos carros, pouco combustível), tendo que se virar pra comer (o churrasquinho de gato, aqui, é ao pé da letra).

Pouca água...pouca comida...poucos aliados:

Solara (a ucraniana Mila Kunis, namorada do "Esqueceram de Mim" Macaulay Culkin) é uma delas.

Muito sol (o homem finalmente conseguiu abrir um buraco na camada de ozônio, todos tem de proteger os olhos ao dia);

E muitos inimigos...

O principal deles é Carnige (Gary Oldman, o comissário Gordon de Batman).

Carnige sabe do poder da palavra:

Ele foi criado ouvindo-a...

Ele quer por que quer a Bíblia, para se utilizar da mesma em seu discurso:

Ele mesmo chega a dizer que com ela, justificaria todo seus atos sujos.

Carnige representa os pastores mercenários, que querem se utilizar da palavra para aumentar seu poder e influência sobre o povo.

Gente que teve contato com a palavra- que sabe o poder dela- mas que nunca a viveu, e simplesmente se utiliza dela para enriquecer, ampliar poderes, subjugar os outros.

A oferta que Carnegie faz a Eli – de que se juntasse a ele, pois além da palavra, este é um guerreiro- é a oferta que os mercenários fazem aos justos:

O Mercenário reconhece um justo, sabem quem eles são, e adorariam ter um justo como fonte canalizadora para seus recursos.

Tudo aquilo que Carnegie oferece a Eli - dinheiro, poder e mulher – é a oferta que se faz para um justo se desviar de seus caminhos.

Ele sabe que com Eli, ficaria “imbatível”.

Mas quando o justo se recusa a ter parte com eles, eles os perseguem:

Os mercenários morrem de medo dos justos, pois sabem que eles pregam contra toda a falsidade, a mentira, o discurso enganador.

Elias, Isaías, e Ezequias, no antigo testamento, João Batista, os discípulos do novo testamento, todos foram perseguidos pelos mercenários, sem falar em Jesus.

A cidade que Carnegie comanda no filme, funciona como uma igreja que mantém seus fiéis sob jugo pesado,sempre cercado por vigias, e com tarifas caras e pesadas ao povo.

Carnegie, assim como vários desses pastores mercenários, mantém sua mulher debaixo de um pesado jugo de casamento, por ameaças e punição física.

Dificilmente a mulher de um mercenário consegue sair de um casório assim, pois morre de medo.

Eli se recusa a ter parte com o mercenário, e prefere seguir no seu caminhar da fé:

Passa duras penas por isso, mas consegue seu objetivo final de chegar ao Oeste, concluindo sua jornada...se falar mais, eu estrago a surpresa.

Pelo seu exemplo, ainda fez uma discípula, outrora assustada, agora uma guerreira.

Carnegie queria a Bíblia para ser fonte manipuladora;

Eli queria levar sua Bíblia para ser fonte de esperança
.

Sim, a principal arma da mochila de Eli, não era o facão do Rambo, a pistola, nem a escopeta que ele tinha por lá:

A principal arma escondida na mochila, era a palavra.

Se você assistir o filme e souber ler nas entrelinhas, verá que essas coisas já acontecem em nossos dias:

O principal inimigo do evangelho, são igrejas distorcivas, pastoreadas por mercenários que estão bem conscientes do que estão fazendo...acredite, eles não são inocentes.

Eles se utilizam do poder da palavra para proveito próprio.

Cabe a nós caminharmos pela fé, mesmo muitas vezes solitáriamente...como Eli...

Sabendo que nossa caminhada não é vã no Senhor.

O mundo sem a palavra de Deus, se transforma num caos.

O mundo sem a palavra de Deus, é um mundo sem esperança.

Eli mantinha sua fé- e sua sanidade num mundo caótico e desesperançoso- lendo a palavra todos os dias, no único exemplar existente.

Hoje, temos Bíblias de tudo que é jeito, de tudo o que é cor, e mal pegamos nela na semana.

Eli levou muito tempo para concluir sua missão, mas conseguiu realizá-la, pois tinha a palavra no coração...

E na mente:

Mas sobre isso não posso falar...estragaria a surpresa do filme.

E. Lee

Humm...Será que pelo menos desse filme o Vítor vai falar bem no boletim??

Na Sessão Revival, o trailer do Livro de Eli:

quinta-feira, 18 de março de 2010

Reflexões sobre a Ceia


Depois pegou o pão e deu graças a Deus. Em seguida, partiu o pão e o deu aos apóstolos, dizendo: Isto é o meu corpo que é entregue em favor de vocês.

Façam isto em memória de mim.” (Lucas 22.19).

Nossa ceia é muito diferente daquela praticada anteriormente nos tempos em que Jesus a instituiu.

Precisamos ter em mente que aqueles quadros que a gente vê sobre a ceia, são artísticos:

Não haviam mesas naquela época, todos se sentavam ao chão, pra comer, ou mesmo se deitavam;

Não haviam talheres, e todos comiam com a mão, naquela região:

O “talher” da época, só havia na então desconhecida China, os washi- bari (aqueles pauzinhos, que no Japão é chamado de hashi, e na Coréia, hangul):

Eles já existiam por lá na dinastia Chang (1766 a 1122 A.C), mas era desconhecido naquelas bandas do oriente médio, por aquela época.

Alías, quando peço comida do China in Box, só como com os pauzinhos.

Então, o pão era rasgado para a partilha (eram semelhantes as broas de hoje).

E era o chamado pão asmo, ou ázimo, sem fermento – simbolizando assim o “estar sem pecado”- feito somente com farinho de trigo e água, usado até hoje na páscoa judaica.

Assim era na cultura da época...e ainda bem que não precisamos imitá-la:

Em tempos de gripe suína, nosso pãozinho que vem no prato é mais prático, da ceia que se faz nas igrejas protestantes.

Já o vinho era servido numa vasilha, que era compartilhada, mas já existiam copos:

O compartilhar do mesmo vasilhame, denotava o compartilhar, a comunhão, a integração, dos presentes.

Hoje, em termos de saúde pública coletiva, é desaconselhável, sendo a melhor forma os pequenos cálices servidos, individualmente.

E detalhe- era servido vinho mesmo, com conteúdo alcóolico - e não o nosso refresquinho de uva de hoje, que varia entre o adocicado e o sem graça.

Alías, Jesus bebia vinho, e seu primeiro milagre foi justamente transformar água em vinho, numa festa.

Portanto, nessa questão de bebida, só um lembrete:

Quem gosta de beber, que beba na frente dos outros, como Jesus fazia, e não escondido, ou com medo de quem da igreja possa “passar e ver”.

Um certo pastor foi num bar afastado da cidade, pra beber cerveja com sua mulher, e “deu o azar de ser visto”: Foi um “choque” pra quem viu, ainda mais que ele é legalista.

Eu moro perto do Alzirão, rua famosa durante as copas do mundo, aqui no Rio, pela transmissão e festa após os jogos,e na última conquista do Brasil, saí para ir até lá pra ver a festa nas ruas...
Eis que vejo um antigo professor do seminário, sisudão, legalista, feliz da vida com sua latinha de skol na mão, desfilando com sua mulher no meio do povo, no meio da muvuca..

Precisava se esconder?

O ensinamento bíblico é de não se embriagar, e Paulo oferece algo melhor, que é se embriagar com o espírito...

Seria tão simples de mostrar e dizer essas coisas, do que ficar na velha mania de dizer o que “pode e não pode”- e de ver todo mundo praticando o “não pode” (segundo igrejas, e não o evangelho).

Bem, existem 3 tipos de doutrina sobre a ceia:

Transubstanciação (católicos) – pão e vinho tornam-se literalmente e milagrosamente no corpo e sangue de Cristo, na hora;

Consubstanciação (luteranos e episcopais) – Jesus se faz presente, de maneira substancial, no pão e vinho;

Memorial – Cremos que o pão e o vinho são representações do corpo e do sangue de Cristo.

Afinal, o Senhor se faz presente em todo momento que nos reunimos em Seu nome (Mt 18.20).
Com o passar do tempo, a simplicidade da ceia foi mudando, e hoje está muito diferente.

Na forma de se pensar sobre ela:

Tem gente que acha que se não tomar a ceia, vai ter algum problema no mês;

Tem gente que acha que se não tomou a ceia, está em pecado;

Tem gente que acha que a ceia dá alguma “proteção espiritual”.

Por isso, muitos Assembleianos entregam a ceia aos enfermos, em suas casas, pois vários deles pensam dessa forma...

Não vejo nenhum mal nisso, desde que seja entendido apenas como uma “comunhão estendida”, que é na verdade a ceia, uma comunhão entre os participantes.

Na minha igreja de origem, o dia mais cheio era o da ceia, que era somente uma vez ao mês:
As pessoas pensavam que poderiam faltar a qualquer culto, menos naquele...

Eu nunca vi o pastor comentar sobre isso, acho que ele gostava de ver a igreja cheia pelo menos naquele dia.

Jesus determinou que realizássemos a ceia até que Ele voltasse.

