quinta-feira, 8 de abril de 2010

A Avaliação Exterior dos homens,e a Avaliação interior de Deus


“...Porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração." (1 Sm.16:7)

Mestre, nós sabemos que falas e ensinas bem e retamente, e que não consideras a aparência da pessoa, mas ensinas com verdade o caminho de Deus. (Lucas 20.21)

O homem olha a aparência:

Ele vê o que a pessoa veste, o que ela usa, de que marca é, qual o carro dela, o que ela faz...

Deus vê o coração.

Na aparência, o homem quase perdeu Einstein...

Quase perdeu Garrincha, com as suas pernas tortas...

Uma leva de atores excelentes, se firmou não por sua aparência, mas por seu talento...

Cantores, da mesma forma:

A Susan Boyle quase ficou reprovada já na fila do show de calouros da Inglaterra, pela aparência e idade...

Hoje, já cantou até na Casa Branca, e seu Cd chegou até aqui no Brasil.

Mas continuamos julgando os outros pela aparência, não aprendemos...

O mais triste, é que desde os tempos de Tiago, no Novo testamento, até hoje, a igreja continua a fazer acepção de pessoas.

Jesus foi condenado pelos religiosos de sua época, por andar por entre pessoas de aparência ruim, como mendigos, leprosos...

Mas para Ele, Lázaro, o mendigo, era melhor do que o rico que ele pedia dinheiro...

Zaqueu, o baixinho publicano de má fama, teve a honra de recebê-lo em sua casa...

João Batista, com roupas esquisitonas e todo arredio, foi o maior dos profetas...

Mateus, cobrador de impostos, que eram antipáticos ao povo, foi chamado para seguí-lo...

Os Samaritanos, odiados pelos judeus religiosos de “pedigree”, tinham mais misericórdia.

Todos estes, eram vistos pelo exterior como pessoas “não qualificadas”.

Mas Deus conhecia seus corações...

Até quando vamos continuar julgando por aparência?

Lee

Na Sessão Revival, as aparências enganam: