quarta-feira, 21 de abril de 2010

Os Utensílios e Símbolos Cristãos esquecidos Pela Igreja Moderna





Com o passar dos anos, fomos nos esquecendo de nossos símbolos Cristãos nas igrejas:
Muitos com significado espiritual profundo, e também de utensílios que naturalmente deveriam fazer parte da igreja, em seu interior.

Eles eram parte integrante da grande maioria das igrejas, no passado...

Mas foram aos poucos deixados de lado, por causa basicamente de acusações mal fundamentadas, desinformação, e outros, atropelados pela “modernidade” da igreja atual.

Entramos em igrejas modernas de hoje, e não encontramos mais uma cruz no altar;

Não vemos mais uma Menorah (candelabro) em cima da mesa da ceia;

O peixe, outro símbolo do Cristianismo, é ignorado, nas igrejas...

No dia da ceia, não vemos uma taça/cálice com pães asmos (sem fermento), é tudo discretamente compactado...

Nenhuma lembrança dos símbolos e utensílios bíblicos do santuário...

Mas vemos as igrejas modernas trocaram seus símbolos cristãos pelas “modernidades” de hoje, ou pela cabeça de quem ornamenta uma igreja:

Muitos vasos com flores, ou com plantas, lá na frente...tem igreja que o altar mais parece um jardim, com plantas que atrapalham até a visão...

E ai de quem reclamar da irmãzinha que acha isso o máximo, encher a igreja de flores e fitinhas de ornamentação!

Cartazes de propaganda, seja de propaganda de atividade da igreja (como campanhas de arrecadação ou congressos ou passeios), ou atividade denominacional (campanhas de missões,etc) dentro do santuário, afixados, ou pendurados em locais estratégicos;

Batistérios High-tech (para as igrejas que batizam mergulhando), com batistérios modernos que abrem e fecham “sozinhos”, alguns com água descendo em formato de chafariz, e que ficam borbulhando o culto todo, distraindo a todos;

Batistérios “pops”, pra quem não tem dinheiro para um High-tech, com o famoso desenho do rio:
A pintura da parede desce como um rio até o batistério, produzindo o efeito cafonérrimo do “pastor batizando no rio”, ao lado do sol, da grama verdinha, e de alguns carneirinhos;

Dependendo da grana, tem batistérios tanto para filmes do James Cameron, quanto para filme do Zé do Caixão!

E no batistério “pop”, quando tem um palhudo pregando (pregador fraco) nos abre o imaginário:
Ficamos tentando imaginar "aonde irá terminar o riozinho que começa lá em cima"...

Outros símbolos que insistem em abarrotar nossos altares são as bandeiras do Brasil, e do estado em que fica as nossas igrejas, penduradas ou afixadas em mastros, lá na frente...muito cívico, isso...

Ou igrejas que em mês de missões, enchem á frente da igreja com bandeira de todos os países, poluindo o visual do ambiente...

Parecendo mais uma festa “junina missionária”, cheia de bandeira pra todo lado...

Mas nada disso é símbolo cristão...são raros os símbolos ou utensílios da Bíblia em nossas igrejas, hoje em dia.

Dificilmente vemos a Cruz, a Menorah, o Peixe, ou uma Candeia...

A Cruz

Toda igreja deveria ter uma – e antigamente, elas tinham, muito mais do que hoje.

Algumas igrejas protestantes acham que ter cruz é sinal de catolicismo:

Especialmente as latino-americanas, na época em que o catolicismo era mais forte do que é hoje.

Nos EUA, é muito comum igrejas protestantes com cruz – não tinha essa questão de” parecer católico por lá”- da mesma forma, a igreja Anglicana na Inglaterra, e pelo mundo.

A cruz representa o sacrifício de Jesus para a redenção do homem com Deus, representa que houve um preço a ser pago, por isso.

Só estamos ali dentro – na igreja - por causa desse sacrifício.

Como isso poderia ser alguma coisa só de um grupo?

Em minha atual igreja, a cruz é um dos símbolos, em seu logotipo:

Uma cruz na frente de um altar de fogo...espero um dia vê-la não só na capa do boletim ou da internet, mas dentro do santuário, mesmo.

Felizmente, várias igrejas modernas tem re-adotado a cruz dentro de seus santuários:

As igrejas Presbiterianas modernas, aqui da cidade, tem a forma de casas por fora...

Mas dentro de seus pequenos templos (em média cabem 100 pessoas), em vários bairros aqui do Rio (as recentes) sempre tem uma cruz lá na parte da frente, que chamamos de altar...algumas Metodistas, também.

A modernidade arquitetônica (tem algumas leis em cidades que dizem que não se pode levantar igreja com aparência "de igreja" em bairros residênciais) não pode influenciar no aspecto interior da mesma...essa tem que ter aspecto de igreja, com seus símbolos.

Só aproveitando a questão da cruz:

Várias pessoas com mentalidade legalista, ou que foram de formação católica, acham que protestante não pode usar corrente com crucifixo.

Pura besteira – é o mesmo princípio que citei acima, do simbolismo da cruz...

Uso corrente com crucifixo até quando jogo bola, só tiro pro banho...ela não tem nenhum “conteúdo espiritual”, não me “protege de nada”(quem o faz é Deus)...

E me faz lembrar, como símbolo, que não tô aqui de bobeira, um preço foi pago...

E tanto faz se o crucifixo é vazio ou se tem um Cristo na cruz...até o meu brinco tem cruz.