Mas nunca determinou o intervalo de realização dela (se semanal, mensal, etc):

Na minha atual igreja, tem duas ceias por mês, o que acho legal, pois muita gente atualmente trabalha no domingo, e nem sempre participa.

Outra confusão que se faz é sobre quem pode tomar a ceia...

As pessoas confundem muito esse texto, e já vi gente que não tomou a ceia por se achar “indigno”:

Por isso aquele que comer do pão do Senhor ou beber do seu cálice de modo que ofenda a honra do Senhor estará pecando contra o corpo e o sangue do Senhor.
Portanto, que cada um examine a sua consciência e então coma do pão e beba do cálice
. “
(I Cor 11.27 e 28)

Tomar a ceia “em pecado”, é tomá-la segundo nosso senso de moral e justiça própia, é tomar a ceia com ar de superioridade, com arrogância.

Ninguém que tome a ceia com um coração quebrantado, arrependido, ligado no amor de Cristo, naquele momento, está “em pecado”.

Ninguém que tome ceia consciente da graça divina, está em pecado:

Afinal, o eu-charis, a eucaristia, significa ação de graças .

Esse é o papel da ceia – Elevar gratidão a Deus por Cristo.

E não ficar “se sentindo mal”, por culpas e pecados...

Jesus não instituiu ceia pra ninguém ficar “se sentindo mal”, lembre-se disso.

Tem muito sacerdote que é indiferente com aquele momento, mecânico, apenas um ritualista, que tá de saco cheio de fazer aquilo todo mês ( já que faz parte do pacote do seu ganha pão, e tem que “aturar”) que parece um robô servindo ceia para os outros.

Esses sim, pecam toda vez que entregam a ceia nesse espírito, ofendendo a honra do Senhor...basta olhar, é perceptível, e espero que você não tenha um desses te servindo.

Não existe roupa certa para entregar e receber ceia

Vejo pastores colocando toga sacerdotal pra ceia...

Vejo homens evitando ir de bermuda (na minha igreja, pode á vontade), e mulheres, se vestindo mais “recatadamente” nesse dia, fora os de costume...

Não vi Jesus colocando nenhuma roupa especial nesse dia – e o faria, se assim fosse, afinal no velho testamento, os sacerdotes tinham que ter roupas especiais.

Mas estamos na nova aliança, onde as coisas são diferentes...o formalismo, inclusive.

Nenhum discípulo botou terno e gravata pra ir a ceia nesse dia...

E terno, gravata, tailler, nunca foi roupa santa em lugar nenhum- Nem faz ninguém santo.

A ceia nunca foi rito que sucede o batismo

Não li versículo nenhum que fale sobre isso...é mais uma obra da igreja-instituição.

Espera-se que as pessoas se batizem primeiro, para tomar ceia depois:

Tem gente que fica até um ano em alguma classe de novos, e fica vendo os outros participando da ceia, e ele não...coisa de homens, e não do evangelho.

Ceia nunca sucedeu batismo...ceia é o rito de quem creu :


Assim, quem creu, quem teve seu coração preenchido pela fé em Jesus, deveria poder tomar, mesmo sem ainda ser batizado.


Quem determinou essa sequência (batismo, e só a seguir, ceia) foi a religião, e não o evangelho.


E ela faz isso meramente como “controle de gestão de sacramentos”, inclusive com quem pode ministrar a ceia:


Somente “ministros ordenados”.


Me lembro de uma reunião na convenção batista brasileira, anos atrás, que uma missionária lá da região norte, falava do desespero em esperar meses- isso mesmo, meses – até que fosse um pastor para servir a ceia, e realizar batismos.


As pessoas esperavam 4, 6 meses, para tomar uma ceia, e se batizarem.


A discussão a seguir então, foi para “autorização” de missionárias (mulheres) servirem ceia, e poderem batizar...


Assim funcionam as convenções humanas, as igrejas-instituição.


A ceia pode ser tomada e ministrada por qualquer um do corpo de Cristo.


Essa história de que só pastor ordenado pode realizar algum ritual, seja ceia, batismo, casamento, é resquício da igreja romana, que a reforma protestante ainda não aboliu.


Alías, fortaleceu, conforme visto acima...

Na nova aliança, somos todos um reino de sacerdotes.


Dizer que só “ordenados” por igreja que podem fazer batismo ou ceia, ainda por cima, é fazer acepção de pessoas, conforme diz Tiago.


A ceia deve ser tomada e ministrada por qualquer discípulo, inclusive as crianças, que levam tapas em suas mãozinhas, ao longo dos anos, e são forçadas a se batizarem cedo demais;

Ela deveria ser servida nos cultos nos lares, pelos líderes destes;


A ceia deve ser aberta a qualquer discípulo de Jesus, seja ele de que igreja for, e não somente ceia para os de nossa igreja ou denominação.


