domingo, 21 de março de 2010

Não é Preciso Propaganda


A camisa acima ilustra bem os rumos que o “ser evangélico” tomou:

Virou moda, literalmente.

Hoje em dia, é moda ser evangélico...os políticos sabem bem disso:

Muitos defendem a bandeira (só de suas igrejas, ou de seu curral eleitoral gospel) na hora da eleição.

O que não quer dizer que são gente idônea, confiável:

Boa parte da turma do ex- governador Arruda, preso em Brasília, são de igrejas evangélicas...alguns também já estão presos, outros sendo investigados.

Quase todo escândalo de corrupção no país, tem evangélico no meio:

Os anões do orçamento, o governo Garotinho, aqui no Rio ( o “casal” teve seus bens bloqueados pela justiça, recentemente, mas ele continua com um programa evangélico numa rádio aqui do Rio, todos os dias, onde é chamado de “irmão Garotinho”).

Hoje em dia, trocou-se o ser, o viver, pela aparência, pela propaganda.

Jesus pregava com autoridade e unção, e jamais apelou com a intensidade que se vê hoje nas mais variadas formas.

Para Ele, bastava um “vinde a mim”, ou um simples “segue-me”.

Hoje, na igreja neurotizada que foi se formando, estimula-se o evangelismo acima, de camisas, panfletos, marchas “para Jesus”, culto “evangelístico” nas praças ou aos domingos á noite nas igrejas...

Estimula-se ainda a “trazer um visitante para a igreja”, para que este possa “ouvir a pregação do evangelho”...

Hoje, toda a propaganda que chamam de evangelismo, é voltada para a igreja, e não para Cristo...

A Universal e quase todas as outras que estão na TV, de todas as denominações, fazem isso...

Você já viu eles dizendo “procurem uma igreja próxima a sua casa?” Não vão ver:

Sempre é mandando para uma filial, para “nossa comunidade”...e aí passa na telinha os endereços das “filiais” – pois tudo aquilo é uma franquia, com um dono – disponíveis.

Assim funciona a propaganda, o marketing, que eles chamam de “evangelismo”.

Os "neuróticos de Cristo"

Eles são frutos de igrejas neuróticas, com pastores altamente legalistas.
Enchem o saco dos outros durante as conversas, tentando “converter á força”...

São pessoas das mais varidas idades -hoje em dia, tem muito teen, jovem, não só idosos, como se imagina...

A Neurose alcançou a todos:

Pastores neuróticos, igrejas neuróticas.

São alienados da realidade, deixando de viver uma vida cristã saudável e normal, em troca da neurose religiosa que foi passada pelos seus “mestres”.

Não sabem que, se vivessem apenas o evangelho, mesmo sem “abrir a boca”, os outros notariam a diferença...perceberiam que existe algo de bom e diferente...

Aguçariam a curiosidade...

Os valores fluíriam naturalmente...ninguém roubaria, desfalcaria...
Ou se “perderia”...

A maioria de hoje se “perde”, pois não tem isso dentro de si...

Pois ficaram apenas na fachada das camisas, dos discursos sem vida...

Das frases religiosas de efeitos em orkut, nos “cadernos gospel” para escola...

Em congressos caça -níqueis que vão de louvor até os dos “homens de negócio”...

Acampamentos para “fugir do carnaval”, e retiros para “fugir da realidade”...

E principalmente, desse evangeliquês doido, presente na boca deles:

Tudo é “tremendo, abençoado”, etc...

Regado ao som de muito louvorzão, pra passar o tempo.

Reprimidos por anos, quando explodem – e é só uma questão de tempo para explodir, pois a religiosidade deles é carnal - é uma tristeza só:

O neurótico religioso, quando se afunda, é pior do que porco encharcado na lama:

Bebe demais, se droga mais do que os que já se drogam, faz orgias das mais variadas...

A degradação do neurótico religioso, é muito pior do que a do não religioso.

Tudo isso, por que não se ensina a viver o evangelho de maneira sadia.

Hoje, são apenas regras de comportamentos, de pode- não pode.

Se se ensinasse a viver o evangelho, não precisaríamos de camisas como a da foto, pra dizer que se é evangélico;

Não precisaríamos de camisas, de adesivos no carro, na porta de casa, etc...

As pessoas perceberiam algo diferente...

O que se é, é, e mesmo sem abrimos a boca é perceptível:

E ela disse a seu marido: Eis que tenho observado que este que sempre passa por nós é um santo homem de Deus.” ( II Reis 4.9)

Elias nem abriu a boca...só passava na rua.

Não usava nenhuma “roupa de profeta”...

E nenhuma camisa evangélica.

Lee