A Menorah

A Menorah (um candelabro de 7 pontas, usados no Templo antigo e nas sinagogas) é um símbolo bíblico:

A Menorah nos lembra os 7 Espíritos de Deus de Isaías 11.1-2:

“E então brotará um rebento do toco de Jessé, e das suas raízes um renovo (Jesus) frutificará.
E repousará sobre Ele o Espírito do Senhor (o Messias Jesus), o espírito de entendimento e conhecimento, o espírito de conselho e fortalecimento, o espírito de sabedoria e temor do Senhor...”

É um símbolo de significado espiritual muito profundo:

Podemos ter esses “sete espíritos de Deus” atuando em nosso dia a dia, conforme as circunstâncias...alguém já tinha falado disso pra você?

Não, por quê colocaram a Menorah apenas como “coisa de Judeu”, coisa do Velho testamento...

Engraçado é que a igreja atual se utiliza direto de coisas do “velho testamento”, no culto:

Batizar, tomar ceia, celebrar casamentos, recolher dízimos, apresentar crianças na Igreja, etc, tudo são práticas vindas do antigo testamento – Era tudo “coisa de Judeu”.

Por que ignoram a Menorah? Por que dizem que é “coisa de Judeu”?

É um utensílio que pode perfeitamente estar dentro de nossas igrejas, nos dias de hoje.

O Peixe

É outro símbolo pouco visto dentro de nossas igrejas, tem mais é em chaveirinhos ou adesivos de carro.

Antigamente, com a perseguição de Roma, os cristãos marcavam o símbolo do peixe numa madeira próximo ao encontro de onde seriam as reuniões, para ali se reunirem.

Ou quando queriam saber se um determinado grupamento de pessoas eram cristãs, desenhavam o peixe com o pé na terra.

Nos maiores milagres de Jesus, tinha peixe no meio;

Ele faz de nós “pescadores de almas”.

Mas o peixe sumiu como símbolo da igreja moderna...nem nos almoços da igreja, tem:

Sai mais barato fazer strogonoff de frango.

O Alfa e o Ômega

Este símbolo é em referência ao fato de Cristo ser o princípio e o fim de todas as coisas.

É a primeira e a última letra do alfabeto grego, Jesus disse que Ele era o alfa e o ômega, em Apocalipse 1.

Não vemos essas letras gregas mais em nossas greis, mas vemos termos em inglês, e a irritante termilogia gospel, com seus “tremendos e fogo caindo”, em tudo que é igreja.

A Candeia

Lampião de antigamente, Jesus é a nossa Candeia, pois Ele é luz. (Marcos 4.21)...nunca vi.

Cajado

Raramente vejo cajados em gabinetes pastorais, que cada vez mais parecem gabinete de executivos.

Dificilmente você vê um quadro cristão inspirativo dentro de um gabinete pastoral;

Dificilmente se vê uma pequena Menorah, ou uma Cruz;

Ou uma Mezuzá (É um pedaço de madeira ôca por dentro, normalmente tem cravado no lado de fora a letra ‘L' do alfabeto hebraico, que é a inicial de “El Shaday”).

Esta caixinha contém dentro dela escrito em hebraico o texto de Deuteronômio 6:4-9, que diz:

"Ouve oh Israel nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor Teu Deus de todo o seu coração, de toda a tua alma e de todas as suas forças... "

Dificilmente você vê num gabinete pastoral um cajado...

Tem igreja que dá chave, em posse de pastor, e não cajado...

Entre tantos outros signifificados, como liderança, cuidado, disciplina, defesa do rebanho, está o do salmo 23 – consolação...
E também não vejo, em ordenação de pastores, comissionamento de missionários, derramar óleo de dentro do pequeno shofar, o chifre do carneiro...como Samuel fez com Davi.


Você não vê em gabinete pastoral, quase nenhuma referência a criação do Chefe:

Uma quadro com uma montanha, ou algo da natureza...

Um vaso de plantas, aqui sim, regado dia a dia pelo Pastor...

Um aquário, com peixinhos, criação dele- e tão dependente da ração que ele joga, como dependemos de Deus para comer...

O gabinete de seu pastor diz muito sobre quem ele é, entre nele e sinta se tem a presença de Deus, e referência as coisas do reino de Deus.

Ou se tem muito mais coisas de homens:

Biblioteca abarrotada de livros;

Diplomas de graduações de “sabedoria humana”;

Certificados de congressos ou cursos “capacitórios”.

Fotos ao lado de cardeais da denominação e políticos influentes, foto de seu” padrinho ministerial”...

Preste atenção se ele tem foto da esposa (se for casado), ou não...alguns tiram quando recebem mulher...ou só deixam a dos filhos (de quem mais gostam);
E se ele não tem fotos da família, mas tem de outras pessoas, "aí tem ".

Preste atenção se o Pastor é por demais High-tech:

Certa vez, fui conversar com um assim e ele mal me olhou nos olhos:

Ficava o tempo todo controlando quem entrava e saía da igreja, pela camera de monitoração, direto seu computador instalado em sua mesa.

Outros se perdem na internet:

Ano passado, um foi destituído da igreja, aqui no Rio, após somente 8 meses á frente da mesma:

Acessava sites com vídeos pornôs, e certa vez esqueceu aberto...

Um membro entrou, viu, foi no histórico e viu que ele fazia isso quase todo o dia (em casa, não dava, a patroa tava lá).

Outros são viciados em chats e papos eróticos.

Ah, sim, alguns tem a Bíblia em suas mesas...

Alguns a lêem para si mesmos, outros, lêem desesperados, só para ter o que falar no domingo.
Lembre-se dessas coisas, quando entrar num gabinete pastoral:

Aquela sala, muitas vezes tão pequena, reflete como anda toda sua igreja.

Lee

Cada vez sinto mais um desejo de começar um trabalho,desde o nascedouro, sem esses vícios pré-estabelecido por convenções humanas, só por que “é assim que as coisas são”...