Os diáconos jamais deveriam perguntar se alguém é ou não batizado...


Por me “julgarem fora do padrão de igreja”, um diácono passou certa vez os dois elementos por mim, quando eu os fui pegar:


Achou que, por usar brinco e estar de cabelo preso, eu era um “indigno”...rsss!


Quase derrubei ele com todos os cálices!


Alías, diáconos refletem muito a atitude de seus pastores:


Os pastores que fazem da ceia um memorial inspirado, geralmente tem diáconos e diaconisas também inspirados, na hora de servirem a ceia, ajudando a congregação a também se inspirar.


Os que são meramente formais, robôs, mecanizados, enfadonhos, sem nenhuma graça (cháris), geralmente também passam essa atitude para seus diáconos:


Vários deles viram apenas garçons de ceia.

Lee

terça-feira, 16 de março de 2010

Os Contrabandistas de Deus mudaram ao longo dos anos



Dois pastores da Igreja Mundial do Poder de Deus foram presos pela Polícia Rodoviária Federal, acusados de tráfico internacional de armas.

As prisões começaram a ser feitas na quarta-feira (11/03), na BR-262, entre Miranda e Corumbá, no Mato Grosso do Sul.

Os pastores levavam sete fuzis desmontados escondidos na tapeçaria do carro.

Em depoimento, o responsável pelo carregamento disse que as armas vieram da Bolívia e seriam entregues no Morro do Martins, em São Gonçalo, no Rio de Janeiro.

Como os pastores tem uma união entre si que é uma beleza, ainda caguetaram um terceiro colega que estava os esperando em Campo Grande.

Os fuzis apreendidos são do modelo M15 e calibre 5.56, de fabricação norte-americana e utilizado pelas tropas dos Estados Unidos no Iraque, que furam coletes comuns.

O líder dessa Igreja do Poder de Deus é um tal de Waldemiro, que se auto-denominou “Apóstolo”, e já é figura carimbada em programas de TV pelo Brasil...

Surpresos? Pois vocês não deveriam ficar:

O mesmo Waldemiro já foi preso em 20003 em Sorocaba (SP), por levar no porta malas do carro uma escopeta, duas carabinas e munição.

Em casa, tinha mais de 100 cartuchos de munição...isso é que é um pastor de fogo!

Conseguiu um alvará de soltura, doutrinou bem seus discípulos, que o imitam, e é mais um que segue iludindo o povo país afora...

Não deveríamos mais nos escandalizar com nada desse tipo:

Vivemos num tempo em que até o irmão do Papa é acusado de acobertar pedofilia na Alemanha;

Vivemos num tempo, aqui no Brasil , de um falso avivamento, por acharem que essas figuras e outras acima citadas, tem liberdade para ficar pedidndo dinheiro na TV, em troca de supostos milagres, ou erradicação da pobreza para cristãos.

Mas os Contrabandistas de Deus hoje são outros...alguns ainda serão descobertos, pois vários deles – alguns estão na TV – também traficam drogas...

Contrabandista de Deus, no passado, era quem se arriscava a levar Bíblias para os países comunistas...como os tempos mudam...

Na China, até hoje é proibida a entrada da Bíblia...só entra lá, via contrabando, para abastecer os sedentos cristãos chineses, que choram de emoção ao conseguir uma- e se forem pegos, vão para a cadeia , de onde podem não retornar mais.

Em Cuba, onde nosso presidente imbecilmente defendeu a prisão de “opositores” ao regime, ela também não entra (existem vários padres, pastores e missionários presos, ninguém divulga isso).

Enfim, como famosos contrabandista de Bíblias, surge nesse cenário a figura lendária do Irmão André (nick do holandês Van Der Bijl ) que com seu Fusca (que se tornou um símbolo da missão) percorreu mais de 300 mil km desde 1957 até 1967.

Esses primeiros anos estão relatados no livro “O Contrabandista de Deus”, se não me engano, da editora Gospel Betânia, e tem cada história de deixar de queixo caído...

E de ver como Deus estava nesse negócio “ilegal” aos homens, mas “legal” para Ele.

Já disse antes, mas vou repetir:

Os limites para aceitar regras de homens, vão até aonde estas não se conflitam com a palavra de Deus.

Daniel se recusou a obedecer o edital do Rei, que mandava se curvar a outros deuses, e foi parar na cova dos Leões;
Pedro e João receberam a ordem romana de parar de anunciar o evangelho, foram detidos, levaram chibatadas nas costas, e assim que saíram, ficaram felizes de sofrerem pelo evangelho, e começaram tudo de novo.

