sábado, 6 de março de 2010

Coração Louco


Quem pode entender o coração humano? Não há nada que engane tanto como ele; está doente demais para ser curado (Jeremias 17.9)

Finalizando minha maratona ao Oscar 2010, fui ver Coração Louco.

O título não poderia ser mais apropriado: o coração de Bad Blake (um Jeff Bridges inspiradíssimo, que vai merecer se levar o Oscar) há muito perdera o caminho da razão.

Após o filme, fiquei pensando na frase acima, do texto de Jeremias...

Fiquei pensando em como nosso coração nos engana- em quantas vezes somos fomos enganados por ele...

E pensei por quais caminhos esse coração louco, doente demais para ser curado, pode nos levar.

Ter um coração louco, nos atrai para coisas loucas.

Conversando com um motorista de táxi essa semana, ele me dizia como perdeu vários colegas de juventude por causa de “coisas loucas”...

De como cada um “viajava” com sua seringa, injetada na veia, com heroína...alguns não voltavam “da viagem” ali mesmo...

Mas a maioria morreu de Aids, por compartilhar tais seringas um com outro.

Um coração louco, sempre vai em busca de uma loucura contra si mesmo.

Ter um coração louco - e permanecer com ele – pode nos levar ao fundo do poço.

Bad Blake, aos 57 anos, só tinha dez pratas no bolso, e vivia dormindo ao lado de uma garrafa de whisky, em motéis “cabeça de porco”, de pocilga em pocilga.

Várias vezes, após vomitar, dormia ali mesmo no banheiro, em frente a privada.

Ter e permanecer com um coração louco, é ter certeza a certeza de que entramos num elevador com destino ao subsolo de nossas almas, onde existem densas trevas.

Ter um coração louco, pode nos levar a uma atitude de busca antecipada da morte.

Era o caminho que Bad estava indo...alcóolatra, fumante inveterado, vomitava todo dia, pois o corpo, com 11 kilos a mais, já não aguentava tanta bebida...

Bad foi alertado pelo médico que, se continuasse com esse estilo de vida, ou iria ter um infarto, ou um derrame cerebral, logo,logo.

Um coração louco é um coração que sabedor de sua miserável situação, tenta de alguma maneira, consciente ou não, dar um fim ao seu estado de miserabilidade existencial.

Que bom que bad despertou há tempo...

Pois sempre há tempo de deixar que um coração louco nos conduza, pois pela sua própia natureza, ele é enganoso.


Lee


Na Sessão Revival, o trailer de Coração Louco (Jeff Bridges e Colin Farrel cantaram mesmo no filme, sem dublês):

http://www.youtube.com/watch?v=EVVhBUWMLRI