Portanto, quem faz contrabando de Bíblias, corre o risco de sofrer pelo evangelho, podendo até ser morto – pode ser ilegal para homens, mas não para Deus.

Hoje, a missão Portas Abertas, do irmão André, se concentra em enviar Bíblias para o Oriente Médio, onde em boa parte são proibidas pelos governos locais.

Mas como podemos ver, os tempos mudam...

Já não se faz mais contrabandistas de Deus como antigamente:

Hoje, os que se dizem Dele, contrabandeiam armas e drogas, pra ficarem com dinheiro do lucro, vendendo para traficantes.

Lee, que leu O Contrabandista de Deus ainda pré-teen, aprendendo ali ainda tão novo,a noção de leis divinas X legalidades humanas.

Hoje, tem gente no púlpito que manda obedecer as leis dos homens sem fazer a distinção acima mencionada.

Na Sessão Revival, as reportagens citadas no post:


Os pastores de fogo da mundial e seus fuzis:

http://www.youtube.com/watch?v=5UYlPeDQLbM


Conheça o Irmão André:

http://www.youtube.com/watch?v=IHLCra2WyQk


Isso é legal entre os homens...a juventude de lá se amarra... você toparia?

http://www.youtube.com/watch?v=kWqPxmrM0KU


quinta-feira, 11 de março de 2010

Dependa só Dele - Entre no Quarto



Já há algum tempo venho sendo incomodado para escrever sobre isso.

Aqui no Rio, sede da igreja Universal com seu chamado “templo maior”, lá em Del Castilho, bairro suburbano aqui na cidade, toda segunda tem uma reunião.

Você já deve ter visto quando estava zapeando os canais com seu controle remoto ( e espero que tenha sido só zapeando mesmo), na Record:

A Reunião dos 318.

A chamada da TV, diz que esses pastores estarão orando pela pessoa, quebrando empecilhos, dificuldades, trazendo prosperidade,etc.

É natural ver gente levando currículos para serem orados (os desempregados), muita gente leva foto de pessoas , para estas serem alcançadas por uma benção,etc.

Tem gente que leva até cueca de marido dentro da bolsa, á fim de que possa receber uma resposta dentro desta “respectiva área”.

Enfim, são cinco reuniões diárias, lotadíssimas, com média de 5 mil pessoas por culto...

Nunca claro, com um objetivo espiritual – as ordens do Macedo são bem claras quanto a isso:

Num desses cultos, pediram para dar apenas um real, no início, e quase todos deram (o zelador do meu prédio deu):

Seria para “comprovar” a fé de quem ali estava...

Ora, no auditório cabem mais de dez mil pessoas, mas na segunda, a frequência é menor...

Por volta da metade...então, só na primeira sacolada de um dos 5 cultos, eles metem a mão em pelo menos 5 mil reais brincando...

Deveria dizer que o zelador do meu prédio teve que voltar a pé pra casa?

Mas no final do show, eles pedem de 100 a 5 mil reais (pode ser em cheque) aos pequenos comerciantes, empresários, etc, para Deus quebrar a maldição das dívidas, etc.

Mas muita gente vai na inocência de que, por ter tantos pastores, a oração vai subir como um foguete para o céu.

Esse número – 318 , foi tirado de uma passagem de Gênesis:

"Ouvindo, pois, Abrão que o seu irmão estava preso, armou os seus criados, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e os perseguiu até Dã". (Gênesis 14:14)

Ou seja, na verdade, um ainda Abrão reuniu sua criadagem para resgatar Ló, numa madrugada, pois este havia sido feito refém na guerra dos 5 reis, e pegaram não só Ló de volta, mas também seus pertences, bens materiais (bois , cavalos, etc).

E aí fazem deste e outros textos, uma doutrina- isso é o que faz a doutrina da prosperidade.

Nossa dependência deveria ser únicamente de Deus

Muita gente, em vez de buscar ao Senhor, vai buscar o pastor.

Esse é outro dos grandes vícios da igreja brasileira:

Fazer do pastor o seu" padre", e se confessar a ele.

No confessionário do padre, separado por madeiras em que quase não se vê a cara da pessoa, esta recebe uma orientação e rezas por seus pecados...

Nos acostumamos a ter na figura do pastor uma espécie de bábá espiritual, ao longo do tempo...
Qualquer coisinha mais simples que seja, não oramos, meditamos, esperamos a resposta do alto...

Não lemos a palavra, nos fortificando para atravessar o caminho...

Corremos pro gabinete do pastor pra qualquer infantilidade espiritual, que nós mesmos precisamos resolver com Deus.

Deveríamos ouvir conselhos pastorais (mas de sábios pastores, e não de legalistas) quando realmente houvesse questões de alta prioridade...

Mas qualquer “unha quebrada”, corre-se até a eles, preguiçosamente, quando a pessoa pode muito bem buscar no Senhor orientação, e refúgio.

E alguns, de besta, se sobrecarregam com questões infantis, perdendo precioso tempo com isso, dando papinha de bebê na boca a cada depressãozinha, choramingos e outras infantilidades espirituais, de sua congregação - não ensinam sua igreja a andar com as própias pernas.

Igreja- instituição não pode ocupar um espaço que é Dele

Você botar 318, 750, enfim, pode ocupar metade de uma igreja com pastores, bispos, e qualquer outro título que seja;

Você pode ir para correntes de oração, novenas, semanas de orações, pedir pra um mundo de gente que você acha que é mais espiritual do que você, orar;

Você pode ir numa dessas igrejas que passam o dia inteiro abertas, e meter a cara no chão, esperando ser atendido/a;

Mas Jesus disse que é bem mais simples:

Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará ” (Mateus 6.6)

Enquanto fizermos pastores (cujo maior conselho é aquele que deveria vir ungido através de suas mensagens) nossos “intermediários na fé” com Deus;

Enquanto procurarmos aquele ou aquela irmãzinha em sua casa, com dons de revelação, de profecias, etc;

Enquanto passarmos tempo procurando igreja- instituição, frequentando cultos disso e daquilo outro todos os dias, nas mais variadas igrejas abertas quase 24hs, todos os dias;

Enquanto nos cansarmos “subindo o monte” ( tá mais perto do céu, né?), e nos mais variados congressos e acampamentos da vida, cuja impressão vai embora nos dias seguintes após o término dos mesmos...

Alías, como a igreja moderna adora um congresso...vive deles e de acampamentos, ao longo do ano...

Acampamento pra mim (passou minha fase disso), só serve pra jogar bola e cair na piscina...

Sim, como interação de uma igreja, é válido ( e isso tem que ficar claro, e não dizer que estão saindo para “buscar ao Senhor”);

E as pessoas que “se sacrificam pra Deus” cantando lagoísticamente sem parar cânticos intermináveis por horas a fio, na grei, para “encontrar sua recompensa”?

A maioria delas, mesmo anos a fio numa grei, nunca ouviu falar da graça divina...

Mesmo cantando sobre ela - “maravilhosa graça”.

Em geral, não obteremos nossas respostas, mas se mesmo numa misericódia divina a alcançarmos, vai gerar outro problema ( e por isso, muitas vezes Ele não atende):

Vai contra o princípio de intimidade entre a pessoa e Deus, do texto de Mateus.

Afinal, você procurou um mundo de gente pra chegar a Ele- que tava te esperando o tempo todo no “quarto”;

Vai gerar um sentimento que Deus é difícil de ser achado, cansativo de ser encontrado;

Vai gerar o conceito distorcido de que é um grande sacrifício, inclusive físico, de se buscar a Ele.

Por isso, particularmente, não gosto da prática de algumas igrejas de obrigarem seus membros a ficar de joelhos em momentos de oração intermináveis, que reforçam esse sentido acima.

Poucas vezes fiquei assim na vida...creio que reverência vai de atitude, e esta está no coração, e não em “maneiras físicas de se orar”.

E lembre-se:

O Pai te vê e escuta lá do seu quarto ( seu canto próprio -seja onde for- o fechar a porta, é para qualquer coisa no momento que não seja entre você e Ele, ali, e vale para qualquer local).

E responde, no tempo Dele.

É tão simples...

Por que complicaram tanto, dando a idéia nas pessoas que esse monte de coisas acima é que é o correto?

Entre no quarto- é só onde você precisa estar – e dependa Dele.

Lee


Na Sessão Revival, Os Paralamas, com Aonde quer que eu vá:

http://www.youtube.com/watch?v=xkxypth-jyU


quarta-feira, 10 de março de 2010

A Morte de Corey me trouxe lembranças...

Pedindo para voltar aos "velhos tempos"
Com Jason Patrick no espécie de "precursor de Crepúsculo", Garotos Perdidos

Com Jason Statham em Adrenalina 2

Abrindo a internet, fui surpreendido com a notícia da morte de Corey Haim.

Foi como se levasse um soco na boca do estômago...

Alías, nem o “joelho na barriga”, que levo vez ou outra no Jiu-Jitsu (e te deixa desconfortavelmente sem ar), me pegou com tanta surpresa como a notícia de hoje.

Bom, fica difícil tentar explicar quem era Corey pra geração mais nova, mas vamos tentar...

Seria como se você soubesse que aquele ator da saga Crepúsculo (série de cinema teen que não gosto, e nem me dou ao trabalho de saber os nomes deles), morresse daqui há 20 anos, e você que é fã, fosse pega de surpresa lendo na internet;

Seria como se você que é teen, abrisse a net daqui há 20 anos e ficasse sabendo que o Zach Efron tivesse morrido de overdose;

Seria, Pra você que viu Macaulay Culkin criança em Esqueceram de Mim, ficasse sabendo que ele tinha morrido por causa de drogas.

Começou a entender um pouco do que eu senti? Pois é.

Corey, no final dos anos 80, estava em todas as capas de revista das “Caprichos” da vida nos EUA;

Recebia centenas de milhares de cartas (na época pré- e mail), de teens de toda a América;

Era o astro pré, e depois teen, mais disputado para se fazer filmes.

Eu falei no tal do Crepúsculo...

Muito antes dessa saga, Corey foi um dos pioneiros nesse tipo de filme (teens vampiros, num curto muito não, e olha que vejo filminho de terror pra “relaxar”, pois não sinto medo desde que, aos 10 anos, minha saudosa tia Marta me ensinou a não ter medo deles):

Garotos Perdidos trazia o hoje Jack Bauer Kiefer Sutherland como um vampiro, e foi um dos filmes de maior destaque de Corey...vi, mas não é o meu favorito não...

Mas ver a morte de Corey, me trouxe lembranças de alguns filmes que ele fez, associados a minha vida.

Sem Licença pra Dirigir, agora candidato a clássico da sessão da tarde, foi um deles.

O filme é uma comédia teen leve, muito engraçada...mas me trouxe lembranças de quando tirei a minha carteira.

Enquanto Les Anderson (Corey) fazia o exame para tirar a carteira e impressionar a bonitona teen do filme, eu precisava fazer o exame, mas por outra razão:

Usar o carro como “instrumento de necessidade”.

Meu pai havia morrido, e o carro começava a ficar encostado... depois de longas 38 aulas com o instrutor (eram necessárias apenas 5 aulas, na época) minha mãe conseguiu a carteira ( na verdade, tiveram pena dela, e a passaram - mas isso fica aqui entre a gente).

Ao chegar as ruas,ela descobriu uma nova fobia- medo de trânsito...

Ela simplesmente ia para onde o fluxo a levasse...o que a fazia errar o caminho de casa, mesmo estando a 5 minutos dela- e ir parar num bairro a 10 kilometros de casa.

Isso sem falar que destruiu o carro errando o portão da garagem, e porrando a parede do prédio:
Eu pagava o pato, pois era zoado...e ficava com medo de andar com ela, e morrer de acidente de carro.

Assim, assumi o volante de um carro de janeiro até dezembro - quando fazia 18 anos...

Por um ano inteiro, dirigi sem carteira na rua...e sem ninguém me ensinar a dirigir...

Até que fui fazer o exame...mas ao contrário do Corey no filme, eu passei.

Ah, detalhe que nunca esqueci:

Antes, sem carteira, minha primeira viagem como motorista na vida foi levar o carro no domingo, para a igreja...

Essa glória tinha que ser pro Chefe.

Bom, mas na verdade, o filme que eu mais gostei com Corey foi “Lucas”, que aqui teve até um nome legal, “A Inocência do primeiro amor”:

Se não me engano, foi o filme de estréia da então teen Winona Ryder.

Em “A inocência do primeiro amor” Corey era Lucas, e na paixonite de seu primeiro amor, até tentou, sendo o mais novo e baixinho, entrar para o time de futebol americano da escola, para impressionar sua amada:

Virou motivo de piada...ela era de família riquíssima, dois anos mais velha que ele, ainda debaixo de pesados óculos de grau...

Não havia como competir com teens parrudos, e já com (sempre ela) carteira de habilitação (lá pode aos 16), enquanto ele ainda na sua simples bike...
A gente tem um pouco de Lucas dentro de nós, nos primeiros anos...

E o coitadinho ouviu de sua paixão, o que nenhum menino, teen, ou homem gosta de ouvir delas:

“Você e e eu somos apenas amigos”.

Corey fumou seu primeiro baseado ainda no set de Garotos Perdidos (Lost Boys), e ali começou a se perder como garoto...

Como um mal chama outro, se viciou em cocaína por um ano e meio...

E depois, na maldita e devastadora crack.

Na década seguinte, o ar juvenil já tinha partido, ficando com cara de Junkie...

Chegou a namorar a Victória, atual senhora Beckam, em 95, ainda antes dela estourar como uma das Spice Girls...

Os trabalhos foram rareando...as internações, aumentando...

Fez em 2000, um reality show chamado Two Coreys (dois Coreys),com o inseparável amigo Corey Feldman,mas só durou duas temporadas:

Feldman,que também se reabilitara do vício, não aguentou mais ver o amigo caindo no set, de tanto dar cafungada no pó...

Desesperado, sem trabalho, sem a fama que o tempo levou, Corey juntou os últimos trocados e colocou a propaganda da foto acima em revistas de ponta a ponta nos EUA:

Se oferecia para trabalhar.

Jason Statham lhe estendeu a mão, e ele fez um papel secundário em Adrenalina 2.

Mas o falso brilho da coca tirou todo o brilho de Corey...

O menino doce e suave da Inocência do primeiro Amor, o sacana de Sem licença pra dirigir, agora estava um bagaço deixado pelas drogas...

Que a gente nunca se esqueça da “inocência do primeiro amor”, sabendo que, ao deixá-la, todos nós ficamos “Sem licença para Deus dirigir nossas vidas”...

Correndo o risco de ficarmos (Garotos) Perdidos para sempre.

Lee

Na Sessão Revival, o trailer de “Lucas”- A Inocência do Primeiro Amor...rest in peace,Corey.

http://www.youtube.com/watch?v=phXMs5yn76Y



segunda-feira, 8 de março de 2010

Amélia é que era Mulher de Verdade


Amélia Earhart (1897 – 1937) foi uma mulher muito á frente de seu tempo.

Começou a ter aulas de vôo, numa época em que a maioria das mulheres eram donas de casa, ou no máximo professoras ou funcionárias públicas;

(Ora, até hoje, a maioria das mulheres, em relação a avião, faz é curso pra ser comissária de bordo, ou como são mais conhecidas, aeromoças)

Comprou um avião, aproveitando-se da então boa condição financeira de sua família.

O sonho de Amélia era cruzar o atlântico sozinho,mas enquanto isso se contentava em atravessar os EUA, o que fez por duas vezes:

Isso, numa época em que os aviões não eram sofisticados, e sim sucatas voadoras;

Numa época em que os aviões não voavam a grandes altitudes;

Numa época em os pilotos civis não tinham mapas nem aeroportos regulares para pousar.

Amélia seguia o rastro das estradas, ferrovias e rios, ou seja, ela fazia a mesma viagem que se fazia na terra, só que no ar, o que demorava em muito as viagens...

Numa delas, o mapa que ela havia desenhado, tirado de um livro, e que estava preso a sua jaqueta , se desprendeu com o vento, e ela se perdeu...

Até que achou uma estrada que levava a uma cidade, e pousou na rua principal desta.

Amélia sabia de suas limitações como pilota, e constantemente se aprimorava com instrutores.
Finalmente, em 1932, fez um vôo solo atravessando o atlântico, sendo a primeira mulher a realizar tal proeza.

Amélia desejava que sua vida fosse uma inspiração para outras mulheres.

Queria que estas se estimulassem a alcançar seus sonhos- ainda que esse sonho fosse seguir uma carreira vista como “tipicamente masculina”.

Mas as idéias de Amélia eram avançadas demais não só profissionalmente:

No seu casamento com George Putnam, manteve seu próprio nome, ao invés de ser chamada de Sra. Putnam;

E disse que acreditava em responsabilidades de ambas as partes num casório, numa época em que até hoje, se quer colocar cabresto na mulher, quando se casa.

Amélia foi casada com George por 5 anos, até seu mais ambicioso projeto de vôo:

Dar a volta completa circundando a terra, pela linha do Equador...

Ou seja, dar a “volta ao mundo”.

A esta altura, ela já era uma superstar em seu país, saindo em reportagens de jornais e revistas, e sendo recebida pelo Presidente Hoover na Casa Branca.

Mas seu avião se perdeu no pacífico...foi pego por uma tempestade.

Nunca se encontrou o Electra que ela pilotava, nem vestígios deste...

Nem no fundo do mar, nem próxima as lhas que ela tinha passado...

Na época, o que havia de melhor em busca e salvamentos, foi tentado...

Seu marido bancou buscas particulares, inclusive com nativos das ilhas próximas a última localização dela...tudo, sem resultado.

Amélia partiu livre, como sempre fora, a vida inteira:

Amélia soube ser mulher, de verdade.
Lee

Na Sessão Revival, o trailer de Amélia, em breve nos cinemas: